BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.05.15

POSITIVO – Elogiável o trabalho dos azulinos Helder Cabral, Aline Porto, entre outros, na revitalização já iniciada do Baenão com 7 operários trabalhando. É de gente assim que o Remo precisa!

NEGATIVO – Paysandu batendo de novo recorde de contrataões, a maioria duvidosa. Nesta temporada de 2015 já são 30; Leandro Carvalho de novo dando problema.

Lá e Cá
Enquanto é desvalorizado em sua terra nosso árbitro FIFA Dewson Freitas segue sendo sorteado para jogo importantes: neste sábado, 18:30h, em São Januário, dirigirá Vasco x Inter-RS, Série A.

Aliás, Dewson terá seu batismo fora do Brasil na Universíada de Verão 2015 (Jogos Universitários Mundiais), em Gwangju, na Coréia do Sul, de 3 a 14 de julho.

Meia Cariri que estava no Independente-Tucurui, reforço do ICASA para Série C e vai enfentar duas vezes o Águia de Marabá na 1ª fase.

Se Pedro Minowa for defenestrado de vez do Remo (ata para recorrer só 2ª ) assumindo diretor de futebol que vem sendo ventilado a permanência de Cacaio não é certa: homem adora técnico rotulado do sul e sudeste!

Goleiro que o Remo está acertando é o experiente Fernando Henrique, revelado no Fluminense.Trabalhou com executivo Fred Gomes, no Ceará.

Conselho Fiscal do Paysandu terá sua vida faciliutada com a contratação de empresa para analisar previamente a parte financeira do clube; contas do ex-presidente Vandick Lima aprovadas com louvor.

Oposição aos cardeiais do Remo (muitos estavam com Minowa) continua apregoando que o clube tem dono e se chama Manuel Ribeiro. Faz o que quer!

Empresário de Bismarck (ex- Remo) revelando desejo do atleta atuar na Série B. Voltaria para Belém? Eduardo Ramos e Rony, na Curuzu Especulações e desmentidos!

Além da Colina, Manaus ficou com outro legado da Copa, o estadio Carlos Zamith, no bairro Coroado, Zona Leste da cidade, capacidade 5 mil pessoas, moderno, grama Bermuda e custou 15 milhões.

HOMENAGEM – Messias Adriel Barbosa Brandão, o PIM, ex- tricampeão paraense de boxe mosca ligeiro (1988-89-90) pela Academia Estrela do Norte e campeão brasileiro pelo Pará no RJ (1989). É cabo da PM.

20 de maio de 2015 at 2:34 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Claudio Guimarães – 19.5.15

POSITIVO – Lateral esquerdo João Lucas se constituindo na melhor contratação do Paysandu para Série B. Essa era uma posição carente no time bicolor desde Luiz Fernando.

NEGATIVO – Caiu assustadoramente o futebol do bicolor A. Recife (barrado). Dado Cavalcanti no fio da navalha, hoje (ABC-Copa BR) e sábado (Ceará-Segundona). Continuam críticas da TV à numeração do Paysandu.

Lá e Cá

ABC e Paysandu jogaram 15 vezes, 6 vitórias bicolores (17 gols), 5 abecedinas (18 gols) e 4 empates. Hoje vale vaga à 3ª fase da Copa do Brasil, bilheteria e premiação de 560 mil.

Técnico Dado Cavalcanti tem 16 jogos à frente do Paysandu, 7 triunfos, 6 derrotas, 3 empates, 27 gols a favor e 16 contra. Aproveitamento pouco animador de apenas 50% (Fonte: Jorginho Neves).

Papão não ganha fora do Estado há 6 partidas, 2 derrotas e 4 empates. Último triunfo valeu acesso à Série B, 1×0, no Tupi, em Juiz de Fora-MG (25.11.14). Último jogo bicolor em Natal, ABC 3×0 (26.7.13-Série B), quando caiu Givanildo Oliveira.

Time para hoje: Emerson, Pikachu, Tiago Martins, Gualberto e João Lucas, Capanema, Fahel, Jonathan e C. Alberto, Aylon e L. Cearense. E contratação a toque de caixa: agora, volante Fernando (Penapolense).

SEEL esclareceu que GP de Atletismo custaria 2 milhões e sem as grandes estrelas, daí preferir investir na 9ª edição dos Jogos Abertos do Pará.

Começou a campanha e trabalho de revitalização do Baenão para Série D. Verdadeiro mutirão Azul. Intutito é reabri-lo dia 19.7, na segunda rodada, contra o representante do Acre ainda não definido.

Atacante Aleílson novo contratado do Remo. Tem a vantagem de conhecer a região e, particularmente, as agrururas desse tipo de competição; empresário de Bismarck diz que ele não voltará ao Baenão.

William (lateral esquerdo) e Ítalo (atacante) duas promessas da base do Remo bem rcomendadas pelo auxiliar técnico Agnaldo de Jesus; ABC fazendo promoção hoje e cobrando 20 e 40 reais para lotar o Frasqueirão.

Homenageados ontem na Câmara Municipal pelo UniCEP, da RBA: Laércio Barbalho (in memoriam), Camilo Centeno, Nonato Cavalcante, Guilherme Guerreiro, Ronaldo Porto, Gérson Nogueira e eu. Agradecimentos!

HOMENAGEM – João Solano, o Chocolate, ex- tetra-campeão de boxe peso galo no Pará, pela Academia Jack Dempessey, de 1950-54. É marítimo aposentado.

19 de maio de 2015 at 4:18 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 18.05.15

E LÁ VEM ESSA MALDITA ZONA

O Paysandu estreou na série B em casa e levou um gol no final do jogo, perdendo para o Botafogo-RJ por 1×0, num jogo em que marcou um gol legal e a bandeirinha desmarcou; sábado agora, o Papão foi até Bragança Paulista e sofreu nova derrota por 1×0, gol de pênalti que na verdade não foi, pois a falta foi fora da área. Com isso, o Papão termina a segunda rodada sem marcar pontos e na 18ª colocação dentro da zona de rebaixamento. Amanhã o Paysandu troca o “chip” e vai decidir uma vaga na Copa do Brasil contra o ABC-RN; ganhou aqui por 1×0 e joga pelo empate. A equipe chegou ontem em Natal e está hospedada no Hotel Visual Praia; Dado Cavalcanti continua sendo o treinador, mas os comentários são fortes de que, seja qual for o resultado nas Dunas, ele não vai ficar mais. Ninguém da diretoria confirma, até porque também ninguém atende os celulares. Eu creio que o treinador deverá continuar em caso de classificação para pegar o próximo adversário da série B.

ALTA TEMPERATURA

As redes sociais estão cheias de críticas contra o momento atual do Paysandu, principalmente depois da derrota contra o Bragantino no sábado. A maioria da torcida quer a cabeça de Dado Cavalcanti, em minha opinião o que menos tem culpa. Financeiramente o Paysandu está melhor, disputa a série B com possibilidades de ficar ou subir e as cornetas já começaram a tocar. Não é momento para isso. A avalanche tem que acreditar numa recuperação, que poderá começar amanhã.

BAIXA TEMPERATURA

O Remo chegou perto da vaga para a 3ª fase da Copa do Brasil, ganhou o bi campeonato paraense e garantiu a vaga na série D, chegou perto do título da Copa Verde e as crises continuam. Hoje, reunião do CD e dois assuntos na pauta: má gestão do atual presidente Pedro Minowa, segundo alguns conselheiros, e venda do atacante Roni, cheia de mistérios. O vice Henrique Custódio já tirou o cavalo da chuva e durante seis meses estará afastado. Outros seguiram o mesmo rumo. Eu heim!

NO TERMÔMETRO

Seja qual for o resultado de amanhã, esperemos que venha a classificação, o Paysandu terá no sábado em Belém uma partida chave na série B contra o Ceará-CE. Precisa vencer para fugir da zona. /// Depois o Papão sai para atuar contra o Boa Esporte-MG no dia 30, e volta pra Belém onde pegará no dia 02 de junho o Santa Cruz de Recife. Para fugir dessa agonia, o bicolor terá que fazer no mínimo sete pontos. /// O presidente bicolor Alberto Maia, desmentiu no microfone do Dinho Menezes, o interesse pelo goleiro Alencar Baú. Entretanto o mandatário maior garantiu que estão sendo contratados um goleiro, um lateral esquerdo e um atacante. /// Fred Carvalho em Fortaleza, Cláudio Bernardo descansa em Mosqueiro e Pedro Minowa quebra cabeça para arranjar dinheiro. Faltando 50% do salário de abril e já estamos chegando ao final de maio. E o Remo só volta a campo em Julho. /// Um recado ao leitor Albert Gabbay: tenho muito atenção nas coisas que escrevo, apesar de poder cometer erros, claro, mas você deveria interpretar melhor o que lê. Talvez o amor pelo seu clube lhe deixe cego, eu entendo. /// Não temos ninguém na série A, o Paysandu voltou para a série B, mas não consegue vencer e já está na zona; temos o Águia na série C, que começou levando um beliscão do América-RN dentro de casa com dois jogadores a menos e a expulsão do treinador Roberto Fernandes, ex-Remo. Tomou 1×0, empatou aos 43 do 2º e estreou com empate em casa; e ainda teremos o Remo na D, com estreia marcada para o dia 12 de julho. Com a torcida que temos de Remo e Paysandu, merecíamos coisas melhores. /// Será que o Wanderlei Luxemburgo tem alguma coisa a reclamar da arbitragem de ontem, 2×2 contra o Sport em casa? Dewson Freitas deu o recado, o time do Flamengo perdia por 2×0 e conseguiu o empate num jogo que foi até os 56 minutos do 2º tempo. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

18 de maio de 2015 at 4:26 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Claudio Guimarães – 12.5.15

POSITIVO – Hoje, Copa BR, 19:30h, Paysandu x ABC e ingresso promocional a 20 e 40 reais. Ambos procurando recuperação e são 14 jogos, 5 vitórias de cada, 4 empates, 18 gols abecedinos e 16 biclores.

NEGATIVO – “São essas coias que eu não entendo”: por que espremer a torcida do Paysandu de um lado do Mangueirão, como sábado, deixando a outra arquibancada folgada? Urge equacionar situação com essa!

Lá e Cá

Técnico Cacaio renovou contrato com o Remo (aproveitamento de 66%). Deverão sair Macena, Alberto, Ciro Sena, Mateus Carioca, George Lucas, Jadilson, Camilo e Állax. Leão estreando dentro de dois meses na Série D.

Aliás, 4ª Divisão já tem 36 clubes habilitados, faltando os representantes do AC, ES, PB e PI; Cuiabá conquistou o tri de MT depois de ganhar Copa Verde. Amanhã, na Copa BR, receberá Vasco na Arena Pantanal.

Paysandu não ganha há 4 jogos e ABC há 3. Último confronto entre os dois, em 2003, Série B, Papão 1×0, gol de Pikachu. Bicolor completa hoje 1 mês sem vitória (9×0 no S. Francisco-Parazão); Lombardi se apresentou.

CT do Paysandu arruma jogada para Souza, como aconteceu em outros clubes onde foi artilheiro ou é melhor não escalar o jogador mais caro do plantel. Atleta não pode pegar vai sempre que é substituído. Não merece!

Independente desde ontem em Goiânia e espera fazer história amanhã na Copa BR. Sua vitória em Tucuruí ficou muito mais valorizada depois do Goiás segurar o Vasco em São Januário (0x0), na Série A.

Público pagante de Paysandu 0x1 Botafogo (18.356) o melhor da 1ª rodada da Série B e o 3º maior do Brasil de sábado e domingo, perdendo apenas para Palmeiras 2×2 Atlético-MG (28.781) e Flu 1×0 JEC (19.185).

Copa Verde de 2016 poderá ter 20 clubes, entrando 3 de Goiás (Vila Nova, Atlético e Goiás) e o Paysandu convidados. Questão financeira e de audiência da TV. Assunto amadurecendo!

Augusto Recife o grande ausente do Paysandu hoje e meia Rogerinho está confirmado; audiência do bicolor Jonathan contra o Remo no TRT adiada para 17.5; Zé Soares ganhou 390 mil e azulinos recorrerão ao TST.

Nacional-AM superou o Remo de 2004 no Parazão e chegou a 15 vitórias seguidas no campeonato amazonense, 44 gols a favor e 7 contra; liberada 2ª parcela d Funtelpa aos clubes, via FPF, no total de R$ 1.176.480,00.

HOMENAGEM – Jair Bastos de Oliveira, o Medalha, ex-campeão de boxe peso pena pelo Paysandu (1976) e ex-remador de double skiff do próprio Paysandu e Tuna (campeão em 1980). É taxista.

12 de maio de 2015 at 11:40 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 11.05.15

O que esperar do Papão?

Tudo indicava que o jogo ia terminar em 0 a 0 mesmo, e não seria um resultado injusto, apesar de maior domínio do Botafogo. Acontece que os ataques estiveram sempre aquém das defesas em quase 90 minutos de bola rolando. Eis que, aos 41 minutos do segundo tempo, um cruzamento do lateral Carleto alcançou Rodrigo Pimpão dentro da área. Este foi mais ágil que o seu marcador e recebeu a bola já batendo de chapa no canto, sem defesa para o goleiro Emerson.

O Botafogo fez ali naquele momento o que já podia ter feito em pelo menos três outras oportunidades, desperdiçadas principalmente pelo atacante Bill. O Papão sofreu um duro castigo na desatenção final da defesa, que tinha se comportado razoavelmente bem no jogo.

O gol no apagar das luzes foi mais lamentado pelos bicolores em face do mal anulado lance de Leandro Cearense um pouco antes. Após cruzamento perfeito, o atacante escorou para as redes de Jefferson. Mas a beldade-bandeirinha Fernanda Colombo Uliana invalidou o lance, apontando impedimento. Na verdade, Cearense estava na mesma linha da zaga e, portanto, tinha posição legal.

No primeiro tempo, o Papão teve poucos momentos de agressividade ofensiva, preferindo optar pela cautela exagerada. De maneira geral, o time respeitou demais o Botafogo, que é naturalmente cotado para o acesso, mas tem uma equipe ainda em construção, apresentando vários pontos vulneráveis.

Diante do posicionamento de espera dos bicolores, o Botafogo foi à frente e dominou a partida, ditando o ritmo e retendo a bola, embora sem maior objetividade. Pecava nas finalizações, mas tomava sempre a iniciativa. No Papão, Bruno Veiga começou bem, escapando em velocidade, mas aos poucos passou a ser mais vigiado. Um grande momento do ataque bicolor foi o disparo de Rogerinho para grande defesa de Jefferson.

Souza, funcionando como pivô, recebia forte vigilância de Marcelo Matos e dos zagueiros botafoguenses, mas criava condições para os demais companheiros. Pena que ninguém conseguiu aproveitar, nem Veiga e nem Pikachu, sempre os mais insistentes.

Quando Souza deu lugar a Leandro Cearense no segundo tempo, a equipe ganhou um novo jeito de buscar o ataque, valorizando mais a troca de passes em velocidade. A substituição poderia ter sido ainda mais festejada se o lance do gol tivesse sido validado. Mas ficou a sensação de que Dado Cavalcanti passa a ver em Cearense uma opção para tornar seu ataque menos previsível e mais ágil.

Outro aspecto positivo foi o comportamento dos zagueiros. Com mais entrosamento, a zaga tem tudo para funcionar na longa campanha da Série B. Gualberto e Tiago Martins se destacaram pela segurança nas antecipações e no jogo aéreo. O lateral João Lucas atuou com correção, embora mais preso à marcação, mas acabou falhando no lance fatal com Rodrigo Pimpão.

A marcação podia ter sido mais eficiente, mas Augusto Recife voltou a jogar abaixo do que normalmente rende e Fahel foi mais ou menos o que normalmente é. Acabou substituído por Ricardo Capanema, que é muito mais brigador e voluntarioso. Ainda assim permitiu que o rápido Sassá criasse dificuldades em arrancadas junto à área nos minutos finais.

A maior dor de cabeça de Dado continua na criação, como já se observava no Parazão e na Copa Verde. Dispersivo, Rogerinho não organizou a equipe e nem criou as situações necessárias para que o ataque pudesse superar a marcação do Botafogo. Foi substituído por Carlinhos, que pouco acrescentou à articulação e aproximação com o ataque.

Ficou evidente que nenhum dos armadores faz por merecer a titularidade. Se quiser um ataque eficiente, Dado terá que optar por meias mais criativos e dinâmicos (Carlos Alberto? Edinho?). Restam 37 rodadas, há tempo para ajustes, mas é bom apressar as soluções.

Direto do blog

“Planejamento zero! O Paysandu já deveria estar com um time pronto, com uma base inteiramente definido. Isso era elementar justamente para não repetir os erros do passado, como os de 2013, para ser mais recente. Tenho fé que o clube se mantenha na Série B, pelo menos. Agora, sobre reforços, o Papão precisa de um lateral-direito, um meia e dois atacantes, no mínimo. Edinho não é meia, mas um segundo volante. Carlos Alberto é uma incógnita, já Rogerinho e Carlinhos são muito irregulares e improdutivos”.

Charles Rezende, torcedor alviceleste, cabreiro com a estreia do time.

Velhas dúvidas e poucas certezas no novo Botafogo

O torcedor botafoguense tem motivos para preocupações. A Série B mais competitiva dos últimos anos vai exigir um elenco mais estável, com peças de qualidade. O time que enfrentou o Papão tem perfil operário, o que é bom, mas ainda se perde em jogadas de pouca inspiração. A zaga é forte. Diego Jardel é meia de recursos, mas cansou muito cedo.

O ataque depende mais de Pimpão do que de Bill, muito impreciso nos chutes. E, francamente, Renê Simões já teve tempo suficiente para arranjar um volante menos atrapalhado que Marcelo Matos.

Festival de bordoadas no clássico argentino

O futebol argentino, que no passado brindou o mundo com Alfredo Di Stéfano e Diego Maradona, brilha hoje intensamente no cenário da bola através dos dribles e golaços de Lionel Messi. Prova da excepcional qualidade do jogo praticado no país vizinho ao longo do tempo.

Pois na última quinta-feira, apenas 48 horas depois de mais um show irrepreensível de Messi na Champions League, me deparei com um tosco River Plate x Boca. Foi um dos piores jogos que vi na temporada, incluindo aí algumas peladas ordinárias vistas no nosso Parazão.

Cada time cometeu pelo menos 30 faltas (fora aquelas ignoradas pela arbitragem) e o jogo foi uma sucessão de cabeçadas, pernadas e cusparadas. O pior lado da decantada catimba argentina esteve solto em campo, diante de milhares de pessoas no estádio Monumental de Nuñez.

Um clássico secular não merecia o baixo nível de hoje. Nenhuma jogada digna de admiração, como também nenhum craque em campo, pelo menos que se fizesse visível em meio à troca de golpes entre os dois times rivais. À certa altura, parecia mais um duelo de rúgbi, tal a ferocidade dos litigantes. Uma noite triste para o futebol.

11 de maio de 2015 at 12:04 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 11.05.15

REMO DANÇOU, PAYSANDU FOI ATRÁS.

O que parecia impossível aconteceu, mais uma vez perdemos uma competição nacional inédita pra nós mesmos. Nas finais da Copa Verde o Remo abriu uma bela vantagem vencendo a primeira partida por 4×1 e jogou o título fora perdendo em Cuiabá para o Cuiabá-MT por 5×1. Mas o que será que aconteceu? Excesso de confiança? Falta de respeito ao adversário? Otimismo exagerado? Qualquer que seja a resposta, isso doeu muito no coração do torcedor azulino, que já contava com o título e a participação na Copa Sul Americana de 2016. A história mais uma vez se repetiu, já que o Paysandu teve a mesma chance em 2014 e entregou o título de bandeja para o Brasília-DF. Duas chances de títulos nacionais jogadas fora e a situação do Remo muito mais vexatória. E no sábado, para não fugir a regra, o Paysandu estreou mal na série B, perdendo para o Botafogo-RJ por 1×0 no finalzinho da partida. Que seja desde já acesa a luz amarela pelas bandas da Curuzú, antes que seja tarde demais.

ALTA TEMPERATURA

Bela festa de encerramento do Troféu Camisa 13 nos salões da Assembléia Paraense, a melhor e mais popular premiação do esporte paraense. O Troféu de Personalidade do ano coube ao nosso árbitro FIFA Dewson Fernando Freitas da Silva, de forma merecida. Remo e Paysandu tiveram a maioria na seleção dos melhores, muito mais pelo que fizeram no 2º turno do Parazão, com Lecheva sendo escolhido o melhor técnico. A festa foi muito bem comandada por Zaire Filho, com apresentação de Mariana Malato. Parabéns ao Grupo RBA e ao confrade Zaire Filho.

BAIXA TEMPERATURA

Tomei conhecimento que os jogadores do Remo, antes da decisão em Cuiabá, teriam solicitado ao presidente Pedro Minowa que o mesmo fizesse um documento em cartório, declarando a dívida de 160 mil reais com o plantel, dinheiro esse que seria a premiação pelo título do Parazão. Como eu não tinha certeza da notícia, perguntei para um jogador que confirmou. Significa dizer que nem tudo eram flores nessa decisão tão importante para o clube de Periçá. Pode um troço desses?

NO TERMÔMETRO

No jogo de ida contra o Cuiabá, o Remo passou quase 70 minutos com vantagem numérica e só conseguiu fazer um gol no 2º tempo já no finalzinho. Poderia ter feito placar maior que 4×1 e não fez. /// No jogo de volta, tomou um gol de pênalti aos 25 e levou mais dois gols antes de terminar o 1º tempo, dando provas que não aguentaria a pressão. Tomou mais um e, mesmo em desvantagem numérica em campo, fez um gol com Val Barreto, mas depois tomou o quinto gol e tudo se acabou. Paty, por muito pouco, não se consagrou aos 48 minutos do 2º tempo. /// Remo agora aguardará a tabela da série D para cumprir calendário no segundo semestre e tentar subir para a série C, conforme planejamento, mas terá que contratar alguns reforços para conseguir seu intento. /// Galera bicolor acreditou no time e compareceu ao Mangueirão no sábado para incentivar o time contra o Fogão. Saiu frustrada com a derrota no finalzinho do espetáculo. /// Amanhã o Papão pega pela frente, trocando o “chip”, o ABC-RN pela Copa do Brasil no jogo de ida. Se conseguir passar nos 180 minutos, ganhará um bom dinheiro e ainda avançará na competição. /// No final da semana que passou, o Pará conquistou quatro medalhas de ouro do Campeonato Sul Americano de Muaythai, realizado na Argentina. Notícia passada pelo João Carlos Andrade, diretor de eventos da federação da modalidade tradicional. /// Enquanto Remo e Paysandu davam vexame, o Independente fez o dever de casa na Copa do Brasil e derrotou em casa o Goiás-GO por 1×0 e joga pelo empate na volta. /// Bronca da semana: afastamento de Pedro Minowa e Henrique Custódio do CODIR remista por “gestão temerária”. CD e Assembléia Geral vão partir pra cima. A conferir. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

11 de maio de 2015 at 11:38 am Deixe um comentário

Bola pra Frente – Claudio Guimarães – 10.05.15

– Entrevista com ex- zagueiro Lima que brilhou no extinto Sporting Club do Pará.

Como foi seu começo no futebol?
Era meio campo no Curuçá E. C, da minha cidade e, aos 17 anos me destaquei no Intermunicipal e na Seleção virei zagueiro. Aí o ex-jogador Ramos gostou e me trouxe para o Clube Julio Cesar (1970-72).

Quem o levou para o Sporting Club do Pará?
Presidente Otávio Sinimbu e lá fiquei de 1973 a 1976. Fase muito boa!

Jogos memoráveis?
Em 1973 contra a Tuna, ganhamos de 2×1 e fiz os dois gols de pênalti. E, em 1974, diante do Remo, ganhámos de 1×0 e jogo só acabou quando Leão empatou.

Quem foi seu melhor parceiro na zaga?
Cito Américo, no Julio Cesar e, Maia, no Sporting.

Lembra do time base do Sporting?
Santos, Antonio Carlos, Maia, eu e Chaves, Veras, Chico Alves e Lins, Pirila, Ivan e Teó. Técnico Otávio Cruz.

Como era e vida de jogador de time mediano naquele tempo?
A gente estudava (era o meu caso) ou trabalhava e não se treinava todo dia. Ganhava-se pouco. Era um misto de profissional e amador.

Grandes jogadores do seu tempo?
No Paysandu, João Tavares, Beto, 40, Moreira, Bené, Da Costa; no Remo, Dico, Mendes, Dutra, Caito, Alcino, Pery; na Tuna, Carvalinho, Antenor, Valtinho,Clésio, Zé Ilídio e Gonzaga.

Diferença do futebol profissional de hoje para os anos 70?
Hoje jogador ganha relativamente bem, tem fisiologista, boa preparação física, estrutura melhor. Se vive só de futebol, diferente da minha época.

Remo e Paysandu devem apostar na base?
Todos devem apostar na base, estruturá-la, consturir CT. Nossos times têm de formar a chamada espinha aqui e contratar só o necessário.

Ainda vai aos estádios?
Algumas vezes. Como remista tenho prestigiado essa arrancada azulina.

Que faz hoje?
Sou engenheiro agrônomo aposentado do INCRA e atual presidente do CREA-PA (Elias Lima).

Para quem tirar o chapéu no futebol do Pará?
Para gente do meu tempo, o presidente do Sporting, Otávio Sinimbu (médico). Era pai, amigo, conselheiro, abnegado. Um faz tado. Pena que o Sporting tenha acabado em 1977.

10 de maio de 2015 at 2:10 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.