Coluna do Gerson Nogueira – 06.07.15

A “loucura” premiada

Lionel Messi segue em dívida com sua seleção em jornadas decisivas. Ganha tudo pelo Barcelona, mas pela Argentina naufraga sempre. Ainda assim, pode-se dizer que o país de Evita, Che e Gardel também sai vencedor desta Copa América. Por um motivo simples e marcante: os quatro primeiros colocados são treinados por argentinos. Não é pouca coisa. Isto tem nome e significado: hegemonia.
E o mais importante é o fato de que os técnicos representam uma mesma escola de jogar futebol, são fiéis aos mesmos princípios básicos. Jorge Sampaoli, campeão com o Chile; Gerardo (Tata) Martino, vice-campeão; Ricardo Gareca, terceiro com o Peru; e Ramón Diaz, técnico do Paraguai, quarto colocado. E ainda tem Jose Pekerman, da Colômbia.
Importante: os times citados jogam à maneira argentina. Valorizam o toque de bola, até mesmo quando os jogadores são botinudos e mais rudes, como os paraguaios. Peruanos, colombianos e chilenos aprenderam a reproduzir bem os ensinamentos.
Jorge Sampaoli, que aplicou um tremendo nó tático em Martino na decisão de sábado, é o mais fiel à tradição argentina, daí ter sido ter sido bem sucedido, superando a própria seleção do país gerador de conhecimento.
Aqui cabe abrir espaço para o pai de tudo isso.
O Chile mostra evolução desde os tempos em que era comandado por Marcelo Bielsa. Os resultados do trabalho desenvolvido por ele entre 2007 e 2011 se refletiram na Copa do Mundo do ano passado no Brasil. O triunfo continental foi uma espécie de coroação de tudo isso.
Sob a batuta de Sampaoli, os chilenos jogam como Bielsa sempre propôs. Tocando muito a bola, controlando o jogo com habilidade e atacando com um destemor que o Chile nunca teve em sua história. Humilde, Sampaoli sempre cita Bielsa como mentor, admitindo que até hoje revisita palestras e preleções do mestre.
Com um pouco mais de observação é possível ver também recortes do pensamento de Bielsa no próprio selecionado argentino, pois Martino é também um aplicado discípulo seu.
Não por acaso, Sampaoli e Martino são definidos como os mais aplicados seguidores de El Loco, tendo o segundo jogado sob o seu comando no Newell’s Old Boys. E aí cabe entender melhor o papel de Bielsa nessa história toda. Foi com ele, não sem alguma dor, que a Argentina rompeu finalmente com as propostas antagônicas de Menotti e Bilardo.
Menotti, campeão em 1978, era dado a inovações. Bilardo, vencedor em 1986, ficou famoso pelo conservadorismo, tendo a ventura de contar com o gênio Maradona em sua seleção.
Quem acompanha a trajetória de Bielsa sabe que ele sempre cultivou o princípio da intensidade, tão em voga hoje que até o ‘pofexô’ Luxemburgo anda repetindo o mantra a cada nova entrevista. Seus times se caracterizam pela aproximação constante entre setores, movimentando-se sempre no sentido de reter a bola.
Na final da Copa América foi possível visualizar nos dois lados tais características de estilo. Sampaoli reproduz com mais fidelidade o que Bielsa prega. Ao contrário do colega e compatriota Martino, faz seu time girar o tempo todo, permitindo que até homens de criação – como Valdívia – se prontifiquem a marcar e participar da luta pela posse da bola.
Se Bielsa não conseguiu levantar taças como técnico da Argentina e do Chile, falhando na junção entre teoria e resultado, o triunfo de agora lhe faz justiça. Rígido e inflexível em suas convicções, ele não é propriamente uma figura fácil, mas ninguém poderá lhe negar competência.
O fato é que poucas vezes no futebol sul-americano se viu uma filosofia de jogo ser defendida em campo por seleções tão diferentes e ao mesmo tempo tão parecidas. O temperamental e muitas vezes incompreendido Bielsa não podia ter recebido homenagem melhor.

Águia tropeça de novo em casa

A não ser que um milagre aconteça, o Águia dificilmente escapará do rebaixamento. Sem vencer ainda na Série C, o time marabaense foi derrotado dentro de casa, na tarde de domingo, pelo ASA alagoano. O conhecido Didira mandou no jogo, principalmente no primeiro tempo. Ele próprio abriu o marcador logo no começo da partida. A tranquilidade dos visitantes era tão grande no Zinho Oliveira que antes de terminar o primeiro tempo Lucas ampliou para 2 a 0.
O Águia descontou ainda na primeira etapa graças a um penal sofrido por Lineker e convertido por Flamel. Novamente, o time teve todo o segundo tempo (como no jogo passado) para tentar reverter, mas acabou aceitando o resultado, incapaz de criar as oportunidades para chegar pelo menos ao empate.
Lineker, além da jogada do pênalti, apareceu bem como ala pela esquerda do ataque e também como articulador de jogadas. Isso, porém, não foi suficiente para mudar os rumos da partida.
Com quatro pontos ganhos, o Águia enfrenta o lanter Icasa no sábado que vem. É a chance de pelo menos conquistar a primeira vitória na competição.

Leão vence o último amistoso

No terceiro e derradeiro teste para a Série D, o Remo foi a Macapá e derrotou o Ipiranga, ontem à noite. O gol foi do zagueiro Henrique já no segundo tempo. Cacaio teve a chance de observar bem o grupo de jogadores e deve ter ficado especialmente satisfeito com a atuação de Chicão ao lado de Eduardo Ramos no meio-de-campo.

Direto de Atenas

“A Grécia mostrou que a democracia não pode ser chantageada”.

A frase de Tsipras é sobre o plebiscito grego, mas serve (e como) para o Brasil.

6 de julho de 2015 at 4:49 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º- Ronaldo Porto – 06.07.15

CHILE MOSTROU COMO SE FAZ

Numa Copa América em que alguns esperavam uma Argentina forte, o grande campeão foi o Chile que acabou levantando o título, conquistado dentro de casa no calor da sua torcida. Na final de sábado, a Seleção Chilena aproveitando o vento a favor da sua fanática torcida, partiu pra cima da Seleção Portenha e impôs seu jogo, mas não conseguiu levantar o caneco nos 90 minutos, tampouco na prorrogação. Nos penais, o time chileno teve melhor aproveitamento e levantou a Copa América. Aquele meu amigo que havia dito que a final seria entre Chile e Argentina, acertou na mosca, só não garantiu quem seria o campeão. Os argentinos ficaram atônitos no final dos penais e o mais pensativo era o Messi, que perdeu a grande oportunidade de levar a Argentina ao título. Ele bem que tentou trazer o jogo pra si, mas a bola caprichosamente não quis entrar no gol chileno. Chile ficou com o título, a Argentina foi vice, o Peru ficou com a 3ª colocação e o algoz Paraguai ficou em quarto.

ALTA TEMPERATURA

O Paysandu fez a sua parte semana passada vencendo o Atlético-GO por 2×0, assumindo a liderança da Série B, ficando na espera do jogo Botafogo-RJ x Sampaio Corrêa-MA. O Fogão venceu e voltou ao topo, empurrando o time bicolor para a vice-liderança. O problema é que agora o Papão sairá para dois jogos, contra Bahia-BA e Macaé-RJ, dois postulantes ao G4. Como os últimos resultados do Paysandu fora são positivos, a torcida confia em quatro pontos na bagagem, ou seis.

BAIXA TEMPERATURA

Poderíamos denominar de “papelão”, o desempenho do Brasil na Copa América, mas até eu acho que foi mais que isso. Para se ter uma ideia, estaremos fora da próxima Copa das Confederações e as eliminatórias para os torcedores brasileiros é uma incógnita. Na verdade nosso material humano é muito inferior ao que já tivemos por aqui e, se não tivermos cuidado, poderemos ficar fora também da próxima Copa do Mundo. Há de se fazer uma mudança total, senão o vexame será total.

NO TERMÔMETRO

E o Águia de Marabá não é mais o mesmo. Não perde fora, mas em compensação está complicado vencer em casa. Ontem, mais uma derrota no Zinho de Oliveira para o ASA-AL por 2×1. A continuar assim, a queda será inevitável. /// João Galvão no final da partida, apesar da derrota, elogiou seu time e disse que a bola não quer entrar. Ou será que os atacantes não conseguem mirar o gol adversário direito? O Águia só não é lanterna porque o Icasa-CE não consegue empatar ou ganhar ninguém. /// Será que a crise remista vai diminuir? Será que o time vai engrenar para fazer uma boa estréia na Série D? A tal Junta Governativa que está ajudando o presidente do Condel arranjou uma “ponta” e diminuiu a dívida, além de ter acertado uma parceria com a prefeitura de Paragominas para os três jogos do “castigo” do Remo, podendo arranjar um bom troco nessas três partidas. Pra melhorar ainda mais, o canal Esporte Interativo vai transmitir os jogos da Série D e aí a grana aumenta um pouco mais. Milton Campos, Sérgio Dias e André Cavalcante não estão poupando esforços para tirar o Remo desse marasmo. O fenômeno azul agradece. /// Aliás, no caderno BOLA de ontem, domingo, do DIÁRIO DO PARÁ, uma matéria esclarecedora das últimas gestões do Clube do Remo, mostrando os grandes erros de quem comandou os destinos azulinos nesses últimos anos. Minowa se defende dizendo que antes dele, muitos cometeram essa tal “gestão temerária”, mas que sobrou pra ele. /// No amistoso de ontem em Macapá, com uma boa galera presente, pedindo inclusive que o Remo também jogue lá pela Série D, o Remo conquistou uma bela vitória por 1×0, gol do zagueiro Henrique. Cacaio gostou do time, que estreará nesse final de semana na Série D. Seja o que Deus quiser. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

6 de julho de 2015 at 4:42 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 05.07.15

BOLA NA TORRE

Deste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV –
Canal 13. Vamos falar da Excelente Campanha do Paysandu
Que chegou a Liderança da Série B, o Águia na Serie C e o
e o amistoso do Remo em Macapá a uma semana da estréia
na Serie D.  Guerreirão no comando, estarei com os
companheiros Gerson Nogueira e Valmir Rodrigues. Neste
Domingo Sorteio de Uma Camisa Oficial do Paysandu e Outra
do Clube do Remo. Participe pelo @bolanatorre.

CIA ATHLÉTICA

Em função do mês de julho a Bola para de rolar nas férias pelo Campeonato de Futebol Society da Cia Athlética. Mesmo com a paralisação o líder continua sendo o Cruzeiro. Bola volta a rolar na Primeira Semana de Agosto.

PELADA…

Com iniciativa da Liga Parasoccer de Futebol pelada vai ai no Mês de agosto o “Parazão da Pelada” com apoio da Federação Paraense de Futebol e Diário do Pará. Terá inicio dia 8 de agosto e a final dia 19 de dezembro. Além do cunho esportivo o evento irá beneficiar crianças de 0 a 15 anos de ONGs – Junte-se a Nós, Sociedade Alternativa e Fundação Acolher. Iniciativa de Luís Claudio Silva e Marcos Noro. Parabéns!!!

PARCERIA…

Valeu pela iniciativa dos dirigentes azulinos que comandam o futebol nesta nova fase, Milton Campos, Sergio Dias, André Cavalcante e Fabio Bentes pelo Marketing. Jogos em Paragominas com todo apoio da Prefeitura local e do Prefeito Paulo Tocantins. Melhoria no Estádio Arena Verde, além de hospedagem, alimentação e transporte. Com atitude tudo se resolve. Até o Sócio Torcedor será beneficiado. Melhor: A Série D terá a transmissão ao Vivo para todo o Brasil pelo canal Esporte Interativo. Show!!!

QUASE LÁ…

O trabalho da atual diretoria bicolor é digno de elogios, não só pela bela campanha que faz a equipe bicolor na Série B, mas a Gestão administrativa que coloca o clube entre um dos mais organizados no país. Pra completar as obras do Hotel Bicolor entram em fase de acabamento e no mês de agosto tudo deverá estar concluído. Serão 19 apartamentos com todo o conforto e que além de atender aos profissionais também será utilizado pela base bicolor. A novidade: todos aqueles que quiserem colaborar também terão seus nomes nos apartamentos da nova concentração. Bela sacada…

5 de julho de 2015 at 10:44 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 05.07.15

Pensar não dói

O nome é pomposo, grandiloquente. Conselho de Desenvolvimento Estratégico do Futebol Brasileiro. Pela pinta, parece coisa séria. A porca torce o rabo quando a gente descobre que a coisa foi instituída pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. Bate então a desconfiança natural quanto aos verdadeiros interesses por trás da iniciativa.

Compõem o tal conselho o coordenador de Seleção, Gilmar Rinaldi, o técnico Dunga, alguns membros da comissão técnica e ex-treinadores da Seleção Brasileira. Significa que estarão presentes à primeira reunião, na segunda-feira pela manhã, nomes como Carlos Alberto Parreira, Luxemburgo, Leão, Candinho, Carlos Alberto Silva, Zagallo e Sebastião Lazaroni.

Pensar sempre vale a pena e o senso comum ensina que várias cabeças pensam melhor que uma. Ocorre que na história da humanidade abundam exemplos de colegiados que conseguiram pensar e produzir coisas terríveis. No futebol, não é lá muito diferente.

A cartolagem que domina a cena futebolística, tendo a CBF como órgão máximo, é prova mais do que eloquente das burradas que um agrupamento heterogêneo de pessoas é capaz de arquitetar. Em escala planetária, a coisa se reproduz hoje na Fifa e sua plêiade de pilantras.

Quando criou o Conselho de Desenvolvimento Estratégico, Del Nero parece ter buscado reunir o melhor do pensamento futebolístico no país. Reservas à parte, não deixa de ser uma ideia interessante, mesmo que os técnicos que passaram pela Seleção tenham contribuído tão pouco para a evolução do futebol por aqui.

Com a prometida extensão do debate a acadêmicos e outros profissionais vinculados ao esporte é possível que a discussão se eleve e venha a produzir efeitos positivos. Tenho cá, porém, minhas dúvidas. Tudo que a CBF encabeçou invariavelmente teve apenas um objetivo: ampliar seu poder sobre o futebol no Brasil, num processo que envolve acima de tudo a captação de mais e mais dinheiro.

A preservação da essência do jogo, característica que deu ao Brasil o destaque que ocupa no mundo da bola há mais de 60 anos, nunca foi assunto prioritário nas rodas de conversas na entidade. Pelo contrário. O massacre representado por calendários irresponsáveis e a submissão dos clubes a um modelo predatório tornaram-se marcas das gestões na CBF desde Ricardo Teixeira.

Del Nero, acossado pelos pesadelos da investigação do FBI, tenta propor uma nova agenda. Tomara que não seja apenas jogo de cena.

Leão corrige a rota para achar rumo certo

Pela primeira vez em meses, a semana azulina fechou sem qualquer conturbação à ordem. Até o espinhoso caso do leilão da área do Carrossel ganhou novo prazo de 30 dias para ser desenrolado. Para funcionários e atletas, a boa notícia foi o pagamento dos salários de abril e parte de maio, cujos atrasos eram motivo de inquietação e justa revolta entre os profissionais.

Com a saída de Pedro Minowa, licenciado, as coisas começam a engrenar. A inércia que dominava os principais pilares da gestão agora não existe mais. Sob a coordenação de André Cavalcante, a junta que dirige o futebol participa ativamente da vida do clube, dando suporte e assistência ao elenco de profissionais.

A diretoria já trabalha para conseguir quitar o mês de junho até o próximo dia 7, na semana da estreia do time na Série D. Com a credibilidade readquirida, os colaboradores voltaram a ajudar. Um exemplo disso foi a contribuição feita por um empresário da região de Castanhal.

Prosseguem as negociações com importante marca empresarial para assinar o patrocínio master na camisa durante a Série. A notícia de que o Esporte Interativo decidiu transmitir todos os jogos da equipe (via TV e internet) deve contribuir para a conquista de novos patrocinadores.

Acima de tudo, a nova mentalidade reinante no clube pode ser a chave para a reconstrução. Um bom indício é a convocação de representantes da torcida para uma reunião na próxima quinta-feira, 8, na sede social, a fim de discutir ideias que possam contribuir para o fortalecimento do clube.

Penacho mais chamativo ainda é do Flamengo

O festivo desembarque de Paolo Guerrero ao Flamengo, além de salgar a folha salarial do clube em quase R$ 700 mil, ajuda a restituir um antigo e importante galardão rubro-negro.

O atacante peruano é dono de um dos mais inusitados penteados do mundo boleiro, superando em esquisitice o estilo punk-moicano de Léo Moura, antigo detentor do cetro de cabelo mais medonho do país.

Não há risco, pelo menos por enquanto, de o Flamengo ser superado nesse departamento.

Bola na Torre

A rodada da Série C e a movimentação de Leão e Papão durante a semana são os temas em análise no programa desta noite. Guilherme Guerreiro apresenta, com participações de Giuseppe Tommaso, Valmir Rodrigues e deste escriba de Baião.

Começa logo depois do Pãnico, por volta de 00h10.

5 de julho de 2015 at 10:40 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 02.07.15

POSITIVO – Boa opção do Remo de jogar em Paragominas na punição em parceria com a Prefeitura (ganha alimentação, hospedagem e estádio). Hélder Cabral e o Japonês vão cuidar de recuperar o gramado.

NEGATIVO – Muitas reclamações da atuação da SEMOB nas cercanias do Mangueirão anteontem. Lembrava aquele quadro de TV: estava mais para complicar do que resolver. Falta treinamento ao pessoal!

Lá e Cá

Estrela bicolor Pikachu estreou oficialmente de 14.1.12, no Parazão, na derrota de 2×1 para o Cametá. Daí pra frente só sucesso. Anteontem só 250 ingressos deixaram de ser vendidos no Mangueirão.

André José Sousa (andresousa60@gmail.com) sugere à diretoria do Paysandu colocar venda adesão do sócio bicolor no Mangueirão nos jogos de grande público, pelo lado A, facilitando estacionamento e evitando tumulto no setor B.

Na era de pontos corridos é a primeira vez que um time paraense lidera Série do Brasileiro. Aliás, Sport à frente na Série A, Paysandu na B e Fortaleza na C: revolução Norte-Nordeste ignorando outras regiões.

Público pagante de Paysandu 2×0 Atlético-GO (30.201) superou de Argentina 6×1 Paraguai (29.205). Fahel e Gualberto de volta no Papão contra o Bahia, de 7.7., 19:30h, na Arena de Fonte Nova-Salvador.

Alviazul Pikachu tem na verdade 57 gols na carreira (não conta 2 de amistosos). Árbitro Vinícius Furlan-SP relatou laser na torcida do Paysandu, não percebido na TV. Papão não tomou cartão.

Dos 13 gols do Paysandu na Segundona, 1 de pênalti, 2 de falta, 2 de fora da area e 8 de dentro da área (Dados: Adilson Brasil).

Remo quer jogar em Paragominas aos sábados pela Série D (Rio Branco-AC o primeiro). Leão atrás de chefe para o DJ e Dir. Financeiro (Dr.Aldemar Barra não aceitou). Fábio Cebolão se diz apenas Remo e não tem grupo.

Vilhena-RO em desmonte, pois deixaram o elenco os volantes Flávio e Raí, atacantes Roallase e Salatiel. Remistas preocupados com a escalação do inexperiente árbitro Silvio André Lima-MT, para estréia em Rondônia.

Águia tem de se cuidar domingo contra o ASA-AL, porque depois vêm duas partidas encardidas fora (Icasa e Cuiabá) e, no retorno, jogo não menos complicado em casa frente o líder da Série C, o Fortaleza.

HOMENAGEM – Alexandre Moraes, o Aleixo ex-atacante do Remo, Tuna, Paysandu (Campeão Brasileiro de 1991), Izabelense, Tiradentes, Sport e Ypiranga-AP. Supervisor de obras e tem escolinhas em S. João de Pirabas.

