Archive for maio, 2014

Coluna do Gerson Nogueira – 19.05.14

Papão encara missão difícil

O Paissandu sabiamente priorizou a final do returno do Parazão, preferindo escalar contra o Salgueiro, hoje, uma equipe recheada de suplentes. A chamada espinha dorsal ficou em Belém, à espera do clássico de quinta-feira contra o Remo. Charles, João Paulo, Pikachu, Djalma, Augusto Recife e Lima foram poupados pelo técnico Mazola Junior, a fim de que estejam em ponto de bala no primeiro jogo da decisão.
A decisão é sábia porque a Série C é um campeonato ainda na fase inicial. Eventuais tropeços podem ser recuperados mais à frente. Já os clássicos contra o Remo são decisivos e eliminatórios, valendo pelo título estadual. Para o Papão, além da importância natural da conquista, há o fato especial de ser o ano do centenário.
De mais a mais, sem títulos importantes na bagagem, Mazola também corre atrás de uma taça, principalmente depois da perda da Copa Verde.
Sob esse ponto de vista, o confronto diante do Salgueiro torna-se dificílimo, pois o adversário patina nas últimas posições da tabela da Série e obviamente encara a partida como de vida ou morte.
Com o time reserva, o Papão terá que se superar, buscar o contra-ataque e brigar pelo menos pelo empate. Cabe lembrar que, em situação normal, com os titulares, a parada já seria indigesta.
A novidade é a estreia do centroavante Ruan, que chegou na quinta-feira, treinou sexta e ficou à disposição para estrear de cara. Parece disposto a mostrar serviço, o que é bom sinal.

Treino com baixo aproveitamento

O objetivo declarado de Roberto Fernandes era dar ritmo de jogo aos seus atletas, no sábado à tarde, no Baenão, contra o improvisado Ananindeua. Movimentação houve, mas faltou jogo de verdade. Foi, no máximo, um animado rachão.
Sob o forte sol, os dois times mostraram até certa indolência no primeiro tempo, com poucas jogadas agudas. O Remo, com o time considerado titular, buscava chegar através de tabelinhas e arrancadas de Roni pelo lado direito, mas se atrapalhava no excesso de passes errados.
No final do primeiro tempo, Leandro Cearense e Roni marcaram, aos 40 e 41 minutos. E ficou por aí mesmo.
Com times muito modificados no segundo tempo, Leão e Tartaruga ficaram disputando quem errava mais. Sobrava vontade, mas faltava jeito e inspiração. Como saldo, Fernandes deve ter observado apenas que Roni e Cearense são mesmo os titulares do ataque, caso Ratinho não se recupere a tempo. Nas demais posições do time, tudo na mesma.

Gols paraenses agitam a Série A

Boleiros paraenses fizeram estragos na rodada de ontem à tarde na Série A. Paulo Henrique Ganso, depois de muito tempo, resolveu ser protagonista de novo e marcou dois gols na vitória tricolor sobre o Flamengo no Maraca. É bacana que volte a jogar bem, mas fica a impressão de que podia ter se espertado um pouco antes, talvez a tempo de merecer uma vaga no escrete de Felipão.
Giovanni Augusto, outro conterrâneo (desconhecido por aqui) também fez bonito na inauguração oficial do Itaquerão, marcando o gol que fez o Figueirense estragar a festança corintiana.

Tropeço compromete planos do Águia

Nas circunstâncias, o empate não foi tão desastroso para o Águia, pois o Treze do segundo tempo estava disposto a virar o placar. Audacioso, para os padrões de Givanildo Oliveira, o time paraibano procurava aproveitar os espaços concedidos pelo Águia e ameaçou diversas vezes.
Em termos de campeonato, porém, o tropeço atrapalha bastante o projeto marabaense de acesso à Série B. Continua em 5º lugar, mas a perda de pontos em casa é praticamente irrecuperável numa competição tão parelha quanto a Terceira Divisão.
O impacto pelo mau resultado fez com que a diretoria do clube comece a pensar em novo reforço para a meia-cancha: Lincoln, ex-Bahia, ou Marquinhos (Vitória).

19 de maio de 2014 at 12:58 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 19.05.14

ESTÁ CHEGANDO A HORA

A abertura da Copa está chegando e a maioria dos brasileiros está com dupla preocupação, torcendo para o Brasil se dar bem e ser campeão, ou melhor, hexa, e para não termos problemas de violência n as ruas e estádios. Ser hexa campeão vai depender da “Família Scolari”, tal e qual na Copa de 2002, porém todos nos temos que dizer não à violência e as presepadas que alguns poderão tentar fazer, querendo aqueles minutos de fama. Luis Felipe Scolari escalou sua seleção e agora dependemos exclusivamente deles para suplantar os três primeiros adversários na fase classificatória e depois fazer figa e confiar nos nossos atletas das oitavas até a grande final. O paraense, que tanto esperava mais um conterrâneo entre os convocados, vão ficar chupando o dedo sem ver o bom futebol de Paulo Henrique Ganso. Aliás, ontem, Ganso fez os dois gols do São Paulo contra o Flamengo pela série A e fez um partidaço, segundo os comentaristas, talvez abençoado por Ele lá de cima, na tentativa de mostrar que o nosso Ganso teria que estar entre os convocados por Scolari. Sem Ganso ou com Ganso, todos seremos Brasil!

ALTA TEMPERATURA

O Paysandu não tomou conhecimento dos problemas do Sport Recife e venceu a primeira pela Copa do Brasil, jogando agora pelo empate na capital pernambucana na volta. Problemas de regulamentos à parte, o Papão fez o seu dever contra um time mesclado do Leão da Ilha. Na verdade o Paysandu está de olho na próxima fase, principalmente na grana que poderá ganhar, com cota e renda em casa.

BAIXA TEMPERATURA

O Paysandu começou a série C com prejuízos, tendo que jogar três partidas de portões fechados; o Remo vai estrear no dia 20 de julho pela série D com os mesmos prejuízos, castigado com quatro partidas longe do seu torcedor. Mesmo tentando reverter a coisa essa semana, o Leão, como Papão, fica mais uma vez no “prejó” por causa desses marginais que se infiltram na torcida e atiram coisas pra dentro do gramado.

NO TERMÔMETRO

Salgueiro-PE e Paysandu logo mais a noite no Salgueirão, pode dar a liderança ao Papão, que por enquanto está entre os quatro do G4. Basta vencer para ficar em primeiro. /// Enquanto isso o Águia deu o primeiro grande vacilo ontem, empatando em casa com o Treze-PB, dirigido pelo velho Givanildo Oliveira. O time de Marabá fez 2 x 0 e entregou o ouro para o adversário. Podia estar no G4 se vencesse (isso se o Cuiabá-MT não vencesse seu jogo das 19 horas) e agora vai ter que recuperar fora de casa. Givanildo declarou que seu time merecia ter vencido. /// Roberto Fernandes aceitou o amistoso da semana passada a pedido da diretoria, que queria encher a Arena Baenão. O time venceu com dois gols no final do 1º tempo, mas a bilheteria deixou muito a desejar. Agora todos estão focados no clássico de ida da Taça Estado do Pará nesta quinta, no Mangueirão. Lembrando que o Paysandu tem a vantagem de dois resultados iguais, como o Remo teve no primeiro turno. /// Foi inaugurada a Arena Corinthians na tarde de ontem e o Figueirense, um dos lanternas da série A deu uma carimbada na história, vencendo o jogo por 1 x 0, gol do paraense Giovani Augusto, o nove do Figueira. Giovani passou no Salão e no Profissional do Papão em 2007 e agora terá seu nome lembrando pra sempre no estádio corintiano. /// Caiu de 27 para o dia 20, o começo da série D, onde estará o Clube do Remo como nosso representante. O grupo terá além do Remo, Interporto-TO, Guarany de Sobral-CE, Moto Clube-MA e um representante do Piaui, vaga sendo disputada desde ontem por River e Piauí. O Remo tenta reverter a punição de quatro jogos para dois. Difícil, mas não impossível. /// Como o galo anda meio duro e todo e qualquer trocado que se economizar dá lucro, Remo e Paysandu vão jogar as duas partidas decisivas do 2º turno com arbitragem local, pelo menos é o que se espera. É bom lembrar que isso vai acontecer pela primeira vez em 2014, para felicidade dos apitadores locais. Se tudo correr bem no primeiro jogo a coisa se repetirá no segundo, senão??? /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!
E-mails: rporto@supridados.com.br

19 de maio de 2014 at 12:57 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 16.05.14

Com dificuldades, Papão avança

Contra um Sport desfigurado – até no uniforme –, o Paissandu fez valer o mando e ganhou por 2 a 1, com certa dificuldade. Nos últimos jogos, por sinal, o time vem se notabilizando por essa férrea disciplina caseira. Do visitante pode-se dizer que não foi uma atuação de quem está desinteressado na Copa do Brasil, muito pelo contrário.

Os reservas do rubro-negro pernambucano se entregaram ao jogo com aplicação, apetite para as divididas e, no segundo tempo, criaram vários momentos de desassossego para a defesa alviceleste. O entusiasmo só arrefeceu depois do belo gol de Marcos Paraná, mas de maneira geral o Sport B deixou boa impressão.

No Papão, além da vitória, destaque para a dedicação tática dos jogadores ao esquema desenhado por Mazola Júnior, que não muda jamais de feição, mesmo que o adversário seja o Bayern de Munique. Como todos já assimilaram a proposta do técnico, tudo fica mais ou menos fácil de ser executado.

Nesse contexto, Augusto Recife pontifica como o homem do passe. É o mais lúcido dos volantes, o único capaz de executar lançamentos de 30 metros, como no lance do gol de Paraná no segundo tempo. De sua visão no meio-campo depende muito a objetividade que o time precisa ter quando é dono da posse de bola.

Fica óbvio que os problemas crônicos de qualidade do elenco atrapalham o Papão. O esquema feijão-com-arroz de Mazola dá pro gasto e disfarça as deficiências, mas é inegável que alguns setores carecem de reforços urgentes.

A questão mais séria está no comando de ataque. Lima permanece isolado na frente. Nenhum time pode abrir mão de um jogador com tamanho potencial de definição. Felizmente, Pikachu compensa a situação, marcando gols importantes, como o que inaugurou o placar ontem. Com Leandro Carvalho e Marcos Paraná, o Papão deu forças ao ataque e chegou à vitória, mas a solidão de Lima preocupa.

Um cochilo da zaga, cujo sustentáculo é Charles, permitiu um gol que pode complicar as coisas na volta (a 27 de julho).

Série D: Remo já avalia os prejuízos

A Série D 2014, marcada para começar no dia 20 de julho, traz de cara um tremendo problema para o Remo, que tanto batalhou para voltar à competição. Por força de punições da Justiça Desportiva, o clube terá que mandar quatro jogos longe de sua torcida e das arrecadações tão importantes para sua sobrevivência.

Na chave A2 do torneio, contra adversários confirmados ontem pela CBF – Moto Clube, Interporto-TO, Guarani de Sobral-CE e o representante piauiense (River ou Piauí) –, o Leão se dedica a buscar um local para promover seus jogos na primeira fase. Parauapebas, Cametá, Abaetetuba, Mãe do Rio e até Macapá estão entre as cidades cotadas.

Independentemente da praça escolhida, uma coisa já é certa: o Remo terá um começo de Série D extremamente deficitário, com baixa expectativa quanto a rendas. Em Belém, no estádio Jornalista Edgar Proença ou no Evandro Almeida, o clube teria em quatro jogos um lucro em torno de R$ 2 milhões.

Os baderneiros de sempre, responsáveis pelas arruaças que causaram a punição ao clube, devem estar festejando entusiasticamente. Parabéns aos envolvidos.

Pingos nos ii

Na coluna de quarta-feira, cometi um deslize. Atribuí ao Paissandu o bicampeonato estadual. Consegui descontentar de uma tacada só torcedores do Cametá e do Remo. Os cametaenses reclamaram porque são os campeões estaduais de 2012. Já os azulinos porque, de certa forma, foi como se o título de 2014 já tivesse dono. O escriba se desculpa com ambas as torcidas.

Dia mundial dos mentecaptos

Poucas vezes o mundo civilizado foi apresentado a um estrupício maior que este tal “Dia Mundial contra a Copa do Mundo”.

