Coluna do Gerson Nogueira – 27.03.14

27 de março de 2014 at 4:39 pm Deixe um comentário

Ninguém segura o Papão

Mesmo quando não enche as medidas, o Paissandu joga o necessário para alcançar seus objetivos. Tem sido assim ao longo da temporada, tanto no Parazão quanto na Copa Verde. São 15 jogos sem derrota, com partidas marcadas por impressionante regularidade, com ou sem todos os titulares. Ontem, em Cametá, a história se repetiu. O técnico Mazola Junior utilizou a força máxima e alcançou uma vitória relativamente tranquila, sem contestações.
No primeiro tempo, o Papão ainda permitiu alguma chegada da equipe da casa, mas sempre que Djalma, Pikachu e Aírton subiam boas situações eram criadas na área adversária. Foi num lance rápido pela esquerda, depois de roubada de bola no meio, que Djalma abriu o placar, aproveitando indecisão da zaga cametaense. Lima ainda teve boa oportunidade, mas errou a finalização.
O setor de meio-de-campo, liderado por Augusto Recife, cada vez mais desenvolto no apoio ao ataque, jogava o feijão-com-arroz de sempre, mas mantinha a posse de bola com autoridade, sem permitir espaços ou liberdade.
Depois do intervalo, a vitória foi confirmada sem muito esforço. Primeiro, veio o penal sofrido e convertido por Lima, que havia sido puxado na área. Pikachu seguia explorando o lado direito, enquanto a esquerda ficava travada com a atuação irregular de Héverton, muito lento nas chegadas.
Atento a isso, Recife passou a cair pelo setor, trocando passes com Aírton e explorando contra-ataques. O Cametá se atrapalhava com as jogadas de meia-cancha, pois Tetê era o homem que saía de seu campo, mas não encontrava resposta em Leandrinho e Robinho, ambos em jornada de pouca inspiração. Jaílson brigava sozinho com os zagueiros e só passou a ter chances com as entradas de Mocajuba e Frutuoso.
O terceiro gol bicolor nasceu do oportunismo e da boa presença de área de Lima, que ganhou um rebote junto à área, invadiu e driblou o goleiro Alencar Baú. Da linha de fundo, deu um passe preciso para Jô, que só desviou para as redes. Ainda surgiram outros lances agudos na área, que poderiam ter dilatado ainda mais a vantagem.
De toda maneira, um triunfo merecido e que confirma o grande momento do Papão, que compensa eventuais limitações no elenco com muita organização e objetividade.

Leão amarga outro tropeço

O futebol tem caprichos nem sempre fáceis de decifrar. Tome-se o caso do Remo, que há menos de um mês curtia lua-de-mel com a torcida, comemorando a conquista do primeiro turno estadual depois de seis anos. De repente, os ventos mudam e a equipe agora amarga as agruras de uma série de insucessos. Sem vencer há um punhado de jogos, entrou de pé murcho contra o S. Francisco e não conseguiu se impor.
Sim, a ressaca da Copa Verde pode ter influído, afinal foram dois clássicos estafantes, mas parece pesar de verdade a ausência de um planejamento tático, a dificuldade que o time demonstra para dominar adversários de qualquer nível e a crônica falta de jogadas criativas. Ontem, o S. Francisco podia ter marcado ainda no primeiro tempo, quando Pitbull e Boquinha rondaram a área do Remo várias vezes com chutes perigosos.
O gol santareno logo a 11 minutos do segundo tempo, em incrível cabeceio do baixinho Boquinha entre dois beques, desnorteou por completo os remistas. A missão de se erguer em campo e buscar o empate parecia inalcançável, a depender exclusivamente do esforço de Dadá e Levy, os mais eficientes do time.
Lento e dispersivo, Rodrigo não conseguia fazer a transição corretamente, ficando a dupla Leandrão-Leandro Cearense isolada entre os zagueiros. A torcida, impaciente, vaiava. Até que, num raro momento de lucidez, o garoto Roni foi lançado pela direita e bateu cruzado, empatando o jogo. A derrota foi evitada, mas o resultado foi desastroso: o Remo está em sexto lugar no returno, permanecendo fora da briga pela classificação para as semifinais.

Breve folga para os leitores

A coluna entra em férias de 10 dias a partir desta quinta-feira, retornando no começo de abril, a tempo de acompanhar a decisão da Copa Verde.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 27.03.14 BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.3.14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: