RITMO DO JOGO (João Cunha)

28 de março de 2012 at 3:16 pm 5 comentários

CARTA ABERTA AO PAI DO BARTOLA

Sua luta em prol dos interesses de sua família é por mim plenamente justificada e entendida. Fico verdadeiramente pasmado com a polemica criada e propalada através da imprensa diante dos fatos e do descaso crônico dos  “dirigentes” de Remo e Paysandu com o atleta regional e, em particular, das divisões de base. É um verdadeiro milagre ver surgir, a cada ano, novas jovens promessas nesses dois clubes.

 Particularmente agora, no Parazão 2012, temos oportunidade de ver o quanto desperdiçamos talento no futebol de Leão e Papão. A interiorização mostra claramente o reaproveitamento de antigas promessas que pelo desprestigio e, principalmente, pela importação desenfreada, foram perdidas em nossa capital. Muitas delas já em declínio físico, enquanto que algumas em pleno vigor da juventude: No São Raimundo, João Pedro, Wilson, Dudu, Adriano Miranda e Filho. No Cametá, Américo, Tonhão, Souza, Ricardo Capanema, Paulo de Tarso, Soares, Jailson e Marcelo Maciel. No Independente, Dida, Lima, Marçal, Preto Barcarena. No Águia, Léo Rosa, Charles, Mocajuba, Rairo, Marquinhos, Flamel, Analdo e Sató. No São Francisco, Emerson Bala, Balão Marabá, Léo Oliveira e Rodrigão. Até na Tuna pontuam André Luis, Bruno Oliveira, Sinésio, André Mensalão, Lineker, Carlinhos Maraú, Beá e Edilson. Mesmo no Remo, temos hoje, Cametazinho, Igor João, Alan Peterson, Jonatan, Betinho, Reis, Joãozinho, Jaime. No Paysandu, Yago Picachu, Tiago Costa, Jairinho, Brian, Neto, Billy, Leandrinho, Batola, Paulo Rafael, Pablo, Ronaldo e Djalma. Entre outros.

Temos também os que tiveram que sair em busca de sua oportunidade. É o caso do atual técnico Nildo Pereira. Lima (sobrinho do Nunes) sucesso em Portugal. Rogerinho e Léo em Fortaleza. Paulo Henrique Ganso no Santos e tantos que “fugiram” em busca de seus sonhos. Como se vê, caro Pai, aqui mesmo têm muitos casos idênticos ao seu, mas se formos para fora, exemplos é que não faltam de pais/responsáveis que brigaram por seu filhos:  Ronaldo Gaucho, lembra-se como ele saiu do Grêmio ainda criança? O próprio Messi da Argentina. Neste momento São Paulo e Internacional disputam na Justiça o passe de Oscar e, até o jogador Mosquito, escafedeu-se do Vasco da Gama, arriscando seu futuro na Seleção Brasileira. Repare que São Paulo e Vasco são tidos como clubes modelos em preparação de jovens valores para o futebol e para a vida! Já imaginou você, caro Pai, se Remo e Paysandu tivessem ao menos um CT? Se não fossem necessários abnegados, de lado a lado, para dar  o mínimo aos jovens valores? O que seria deles sem o famoso “paitrocinador”?

Siga na sua luta, independente do que venha acontecer, pois, se você não conseguir 100% de seu intento, pelo menos estará dando uma demonstração de carinho e preocupação com o futuro de seu filho. Que isso tudo sirva de lição para os nossos “dirigentes” e de exemplo para outros pais! Tudo pelo bem do nosso futebol!  Oh! Saudade do tempo em que Neves, Mesquita, Quarenta, Beto, Oberdan, Edil, Ageu, Bira, Artur, Pedrinho, Marinho, Aderson, Jorginho, Belterra e tantos outros tiveram oportunidade de brilhar por aqui, sem necessidade de brigas ou picuinhas entre pais e dirigentes!

Boa sorte Pai e, desculpe-me pela ousadia de lhe escrever, sem ao menos saber seu nome! Saiba que eu não tenho medo nem vergonha de apoia-lo e a todos os que desejarem o melhor para o Futebol Paraense!       

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.03.12 B OLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.03.12

5 Comentários Add your own

  • 1. otavio santos  |  28 de março de 2012 às 9:04 pm

    Texto grande, mas sem consistência.

    Responder
    • 2. Guilherme Guerreiro  |  29 de março de 2012 às 3:05 pm

      Caro Otavio Santos, gostaria de agradecer, de coração, sua observação, mesmo suscinta, sobre o meu texto. Quero que saiba da minha admiração por pessoas que, como voce, tem coragem de incentivar a melhoria de um trabalho e, sua observação, tenha certeza, será levada em consideração em minhas próximas tentativas de me expresar, da melhor maneira possivel, sobre assuntos que, na minha opinão, sejam pertinentes. Tudo pela melhoria do nosso futebol. Vá mandando! Grande abraço, ótima quint, saúde e tudo de bom! Disponha sempre1

      Responder
  • 3. Cesar Augusto de A Santana  |  29 de março de 2012 às 12:05 am

    João cunha, não concordo com seu comentário, pois você está alheio aos interesses dos clubes e principalmente alheio aos interesses do mercado.
    Que os clubes paraenses valorizam demais os bondes de fora é uma fato, que não justifica seu comentário, pois Bartola esta longe de ser realidade ainda.
    Quem é Bartola ? como chegou até aqui ?
    Bem ou mal foi através do clube Paysandu, que lhe deu “estrutura” para que se configurasse como jogador profissional.
    Bartola é titular da equipe para justificar toda esta ansiedade de seu genitor ? ao que parece não, não conseguiu ao menos se firmar como jogador profissional e coloca a carroça na frete dos bois.
    Fazer futebol profissional é difícil, fácil é comentar ou escrever, sem estar dentro do olho do furação, envolvendo torcidas apaixonadas e fiéis.
    Que títulos Bartola tem no Paysandu ?

    Bartola jogue bola, mostre futebol e depois cobre mundos e fundos antes disso, baixe sua bola, veja dentro do próprio clube o que aconteceu com Fabricio, Moisés, Rafael Oliveira, Tiago Potiguar etc..

    Responder
    • 4. Guilherme Guerreiro  |  29 de março de 2012 às 2:59 pm

      Fico-lhe muito agradecido, meu caro Cesar Augusto, pelo aparte. Mesmo porque não pretendo e nunca tive a minima intenção de ser o “dono da verdade”, apenas e tão somente pretendi expor aqui o meu pensamento (que aliás já o faço desde sempre) a respeito do tratamento geral que é dado a chamada “prata da casa” e , em particular, aos jovens valores das nossas divisões de base e, para isso, aproveitei a oportunidade do caso do jogador Bartola. Aceito, não só a sua, mas todas as opiniões ao contrario. Fiz questão de enumerar fatos e nomes para respaldar meus anseios em prol da melhoria do nosso futebol e, como voce pode notar, não me deti apenas no caso e no Paysandu, afinal de contas, todos nos somos (em parte) responsáveis pela atual situação de penuria do Futebol Paraense, independente de paixões. Por falar em PAIXÃO… se não fosse ela, com toda certeza, poderiamos estar ainda em pior situação. Grande abraço e, mais uma vez, obrigado por sua colaboração para um debate democratico e serio em favor da comunidade que goata de um futebol bem jogado e sabe que, para isso, muita coisa precisa mudar e… com urgencia, principalmente na parte administrativa desse bom negocio que é o futebol. Fique com Deus.

      Responder
  • 5. Alisson  |  29 de março de 2012 às 10:28 pm

    Péssimo ver a ganância de um pai, querendo garantir o seu futuro com o trabalho do filho!!!! Vai trabalhar pai do bartola…. E deixa seu filho fazer algo pelo futebol e pelo clube, que justifique ele ganhar o mesmo que ganharam os pernas de pau que vieram ano passado!!!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: