Coluna do Gerson Nogueira – 12.06.13

12 de junho de 2013 at 5:04 pm Deixe um comentário

Derrota com sabor amargo

O bicho não foi tão feio quanto se imaginava, mas assustou bastante nos primeiros minutos. As primeiras investidas mostraram um time arrasador no ataque. Foram três bolas na trave e duas excelentes intervenções do goleiro Zé Carlos antes dos dez minutos. O Paissandu, assustado, mantinha-se atrás, sem forças para sair de seu campo. Do outro lado, um time que trocava passes em velocidade e chegava sempre forte, apoiado pela torcida.
A supremacia quase absoluta do meio-de-campo da Chapecoense começou a arrefecer por volta dos 30 minutos. Givanildo Oliveira conseguiu adiantar a marcação e colocar seus homens de meio-campo no campo inimigo, neutralizando aos poucos o cerco montado pelo adversário.
Quando sofreu o primeiro gol, aos 42 minutos, em cochilo geral de volantes e beques, o Paissandu já havia equilibrado as ações, chegando a rondar a área da Chapecoense em alguns momentos.
Eduardo Ramos se posicionava melhor e aparecia com mais intensidade, auxiliado por Alex Gaibu, embora sem encontrar com quem jogar, pois os homens de frente, Rafael Oliveira e João Neto, eram inteiramente inoperantes.
No intervalo, Givanildo acertou a mão, lançando Iarley e Marcelo Nicácio, que deveriam estar em campo desde o começo. O primeiro, principalmente, virou uma extensão do jogo desenvolvido por Eduardo Ramos. Foi uma iniciativa de Iarley que levou ao belo disparo de Ramos, decretando o empate logo aos 19 minutos.
A questão é que Givanildo, sempre observador e metódico, acabou traído pelo terrível apagão da linha de defesa, que transformou um lance num festival de trapalhadas, propiciando as facilidades para o segundo gol de Bruno Rangel, aos 29.
Apesar dos contratempos, o Paissandu manteve a determinação ofensiva e mostrou que não iria se amofinar com o resultado. E, de fato, não se alquebrou. Continuou em cima, buscando a igualdade, que viria aos 44 minutos, depois de grande jogada articulada por Ramos e finalizada de cabeça por Iarley, que havia participado do começo da manobra junto à linha de meio-campo.
Desgraçadamente, um minuto depois, a zaga voltou a fraquejar e permitiu que Bruno Rangel cabeceasse para decretar a vitória da Chapecoense após cruzamento perfeito vindo do lado esquerdo, onde Alan se mostrou um lateral quase impecável, defendendo e atacando. Zagueiros do Papão ficaram novamente acompanhando com os olhos a subida de Rangel para o cabeceio.
O desastroso descuido final veio se juntar a outros erros, estruturais, que explicam a terceira derrota do Paissandu em seis rodadas de Série B. Como nos jogos contra o Ceará e o Atlético Goianiense, o time começou mal e cresceu ao longo da partida, ganhando consistência depois de sofrer forte pressão nos primeiros minutos.
Desta vez, porém, a atuação do segundo tempo foi bem mais convincente, principalmente porque Iarley entrou muito bem na partida, lembrando aquele jogador insinuante e rápido dos bons tempos. Ao lado dele, Ramos também cresceu em produtividade, fazendo com que toda a equipe evoluísse.
Pelo desempenho nos 45 minutos finais pode-se dizer que a derrota foi um castigo duro demais para o Paissandu. A questão é que falhas acumuladas pelo setor defensivo já justificam mudanças no setor. Fábio Sanches, uma das contratações mais esperadas no clube, segue esquentando banco enquanto a dupla Raul-Bispo se esmera em cometer erros bobos.
O mesmo vale para o ataque, onde Givanildo perdeu meio tempo de jogo deixando João Neto e Rafael em campo. Se Iarley e Nicácio estivessem desde o começo é provável que o Paissandu obrigasse a Chapecoense a ter postura mais respeitosa, facilitando o desenvolvimento de jogadas por parte do campeão paraense e dando vida mais mansa à insegura defesa.
Ficou, porém, a sensação de que Givanildo vai arrumar a casa nas próximas duas semanas, a tempo de fazer com que o time reaja ainda no primeiro turno da competição.

Mudanças obrigatórias e inadiáveis

Para quem saiu de Belém na nona colocação e volta novamente na zona do rebaixamento (17ª posição), o giro do Paissandu foi desastroso. Como consequência, há a certeza de que algumas peças serão definitivamente afastadas quando Givanildo Oliveira recomeçar os treinamentos durante a interrupção do campeonato.
Depois de assumir o time para o jogo contra o Atlético-GO, Givanildo não teve tempo para fazer um treino coletivo e ainda não conhece melhor todos os jogadores disponíveis no elenco. As duas derrotas, portanto, não podem ser atribuídas ao seu trabalho, que mal começou, mas indicam que certas características suas continuam imutáveis.
A pior, sem dúvida, é a velha hesitação em mexer no time. Justiça se faça: não é uma exclusividade de Givanildo. Seu antecessor, Lecheva, padecia do mesmo mal. Ocorre que a cada nova rodada a insistência com jogadores que não rendem compromete a campanha.
No ataque, João Neto e Rafael Oliveira há muito que mereciam ter ido para a suplência. Depois da chegada de Marcelo Nicácio, a mudança se tornou obrigatória, mas Givanildo relutou muito em lançar o centroavante, tanto em Goiânia quanto em Chapecó. Com ele em campo, ao lado de Iarley e Eduardo Ramos, o time cresce e até o passe melhora.
Givanildo deve ter em mente que, se a torcida exigia modificações no time antes de sua chegada, a partir de agora não irá mais tolerar a manutenção do time que estreou no campeonato. Até porque, a cada dia que passa, fica mais difícil explicar porque os reforços (Marcelo, Sanches, Jean, Nicácio e Diego Barbosa) não ganham oportunidade no time titular.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 12.06.13 Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 12.06.13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: