Archive for abril, 2013

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 23.04.13

– TODO CUIDADO É POUCO – AZULINOS E BICOLORES vão concentrar na quinta para evitar deisse me disse e burburinhos de bastidoresdo clássico, é são os meninos de olho nas crianças que gostam de tomar algumas nas horas erradas,…………………….

– HORÁRIO E DATA MANTIDOS – Sem estar nem ai para o torcedor, os INTELIGENTES DIRIGENTES do futebol paraense resolveram por pura PIRRAÇA, manter o horario e o dia do proximo RE X PA, e o torcedor que paga a conta que EXPLODA,………………………….

– DESFALQUES – Tanto Remo como Paysandu tem desfalques para o clássico do próximo sábado, com isto as comissões técnicas estão tendo que bater cabeça para encontrar os substitutos, para os seus desfalques no Papão Raul, Ricardo Capanema e Helinton , no Leão Val Barreto, Mauro Pastor e Carlinhos Resch e hoje o atacante Branco,…………………….

– OS PATETAS – No Pará é impressionante como aqui todo mundo ganha dinheiro e os PATETAS que dirigem o nosso futebol na fazem nada, o remo teve pagar o aluguel das catracas de um jogo que não aconteceu, e agora de quem é culpa, O TERRA DE OTÁRIO,………………………………..

– LUGAR DE BESTA É DO LADO DA FILA – Parabéns ao MUN-HÁ e a sua federação que ensina o Brasila fazer futebol, que mesmo sabendo que o jogo marcado por eles mesmos para sábado 18:30 deu prejuizo, NÃO ABRIU MÃO DOS 10% DA SUA F.P.F, POBRE FUTEBOL DO PARÁ, E MÚMIA AINDA QUER SER REELEITO,…………………..

– PAULO FERNANDO,……………………………………………………………….

Anúncios

23 de abril de 2013 at 4:42 pm 1 comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.04.13

O Re-Pa segundo os torcedores

A terça-feira posterior a um Re-Pa é tradicionalmente dedicada a repercutir a opinião do torcedor-leitor. Espaço aberto para o posicionamento dos que amam discutir futebol e, por direito adquirido, se consideram técnicos informais. Por coincidência, um técnico amador está entre os escolhidos pela coluna para reverberar o que ocorreu sábado à noite, no estádio Jornalista Edgar Proença, quando o Remo derrotou o Paissandu e ressuscitou no campeonato.

“Gerson e amigos, sempre falei que time que jogar contra o Paissandu de igual para igual vai encontrar sérios problemas para vencer. O Remo só respeitou uma vez o Paissandu, e por isso tinha saído vencedor. No sábado, quando saiu a escalação, falava que o Remo vinha respeitando o Paissandu, e voltou a vencer. Claro que, em se tratando do momento que vivia, não era só isso que faltava ao time, mas a vontade de vencer, a garra, a disposição em campo e isso o Remo teve ontem – e o Papão não”, opina Cláudio Santos, leitor da coluna e do blog e técnico do Columbia de Val-de-Cans.

Acrescenta que o Remo “tem jogadores fracos tecnicamente e só usando a inteligência de seu bom técnico, aliado a tudo que falei, poderá sonhar com o título deste 2º turno. Por isso, sempre falei que o Papão tinha mais time, mas o Remo tinha mais técnico. Que o Flávio Araújo não pense que deve usar o 3-6-1 apenas contra o Papão, mas sim, se passar, usar até o fim do Parazão, mudando apenas algumas peças, quando for necessário. Chega de mexer tanto nesse time”.

Já Rildo Medeiros avalia que o triunfo do Remo deveu-se à organização que o time mostrou e, em particular, à grande participação dos jogadores paraenses: “Parabéns pelo centenário, Leão! À torcida, ao Fabiano, Val Barreto (lembrança do Alcino), Jonathan, Endy, Alex Ruan e à estrela do Flávio Araújo, que todos esperam começará a brilhar na reta final”.

