Archive for junho, 2013

CHUMBO-GROSSO – Paulo Fernando – 14.06.13

MUNDO BICOLOR – O torcedor bicolor ainda não engoliu esta folga de uma semana concedida pela diretoria a sua comissão técnica e jogadores, outra situação que também incomoda o mundo alvi-azul, é falta de qualidade apresentada por seus goleiros e zagueiros, fica nítido nas partidas a fragilidade destes dois setores do time, isso sem falar no ataque que perde algumas chances incríveis de gol, todos estes fatores fazem com que o torcedor bicolor se pergunte, por que a diretoria não entra em ação para solucionar estas mazelas que estão visíveis na equipe, agora é esperar que o Givanildo consiga transformar todas estas dificuldades apresentadas em atitudes e virtudes, o Papão poderá fazer uma intertemporada no estado vizinho do Amapá, os dirigentes do Paysandu e do Santos de Macapá já conversaram e ficou quase tudo acertado, antes viagem o técnico bicolor enxugará o plantel que hoje conta com mais de 40 jogadores, para o treinador o ideal é trabalhar com apenas 27 jogadores no elenco, COM A PALAVRA A FIEL,………………………….

– MUNDO AZULINO – Ate no sub – 20 a FPF faz questão de mostrar ao Remo que se depender dela o clube azulino só tem direito a ficar calado e olhe lá, ontem foi formada a maior confusão na sede da FPF tudo por que a federação queria por que queria marcar a decisão para mangueirão, as partidas estavam marcadas para os dias 15 e 22, no Mangueirão. No entanto, em virtude da realização dos VI Jogos Paralímpicos Paraenses, o jogo de ida teve que mudar de local e, desta forma, a primeira partida deverá acontecer no Souza ou no CT da Desportiva, neste sábado (15), às 9h30. Já o jogo da volta, será no Baenão, no dia 22, também às 9h30, ATÉ QUANDO O REMO VAI ACEITAR ESTÁ FALTA DE RESPEITO DA FEDERAÇÃO, falando do jogo o Remo conta com alguns problemas para a decisão. Seis jogadores estão com problemas físicos. O caso mais preocupantes é o do meia Rodrigo, que está com problema no adutor da coxa esquerda; Edicleber, com um baque na coxa e o volante Nadson, com um problema no pé direito, são outros que preocupam, mas devem jogar, COM A PALAVRA O TORCEDOR AZULINO,……………………………

– AGUIA DE MARABÁ – A equipe do sul do Pará apresentou mais um reforço paras as disputas da série C, O meia armador Diego Luyse de Lara (nome do atleta) atuou em 2012 pelo Avaí-SC e CRB-AL, equipes onde jogou o Campeonato Brasileiro da Série B, o atleta deve chegar a Marabá (PA) nos próximos dias e deve assinar contrato até o fim do Campeonato Brasileiro da Série C. Segundo informações de membros da comissão técnica do Azulão, o clube segue atrás de reforços.
FICHA TÉCNICA:
Nome: Diego Luyse de Lara
Idade: 27 anos
Naturalidade: Pariquera (SP)
Posição: meio-campista
Clubes: Democrata-GV, Moto Club, Horizonte, Penapolense, América-TO, Operário Ferroviário, Icasa, Avaí, CRB e São José,…..

– A PODEROSA PRC-5 – A emissora é a única do Pará que tem os direitos de transmissão da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, ambas realizadas no Brasil. O ouvinte terá recursos para acompanhar as transmissões do timão campeão do Rádio. “Temos o rádio, a internet, os canais de áudio das TVs por assinatura e agora os aplicativos no celular para Iphone e Androide. Tudo para que o ouvinte não perca um lance e possa acompanhar a programação”, a cobertura da Rádio Clube do Pará, já começa nesta sexta-feira (14), com detalhes de Brasília (DF), onde no sábado (15), Brasil e Japão fazem a abertura da competição, SEM CLUBE NÃO HÁ FUTEBOL,…………………………..

– ESCREVO ESTA COLUNA PARA QUEM GOSTA DA VERDADE, AQUI O COURO COME DOA A QUEM DOER, ATÉ AMANHÃ, FUI IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

14 de junho de 2013 at 5:39 pm 1 comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 14.06.13

POSITIVO – Paysandu prestes a inaugurar sua moderna academia na Curuzu e projeto do CT vai a toda velocidade. Caminha a passos largos para modernidade!

NEGATIVO – Sistema de colocação de grama em placas ou rolos permite uso de estádio quase que imediatamente. Mas, no Zinho Oliveira, Águia só desfrutará no final de julho, embora já fique pronto amanhã. É duro!

Lá e Cá

Sobre esse caso do Zinho Oliveira, Águia só deverá voltar a jogar lá contra o Brasiliense (28.7). Antes, pegará Sampaio, Rio Branco e Santa Cruz fora de Marabá.

Técnico Givanildo Oliveira orientou que a próxima semana seja de avaliação no Paysandu. Depois, excursão ao Amapá levando 28 atletas. Vandick Lima gostou do que viu em Macapá, inclusive CT do Santos.

Fran Costa, o Rei do Acesso Paraense (5 vezes) e muitos títulos aqui, no Amapá e Amazonas aguardando propostas, sobretudo de times que vão enfrentar a Segundinha do Parazão.

Outro que está chegando com cursos de técnico na Europa e procurando lugar ao sol aqui é o bragantino Paulo Guilherme, ex- zagueiro do Paysandu, Tuna, Botafogo-RJ e Desportiva Maia de Portugal.

Está aí uma zaga jovem, alta e forte que poderá ser o futuro do Remo: Gabriel e Ian. Charles Guerreiro de olho neles e mais três do Sub 20 para efetivar no time de cima.

Grupo de associados remistas se movimentando para tornar Grandes Beneméritos os abnegados Carlos Alberto Silva (Azulino), 40 anos na náutica (muitos títulos) e Max Fernandes, 33 anos carregando o futsal.

Vitor Renato Miranda Pinto Jr, novo secretário da SEEL, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. Estará também no Bola na Torre (RBA DD TV e Rádio Clube do Pará).

Novo gramado do estádio do Pinheirense (Icoaraci) será colocado a partir de julho; em razão dos 6º Jogos Paraolímpicos Paraenses, decisão do Sub 20, Remo x Desportiva, amanhã, Tuna ou Marituba e, dia 22.7, no Baenão.

Arena Verde de Paragominas toda repintada, inclusive com iniciais PFC nas arquibancadas. Prefeitura doa terreno para CT do Jacaré; Paysandu pediu à CBF jogos de julho na Curuzu (Guaratinguetá, S. Caetano e Figueirense).

Sábado: América PV x Sport Jr; no Bancrévea, domingo, semifinais dos másteres, Astro x Noroeste e Bola de Areia x Juventus; Acadêmica campeã da Copa da Juventude do Grêmio Português.

HOMENAGEM – Ângelo Augusto Oliveira Pinheiro, o Ângelo, ex- pivô do futsal do COPM (juvenil), adulto do Yamada (campeão), Santa Cruz (duas vezes vice) e Paysandu (vice) nos anos 80. É comerciante na Cidade Velha.

14 de junho de 2013 at 5:37 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 14.06.13

Outro golpe na base remista

O amigo botafoguense Frank Souza expôs ontem no Facebook seu ponto de vista sobre o momento vivido pelos nossos clubes e botou o dedo nas feridas expostas das mazelas que perpetuam o atraso do Pará esportivo. Pela pertinência das observações, reproduzo aqui os principais trechos, preservando o tom de desabafo e lamento que ele expressa.

“Em primeiro lugar não acredito em ingenuidade no futebol profissional e creio que muito do que acontece de errado neles tem uma intenção certa, ou seja, alguém está querendo tirar proveito financeiro da situação. Posso até nem identificar quem seja, mas que tem isso, não tenho dúvidas”, afirma Frank.

E exemplifica com o relato da mais nova demonstração de incompetência de um dos nossos “grandes” clubes. “Um garoto, que desde 14 anos fazia parte das categorias de base do Remo, foi negociado esta semana com o Sport do Recife e já está na capital mauriciana. Detalhe: ele tem 17 anos, há mais de três anos que treinava no clube e não tinha nenhum vínculo, nenhum documento, absolutamente nada que o ligasse ao Clube do Remo! Será que nenhum treinador, dirigente, conselheiro, seja lá o que do Remo não viu as qualidades técnicas do garoto?! Bem, agora que a casa está arrombada, alguns dirigentes vão representar junto à diretoria do Sport, dizendo, ridiculamente, que o garoto treinava no Remo. E daí? Dirá o dirigente pernambucano, afinal não tem nada com isso”.

Frank avalia, com boa dose de razão, que existe uma ação orquestrada para que esses descalabros se repitam, sem qualquer providência no sentido de evitá-los. “Como todo um departamento de futebol amador não se apercebe de algo tão evidente?! Como disse, não acredito em ingenuidade no futebol e sei que alguém (ou alguns) levou ou levaram uma grana preta às custas desse pseudo amadorismo”.

Há muito que esses descuidos administrativos, tão comuns aos s gestores de Remo e Paissandu, geram desconfianças. A saída na surdina de tantos bons valores só pode interessar e dar lucro – como questiona Frank – a alguns. É inadmissível que pessoas conscientes dos cuidados que devem envolver jovens atletas errem de forma tão bisonha – e repetida.

Associo-me ao desconsolo de Frank na constatação de que o cenário tende a se manter do mesmíssimo jeito. Várias outras revelações remistas tiveram o mesmo destino, saindo do clube sem deixar qualquer tipo de benefício, nem mesmo o da utilização no time profissional. Desde Júlio César, o zagueiro que sumiu do Evandro Almeida para emergir no Real Madri B nos anos 90, passando por Tiago Cametá, Betinho, Reis, Cicinho e tantos outros.

Não há muito espaço para ilusões. Os dirigentes permanecerão relapsos e nós insistiremos aqui nas críticas que caem no vazio. “Daqui a pouco, o torcedor esquece e volta a superlotar os estádios do Pará proporcionando a nona melhor arrecadação do Brasil. E olha que eu nem falei da quantidade de jogadores velhos e com salários exorbitantes que todo ano se contrata. Alguém ganha com isso e uma coisa eu sei: não é o torcedor, que sofre envergonhado em ver seu clube de coração a cada dia afundando num mar de lama, dívidas etc.”, acrescenta Frank.

Conclui, a partir do “cochilo” do Remo, que a tal divisão de base dos clubes serve apenas para que terceiros se locupletem quase às claras. “A base serve, sim, de investimento para grandes negócios de inescrupulosos e espertalhões que transitam pelos clubes sem que ninguém faça nada. Respeito e destaco as atuações daqueles que se dedicam em trabalhar no dia a dia, por amor ao clube, muitas vezes sem salário, sem condições. Esses também são enganados”.

Papão folga como se não houvesse amanhã

Soou esquisita e despropositada a folga de cinco dias (de quarta a domingo) concedida aos jogadores do Paissandu depois da derrota frente à Chapecoense, que empurrou o time de novo para a zona de rebaixamento da Série B. Algumas teses foram levantadas para justificar a esdrúxula medida. Houve até quem avaliasse que o ritmo extenuante da competição, com jogos às terças e sextas, tenha sido a causa principal da concessão do bônus. Como se o campeonato não estivesse nas primeiras rodadas, longe ainda do desgaste natural que um torneio de pontos corridos provoca.

Mas, no geral, a folga exagerada repercutiu de maneira extremamente negativa, visto que a torcida não consegue entender como o time desperdiça um tempo tão precioso para buscar corrigir os erros primários exibidos nos últimos jogos.

Fica patente uma certa falta de compromisso com um campeonato tão puxado como a Série B. Mais equilibrada de todas as competições promovidas pela CBF, a Segunda Divisão não perdoa os que dormem, ou folgam demais. A interrupção para a Copa das Confederações deveria ser aproveitada na totalidade pelos times que deixaram a desejar nas primeiras seis rodadas, principalmente aqueles que ocupam as últimas posições.

É de conhecimento até do reino mineral que o Paissandu, apesar dos investimentos e da folha salarial inflada, está entre os times menos efetivos do campeonato. Em nenhum momento reeditou as boas atuações do Campeonato Paraense, nem mesmo tendo lampejos do entrosamento recente.

A situação adquire caráter ainda mais preocupante quando o novo técnico, Givanildo Oliveira, admite não conhecer todos os jogadores e acena com a possibilidade de dispensas para enxugar o elenco. Mais que isso, o time precisa treinar, fazer coletivos e exercícios táticos, para adquirir conjunto.

Por tudo isso, a folga adquiriu caráter de premiação descabida a um grupo que até aqui decepciona o torcedor. Que o recomeço, a partir de segunda-feira, seja convincente na demonstração de comprometimento e seriedade em relação à Série B.

As diferenças de oposição no Remo

O Movimento Remocracia Pra Valer, que luta pela instituição de eleições diretas e pela democratização do Remo, percorre um caminho paralelo ao da Assoremo (Associação dos Sócios) e faz questão de demonstrar publicamente que nada tem a ver com a entidade que promoveu protestos contra a atual direção do Remo. A oposição praticada pelo Remocracia é menos ruidosa, embora sinalize para conquistas mais duradouras.

14 de junho de 2013 at 5:26 pm Deixe um comentário

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 12.06.13

MUNDO BICOLOR,……………………………..

– TEIMOSIA MISTURADA COM BURRICE – Sinceramente tem coisas que só acontecem aqui no futebol do Pará, o jogador passa o fim de semana todo… no DM, e minutos antes do jogo é confirmado como titular, o outro que foi contratado como reforço e para ser a solução de gols da equipe treina o fim de semana todo como titular e na hora do jogo fica no banco, só em Belém mesmo, tem outro que ganha 60 mil e fica no banco, outro foi contratado para zaga jogava contra Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos e já chegou em Belém a mais de duas semanas e não entra na equipe, e torcedor tem que assistir a esta zaga BABINHA entregar o jogo ontem diante da Chapecoense, assim fica muito difícil, agora é torcer que esta parada sirva para que o técnico do Paysandu faça a limpeza que tem que ser feita no plantel e na curuzu, o torcedor já não agüenta mais esta historia a jogamos bem, dominamos o jogo, merecíamos ganhar, futebol é resultado e é isso que o torcedor quer, JÁ PASSOU DA HORA, É MOMENTO DE SE FAZER UMA LIMPEZA NA CURUZU, O PAYSANDU NÃO É INSTITUINÇÃO DE CARIDADE,………………………………………..

MUNDO AZUL,…………………………………..

– COISAS DO FUTEBOL – Enquanto o Remo paga em dia os seus jogadores e nada da certo lá pelas bandas do baenão, no Sampaio Corrêa time dirigido agora pelo ex-técnico azulino Flávio Aráujo os salários estão atrasados á dois meses, e o time Maranhense vai muito bem obrigado na competição, e tem outra tem jogador no Remo que está propenso até a aceitar redução de salários só para ficar no clube, tudo por que o mesmo vem pagando os salários em dia e não pensem que é por falta de convite de outros clubes, é só por que o Remo apesar de não ter calendário para o segundo semestre vem cumprindo sua obrigações com os jogadores, durmam com um barulho destes é muita incompetência desta Diretoria medíocre que infelizmente hoje está a frente do Remo, sinceramente a grande nação azul não merece isso, FORA PASPALHOS METIDOS A DIRIGENTES, DIRETAS JÁ NO LEÃO É O QUE A GALERA QUER,……………………………….

– ESCREVO ESTA COLUNA PARA QUEM GOSTA DA VERDADE, AQUI O COURO COME DOA A QUEM DOER, ATÉ AMANHÃ, FUI IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIVer mais

12 de junho de 2013 at 5:08 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 12.06.13

Derrota com sabor amargo

O bicho não foi tão feio quanto se imaginava, mas assustou bastante nos primeiros minutos. As primeiras investidas mostraram um time arrasador no ataque. Foram três bolas na trave e duas excelentes intervenções do goleiro Zé Carlos antes dos dez minutos. O Paissandu, assustado, mantinha-se atrás, sem forças para sair de seu campo. Do outro lado, um time que trocava passes em velocidade e chegava sempre forte, apoiado pela torcida.
A supremacia quase absoluta do meio-de-campo da Chapecoense começou a arrefecer por volta dos 30 minutos. Givanildo Oliveira conseguiu adiantar a marcação e colocar seus homens de meio-campo no campo inimigo, neutralizando aos poucos o cerco montado pelo adversário.
Quando sofreu o primeiro gol, aos 42 minutos, em cochilo geral de volantes e beques, o Paissandu já havia equilibrado as ações, chegando a rondar a área da Chapecoense em alguns momentos.
Eduardo Ramos se posicionava melhor e aparecia com mais intensidade, auxiliado por Alex Gaibu, embora sem encontrar com quem jogar, pois os homens de frente, Rafael Oliveira e João Neto, eram inteiramente inoperantes.
No intervalo, Givanildo acertou a mão, lançando Iarley e Marcelo Nicácio, que deveriam estar em campo desde o começo. O primeiro, principalmente, virou uma extensão do jogo desenvolvido por Eduardo Ramos. Foi uma iniciativa de Iarley que levou ao belo disparo de Ramos, decretando o empate logo aos 19 minutos.
A questão é que Givanildo, sempre observador e metódico, acabou traído pelo terrível apagão da linha de defesa, que transformou um lance num festival de trapalhadas, propiciando as facilidades para o segundo gol de Bruno Rangel, aos 29.
Apesar dos contratempos, o Paissandu manteve a determinação ofensiva e mostrou que não iria se amofinar com o resultado. E, de fato, não se alquebrou. Continuou em cima, buscando a igualdade, que viria aos 44 minutos, depois de grande jogada articulada por Ramos e finalizada de cabeça por Iarley, que havia participado do começo da manobra junto à linha de meio-campo.
Desgraçadamente, um minuto depois, a zaga voltou a fraquejar e permitiu que Bruno Rangel cabeceasse para decretar a vitória da Chapecoense após cruzamento perfeito vindo do lado esquerdo, onde Alan se mostrou um lateral quase impecável, defendendo e atacando. Zagueiros do Papão ficaram novamente acompanhando com os olhos a subida de Rangel para o cabeceio.
O desastroso descuido final veio se juntar a outros erros, estruturais, que explicam a terceira derrota do Paissandu em seis rodadas de Série B. Como nos jogos contra o Ceará e o Atlético Goianiense, o time começou mal e cresceu ao longo da partida, ganhando consistência depois de sofrer forte pressão nos primeiros minutos.
Desta vez, porém, a atuação do segundo tempo foi bem mais convincente, principalmente porque Iarley entrou muito bem na partida, lembrando aquele jogador insinuante e rápido dos bons tempos. Ao lado dele, Ramos também cresceu em produtividade, fazendo com que toda a equipe evoluísse.
Pelo desempenho nos 45 minutos finais pode-se dizer que a derrota foi um castigo duro demais para o Paissandu. A questão é que falhas acumuladas pelo setor defensivo já justificam mudanças no setor. Fábio Sanches, uma das contratações mais esperadas no clube, segue esquentando banco enquanto a dupla Raul-Bispo se esmera em cometer erros bobos.
O mesmo vale para o ataque, onde Givanildo perdeu meio tempo de jogo deixando João Neto e Rafael em campo. Se Iarley e Nicácio estivessem desde o começo é provável que o Paissandu obrigasse a Chapecoense a ter postura mais respeitosa, facilitando o desenvolvimento de jogadas por parte do campeão paraense e dando vida mais mansa à insegura defesa.
Ficou, porém, a sensação de que Givanildo vai arrumar a casa nas próximas duas semanas, a tempo de fazer com que o time reaja ainda no primeiro turno da competição.

Mudanças obrigatórias e inadiáveis

Para quem saiu de Belém na nona colocação e volta novamente na zona do rebaixamento (17ª posição), o giro do Paissandu foi desastroso. Como consequência, há a certeza de que algumas peças serão definitivamente afastadas quando Givanildo Oliveira recomeçar os treinamentos durante a interrupção do campeonato.
Depois de assumir o time para o jogo contra o Atlético-GO, Givanildo não teve tempo para fazer um treino coletivo e ainda não conhece melhor todos os jogadores disponíveis no elenco. As duas derrotas, portanto, não podem ser atribuídas ao seu trabalho, que mal começou, mas indicam que certas características suas continuam imutáveis.
A pior, sem dúvida, é a velha hesitação em mexer no time. Justiça se faça: não é uma exclusividade de Givanildo. Seu antecessor, Lecheva, padecia do mesmo mal. Ocorre que a cada nova rodada a insistência com jogadores que não rendem compromete a campanha.
No ataque, João Neto e Rafael Oliveira há muito que mereciam ter ido para a suplência. Depois da chegada de Marcelo Nicácio, a mudança se tornou obrigatória, mas Givanildo relutou muito em lançar o centroavante, tanto em Goiânia quanto em Chapecó. Com ele em campo, ao lado de Iarley e Eduardo Ramos, o time cresce e até o passe melhora.
Givanildo deve ter em mente que, se a torcida exigia modificações no time antes de sua chegada, a partir de agora não irá mais tolerar a manutenção do time que estreou no campeonato. Até porque, a cada dia que passa, fica mais difícil explicar porque os reforços (Marcelo, Sanches, Jean, Nicácio e Diego Barbosa) não ganham oportunidade no time titular.

12 de junho de 2013 at 5:04 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 12.06.13

POSITIVO – Novo estatuto do Remo contempla redução do número de conselheiros efetivos para 50. Bom sinal para que reuniões possam ter quórum sempre!

NEGATIVO – Só o Pinheirense está legal para Segunda Divisão. Os demais demoram a se habilitar e depois têm de correr contra o tempo.

Lá e Cá

Não acho que exclusão do garoto Guilherme do Sub 20 do Remo pela perda de pênalti batido displicentemente e rebeldia ao ser reprovado seja melhor caminho. Psicologia recomenda outras atitudes!

O tempo que se tentou Torneio Pará-RJ ou se busca Pará-Amapá, porque não um quadrangular com Paysandu, Remo, Paragominas e Águia como recomenda Carlos Augusto Cunha. Contas a ajustar não faltariam!

Esporte paraense perdeu Alcyr Braga, médico, almirante, GB, ex-presidente do Remo e Edmilson Valério ex- atleta de primeira linha dos bons tempos do futsal da Tuna. Era empresário do ramo de combustíveis.

Folha do Paragominas na Série D já chega a 210 mil. Mês de maio será pago dia 19.6 quando atletas voltarem da folga de 10 dias; Chapecoense (Série B) tem despesas de 390 mil com plantel.

Curiosidade: na época dos 5 anos de invencibilidade do Remo sobre o Paysandu presidente da FPF era Euclides Freitas Filho e vice Djalma Chaves. Coronel Nunes voltou em 1998 e o tabu foi quebrado.

Remo x Desportiva decidirao o paraense Sub 20 em dois jogos

Givanildo Oliveira, que ainda vai recomendar contratações, quer trabalhar com apenas 30 jogadores no Paysandu e já estão lá 42; Gilmar Dal Pozzo, técnico da Chapecoense, imita e se diz fã de Tite (Corinthians).

Remo continua liderando Campeonato de Tercetos de Boliche (Lauro, Arilan e Vinícius), após a segunda rodada, com 5.937 pontos. Terceira rodada começará no próximo domingo.

Futsal Feminino da Hydro Alunorte classificado para etapa regional dos Jogos do SESI, no Acre e Roraima, em setembro.

Resultados: Bola Presa 7×1 Santa Cruz e, no máster do grêmio Português, Beira Mar 2×2 Acadêmica; sábado, Portuguesa x MEC, Bola Presa x Formigueiro, Mapuera x Cruz Azul e Bola Presa x Formigueiro.

HOMENAGEM – Valdelino Ferreira da Paixão, o Garrafão, ex- campeão peso leve de karatê pela antiga Associação Paraense e, ex- campeão NNe das Forças Armadas nos anos 70. É agente de segurança particular.

12 de junho de 2013 at 5:01 pm Deixe um comentário

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 07.06.13

– EM BUSCA DE SOMAR PONTOS – O Paysandu tem hoje pela frente pelo campeonato Brasileiro da série B, um adversário encardido, o Papão vai pegar pela frente a equipe do Atlético/GO, um time que até ano passado estava na primeira divisão do Brasileiro, o objetivo de Givanildo e seus comandados é somar pontos fora de casa, FORÇA PAPÃO,……………………….

– JACARÉ QUER A PRIMEIRA VITÓRIA – O Paragominas tem tudo para somar mais três pontos na série D, a equipe do nordeste Paraense terá pela frente o Genus de Rondônia que vem sabe-se Deus como para enfrentar o vice-campeão Paraense, Cacaio esperar contar com todo grupo inclusive os reforços, DETONA JACARÉ,…………………………………

– A PIADA DA SEMANA – O Presidente da federação de Rondônia tirou a maior onda com a cara da nossa federação de futebol, ora amigos como pode uma federação que não tem nem titulo DE PETECA Á UM PALMO, tirar barato de uma que tem tantos títulos importantes? É simples explicar qual a moral que estas pessoas que infelizmente dirigem a nossa F.P.F tem para falar algo, comem e bebem a custa da CBF e ainda tem a tal mesada, é um absurdo termos o mesmo numero de vagas das outras federações do norte, FORA MUN-HÁ E SUA CAMBADA DE COMPROMETIDOS,………..

– CABEÇA PEDE PARA SAIR – Sem duvida Sérgio Cabeça vai ficar marcado como um dos piores presidentes da historia do Remo, sua administração é um desastre, são inúmeros os vexames acumulados com este senhor a frente do Leão Azul, é muita falta de amor próprio e também falta de amor ao clube que ele diz amar, CABEÇA TU ÉS UMA UNANIMIDADE NA TORCIDA REMISTA QUE TE QUER FORA DO BAENÃO, SE TENS UM PINGO DE DIGNIDADE, PEDE PARA SAIR,…………………………….

– AZULÃO ENFRENTA PEDREIRA – O Águia terá pela frente neste final de semana um dos candidatos a vaga de acesso a série B, a equipe de Marabá que estreou como uma vitoria na competição diante do CRB jogando em Belém, pega o Fortaleza em Sobral, o time de João Galvão quer jogar com inteligência para conseguir o seu objetivo que é pontuar na competição, VOA ALTO ÁGUIA,…….

– FALTA DE VERGONHA E SACANEGEM – O que fizeram com o torcedor Bicolor na ultima partida no MANGUEIRÃO foi uma tremenda de uma SACANGEM, enquanto os dirigentes querem ir para o aeroporto para aparecer recebendo jogadores e treinador, os INTELIGENTES deixaram apenas uma bilheteria funcionando para atender a galera que é quem paga o espetáculo, EI VANDICK VAMOS SE MANCAR,………………………….

– ESCREVO ESTA COLUNA PARA QUEM GOSTA DA VERDADE, AQUI O COURO COME DOA A QUEM DOER, ATÉ AMANHÃ, FUI IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

7 de junho de 2013 at 4:49 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.