Coluna do Gerson Nogueira – 17.07.17

O fim do pesadelo

 

Vencer é importante em qualquer competição. Fora de casa, mais ainda. Quando significa a redenção dentro de uma campanha, aí a coisa ganha contornos mais significativos. Foi exatamente o que se passou no sábado à tarde, em Itumbiara-GO, quando o Papão quebrou a longa série de resultados ruins com um triunfo de virada sobre o Vila Nova.

E não foi por acaso.

O Papão saiu derrotado do 1º tempo, mas foi amplamente superior no segundo período. Construiu a virada com gols elaborados, nascidos de jogadas organizadas e inteligentes.

Aos 7 minutos, Marcão escorou para as redes depois de um cruzamento certeiro de Rodrigo Andrade. Por volta dos 30’, veio o desempate: Rodrigo encobriu o goleiro depois de receber passe perfeito de Fábio Matos.

Um panorama inteiramente diverso do que se viu no começo. O Vila Nova começou melhor, aproveitando-se da rapidez de Moisés e boas jogadas com Alex Mineiro para confundir a marcação. Botou uma bola na trave e criou várias situações perigosas. Após os 20’, arrefeceu a pressão e o Papão respirou um pouco e chegou a ameaçar em dois momentos.

Mas, no finalzinho, um cruzamento da direita explodiu no braço do zagueiro Lombardi, que se postou erradamente para cortar a bola. Nascia ali o gol de abertura, em pênalti convertido por Alex Mineiro.

O 2º tempo teve um Papão bem articulado, saindo sempre em velocidade e conseguindo armar situações perigosas com as subidas de Rodrigo Andrade, sempre surpreendente nas chegadas à área adversária e decisivo para o resultado final – cruzou a bola no primeiro gol e finalizou com extrema perícia no segundo.

A vitória traz tranquilidade ao trabalho de Marquinhos Santos e reflete o êxito do plano tático empregado, com três volantes e um atacante (Magno) que volta para compor o bloqueio e dois homens na frente. Nessa configuração, Rodrigo é peça de fundamental importância. Expulso, junto com Augusto Recife, é desfalque sério para amanhã contra o Náutico.

 

 

Apesar dos pesares, Leão arranca bom empate

 

O Remo teve uma atuação razoável em Fortaleza, ontem, e conquistou um bom resultado contra adversário direto pela classificação. Saiu na frente, teve chances de ampliar, mas cedeu o empate ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, apesar da pressão do Tricolor cearense, o placar se manteve inalterado. O time mostrou mais organização e evoluiu na marcação em comparação com partidas anteriores.

Aos 10 minutos, encaixou uma jogada de qualidade e marcou um belíssimo gol. Eduardo Ramos e Luiz Eduardo entraram tabelando na área adversária, com o centroavante disparando rasteiro no canto direito do gol tricolor. O Fortaleza sentiu o baque, mas foi à frente e acabou empatando através do estreante Paulo Sérgio.

Com Edgar e Flamel no time, substituindo a Luiz Eduardo e Ramos, o Remo mudou de comportamento, passando a esticar bolas para as pontas, explorando a velocidade de Edgar e Pimentinha, que teve excelente atuação nos dois tempos.

Apesar das limitações nas laterais, com Léo Rosa e Jaquinha em noite tenebrosa, o Remo teve mais chances que o Fortaleza para chegar à vitória. Pimentinha escapou pelo meio e ficou de cara com o goleiro Marcelo Boeck, que rebateu. Depois, Edgar perdeu duas chances claras.

Na primeira jogada, acionado por Flamel, invadiu a área e perdeu o tempo do chute, cruzando rasteiro para Jaquinha, que chegou prensado com os zagueiros. Depois, em cruzamento alto de Léo Rosa, preferiu também tocar para o interior da área ao invés de cabecear direto. Aparentou certa indolência nos lances. O incidente com o técnico Léo Goiano no treino de sexta-feira pode ter influenciado em sua atuação.

No geral, faltou mais consistência nas saídas para o ataque, mas o setor defensivo resistiu bem à pressão final do Fortaleza, principalmente no miolo da área, com Leandro e Bruno Costa. As laterais não funcionaram e precisam de urgentes mudanças. No meio, apenas Dudu se sobressaiu. Ilaílson voltou a errar muitos passes, exagerando nas faltas.

17 de julho de 2017 at 4:57 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 17.07.17

O PAPÃO ENGOLIU O ELEFANTE

Como sempre digo, nossos clubes às vezes engolem elefantes, outras se engasgam com mosquitos. Isso tem acontecido muito por aqui. No sábado, depois de nove jogos sem saber de vitória, o Paysandu desbancou o Vila Nova-GO dentro de seus domínios, se levarmos em consideração que Itumbiara é lá dentro. O Papão dominou seu adversário com inteligência, marcando bem e saindo para os contra-ataques com eficiência. Lombardi cometeu o erro fatal no final do 1º tempo ao abrir o braço direito dentro da área na direção da bola e foi marcado o pênalti acertadamente. Pensei até que o Papão iria jogar um 2º tempo acuado, mas não, partiu para cima, conseguiu o empate e virou o jogo, marcando três pontos, saindo do Z4. Um integrante do Z4 desbancando outro do G4, ou seja, um mosquito engolindo um elefante. Difícil, não impossível!

ALTA TEMPERATURA

Belo feito até agora das meninas do Pinheirense que conseguiram subir para a elite do futebol feminino, desbancando as moças do Caucaia-CE com dois belos resultados. Agora as meninas do General da Vila enfrentarão a Portuguesa-SP, quarta agora no Canindé às 16:30, decidindo em Belém, dia 26, no estádio da Curuzú. O título só viria a coroar essa bela campanha do Pinheirense feminino.

BAIXA TEMPERATURA

E a série D acabou para nós do Pará, primeiro com a saída precoce do São Raimundo, por irregularidades, depois de uma bela campanha na 1ª fase. No final de semana, o único que sobrou, o São Francisco, perdeu em Rio Branco para o Atlético Acreano-AC por 3×0. O Leão Santareno havia empatado em casa, 3×3, no jogo de ida e também deixou a competição. Que fiquem as lições para 2018.

NO TERMÔMETRO

Marcão, o grande destaque do Paysandu no sábado em Itumbiara, marcou o gol de empate e cortou várias bolas na defesa. Marquinhos vai ter que arrumar lugar para o atacante amanhã, 19:15, contra o Náutico-PE. /// Se o Papão vencer amanhã o Náutico-PE, lanterna da série B, e os outros resultados ajudarem, o time poderá ficar entre os dez primeiros; o empate complica e a derrota, que ninguém pensa, complica ainda mais. /// E o vôlei feminino do Brasil ficou numa situação complicada no Grand Prix. Perdeu para a Tailândia por 3×0 e na madrugada de ontem dançou também para o Japão por 3×2. Perdia por 2×0, empatou, e no set decisivo chegou a estar vencendo por 14×13 quando erramos o saque e agora teremos que vencer todas em Cuiabá. /// E o Remo entrou em campo ontem pela série C, diante do Fortaleza-CE no PV. Uma bela tabelinha entre Eduardo Ramos e Luis Eduardo colocou o nove azulino de frente com o goleiro que fez 1×0; antes do final do 1º tempo o Fortaleza-CE empatou numa falha de marcação azulina. O Leão voltou com vontade de vencer e quase conseguiu aos 30 minutos, com Edgar, que havia entrado em campo, numa escapulida pela esquerda. Se o placar não foi excelente para o Remo, o resultado pode significar muito a partir da próxima rodada, até porque o Cuiabá-MT, que estava na rabeira, acabou vencendo em casa o Botafogo-PB no final da rodada por 1×0 e colou no Leão Azul. /// Mais uma vez o Remo vai pegar um lanterna em casa, no caso o ASA-AL, dia 24 de julho, tendo a obrigação de vencer para voltar ao G4, torcendo também por resultados ruins dos adversários. /// Labarthe botou a boca no trombone e declarou que irá à Justiça Trabalhista pelos seus direitos, depois de discordar pelo modo que foi dispensado. Não sei como anda a situação dos seus companheiros que também receberam o “bilhete azul”. /// Na verdade, o Remo de ontem foi infinitamente superior ao Remo dos últimos jogos, mesmo com algumas falhas. O jogo de ontem mostrou que Léo Goiano poderá acertar esse time daqui pra frente. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

 

17 de julho de 2017 at 4:56 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira- 16.07.17

Trivial básico variado

 

Em papo futebolístico com o amigo Edyr Augusto Proença, a respeito da última rodada do Brasileiro, concordamos integralmente quanto à superioridade de Corinthians e Grêmio na Série A atual. É uma avaliação de momento, sujeita obviamente a chuvas e trovoadas, intempéries normais do Campeonato Brasileiro. Não que estejam jogando o fino da bossa, mas fazem o suficiente para sobrar na competição até agora.

A razão do sucesso dos times de Fábio Carille e Renato Gaúcho é que ambos sabem manejar seus recursos com extrema funcionalidade, errando bem menos que seus concorrentes mais diretos. Não por coincidência, a última rodada mostrou vitórias de Corinthians e Grêmio como visitantes, desafiando equipes fortes e infladas pelo calor de suas torcidas.

Imperturbável, contra um estádio lotado, o Corinthians soube controlar o ímpeto do Palmeiras e levou a melhor num clássico que é sempre de dificílimo desfecho. Na comparação entre a produção de ataques, o Palmeiras foi amplamente superior.

Ocorre que a presença palmeirense no ataque não resultou em lances agudos; no máximo, gerava mediana sensação de perigo. Já o Corinthians quando chegava à frente era sempre agressivo. O Palmeiras fez o que devia fazer como mandante; o Corinthians buscou os atalhos com competência.

Acima de tudo, a equipe de Carille se mostrou melhor adaptada às circunstâncias e definiu os lances capitais com objetividade. Como gostam de dizer os boleiros, soube matar o jogo na hora certa.

O Grêmio não foi menos eficiente. Em visita ao Flamengo, foi fustigado ferocidade ainda maior do que a dos palmeirenses contra o Corinthians. Com a torcida inflamada, incendiando as arquibancadas, o Fla esteve em cima o tempo todo, cercando e buscando o gol.

Mandou bola na trave, forçou o goleiro Léo a inúmeras defesas arrojadas, mas não teve competência para transformar a pressão em gol. Do lado gremista, a defesa se defendia com dificuldade contra um adversário vibrante e rápido, mas o time armava contragolpes certeiros.

Quase ao final, Luan apanhou uma bola na intermediária, driblou dois marcadores, enganou um terceiro e – mesmo pressionado – disparou um chute certeiro, para abrir o marcador e decretar a vitória.

Iguais na aplicação tática e na força coletiva, Corinthians e Grêmio se diferenciam nas peças individuais. O time gaúcho tem jogadores mais decisivos com as bolas nos pés: Barrios, Pedro Rocha e o próprio Luan, talvez o melhor atacante brasileiro em atividade. O Timão tem Jadson, bom organizador, mas não tão agudo ofensivamente.

Acima de tudo, são equipes que praticam um futebol pragmático, de forte marcação e com aproximação entre os setores. Times operários, rápidos e determinados e que erram pouco.

 

 

Bola na Torre

 

Guerreiro comanda o programa, a partir das 21h, na RBATV. Tudo sobre a participação dos clubes paraenses nas competições nacionais.

Sorteio de prêmios e interatividade, via @bolanatorre (Instagram e Twitter). Na bancada, Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião.

 

 

Leão vai em busca da batida perfeita

 

O Remo estreia novo técnico, hoje, contra o Fortaleza e mostra um time bastante modificado em comparação com o das últimas rodadas. Além de a escalação priorizar jogadores regionais, há uma preocupação em tornar o time mais compactado.

Léo Goiano chegou na terça-feira e teve pouco tempo para treinar a equipe, mas definiu uma formação diferente, curiosamente mais próxima daquela que o torcedor vinha cobrando.

Do grupo de jogadores trazidos por Josué Teixeira para a Série C, só a dupla de zagueiros (Leandro Silva e Bruno Costa) permaneceu. Nas laterais, Léo Rosa e Jaquinha. O meio-de-campo terá na marcação Ilaílson, Tsunami e o estreante Dudu. Na criação, Eduardo Ramos, bem próximo dos atacantes Luiz Eduardo e Pimentinha.

Apesar de possuir um elenco no mesmo nível das principais equipes do grupo, faltou ao Remo nas nove primeiras rodadas a regularidade necessária para conseguir impor-se no campeonato.

Sem capacidade de envolver os adversários, sofreu em todas as rodadas, jogando dentro ou fora de casa. Mesmo quando venceu, não teve paz. Correu sempre riscos bobos na defesa e falhando nas decisões de ataque.

A mudança de postura pode (e precisa) começar hoje.

16 de julho de 2017 at 4:54 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 15.07.17

BOLA NA TORRE

 

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na Torre vai ao Ar no Horário de 21:00 horas, antes do Pânico na Band. Destaque para a Cobertura das participações de Paysandu (Série B) contra o Vila Nova e Remo (Série C) contra o Fortaleza e ainda a Serie D com o jogo da volta do São Francisco no Acre. Guerreirão no comando e eu estarei na Bancada com Gerson Nogueira. Mande a sua pergunta Antecipadamente  Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instaram ) e Pelo ZAP 984752441

LIMPEZA… Demorou dois meses para a diretoia azulina se convencer o quanto cometeu erros ao dar a Josué Teixeira carta branca para contratar jogadores sem a mínima condição de jogar no futebol paraense. Presidente Manoel Ribeiro foi engessado pelo Josué. Quem vai lembrar de Mikael, Labarthe, Daniel Damião e Cia? Síndrome Potita bateu e ficou, e o tal de Mikael ainda faz docinho pra negociar saída, ruim de bola e de caráter. Vai enganar em outro lugar. Nova era com Leo Goiano promete recuperação e o primeiro desafio será amanhã contra o Fortaleza no PV. Solução azulina está dentro baenão podem anotar…   KARATÊ… Filho do saudoso médico Patologista e Karateca Roberto Macedo, agora chegou a vez do filho Guilherme Macedo brilhar no Tatâme. O paraense Guilherme Macedo foi Convocado para integrara a Seleção Brasileiro que irá disputar o Sulamericano da Modalidade em Buenos Aires na Argentina. Mais um para representar o Pará a nível Internacional…  HOMOFOBIA… Virou Lei e é Crime, só esses irresponsáveis de torcidas organizadas não atentaram para o fato. Virou notícia nacional a discriminação sofrida pela Torcida “Alma Celeste”, por atos Homofóbicos por uma das organizadas na Curuzú. A denuncia ao STJD foi feita pelo Procurador Leonardo Andreotti com imagens captadas no dia do jogo contra o Luverdense pela Série B. Pior é sobrar para o Paysandu que pode acabar punido mais uma vez por culpa desses geniais “Torcedores”…Jurídico Bicolor está atento!    FEIJOADA… Neste Domingo, 16 de julho os pais dos atletas das Categorias de Base de Basquete do Paysandu,  irão realizar uma “Feijoada” na Quadra de esportes a partir das 11:00 hs com apoio da APBM e diretoria do PSC, vai ter bingo de camisas do Paysandu ente outros prêmios, alem de competições  de Basquete 3×3 a intenção é arrecadar dinheiro para viagem dos garotos da Categoria Sub-16 de basquete  ao sul americano de basquete,  que será em Novo Hamburgo (RS) no final deste mês. Ótima pedida…

15 de julho de 2017 at 4:53 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 14.07.17

Primeiras impressões

 

Sob muita expectativa e alguma desconfiança, Léo Goiano assumiu o comando técnico do Remo e vai demonstrando estar antenado com a necessidade de aproveitar jogadores nativos, conforme pedia a torcida diante da desastrosa opção anterior pelos “reforços” que Josué Teixeira trouxe e Oliveira Canindé abençoou.

É um bom começo. Um dos grandes entraves à evolução do time na Série C sempre foi a baixa qualidade individual dos jogadores escalados, alguns visivelmente inferiores aos valores regionais do elenco.

Foi a teimosia em adotar o critério errado de escalação que acabaria derrubando Josué e Canindé. A limpeza de área ordenada pela direção do clube, com a dispensa de sete atletas, providência reclamada pela torcida há algum tempo, ajudou a enxugar o grupo e vai permitir que Goiano faça escolhas mais coerentes.

O fato preocupante desta primeira semana foi a insistência com Danilinho, meia que teve várias chances com Josué e não se firmou na equipe. Chegou a ser liberado por ocasião da saída do técnico, mas ficou no Evandro Almeida (por falta de pagamento) e agora ganha nova chance com Goiano.

Pelo que apresentou nas rodadas iniciais, dificilmente terá lugar no time, num setor que já dispõe de Eduardo Ramos, Flamel e Rodrigo, podendo ainda contar com Levi, vindo do Fluminense, que o Remo tenta contratar.

Sem tempo para prospectar reforços, Goiano indicou o defensor Martone (ex-Independente) e França, polêmico e rodado volante que estava no Londrina. Apesar de jovem – 24 anos –, França tem história cheia de peripécias e histórico de confusões com a polícia. No Remo atual, não corre o risco de se sentir um peixe fora d’água.

Goiano, porém, terá que mostrar pulso firme para conter deslizes no grupo. Edgar foi barrado ontem depois de comportamento inadequado nos treinos. Foi um aviso claro do comandante ao restante da tropa.

Em campo, o Remo vai ganhando feições mais coerentes com o nível dos jogadores. No último treino, o time formou com Tsunami, Dudu, Ilaílson e Eduardo Ramos no meio-campo, Pimentinha e Luiz Eduardo na frente. Pode ser uma boa aposta para o confronto com o Fortaleza no “returno” da fase classificatória da Série C.

A grande dificuldade do novo técnico será fazer com que o time ganhe o entrosamento que não teve ao longo de toda a competição.

 

 

As estranhas coincidências da vida

 

A última rodada da Série A confirmou a incrível semelhança da trajetória da Chapecoense com a do Papão na Série B. Parece até coisa combinada.

A Chape apresentou início auspicioso na Série A, chegando à liderança na 4ª rodada, com 10 pontos e três vitórias. A partir do quinto jogo, não venceu mais ninguém e agora se encontra no 16º lugar.

Situação exatamente igual é vivida pelo Papão na Segundona. Estava lá no topo na 4ª rodada, com 10 pontos e três vitórias. Desde então, só fez perder e empatar e hoje está na 16ª colocação.

Ambos têm se mantido ali na ilharga da zona da degola já há duas rodadas.

(Dica dos confrades Magno Fernandes e Felipe Silva).

 

 

Nova aposta para o comando da ofensiva

 

Anselmo, veterano centroavante de 36 anos, deve ser a nova aposta do Papão para resolver o problema de gols da equipe, responsável direto pelo jejum de vitórias no Brasileiro. Com mais de 20 clubes no currículo, Anselmo é um daqueles nômades do futebol. Já passou até pela Curuzu, nos idos de 2005. Foram apenas quatro jogos, sem gols.

O momento mais expressivo da carreira foi no ano passado, quando defendeu o Fortaleza e marcou 23 gols. Vem recomendado pelo técnico Marquinhos Santos para ser o novo titular do ataque. Marcão, com apenas um gol na Série B, perde espaço; Daniel Amorim, que passou em branco, perdeu o emprego. São opções que se faziam necessárias diante das circunstâncias desfavoráveis que rondam a campanha.

Depois de várias escolhas equivocadas ao longo do semestre, o Papão a essa altura não pode mais errar. É fato que há exemplos recentes de veteranos que não funcionaram na Curuzu – Souza é o nome mais óbvio –, mas Anselmo pode vir a ser a peça que faltava ao ataque.

A conferir.

14 de julho de 2017 at 4:50 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 14.07.17

PITACO – Atacante Anselmo , a volta. Esteve no Paysandu em 2005, 4 jogos, nenhum gol e pediu par ir embora. Voltando como salvador, aos 36 anos, alcançando seu 25º clube. É torcer!

Lá e Cá

Vila Nova-Go e Paysandu já se enfrentaram 12 vezes, 5 vitórias do Tigre do Planalto (19 gols), 4 do Lobo (15 tentos) e 3 empates.

Bicolor cedeu lateral William Simões e atacante Daniel Amorim aos Cuiabá, que já tem Bruno Veiga, ido da Curuzu.

Wellington Jr, Marcão e Magno ataque do Paysandu amanhã. Com a vinda de Anselmo hora de melhorar marca ofensiva, apenas 10 gols, pior ataque com Boa (14º) e Náutico (lanterna).

Dr. Osvaldo Sestário, com reforço do jurídico do clube, na defesa do Papão no julgamento no STJD da denúncia de homofobia; Ulisses Sereni deverá ser o novo vice de operações alvi-azul.

Como gramado do Paroquial está muito castigado pelas chuvas de verão na região, adiado de domingo para outra oportunidade o amistoso festivo Sub 20, Bragantino x Paysandu.

Dia 4.8, quando a conquista da Copa dos Campeões completa 15 anos, Jogo da Saudade do Paysandu da época e Seleção Brasileira de Másteres, no Mangueirão.

Edgar aumentou seu histórico de indisciplina, ao não aceitar substituição por Pimentinha no treino de ontem e abandonar o Baenão. Léo Goiano passou assunto para  diretoria.

Time ensaiado para domingo em Fortaleza: Vinícius, Léo Rosa, Leandro Silva, Bruno Costa e Jaquinha, Tsunami, Dudu, Ilailson e Eduardo Ramos, Pimentinha e Luiz Eduardo.

Volante Dudu e zagueiro Martony (ambos ex-Independente), volante França (ex-Londrina) e meia Levi (ex-Flu-RJ), as últimas contratações do Remo.

33 jogos na história de Fortaleza e Remo, 14 vitórias do Leão Azul (35 gols), 13 do Leão do Pici (32 tentos) e 6 empates.

Julio Rezende, analista de desempenho do futebol feminino da CBF, esteve em Belém anteontem e anotou nomes de Perrots, Jeanne, Cássia e Irley, do Pinheirense. Convocação?

Ataque do Pinheirense feminino faz inveja a Remo e Paysandu do  Brasileiro (C e B): 32 gols em 9 jogos e média de 3,55. Invicto.

Maior jogador de futsal do mundo, Falcão,  negociando estar na Semana da Pátria em Bragança. E ministraria clínica dia 9.9.

Aguia se reestruturando e com projeto para 5 anos. Além de Ferreirinha e Galvão, entre os entusiastas o juiz trabalhista Jonathas Andrade.

14 de julho de 2017 at 4:49 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 13.07.17

PITACO – Técnica Aline Costa e artilheira Irley (foto) entre as que conduziram o Pinheirense à elite do futebol brasileiro feminino. Agora, Portuguesa, 19.7, em SP e, 26.7, aqui, na grande final A2.

Lá e Cá

Se conquistar o feminino da A2, Pinheirense trará 8º título nacional ao futebol paraense: Paysandu tem 3, Tuna 2, Remo 1 e São Raimundo 1.

Principais artilheiras do General da Vila: Irley 9 (maior da competição), Pingo 8 e Cássia 6.

Pena que dirigentes do Pinheirense tenham de formar novo time e procurar outra CT, pois Aline Costa vai para o Paysandu levando quase todo esse grupo.

Base da Portuguesa-SP: Elen, Silvana, Letícia, Day e Tais, Edna, Kika, Fernanda e Fernandinha, Lu e Bia. Técnico Prisco Palumbo.

Paysandu tendo maior problema com hotel em Itumbiara (há evento e hospedagens lotadas) e retorno a Belém já marcado para 9:30h de domingo. Fernando Leite mudando logística.

Rodrigo Andrade, o Diquinho, reforço do Paysandu, ele mesmo se chamando de Andrade. Melhor para não confunfir com o Rodrigo Andrade daqui; Nando Carandina chegando (volante).

Aliás, Rodrigo Andrade, o Andrade, não poderá enfrentar o Vila Nova-GO, pois tem punição de 1 jogo (STJD) do tempo de RB-SP.

Esse negócio de dirigente declarar que jogador dispensado que não aceitar proposta do Remo deve procurar a justiça trabalhista é um absurdo e Leão poderá ter mais problemas.

Os liberadores, Daniel Damião, Fininho, Rony, Kaio Wilker, Mikael, Nino Guerreiro e Labarthe têm contrato de 6 meses e oferta do clube de  1 mês e 12 dias não foi aceita.

Divergência fez Milton Campos deixar o futebol do Remo. Grande perda! Azulinos querem volante e meia Preto (36 anos), do longínquo Novo Hamburgo-RS. É duro!

Um fato: o tempo passa, mas remistas e bicolores continuam não sabendo contratar. Até quando?

Esperada com muita expectativa a partida do Sub 20, dia 16.7, 10h, no campo do Paroquial, em Bragança, entre Bragantino e Paysandu.

Tubarão se reformulando e CT do Sub 20 tem técnico Elsinho Oliveira,auxiliar Ivan Almeida, preparador físico Tiago, de goleiros Denilson Silva, roupeiro Panelada e coordenador Risada.

Sindicato dos Bancários tem circuito de corridas confirmado: 23.7 em Santarém, 13.8 Belém e 2.9 Marabá. Dia 28.8 é o Dia Nacional dos Bancários. Informações www.bancáriospa.org.br

 

13 de julho de 2017 at 4:46 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.