Coluna do Gerson Nogueira – 29.04.13

29 de abril de 2013 at 4:47 pm Deixe um comentário

Uma decisão empolgante

Remo e PFC decidirão o returno do Campeonato Paraense, após superarem Paissandu e Tuna, respectivamente, nas semifinais. Pelo que produziram nos jogos decisivos, ambos chegam merecidamente à decisão, que tem os elementos necessários para empolgar o torcedor.

No sábado à noite, o Remo impôs a segunda vitória consecutiva ao Paissandu, repetindo a dose do primeiro confronto, inclusive no placar. Com aplicação, disciplina tática e objetividade, os azulinos neutralizaram o toque de bola característico do adversário, conseguindo sair para o jogo e criar várias boas situações ainda no primeiro tempo.

O gol marcado por Leandro Cearense logo no começo, em jogada do volante Jonathan, deu segurança ao Remo e intranquilizou o Paissandu, que precisava vencer para passar à final desta etapa.

Com cinco homens posicionados na meia cancha – Gerônimo, Nata, Jonathan, Capela e Ramon –, o Remo fazia o jogo girar e tinha sempre um ou dois jogadores aparecendo ao lado do atacante Leandro Cearense.

A zaga do Paissandu mostrava-se insegura, talvez sentindo falta da cobertura que Ricardo Capanema costuma fazer. Esdras falhava muito e não se entendia com Vânderson no combate ao meio-campo remista. Em consequência, a bola não chegava a Eduardo Ramos, principal organizador do time. Quando chegava e era endereçada aos atacantes, as finalizações saíam erradas.

Mesmo confuso, o Paissandu tentava reagir. Pikachu, por duas vezes, e João Neto desperdiçaram boas oportunidades para empatar ainda no primeiro tempo. O Remo aproveitava os espaços para contra-atacar. Capela, o melhor da equipe, quase marcou. Cearense também esteve perto de fazer o segundo gol.

Depois do intervalo, Lecheva optou pela estratégia do tudo-ou-nada. Tirou Vânderson e Iarley, poucos produtivos, lançando Alex Gaibu e Rafael Oliveira. A providência deu certo e, logo aos 4 minutos, veio o empate. Rafael foi à linha de fundo e jogou na área para o arremate de Djalma.

O gol empolgou os bicolores, que tiveram excelentes chances de passar à frente. Rafael bateu de meia-bicicleta para grande defesa de Fabiano, João Neto e Pablo cabecearam errado diante do goleiro azulino.

Acuado com a reação do Paissandu, Flávio Araújo tirou Ramon e Capela, por cansaço, colocando Clébson e Tiago Galhardo. Na primeira bola recebida, Clébson acertou um tiro de longa distância no canto esquerdo do goleiro Paulo Rafael, desempatando a partida.

Com a vantagem, o Remo dedicou-se a explorar os contragolpes, quase conseguindo chegar ao terceiro gol em jogada de Galhardo pelo lado direito do ataque.

Destaque na vitória remista para Diogo Capela, que deu estabilidade ao setor de armação, e para o trio Jonathan-Alex Ruan-Yan, todos oriundos da base do clube. Endy destoou, errando muitos passes. No Paissandu, Djalma foi o mais regular e Rafael Oliveira entrou bem. Pelo acúmulo de falhas e omissões, Iarley, Esdras, Pikachu e Paulo Rafael foram os mais improdutivos.

Paragominas avança, Tuna cai

Na outra semifinal, o PFC precisou de quase 85 minutos de esforço para conseguir superar o forte bloqueio defensivo da Tuna, na Arena Verde. Ao final, vitória por 2 a 1, com generosa contribuição do goleiro Dida, que falhou nos dois lances capitais.

Com o gramado prejudicado pela chuva, o jogo foi todo disputado à base de chutões no primeiro tempo. A Tuna acabou prevalecendo, com boas tentativas de Fabrício e Daniel Papa-Léguas. Um pênalti sofrido por Daniel deu origem ao gol inicial, anotado por Fabrício, após defesa parcial do goleiro.

Sempre no ataque, o PFC pecava por concentrar suas ações em cruzamentos para a área, quase todos aliviados sem problemas pelos zagueiros tunantes. No segundo tempo, quando botou a bola no chão, o time de Charles cresceu em campo, sufocando a Tuna e deixando poucas brechas para o contra-ataque.

Depois de muita pressão, os gols viriam nos últimos dez minutos. Aleilson empatou, de cabeça, depois de subir entre três zagueiros. O goleiro Dida saltou atrasado, não conseguindo defender. No minuto final, o goleiro falharia clamorosamente, repondo a bola nos pés do atacante Beá, que garantiu o triunfo do PFC – e, de quebra, a vantagem no confronto com o Remo.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 29.04.13 Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 29.04.13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: