Coluna do Gerson Nogueira – 05.02.16

Vitória difícil e importante

O primeiro tempo foi bem favorável ao Independente, que teve espaço e arriscou sempre chutes a gol, mas não conseguiu passar pelo paredão representado pelo goleiro Emerson, responsável por três difíceis defesas. O segundo tempo estava equilibrado até o gol de Christian, aos 22 minutos. Com a vantagem no placar, o Papão se agigantou, passou a tocar a bola com inteligência e levou a partida até o final sem maiores sustos.

O confronto expôs o cenário deste campeonato, com equipes interioranas aguerridas e fisicamente fortes enfrentando os times da capital de igual para igual. A importância do triunfo de ontem para o Papão está no grau de dificuldades que enfrentou em Tucuruí, driblando ainda um certo desentrosamento e a voracidade ofensiva do Independente.

Além do mais, a vitória isola o time de Dado Cavalcanti na ponta da tabela do grupo A2 com 6 pontos, muito próximo de se garantir nas semifinais.

 

De maneira geral, foi um jogo para ser lamentado por Lecheva e seus comandados, visto que o Independente seguiu à risca o manual de comportamento de times emergentes contra visitantes favoritos. Não se entregou, mostrou força para ir ao ataque o tempo todo e só não se saiu bem nas finalizações – embora deva se atribuir a Emerson a maior responsabilidade pela invencibilidade da meta alviceleste.

As jogadas do Independente passavam sempre por Jakinha, Fabrício e Chaveirinho, buscando tramas em velocidade com os outros dois atacantes, Jaime e Monga. A audácia de Lecheva quase foi premiada. Fabrício, Chaveirinho e o próprio Monga jogavam à vontade diante do ainda vulnerável setor de marcação do Papão, mas não souberam aproveitar.

A zaga bicolor, atrapalhada nos primeiros 45 minutos, se comportou melhor no segundo tempo, depois do gol de Christian. Tudo porque o Galo Elétrico não foi mais o mesmo. Nem a entrada de Daniel para aumentar a pressão ajudou a repetir o bom pique da fase inicial. O time não acertou mais nem os cruzamentos para o cabeceio de Monta, permitindo ao sistema de zaga do Papão um final de jogo relativamente tranquilo.

Para isso, contribuiu a observação de Dado aos movimentos dos laterais do Independente, que passaram a ser mais fiscalizados depois do intervalo. Lucas ainda entrou quase no final para fechar ainda mais o meio-campo.

No Papão, poucos destaques individuais no jogo.

Emerson voltou a brilhar, sendo decisivo no primeiro tempo. Cristian fez o gol. Fabinho Alves é muito serelepe, mas improdutivo. Celsinho e Rafael Luz não reprisaram a boa atuação da estreia contra o Paragominas. Lombardi, inseguro, dá saudades de Pablo. Capanema paira como sombra sobre Ilaílson, que não se encontrou ainda. Até Cearense rendeu abaixo do esperado. Betinho entrou no final, mas quase fez um gol. A entrada de Marcelo Costa de tão discreta não valeu como estreia.

 

 

Tudo em nome do sistema

 

De todas as considerações de Leston Junior sobre o jogo de anteontem em Santarém a que mais chama atenção é a de que não pretende mudar o sistema de jogo adotado até agora. Escala o time num 4-4-2 que se desdobra em 4-5-1 quando o adversário tem a capacidade de isolar Eduardo Ramos, como fez o São Francisco de Valter Lima. Para um campeonato de tiro curtíssimo como o Parazão, se agarrar a ferro e fogo a um modelo é sempre uma temeridade, ainda mais quando o elenco não tem os jogadores adequados para determinadas funções.

No jogo, o sistema foi inteiramente anulado pela correria e marcação impostas pelo adversário. O Remo não conseguia acompanhar os avanços do São Francisco e a zaga (em linha, de novo) quase tomou um gol na única bola lançada em profundidade para Ricardinho.

Quanto ao eixo principal do sistema de Leston, a presença de três volantes (Chicão, Michel e Yuri) em nada contribuiu para segurar o ímpeto do adversário e nem deu tranquilidade aos armadores Marco Goiano e Eduardo Ramos. Ramos foi anulado pela marcação. Goiano foi discreto e depois foi para a lateral-esquerda. Ciro não teve uma chance sequer. Aliás, o Remo não deu um chute a gol durante todo o período.

Na segunda metade do jogo, o São Francisco se preocupou em minar o setor defensivo do Remo usando velocidade e força. Quase abriu o placar aos 17 minutos com Elielson, que havia substituído a Ricardinho. Alguns minutos depois chegou ao gol em jogada rápida, como tantas que buscou ao longo do embate. Buiú aproveitou uma saída errada do Remo e um buraco no centro da defesa para balançar as redes. O próprio Buiú teve mais duas chances para dilatar o placar.

Enquanto isso, o Remo atacava sem convicção. Faltava punch para incomodar o adversário. Fechado atrás, com até nove jogadores atrás da linha da bola, o São Francisco recuperava a bola e partia com vontade para cima do atrapalhado bloqueio defensivo azulino, levando sempre perigo.

O atual sistema aproxima-se muito em conceito da configuração utilizada pelo técnico Flávio Araújo, que há três anos passou pelo Evandro Almeida e perdeu dois turnos de campeonato jogando numa retranca infernal. Tem semelhanças também com a confusa equipe de Zé Teodoro, que deixou o clube logo depois de um turbulento início de campeonato em 2015.

Todo mundo sabe das dificuldades que o Campeonato Paraense impõe nesta atual forma de disputa. É um torneio atípico, que exige muita força de marcação e capacidade de segurar adversários velozes. Com um time de faixa etária perto dos 30 anos e um meio-campo engessado sempre que Eduardo Ramos é bem policiado, o Remo terá que refazer (e rejuvenescer) sua proposta de jogo para manter vivo o sonho do tricampeonato.

O ponto de partida seria trabalhar com apenas dois volantes, apostar na criatividade de Ramos e Goiano e dar a Ciro um companheiro de ataque (Léo Paraíba ou Sílvio). Acima de tudo, Leston tem que atentar para o fato de que o campeonato não permite muito laboratório. Ou o time se ajusta logo ou vai acompanhar o desfile dos concorrentes diretos.

Direto do Twitter

“Time mal. Imprensa critica. Forma opinião. Torcida exige contratação. Dirigente pressionado, contrata sem dinheiro. Dívidas…”.

Sentença cruel, mas certeira, do internauta Chico Lins

De virada, Pantera derruba Jacaré

O São Raimundo conquistou triunfo dos mais expressivos na Arena Verde. Perdia o jogo por 2 a 0, diminuiu no fim do primeiro tempo e conseguiu reverter o placar na etapa final. Jefferson marcou o terceiro gol a dez minutos do fim. Grande resultado para o time de Samuel Cândido, que cresce na briga por uma vaga nas semifinais.

5 de fevereiro de 2016 at 10:36 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 05.02.16.

POSITIVO – Nos oito primeiros jogos do Parazão a melhor arbitragem foi do jovem Gustavo Ramos Lima, de São Francisco 1×0 Remo. Sereno, acompanhando lances de perto, recebeu elogios dos dois lados. Promete!

NEGATIVO – Ação da CBF na exigência da uniformidade da dimensão dos estádios deveria ser mais rigorosa, em toda parte e sem prazos maiores. Caso de Turucuí exagera: Navegantão 15,55% maior que o padrão FIFA.

Lá e Cá

Hoje 111 anos do glorioso Clube do Remo, o Filho da Glória e do Triunfo, que nasceu em 1905 como Grupo do Remo.

Baile do Pierrot revivendo sonho de Eneida de Moraes e Alberto Bendahan de volta hoje, na sede.

Além do técnico Walter Lima, cinco garotos da Desportiva na vitória do São Francisco sobre o Remo: Andrei (passou no Leão e disse ainda ter pendência), Andrelino, Sidney, Samuel e Guilherme.

Tiago Costa (Tapajós) e Gualberto (Paysandu) legalizados. Enquanto o primeiro já vai jogar, o segundo se recupera de cirurgia; impressionante o que joga esse Ricardinho (São Francisco) e não desperta Leão e Papão.

Comissão formada pelos grandes beneméritos Ubirajara Salgado, Paulo Mota e Carlos Gama vai escolher entre 12 conselheiros do Remo os 3 novos beneméritos.

Concorrem Amintas Melo, Lucival Alencar,Miguel Costa, Francisco Rosas, Hermes Tupinambá, Henrique Custódio, Cláudio Bernardo, Josias Campos, Abelardo Sampaio, Fernando Lima, Ângelo Carrascosa e Antonio Neto.

No amistoso do dia 14.2, em Manaus, 18h daqui, Nacional x Remo, em disputa a Taça Leão Forte da Amazônia e, na preliminar, Vasco x Flamengo, do Cariocão, no telão. Cogita-se, em 2017, um Quadrangular.

Na revitalização do Navegantão (Tucuruí) só não se mexeu na dimensão do gramado. Tem até camarote para diretoria de clube visitante; Max e Henrique batendo cabeça na zaga do Remo e Igor João ficou desfilando.

Bola na Torre neste domingo (RBA HDTV e Rádio Clube), excepcionalmente, às 20h, em razão do carnaval.

Fast Clube x Águia, amanhã, Copa Verde, na Arena da Amazônia, 17h daqui, com ingresso a 20 reais; ontem em Tucuruí houve anti-doping pago pelo Paysandu; Remo atrás de lateral esquerdo. João Vitor não emplacou.

Paraense Giovanni Augusto, cria do Paysandu, assinou por 4 anos com o Corinthians e estreará diante do Capivariano, dia 11.2; acesso para votar na Seleção do Camisa 13, agora, trofeucamisa13.com.br

HOMENAGEM – Joelcimar Moreira de Oliveira, o Cachorrão, ex-campeão peso-médio de boxe pela Academia Parazinho-Icoaraci (1996) e ex-bicampeão de sumô pela Academia União, de Santa Isabel (2008-09). É segurança particular e supervisor de logística.

5 de fevereiro de 2016 at 10:27 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 04.02.16

POSITIVO – Começo de temporada dá ao futebol paraense o 1º lugar de ocupação dos estádios no Brasil (39,85%), superando inclusive Paulistão e Cariocão. Brasileiro Série A de 2015 teve média de 39,7%. Fonte: srgool.

NEGATIVO – Santarenos não engoliram muito o São Francisco não ter-se hospedado no espaçoso Hotel Barrudada por exigência do Remo, indo para o Barão Center. Desgaste desnecessário!

Lá e Cá

São 15 confrontos entre Independente x Paysandu, 7 triunfos do Papão (33 gols), 3 do Galo (29 tentos) e 5 empates. Técnico Lecheva tem 2 vitórias contra o Bicolor pelo time da Energia. E hoje?

Na nova camisa do Paysandu substituídos o scudetto da Copa dos Campeões (maior conquista do clube) e bandeira do Pará por uma estrela dourada. Menos mal!

Gramado da Arena Verde, que hoje recebe Paragominas e São Raimundo, em bom estado pelo que informa o desportista Davi Lobato. Ótimo!

Dia 19.2, 19h, os festejos dos 19 anos da Federação Paraense de Atletismo no auditório do Metropolitan Tower e posse da nova diretoria para o quadriênio 2016-2020. Grato pelo convite.

Tiago Cametá, Jonathan e Raul que não serviram pra cá começando temporada como titulares no Ceará.

Passarinho, enfermeiro e massagista que atualmente preste serviços ao time de futebol da OAB-PA, encaminhando volta ao Paysandu, para base.

Departamento de marketing do Remo tem novo titular: Antonio Neto; Leão Azul retornando amanhã com o tradicional Baile do Pierrot, exatamente na data dos seus 111 anos.

Atacante Héliton, aquele mesmo do Remo e Paysandu, depois de longo estaleiro e cirurgia no Papão, agora aposta de João Galvão, no Águia.

Técnicos que passaram aqui e começam temporada em times das Séries A, B e C em outros estados: Givanildo Oliveira (América-MG) e Gilson Kleina (Coritiba), Série A; Mazolla Jr (CRB) e Roberto Cavalo (Criciúma), Série B.

Vica (ASA-AL), Flávio Araujo (Fortaleza), Zé Teodoro (River-PI) e Marcelo Veiga (Botafogo-SP), na Série C.
CBF manteve Fast x Águia, pré-Copa Verde, sábado, na Arena da Amazônia, em razão de laudos reprovados da Colina (legado da Copa!).

HOMENAGEM – Fernando Amorim, o Amorim, ex-quarto zagueiro do famoso Náutico do Umarizal, time de universitários que brilhou no Surburbano nos anos 60-70. É médico-cirurgião.

4 de fevereiro de 2016 at 3:15 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 03.02.16.

POSITIVO – Começo avassalador de Remo e Paysandu prometendo campeonato eletrizante. Testes bons hoje e amanhã para dupla; dos estreantes do Paysandu gostei mais do Chrystian (parecia o Pikachu).

NEGATIVO – Arbitragens nos jogos de Belém deixaram a desejar: domingo no Mangueirão quatro erros, inclusive nos dois penais; na segunda mais um pênalti mal marcado. Tem de melhorar!

Lá e Cá

Mestre Givanildo Oliveira (ex-dupla RE-PA e no América-MG) eleito melhor técnico de 2015, concorrendo com 5 da Série A. Votantes foram 55 pessoas do mercado da bola e jornalistas. Troféu merecido!

Liga de Desenvolvimento do Basquetebol do Interior (Jean Corrêa) realizou competição em Mãe do Rio e os donos da casa ganharam no masculino, enquanto Ananindeua ficou com o título feminino.

Coronel Nunes estará no primeiro jogo do Brasil oficialmente como presidente da CBF, dia 25.3 (sexta Santa), na Arena Pernambuco, eliminatória, diante do Uruguai, que terá a volta de Luizito Suárez.

Rafael Paty, artilheiraço por aqui, comandando o ataque da Portuguesa no Cariocão; Roniery (Papão) e Douglas Borges (Leão) legalizados.

Nacional-AM para jogo contra o Remo dia 14.2: Roberto Gomes, Osvaldir, Vitor, Fabiano e Radar, Cal, Osmar, Rafael Silva e Charles, Álvaro e Tiago Verçosa. Técnico Heriberto Cunha. Ganhou os 3 amistosos já disputados.

Dos 13.886 pagantes do Remo, domingo, 5.068 (36%) eram sócios torcedores; dos 10.642 do Paysandu na segunda, 5.387 foram ST (51%); Celsinho e Rafael Luz com pinta de que vão resolver meio campo bicolor.

Remo não vence em Santarém há 5 anos e 10 meses. Último triunfo foi em 25.4.10, 2×1 no São Raimundo e Levy único remanescente; São Francisco e Remo já se enfrentaram 14 vezes, 8 empates, 4 vitórias azulinas (16 gols) e 2 franciscanas (14 tentos). Fontes – Saulo Zaire e Jorginho Neves.

SEEL realizando hoje mais um Baile Carnavalesco da 3ª Idade, 22 h, no Hangar, escolha da Rainha entre 12 candidatas e esperadas 5.000 pessoas.

Hoje, no lançamento do novo manto azulino na La Music, telão para acompanhar São Francisco x Remo; sexta 111 anos do Leão Azul; Paysandu pegando estrada rumo a Tucuruí; vem aí Copa Verde Sub 20.

Investidores complicando situação do Bruno Veiga no Paysandu. Ele quer ficar; Papão já areccadou 700 mil com novas camisas; presidente remista André Cavalcanti homenageado na Câmara Municipal de Santarém; curioso: São Francisco tem o Riquelme e o São Raimundo o Di Maria.

HOMENAGEM – José Emânuel Teixeira Vilaça, o Emânuel Vilaça, de 1995-2013, medalha de ouro, prata e bronze no paraquedismo, recorde de formação nacional e internacional, 5 vezes na Seleção Brasileira desse esporte. É jornalista e administrador de empresas.

3 de fevereiro de 2016 at 11:59 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 02.02.16

Vitória com alguns sustos

A esperada estreia do Papão deixou satisfeito o público de mais de 12 mil torcedores presentes à Curuzu, ontem à noite. O time não chegou a ser brilhante, mas foi competente para construir a vitória diante de um adversário que compensou suas limitações com muita luta. O placar de 3 a 0 passa a impressão de um jogo fácil, mas o Papão teve que superar alguns obstáculos para garantir os três pontos.
Depois de um começo cheio de hesitações e alguns erros, provocados pela natural falta de maior entrosamento num time que estreava sete jogadores. O primeiro gol veio aos 17 minutos, em finalização de Celsinho depois de boa jogada do lateral Cristian pela direita e rebote do goleiro em chute de Leandro Cearense.
A vantagem estabelecida pelo Papão entusiasmou a torcida, mas não desanimou o adversário, que continuou buscando chegar ao empate, em jogadas de Balão Marabá e Aleílson. E a insistência do Paragominas expôs os problemas do miolo de zaga do Papão. Inseguros, Gilvan e Lombardi eram envolvidos seguidamente no jogo aéreo e o empate só não aconteceu porque o goleiro Emerson apareceu muito bem em dois lances agudos.
A ausência de marcação mais firme à frente dos zagueiros agravava a instabilidade dentro da área. Sem Capanema para fazer o papel de carrapato, o Papão tinha Augusto Recife e Ilaílson, que não davam conta de marcar as investidas de Balão, João Neto e até do lateral-direito Rondinelli.
Do meio para o ataque, o Papão conseguia se distribuir de maneira interessante, com Celsinho flutuando pelo meio e Rafael Luz pela direita, ambos contribuindo com passes e dribles para a chegada de Cearense e Fabinho Alves. Boas situações foram criadas, explorando a frágil marcação do PFC, mas o ataque não conseguiu aproveitar.
O time sempre crescia quando a bola passava por Rafael Luz, Celsinho, Cristian e Cearense. Foi através do centroavante que o Papão conseguiu sair de uma situação que já era incômoda no segundo tempo. O placar de 1 a 0 era ameaçado pela meia pressão imposta pelo time interiorano quando, aos 36 minutos, em bola recuperada na defesa, o Papão se lançou em contra-ataque transformado em gol por Cearense. Um prêmio ao seu esforço na partida.
Três minutos depois, o árbitro marcou pênalti em lance fora da área e Betinho converteu, ampliando para 3 a 0, dando um ar de quase goleada à partida. Na verdade, o confronto foi mais complicado do que o placar indica, mas a superioridade técnica bicolor justificou plenamente a vitória, na véspera do aniversário de 102 anos do Clube de Suíço.

Na criação, o ponto alto da equipe

O aspecto mais importante a ser ressaltado na estreia do Papão é a variedade de possibilidades que o time passa ter no setor de criação. Com Celsinho e Rafael Luz, meias de características ofensivas, capazes de dar solidez às tentativas de ataque, item que faltava ao time da Série B 2014.
Dado Cavalcante tem hoje peças para fazer com que o Papão tenha poderio ofensivo consistente, a partir de jogadas iniciadas pelo meio ou pelos lados do campo. Rafael Luz esteve bem, mas poderia ter sido mais útil para o time se não perdesse tanto tempo com jogadas de efeito.
Celsinho foi mais objetivo e acabou se destacando, não apenas pelo gol de abertura, mas pelos lançamentos e pela disponibilidade para troca de passes e tabelas. Tem muito a render ao lado de Luz ou, eventualmente, de Marcelo Costa, meia que ainda não estreou.
Com o aproveitamento de Bruno Veiga, atacante mais veloz e técnico, que sabe recuar para buscar jogo, o trabalho dos homens de armação deve frutificar muito mais, beneficiando o esquema de jogo que Dado Cavalcante está tentando implantar.
O poder de fogo que o time deverá ter na parte ofensiva pode contribuir até para ocultar eventuais deficiências de marcação. Com isso, o técnico terá tempo para fazer os ajustes no sistema de defesa.

Direto do blog

“Mantenho minhas restrições a Dewson Freitas: acho equivocada a opção que faz por não marcar determinadas faltas. Domingo, se tivesse marcado uma meia dúzia, não teria causado nenhum prejuízo ao fluxo do jogo. Aquela no Eduardo Ramos, que gerou o contra ataque que resultou no gol do Águia é só um exemplo. Não foi o responsável pelo gol, pois, após o lance faltoso, ainda teve muitos outros lances onde o sistema defensivo azulino foi envolvido completamente por um único adversário. Mas, é inegável que se a falta fosse marcada ali, o contra-ataque teria sido legitimamente abortado. A propósito, fiquei com a impressão de que os jogadores do Águia perceberam antes dos azulinos que poderiam tirar vantagem da arbitragem mais flexível no que refere ao ‘contato’. Só bem depois os remistas perceberam e equilibraram. Quanto aos penais, na transmissão da TV Cultura fiquei com a impressão de erro em ambos. Mas, nas imagens de outro canal notei que a arbitragem seguiu rigorosamente as recomendações da CBF/Fifa. E, o que é mais importante, adotou o mesmo critério para os dois lados. Incensurável neste aspecto. Quanto ao impedimento, seguiu o manual dando prevalência ao que sinaliza o auxiliar”.

Antonio Oliveira, torcedor azulino, analisando a polêmica arbitragem de Remo x Águia

Arbitragem sob marcação cerrada

E arbitragem deve ser alvo de muita discussão neste Parazão. Depois de toda a celeuma criada em torno da atuação de Dewson Freitas na partida entre Remo e Águia, o jogo de ontem na Curuzu contribui para botar mais pimenta no debate.
O lance fora da área assinalado como pênalti manchou o trabalho do bom árbitro Joelson Nazareno Cardoso. Além dessa falha, o Papão reclamou de um penal não marcado sobre Cearense. O lance foi duvidoso, mas é um bom exemplo dos aperreios que esperam pelos apitadores neste campeonato.

2 de fevereiro de 2016 at 4:37 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 02.02.16.

POSITIVO – Gostei da qualidade dos gramados dos quatro primeiros jogos do Parazão, mesmo em período chuvoso. Aguardemos como estão Navegantão, Arena Verde e Parque do Bacurau. Oxalá, correspondam!

NEGATIVO – Uma das torcidas proscritas reelegeu diretoria, divulgando nas redes sociais e emissora de TV oficial do Parazão: brincam de pira com nossas autoridades. Até quando?

Lá e Cá

Paysandu festejando hoje 102 anos de glórias; não jogava na Curuzu há 8 meses (2×1 no Santa Cruz, Série B); ontem atendimento VIP aos torcedores, praça de degustação, placas publictárias de LED e vitória sobre o PFC (3×0).

Bar-restaurante da sede do Paysandu com o sugestivo nome “Confraria Bicolor”; estádio Barbalhão com 12 câmeras de segurança e sistema de eletrônico de irrigação.

Águia tem médica como novidade: Olga ten Caten; do técnico João Galvão: “perco sempre por ousadia e nunca por covardia”.

Zagueiro Raul (ex-Remo e Paysandu) reforço do Ceará, enquanto Rafael Moura, o He-Man (ex-Paysandu) está chegando para o Botafogo-RJ e paraense Giovanni Augusto já no Corinthians.

Dobradinha Ciro-Eduardo Ramos de sucesso no Sport-PE em 2011 começa a se repetir no Remo. Curiosamente nome Ciro tem dupla origem: do grego Kyros (passou jogador na dupla RE-PA com esse nome) e do persa Kuras. Siginificado de ambos é “Senhor, aquele que tem autoridade”.

Desportiva Paraense negociou com o Bahia, atacante Douglas, meias Elcinho e Marco Antonio; laterais Andrei e Andrelino, volante Sidney, meia Guilherme e atacante Samuel emprestados ao São Francisco de Santarém; meia Leandro cedido ao Independente-Tucuruí.

Paraenses Adalberto e Fabrício Tuya convocados para Seleção Brasileira de Futebol Americano. Participarão do Trainning Camp (palestras, práticas e jogo misto) em local e datas a ser definidos.

No Século XXI Paysandu levantou 7 títulos estaduais, Remo 6, Cametá e Independente 1 cada. Leão Azul tem oportunidade de igualar ao Papão este ano (45 conquistas) se faturar o tri. Fonte: Saulo Zaire.

FPF criou a Diretoria de Competições em substituitação ao Departamento Técnico (Paulo Romano titular) nos moldes da CBF;volante azulinoYuri legalizado; 1º RE x PA (de tabela) dia 3.4, mando do Papão, renda dividida.

HOMENAGEM – Nicanor Monteiro dos Santos Filho, o Nicanor, ex- bi-campeão maranhense de atletismo (1978-79), inclusive arremessso de peso, pelo Ncional de Codó. Mora em Belém onde é funcionário do TCM.

2 de fevereiro de 2016 at 4:36 am Deixe um comentário

Papo do 40° – Ronaldo Porto -01.02.16

E A BOLA ROLOU PRA VALER

Depois da bela festa de lançamento da 24ª edição do Troféu Camisa 13, a maior e melhor premiação do esporte paraense, a bola voltou a rolar no Parazão em Belém e nos campos do interior. No jogo de abertura no sábado, pra variar, empate de 2×2 entre Tapajós e São Raimundo, num dos clássicos mocorongo. E olha que a Pantera perdia de 1×0, virou o jogo e cedeu o empate quase no final. Destaque para público (6.813) e renda (125 mil). Ontem tivemos mais dois jogos e um grande estreando. Em Parauapebas, o time da casa venceu o Cametá por 2×1, de virada e no Mangueirão o Leão estreou com vitória diante do Águia, que chegou a assustar fazendo 1×0 aos três minutos de partida. Eduardo Ramos empatou de pênalti. Na segunda etapa o jogo pegou fogo, com o Remo fazendo 3×1, com Ciro e Marcos Goiano, Flamel diminuiu para o time marabaense e Ciro logo em seguida fez 4×2. Flamel diminuiu de pênalti novamente e pela terceira vez o artilheiro Ciro deixou sua marca, fazendo 5×3. Placar gigante para um jogo gigante, principalmente no 2º tempo, segundo observou muito bem o comentarista Carlos Castilho.

ALTA TEMPERATURA

E hoje tem estréia novamente, com o Paysandu recebendo o Paragominas na Curuzú, podendo ser mais um jogo de emoções, já que os novatos do Papão irão jogar valendo três pontos. Depois que o Remo goleou na estréia, a torcida do rival espera que aconteça o mesmo hoje à noite. Dado Cavalcanti já escalou o time, mas está guardando segredo.

BAIXA TEMPERATURA

Um fato negativo que virou positivo. Ciro, o artilheiro do Parazão 2016 com três gols, dia desses contou para o Caxiado sua história de superação. Chegou a dizer que dormiu na praça, antes da sua ida do Salgueiro para o Sport. Depois subiu, participando de uma Libertadores pelo Fluzão e voltou a cair. Declarou ao Caxiado que poderia ter ido para outro lugar, mas preferiu ficar no Remo, mesmo com todos os problemas de transferência. Está aí o resultado, estreou com três gols no Leão pediu o hino do Remo como sua música. Virou xodó e é muito humilde.

NO TERMÔMETRO

Foi a primeira vitória do novo Codir do Remo, com André Cavalcanti e Fábio Bentes à frente, depois da vitória nas eleições do dia 23 com 777 votos dos 2.800 votantes. /// E o centro avante Ciro já caiu nas graças da galera azulina, depois dos três gols marcados e já virando artilheiro do Parazão. Com uma boa ajuda de Eduardo Ramos, a bem da verdade. /// O jogo do Mangueirão estava tão bom e emocionante, que em 11 minutos tivemos quatro gols, dois do Águia e dois do Remo, informação em cima do lance do amigão Carlos Estácio. /// Pela Chave A1 do Parazão, o São Francisco folgou na 1ª rodada e pegará o Remo na estréia dia 03 em Santarém; pela Chave A2, a folga foi do Independente, que dia 04 receberá o Paysandu em casa. Duas estreias dos emergentes diante dos dois grandes. Se o Papão vencer hoje, a partida contra o Galo ganhará mais ênfase. /// Lançamento da nova camisa do Papão no Villa Aurora. A marca “Lobo” vai vestir o Paysandu em 2016. Dinho Menezes ganhou homenagem especial. ///Nesta quarta, quando estiver jogando contra o São Francisco em Santarém, o Remo lançará também seus novos uniformes, só que no La Musique. Quem for assistirá no telão ao jogo do Leão. /// Uma das primeiras coisas que a nova diretoria do Remo fez, foi religar a energia elétrica no Ginásio Serra Freire. Gostaria de saber qual o projeto para recuperar o Baenão, semi destruído pelo ex-presidente Zeca Pirão, que pela terceira vez perdeu as eleições no Remo. ///303 mil reais a renda no Mangueirão, com mais de 15 mil pessoas, sendo 14 mil pagantes aproximadamente, mas o Fenômeno não seguiu a orientação do Caxiado, que queria 30 mil. Não está fácil. ///Ainda de férias, agora em São Paulo, hóspede do meu brother Serginho Maravilha. Mas claro, ouvindo a Clube e vendo o jogo. ///Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

1 de fevereiro de 2016 at 3:13 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.