Charles Rezende opina que, em dois tempos distintos, Paissandu e Remo fizeram um jogo equilibrado, mas no primeiro tempo o Remo foi mais lúcido e aproveitou as oportunidades. “Jogou com mais vontade que o time bicolor, além de ter uma noite inspirada de Val Barreto, Jonathan e do bom de bola Alex Ruan, que mostrou excelente potencial desde o jogo frente ao Flamengo. Ou seja: vitória justa do Remo, pelo grande primeiro tempo que exerceu, superando suas latentes e visíveis limitações técnicas”.

Quanto ao Papão, avalia que o time teve uma noite bisonha no sábado. “Se tirarmos como parâmetro este jogo para a Série B, onde o nível técnico será incomparavelmente superior, o Paysandu precisará de bons reforços, pois, pelo que se viu anteontem, o plantel bicolor está seriamente fragilizado para o Campeonato Brasileiro”, observa.

Rezende ainda adverte para o risco da soberba. “O Paissandu é o melhor time, mas nem tanto assim. Entretanto, neste restante de Paraense, creio que continue favorito. Precisa demonstrar isso em campo, porém, e não achar que, pelo fato de tecnicamente ser superior aos demais, o campeonato já esteja ganho”.

Luís Antonio Mariano festeja o fato de Flávio Araújo ter “finalmente se convencido de que Jonathan é meia e não volante, e que não demore a entender que o Jerônimo também não é volante, mas lateral. No mais, parece que está indo bem, por enquanto”.

Maurício Carneiro viu merecimento na vitória remista, mas não observou tanta evolução no Remo. “A verdade é que o tempo todo parecia que o empate estava pra acontecer. Fizeram 2 a 0 no 1º tempo e não deram a impressão de que iriam matar fácil no 2º tempo em contra-ataques. Não se sentiu a possibilidade real de uma goleada como no último jogo. Com todo respeito ao rival e ao clássico, uma vitória simples do Papão é algo bem provável no próximo jogo, e olhem que eu não sou desses que falam com fanatismo”, afirma.

Antonio Oliveira comenta o lance da reversão do cartão vermelho aplicado ao zagueiro Mauro, do Remo: “Mesmo reconhecendo que a questão é muito controversa, digo que sim, o árbitro agiu certo ao cancelar o cartão, da forma como cancelou, atendendo ao que foi previamente assinalado pelo seu auxiliar. Afinal, foi um lance faltoso ocorrido na disputa da bola, onde tanto o atacante quanto o zagueiro, que estavam de costas para o bandeira, não viram que este já havia assinalado o impedimento”.

Oliveira complementa, admitindo que a entrada foi violenta (muito favorecida pelo estado pesado do gramado), “mas me parece que se o zagueiro tivesse agredido o atacante fora do lance de disputa da bola, aí sim, o árbitro poderia manter o cartão aplicado, eis que a falta estaria desvinculada do lance como um todo, inclusive da marcação feita pelo bandeira, e seria uma violência gratuita”.

E conclui: “Na verdade, foi apenas a retificação de um equívoco, com o árbitro atendendo uma marcação feita, inequivocamente, pelo auxiliar e em momento anterior ao da aplicação do cartão vermelho, retificação esta que, nestas condições, é atitude que tem amparo nas normas internacionais de arbitragem de futebol”.

Bayern, Barça e a ética no esporte

Sobre o aguardado embate do ano entre Bayern e Barcelona, hoje, no portentoso Allianz Arena, chama minha atenção a preocupação dos alemães em não recorrer a Pep Guardiola em busca de informações sobre o adversário. Homem que montou a atual máquina catalã, Guardiola tem contrato assinado com o Bayern para a próxima temporada.

Matthias Sammer, diretor esportivo do Bayern e famoso pelo futebol eficiente dos tempos de Borussia e seleção alemã, fez questão de declarar publicamente que o clube jamais pediria informes a Guardiola, por respeito ao profissional e ética na relação com o clube espanhol.

Como é bom saber que ainda há gente séria lidando com futebol.

23 de abril de 2013 at 1:20 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 23.04.13

POSITIVO – Em que pese o quedante público nos dois últimos RE x PA, o Clássico da Amazônia reuniu em cinco jogos deste ano 140.442 pagantes, com a extraordinária média de 28.088. Nosso torcedor tem de ser respeitado. E sábado vai ser casa cheia, não tenho dúvida!

NEGATIVO – Prejuízo financeiro no RE x PA, sábado passado, foi em razão do desconto de 94.800 reais de ingressos e logística desse jogo e daquele que não houve empastelado pelo Santa Cruz. Falta coragem de cobrar metade do Tigre. Quem tem aquilo roxo?

Lá e Cá

Técnico Flávio Araújo ouviu diretoria do Remo, afastou uns a barrou outros do elenco, se acautelou no 6-3-1 e deu certo. Cairá o raio de novo no mesmo lugar sábado próximo? Jogadores azulinos blindados e concentração na quinta.

Embora Lecheva tenha feito tudo para combater, o sapato alto no Paysandu era visível. Jogadores chegaram a dançar abraçados subindo para o campo de jogo. Esdras e Vânderson, baixas na reapresentação.

Paysandu perdeu uma invencibilidade de 15 jogos, mas assinalou gols nas últimas 24 partidas que disputou. Bom sinal para o próximo jogo!

Cada um vai com três desfalques para sábado e a pergunta é quem perde mais? Acho que o Remo, pela referência ofensiva, empatia coma torcida e o artilheiro que é Val Barreto.

Marin vai para reeleição na CBF e ordenou que todos os presidentes das federações façam o mesmo, inclusive com apoio financeiro da entidade, para não entregar a rapadura em ano de Copa. Aqui, além de Nunes, LOP e Artur Tourinho, uma chapa jovem será anunciada.

Prefeitos Solange Lobato (Chaves) e Filhão (Cachoeira do Arari) suspenderam todas as atividades no fim de semana, inclusive esportivas, para todo apoio às vitimas e familiares do naufrágio do Rio Arari.

Próprio zagueiro Fábio Sanches confirmou saída do Atlético Sorocaba-SP e retorno ao Paysandu para Copa do Brasil e Série B. Meia Jr Xuxa (se desligando do ABC-RN) também acertando com o Papão.

Na residência da família Dantas, no Ariramba-Mosqueiro, tremula garbosamente uma bandeira da Tuna Luso Brasileira.
Paysandu liderando regata com 59 pontos no geral, seguido do Remo 54 e Tuna 27. Próxima competição, a 3ª etapa do ano, dia 30.6. Papão contratando a remadora capixaba Nayara Furtado e técnico Alex Sandes efetivado.

Técnico Edson Gaucho (ex – Paysandu e Remo) já deixou o ASA-AL, preferindo cuidar de sua rede de farmácias em Criciúma.
Alessandro Mourão (alemourao_bel@hotmail.com) cita outros motivos para afastamento do torcedor do Mangeuirão: falta de civilidade policial e ações do PROCON e Vigilância Sanitária. Vende-se caro muita porcaria!

Sérgio Papelim (ex- Remo) na superintendência do Luverdense-MT, trabalhando com técnico Roberval Davino (ex – Remo e Paysandu) e os jogadores paraenses Leandrinho e Marcelo Maciel.

SEEL convidando para almoço de lançamento do GP Brasil de Atletismo, dia 12.5, no Mangueirão. Evento acontecerá amanhã, 12:30 h, no salão Karajás do Hilton Hotel.

Considerando os valores atuais, os 4.106 jogos do Remo, 2.216 vitórias, 961 empates e 902 derrotas em 100 anos de futebol, representam aproveitamento de 61,7%.

Resultados: Cruzeiro Curió 8×2 Silva Castro, Figueira 2×1 UFC, Independente 0x1 Sport Jr, Cana Pura 3×2 Malas, Portuguesa 6×0 KSK, Bola Presa 6×2 Cervejada, Racing 1×2 Vira Copo, Mapuera 2×2 Prainha, Amigão 4×1 Cruz Azul e PEC 4×1 Los Primos.

HOMENAGEM – André Cardoso Ferreira, o André, ex – campeão paraense de pedestrianismo pelo São Domingos (1981-82), Imperial (1985) e Norte Brasileiro (1986). É micro – empresário do ramo de móveis.

23 de abril de 2013 at 1:08 pm Deixe um comentário

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 22.04.13

– FALTA DE RESPEITO – Tenho acompanhado a reação de alguns torcedores tanto na rádio, TV e redes sociais e tenho visto que alguns perderam a noção do respeito com o seu próprio time, como pode alguém abrir a boca para dizer que houve MARMELADA, no jogo de domingo, quem foi ao mangueirão viu que no primeiro tempo o Paysandu estava totalmente perdido em campo contra um Remo que disputou cada dividida como se fosse um prato de comida, já no segundo tempo os Bicolores voltaram com tudo e se não fosse os milagres do goleiro Fabiano, contra Iarley e Rafael Oliveira, a história da partida poderia ter sido bem diferente, PARA REMISTAS E BICOLORES, ATÉ NA HORA DA DERROTA TEM QUE SE TER ALTIVEZ E DIGNIDADE PARA SE CAIR DE PÉ,……..

– É MOTIVO DE RISO – Amigos vocês já reparam que tem gente na imprensa que trata o torcedor como se ele fosse RETARDADO, simplesmente passaram o final de semana todinho querendo empurrar goela abaixo do torcedor que o grande responsável pela vitoria azulina foi o senhor Zeca Pirão, devagar com andor que o santo é de barro, é muito achar que o torcedor é idiota, vamos se mancar e respeitar o torcedor do Paraense,………………………….

– COMPLICOU – A vida da Tuna complicou no Parazão, a Elite do Norte teve tudo para sair com uma vitória diante do Paragominas jogando dentro do Souza, até pênalti a Lusa desperdiçou fora as enumeras chances perdidas de cara com o goleiro do P.F.C, agora a coisa ficou mais difícil pois o jogo de volta é na casa do Paragominas e a Tuna tem que vencer para classificar e tentar fugir do rebaixamento, FORÇA ÁGUIA GUERREIRA DO BRASIL,………..

– VOU AVISAR DE NOVO – Quem lê a CHUMBO GROSSO sabe que venho avisando que o Paysandu tem que se reforçar para a série B, esta ai na cara de todo mundo que este time do Paysandu tem compartimentos que precisam urgentemente de reforços, já se fala em Fábio Sanches que disputou a série C do ano passado pelo próprio Paysandú e outros nomes também estão sendo especulados pelo vovô da cidade, mais o certo é que quem avisa amigo é, O BICOLOR PRECISA DE REFORÇOS,……………….

– DA NOJO – Toda vez que escuto a MÚMIA da FEDERAÇÃO falando da NOJO, será que o MUN-HÁ pensa que o povo do Pará é burro, do jeito que ele fala até parece que aquele saco de gato que é a F.P.F funciona as mil maravilhas, outro detalhe que me chama atenção foram os defensores do microfone que surgiram em defesa da MÚMIA, TORCEDOR VOCÊ É INTELIGENTE NÃO SE DEIXE LEVAR POR PAUS MANDADOS, PESSOAS QUE VENDEM A ALMA PARA DIABO POR CAUSA DE PONTA, FIQUE DE OLHO NA “IMPRENSA MARRON”,…………………………

– PARABÉNS – Os IDIOTAS que infelizmente comandam o nosso futebol estão conseguindo afastar o torcedor do estádio, sábado foi uma prova cabal que estes BUCEFALOS não estão nem ai para o torcedor, em um jogo decisivo como foi o de sábado tivemos menos de 15 mil pagantes no estádio olímpico, e após a partida um dos ASNOS ainda da entrevista e afirma só por pirraça e capricho que o jogo do próximo final de semana será no mesmo dia e no mesmo horário só por vaidade, É MEUS AMIGOS FO…….-SE O TORCEDOR,……………………..

– A COLUNA DE HOJE É DEDICADA AOS 85 ANOS DA PODEROSA RADIO CLUBE DO PARÁ,……………

– ESCREVO ESTA COLUNA PARA QUEM GOSTA DA VERDADE, AQUI O COURO COME DOA A QUEM DOER, ATÉ AMANHÃ, FUI IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

22 de abril de 2013 at 4:45 pm 1 comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 22.04.13

O renascimento do Leão

Não se sabe até onde vai a nova postura, mas o Remo de sábado foi muito diferente do time que vinha capengando no campeonato e que se deixou vencer pelo Flamengo de forma tão débil. Com um esquema não utilizado até então e aparentemente medroso, com seis homens no meio e um atacante, diminuiu a distância entre os setores e valorizou a posse de bola no primeiro tempo, fazendo por merecer a vantagem de dois gols.

Como é rotineiro nas atuações do Remo, notou-se acentuada queda de produção no segundo tempo, com excessiva timidez na marcação e pouca agilidade na saída de bola, o que quase permitiu que a vitória escapasse.

É importante, porém, registrar a reação e a disciplina tática do time. Depois do desgaste causado pela derrota na quarta-feira e as hostilidades sofridas na volta a Belém, os jogadores seguiram as determinações de Flávio Araújo e desfizeram o anunciado favoritismo do Paissandu. Prova de determinação e comprometimento.

A marcação rígida no meio, comum aos esquemas de Araújo, foi substituída desta vez por movimentação e prioridade para a transição. Essas virtudes deixaram o time mais ágil na frente porque Jonathan, Capela e Alex Ruan faziam com que a bola chegasse sempre a Val Barreto. Apesar de sozinho na frente, o atacante se mexia e dava muito trabalho à zaga do Paissandu com arrancadas e tentativas de chutes de média distância.

Não se pode desconsiderar, porém, o peso que o gol logo aos 10 minutos teve para a atuação do Remo. Inseguro nos primeiros minutos, o time ganhou confiança depois do gol e ficou ainda mais atento em campo. Cedeu algum espaço, mas os bicolores não souberam aproveitar, principalmente Pikachu e Iarley. Veio, então, o segundo gol, em lance de contragolpe que teve Jonathan como homem-surpresa.

Lecheva percebeu a lentidão excessiva de seu time e trocou Vânderson por João Neto, incendiando o jogo, pois passou a ter três atacantes em cima da defensiva remista. As alternativas criadas a partir daí confundiram a marcação e proporcionaram ao Paissandu seus melhores momentos na partida. O gol (de Pablo) saiu depois de seguidas tentativas aéreas e o empate poderia ter acontecido, não fosse a imperícia de Rafael na melhor chance criada nos instantes finais.

Do lado azulino, com a troca de Capela por Ramon houve uma evolução na qualidade do passe e na organização do jogo, embora a mobilidade tenha diminuído. Bem mais participativo do que em outras oportunidades, Ramon ainda conduz muito e não ajuda na marcação. Teve nos pés a bola do jogo e errou o arremate. Depois, Branco também desperdiçou outro contra-ataque fulminante.

O jogo deixou a certeza de que a próxima batalha pode ser a mais encarniçada que os rivais já travaram nesta temporada. Certeza de um duelo ainda mais empolgante no próximo sábado.

Surge um candidato a titular

Alex Ruan, jovem valor esquecido na reserva e às vezes lembrado apenas nos coletivos, confirmou qualidades para ser titular da lateral-esquerda remista. Depois de atuar bem contra o Flamengo, no Rio, apareceu com destaque no Re-Pa de sábado. Foi aplicado na marcação e muito útil na troca de passes no meio-de-campo. Em comparação com o atual dono da posição, Berg, tem a vantagem de ser muito mais ousado ofensivamente.

Um século de futebol remista

Foram 4.065 jogos, 2.194 triunfos, 955 empates, 890 derrotas, 8.189 gols marcados e 4.405 gols sofridos. O Remo completou ontem 100 anos de futebol. Não é uma marca qualquer. Poucos clubes podem ostentá-la. Prova incontestável da grandeza histórica de uma das maiores agremiações brasileiras. Pena que a data tenha sido pouco festejada pela própria diretoria. De qualquer modo, parabéns a todos os azulinos.

PFC encaminha classificação

A Tuna tem motivos de sobra para lastimar o empate de ontem, no Souza. Precisava da vitória para fugir ao rebaixamento e para inverter a vantagem do PFC nas semifinais. A Lusa não jogou bem, falhou em momentos importantes, mas teve um pênalti a seu favor em instante crucial do jogo. Desperdiçou e viu o PFC sair de Belém comemorando e ainda mais favorito à vaga na decisão do returno. Mais que isso: viu se aproximar, em cores vivas, o fantasma do rebaixamento. Será uma jornada dificílima para a Águia Guerreira em terras de Paragominas no próximo domingo.

22 de abril de 2013 at 4:41 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 22.04.13

E DISSERAM QUE O LEÃO ESTAVA MORTO…

Muitos bicolores tinham a certeza de que o Paysandu venceria facilmente o maior rival no sábado, depois do Remo ter perdido o jogo de volta para o Flamengo na Copa do Brasil, combinado com o cansaço de jogar e viajar sem treinar. Esqueceram esses torcedores que do outro lado existiam 11 homens e um destino, que era a classificação do Remo às finais do 2º turno e consequentemente a conquista da vaga à 4ª divisão. Pois é, o time remista se vestiu de homem e derrotou o Paysandu, invertendo a vantagem, passando agora a jogar pelo empate no outro sábado. Foi o Remo quem cresceu ou o Paysandu que diminuiu? Todos sabem que em clássico não há favorito, mesmo com o time bicolor posando ao lado desse favoritismo em função da má fase do Remo. O que se viu foi muita garra do Leão no 1º tempo, quando construiu a vitória e um time bicolor atabalhoado, abatido pelos dois gols do adversário. E sábado agora, alguém arrisca um prognóstico?

ALTA TEMPERATURA

O mistério do técnico Flávio Araújo deixou muita gente de orelha em pé, quando ele escalou sua equipe no sistema 3-6-1, mudando sua filosofia anterior. E deu certo. A garra e o bom desenvolvimento de jogo de alguns atletas azulinos foram fatais para o Paysandu, perdido em campo, só recuperando o fôlego no 2º tempo, quando conseguiu marcar seu gol, diminuindo a vantagem do rival. Na 2ª etapa, o Remo caiu muito e mesmo assim Ramon desperdiçou uma grande chance.

BAIXA TEMPERATURA

Ontem a Tuna perdeu a chance também de inverter a vantagem contra o Paragominas, mas o placar de 0 x 0 foi ideal para o que os dois times fizeram, terminando ambos esgotados pelo calor da manhã. Agora a Lusa terá que vencer o Paragominas lá dentro para se classificar e escapar do rebaixamento, parada difícil, mas não impossível.

NO TERMÔMETRO

As encenações políticas do Santa Cruz contra a FPF, mais especificamente contra o Cel. Nunes, além da chuva forte que caiu desde às 14 horas do sábado, foram fatores fundamentais para o pouco público no Mangueirão. Não tivemos 15 mil pessoas numa semifinal. /// Em função disso, Remo e Paysandu, que dividem a renda dos clássicos, amargaram um belo prejuízo que 10 mil reais cada, pagando para jogar. Os 10% da Federação não foram tocados. /// Leão e Papão com desfalques para o próximo sábado, perdendo o Remo dois bons zagueiros, Mauro e Carlinhos, mais o artilheiro Val Barreto, enquanto o maior rival ficará sem Raul, Ricardo Capanema e Helinton. Quem perde mais? Acho que os dois perdem por igual. /// Cel. Nunes nunca tinha aberto seu vocabulário contra os dois candidatos que querem também comandar a FPF, Artur Tourinho e Luís Omar Pinheiro. Foi sábado, no microfone do timão campeão do Rádio. Aproveitou e disparou sua metralhadora contra o senador Mário Couto, seu ex-amigo e hoje inimigo fidagal. Aliás, o Diário do Pará de ontem fez sérias denúncias contra o senador, envolvendo sua participação no caçula Santa Cruz de Salinópolis. É desse jeito que anda nosso futebol. /// Ainda não consegui digerir direito a partida precoce do amigo José Olívio Câmara, bicolor de quatro costados e um dos grandes responsáveis pelas novas arquibancadas do Papão na Curuzú. Olívio vai fazer muita falta para os amigos, bem como para sua família, que está sentindo muito mais. /// Quem viu o jogo Tuna x Paragominas disse que o jogo deu dor de dente em serrote; muitos jogadores estavam acabados no final da contenda, alguns acusando câimbras, fruto do preparo físico errado. /// A tarde de ontem ficou maravilhosa para a prática do futebol, mas os brilhantes dirigentes do futebol paraense bateram o pé e não trocaram a rodada. Se fosse realizado ontem à tarde, o clássico teria levado pelo menos 25 mil pagantes ao Estádio Olímpico Edgar Proença. E adiantou o jogo da Tuna e Paragominas ser no domingo pela manhã? Enquanto esses coveiros existirem, Remo e Paysandu vão sofrer muito, eles que são os grandes protagonistas do Parazão. Todos os outros são meros figurantes e querem aparecer demais. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus.

E-mails: rporto@supridados.com.br

22 de abril de 2013 at 4:39 pm Deixe um comentário

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 16.04.13

– OS TRAPALHÕES – Quem lembra do quarteto trapalhão que embalava as noites de domingo nos anos 70 e 80, ontem na sede da F.P.F pode curtir uma espécie de REMAKE deste programa, armaram um PICADEIRO por lá e ainda tiveram a cara de pau de dizer que estavam cumprindo o regulamento, ora vejam só eles F.P.F foram os primeiros a rasgar o regulamento quando desmembraram a ultima rodada do segundo turno, o certo é que mais uma vez o futebol do PARÁ sai prejudicado o torcedor paraense é desrespeitado, acompanhem como ficou a programação organizada pelos INTELIGENTES, Remo e Paysandu se enfrentam no sábado, às 18h30, no Mangueirão, enquanto Tuna e Paragominas se enfrentam no Souza, domingo, às 09h30, POBRE FUTEBOL DO PARÁ, FINAL DE COPA É DOMINGO Á TARDE, FINAL DO CARIOCA, PAULISTA, MINEIRO, GAUCHO, BAIANO TAMBÉM É DOMINGO Á TARDE E AQUI AS ANTAS MAIS UMA ENSINAM O BRASIL Á FAZER FUTEBOL,……………………………

– QUERIA MAIS NÃO LEVOU – O jogador Thiago Potiguar teve sua sentença contra o Paysandu julgada e tem a receber uma quantia de R$ 50 mil, com relação a salários atrasados, esta decisão não é final e o clube ainda vai recorrer,“O Thiago Potiguar entrou com uma ação pleiteando R$ 461 mil e nós não fizemos acordo. Agora saiu a sentença nos condenando a pagar R$ 50 mil, o Paysandu também fez acordo com a sua ex-cozinheira, Maria de Lourdes, a quem pagou uma quantia de R$ 25 mil, na última sexta-feira, os bicolores pagaram mais uma parcela de R$ 60 mil do acordo com o ex-jogador Arinelson, A CADA DIA UM PROBLEMA,……………….

– TRADIÇÃO PODE PESAR – A Tuna começa a colocar tudo em ordem para a primeira partida da semifinal contra o Paragominas Futebol Clube, neste domingo (21), às 9h30, no estádio do Souza. Os treinos seguem na sua normalidade, apenas esperando a volta do técnico Cacaio, que aproveitou o intervalo no campeonato para viajar ao Rio de Janeiro e visitar a família, na parte tática, os jogadores seguem sob o comando de Marabá, que comanda a equipe enquanto Cacaio se restabelece após a longa viagem do Rio de Janeiro. O técnico deve voltar à ativa ainda nesta terça-feira, onde já começa os treinos que definirão a equipe titular visando mais uma partida decisiva, A CAMISA PODE PESAR NA HORA DO VAMOS VER,…………………………………..

– O EMERGENTE ATREVIDO – Com menos de um ano como clube profissional o JACARÉ do nordeste Paraense vem colando banca junto a F.P.F dizendo eu quero isso, eu quero aquilo, alheio a tudo isso, Charles Guerreiro, técnico do PFC, fez os treinos pela parte da manhã virarem rotina no PFC, para poder ajudar na adaptação do clima. “Nós já estávamos treinando de manhã antes da paralisação, justamente para se adaptar à esse clima mais abafado da manhã. Demos uma pausa por conta da suspensão no campeonato, pois ficava muito puxado para os atletas. De certa forma isso foi melhor por nos dar mais tempo para estes treinos. A equipe vinha jogando sempre pela tarde e noite e agora é uma experiência nova. O clima de Belém não é muito diferente de Paragominas, então isso ajuda um pouco”, PALAVRA DO PRINCIPE,………………………………..

– O QUE SE PASSA NA CABEÇA DO PROFESSOR PARDAL – Flávio Araújo fez vários treinos táticos com o esquema no 4-4-2, com a presença de Clebson e Thiago Galhardo na armação, depois, o INDECISO PARDAL realizou a variação para o esquema 3-5-2, tirando a dupla e colocando Diogo Capela e Henrique no setor defensivo. A novidade foi a presença de Endy na lateral direita, no lugar de Válber, que não vêm agradando a torcida nas últimas partidas. O técnico também utilizou Paulista no ataque no lugar de Val Barreto, Berg sentiu uma lesão e esta fora do jogo contra o Flamengo, Alex Ruan será o titular, de resto mesmo Flávio só definirá a equipe minutos antes da partida de amanhã em Volta Redonda, que os Deuses do futebol iluminem a cabeça, DO PROFESSOR PARDAL,……………

– É UMA PENA – Uma cidade do tamanho de Marabá infelizmente tenha que suportar uma situação VERGONHOSA como está vivida pelo representante Marabaense, rebaixado no Parazão, eleiminado na primeira fase da Copa do Brasil perdendo dentro e fora de casa, com números insignificantes nestes primeiros meses, o torcedor Marabaense ainda teve que escutar sobe um possível saída do treinador João Galvão a seguinte frase do presidente aguiano “isso não vai acontecer, a situação precisa ser analisada friamente. “Volto a dizer que a nossa equipe não tem estrutura, não temos lugar para treinar aqui em Marabá”, QUE VERGONHA PARA UMA DAS CIDADES MAIS RICAS DO BRASIL,………………………………….

– ESCREVO ESTA COLUNA PARA QUEM GOSTA DA VERDADE, AQUI O COURO COME DOA A QUEM DOER, ATÉ AMANHÃ, FUI IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

16 de abril de 2013 at 3:11 pm 2 comentários

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.