2 de julho de 2015 at 5:26 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 01.07.15

Vencendo e entusiasmando

A campanha é impecável. Já é a melhor da Série B. O time joga com disposição e comprometimento. O torcedor lota as arquibancadas. Tudo parece se encaminhar para voos mais altos, antes fora dos planos. O acesso já é uma possibilidade concreta, como a coluna registrou após o jogo com o Náutico, no Recife. Agora, com a alegria e a confiança que se apodera do torcedor, o Papão já abre a perspectiva de conquistar seu tricampeonato da Segunda Divisão.
Não é delírio, as chances estão aí mesmo. Neste momento, o Papão depende de suas próprias forças para atingir esse objetivo. Para subir, necessita de mais 45 pontos – a média de pontuação fica entre 65 e 67 – em 84 possíveis. E, para escapar ao rebaixamento, precisa assinalar pelo menos mais 25 pontos, o que é mais do que provável.
Por todos esses números, a trajetória na Série B tem sido empolgante, merecendo o apoio maciço da torcida Fiel, que volta também a prestigiar a equipe depois de ter sido pouco participativa no começo de campeonato.
Em campo, o time produz o necessário para vencer seus jogos, fiel aos manuais da Série B. A garantia de êxito depende de faturar sempre os três pontos em casa e pontuar sempre fora. Parece simples, mas a maioria dos times se atrapalha justamente nesta missão básica.
Ontem à noite, diante de 32 mil pessoas presentes ao estádio Jornalista Edgar Proença, o Papão não começou bem. Hesitante nas jogadas pelas laterais e pouco objetivo no ataque, chegou a impacientar o torcedor nos primeiros minutos, principalmente porque o Atlético Goianiense marcava forte e ameaçava em estocadas pelas extremas.
Disposto a surpreender, o Dragão impôs um ritmo forte, impetuoso. Logo de cara, um grande susto em bola trabalhada nas costas de Pikachu. O tiro de Rafinha passou rente ao poste esquerdo de Emerson. O Papão reagiu com um bom chute de Carlos Alberto, que o goleiro mandou a escanteio. Logo depois, veio um cabeceio forte de Aylon e investida fulminante de Jonathan na diagonal pela direita, quase abrindo o placar.
Quando tudo se encaminhava para um 0 a 0 frustrante no primeiro tempo, Carlos Alberto descolou um passe de letra que deixou Leandro Cearense cara a cara com o goleiro Márcio. Com um leve toque, a bola foi para as redes e a vitória começou a ser estabelecida.
Depois do intervalo, tranquilo com a vantagem, o Papão voltou como senhor absoluto das ações. Logo aos 9 minutos, em jogada de Pikachu na linha de fundo, o zagueiro Marlon resolveu homenagear Tiago Silva e deu uma cortada de vôlei na área. O próprio Pikachu cobrou e marcou seu 55º gol com a camisa alviceleste.
A partir daí, o Atlético se perdeu em jogadas sem inspiração, abusando dos passes errados. O Papão tomou conta da partida, procurando cadenciar seus avanços. Deu-se até ao luxo de desperdiçar alguns contra-ataques preciosos, com Aylon, Jonathan e Carlinhos. Afobação e certa ganância impediram que a vitória fosse mais larga.
Papão foi novamente muito objetivo e acabou ajudando a sorte, com a excelente jogada que levou ao gol de Cearense quando o jogo ainda estava muito equilibrado e indefinido. Dado Cavalcanti mostra absoluta noção das potencialidades do time. Os bons resultados estão diretamente associados a esse grau de conhecimento.

Argentina coloca o Paraguai na roda

Foi um baile. Bastou que uma seleção se dispusesse a jogar sério e com competência para que o impávido Paraguai desmoronasse. Com transição rápida e chegada precisa de Di Maria e Pastore pelos dois lados do ataque, surpreendendo a linha de marcação, a Argentina não encontrou a menor dificuldade para disparar a maior goleada da Copa América até aqui.
Lionel Messi teve comportamento discreto, até inferior ao ritmo que exibiu contra a Colômbia, mas ainda assim fez a diferença contribuindo para abrir os caminhos em meio aos botinudos beques paraguaios.
Como a Argentina tem outros grandes jogadores e sabe se distribuir em campo, a goleada (6 a 1) foi alcançada com relativa tranquilidade. Podia até ser maior, caso Higuaín e o próprio Messi tivessem aproveitado outras oportunidades criadas.
Pode-se dizer que foi a primeira realmente categórica de um dos favoritos ao título continental. Tata Martino parece ter orientado seus jogadores para que mostrassem a verdadeira força ofensiva da equipe, como forma de superar o Paraguai e impor respeito aos chilenos, adversários da final.
Por tabela, a acachapante atuação argentina serve como lição ao teimoso e irascível Dunga, que não só avaliou positivamente o fiasco brasileiro no Chile como dirigiu jabs verbais a Zico.
Bem que o Capitão do Mato podia ter aproveitado a ocasião para aprender alguma coisa com a simplicidade desconcertante do esquema de Martino. Seu time usa toques rápidos e envolventes, sempre pra frente e buscando o gol. Parece fácil – e é, quando há talento envolvido.

Leão às voltas com suas pendências

Depois que a junta de dirigentes do Futebol do clube conseguiu levantar dinheiro para pagar os salários de abril, conselheiros e beneméritos do Remo já se preocupam com um novo compromisso importante: o prazo para apresentação de um plano de pagamentos da dívida trabalhista.
A Justiça do Trabalho deu até sexta-feira, 3, para que o clube se manifeste. Como o presidente licenciado Pedro Minowa não tomou qualquer providência, a situação está perigosamente em aberto.
Caso não faça uma proposta, a área do Carrossel pode ser leiloada e o dinheiro não será suficiente para quitar todo o débito do Remo. No caso em pauta, a JT protege o capital, aceitando 20% de entrada, mais 10 parcelas mensais e sem qualquer indexador.

1 de julho de 2015 at 6:30 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 01.07.15

POSITIVO – Paysandu não só é lider como tem melhor público pagante da Série B (30.201). Pikachu 55 gols em 191 jogos oficiais, 12 de pênalti, 13 em 2015, 14 só nas disputas da Série B e 21 no Mangueirão (Fonte: Adilson Brasil).

NEGATIVO – Público marabaense virou mesmo às costas para o Aguia e só 487 pagantes no 2×2 contra o Botafogo-PB. Tudo indica que contra o ASA a toada será mesma. Lamentável!

Lá e Cá

Novos integrantes da Comissão do Futebol do Remo em 24 horas levantaram 150 mil para complementar folha de abril de jogadores, CT e funcionários. Foco agora é pagar maio, junho e assinar contrato de Cacaio.

Cube do Remo agora é Patrimônio Cultural e Imaterial do Município de Belém, proposição do vereador Rildo Pessoa, para alegria da também vereadora e ex-atleta azulina Marinor Brito.

Grupo do ex-presidente Pirão de volta ao Remo aos poucos: já estão lá Magnata, Fábio Cebolão e Fábio Bentes; missa de 7º dia de François Thym, hoje, 20h, na igreja de Fátima.

3ª Etapa dos Jogos Abertos do Pará, em Marabá (Sudeste-Araguaia) tem programação para 20 a 26.7. Depois, a 4ª, Breves (Marajó), de 27.7 a 2.8.

Advogado Marcelo Lavareda deverá tomar posse em agosto na presidência do TJD da FPF; DJ do Remo (Dr. André Meira) pediu mais 30 dias ao TRT para apresentar o plano definitivo de pagamento de débitos.

Ex-jogador de Remo, Paysandu e outros clubes brasileiros, o técnico Vitor Hugo gostou tanto de Santarém (fez bom trabalho no Tapajós) que está morando na paradisíaca Alter-do-Chão. Vai até casar de novo!

São dois confrontos entre Águia e ASA, 3×1 lá para os alagoanos e 4×1 em Marabá em favor do Azulão, na Série C do ano passado. Dos cinco gols aguianos em 2015, Flamel fez 4 (80%).

Está no 3º lugar na artilharia com Pio (Fortaleza), Leandrão (Brasil-RS e e-Remo) e Guilherme Queiroz (Portuguesa). Líder é Daniel Martins (Tupi-MG) 6, seguido de João Carlos (Madureira e ex-Macaé) 5.

Torcedores do Vilhena-RO também querem colocar para fora presidente Carlos Delanhol; paraenses, ex-jogadores do Santos e da Seleção, Manuel Maria e Giovanni ontem no Mangueirão; só o Botafogo poderá retomar do Paysandu liderança da Segundona. É torcer pelo Sampaio Corrêa!

HOMENAGEM – Itamar de Souza Fonseca, o Itamar, ex-meia atacante do Paysandu e Remo nos anos 60-70 (2 títulos estaduais). Jogou também no futebol bancário. É aposentado do nosso Banco Estadual.

1 de julho de 2015 at 6:28 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.