A burrice, alguém já disse, não tem mesmo limites.

16 de maio de 2014 at 4:32 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 16.05.14

POSITIVO – Técnico Dario Pereyra (Águia) ensaiando sair de três atacantes contra o Treze-PB, domingo, na Série C: Danilo Galvão (legalizado), Aleilson e Valdanes. Vitória é fundamental!

NEGATIVO – A greve da PM-PE poderá trazer problemas não só a jogos das Séries A e B lá, mas também a Salgueiro x Paysandu, na segunda (C).

Lá e Cá

A Sra. Mariléa de Almeida Cunha, esposa de Tindô, ex- jogador e formador de atletas do Remo pediu direito de resposta e esclareceu que seu esposo “não foi a afastado por envolvimento com saída de jogadores da base”.

Depois de tudo aclarado ele continua técnico do Sub 15 azulino. A notícia anterior saiu do próprio Departamento de Futebol do Remo para imprensa. Menos mal que está tudo na Santa Paz.

Agenor Paes presidente da Federação Paraense de Ginástica – FEPAGIN, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo.

Atacante Ruan (20 anos) é a 15ª contratação do Paysandu na temporada e última, segundo a diretoria. Sinal da confiança na recuperação e condição técnica do meia Rafael Tavares. Ele é da posição mais carente do time.

Paysandu passando pelo Sport e Coritiba (têm o mesmo interesse, a Copa Sul-Americana) na Copa do Brasil pegará na 4ª fase um ex- da Libertadores: Flamengo, Grêmio, Cruzeiro, Botafogo, Atléticos MG ou PR.

Cota da competição na 3ª fase passa a 430 mil e na 4ª fase alcança 560 mil. Classificado de Paysandu x Sport decidirá contra Coritiba em casa, jogando a 1ª no Paraná, conforme sorteio ontem.

Todos os sábados, a partir de amanhã, 17 h, no hall do Parque Shopping Belém cenário temático com estrutura para receber colecionadores de figurinhas do Álbum da Copa do Mundo.

Independente de Tucuruí quer atletas do Remo para reforçar seu Sub 18 que vai à Copa São Paulo em janeiro; academia dos atletas do Paysandu se chama Gabriel Souza Castro. Bela homenagem!

Remo para decisão do 2º turno: Fabiano, Rech, Rafael Andrade e Max, Levy, Dadá, Eduardo Ramos, Potiguar e Alex Ruan, Rony e Leandro Cearense; Série D, Remo, Interporto, Guarany Sobral, Moto e rep. PI.

HOMENAGEM – Francisco Roberto Pinto Magalhães, o Beto Ceará, ex-fixo do futsal do Sport, Tuna e Yamada. Como técnico foi bi na Tuna, bi da Taça Onix pelo Combronzem, Campeão Brasileiro Estudantil e Vice Mundial Universitário (aqui auxiliar). Aposentado do Estado e árbitro da FEFUSPA.

16 de maio de 2014 at 4:31 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 14.05.14

A dura sina dos técnicos

A demissão de Jaime do comando técnico do Flamengo repercutiu nas redes sociais e em setores da imprensa, mas não chegou a surpreender o mundinho do futebol. Profissionais ligados ao esporte no Brasil, tanto jogadores como técnicos, vivem num estado de distanciamento tão grande que parecem ter tomado a vacina da indiferença.

Não se viu um técnico comentar em público a forma grosseira com que o clube tratou o empregado – que, diga-se, não era um empregado qualquer, visto que dedicou mais de 30 anos às cores rubro-negras. Jaime pertence a uma família com grandes serviços prestados ao Flamengo, mas nem isso o poupou de um tratamento publicamente desrespeitoso.

Soube de sua substituição por Ney Franco através dos repórteres, que ligavam insistentemente para sua casa e seu telefone celular. De meio-dia até 18h, a notícia de sua demissão circulou pelas redes sociais, sites noticiosos, emissoras de rádio e TV, mas não foi oficialmente comunicada ao principal interessado, o próprio Jaime.

Ele só foi avisado, ainda assim de forma enviesada, por um diretor, que tentou marcar uma reunião sem sentido para que o anúncio fosse feito no começo da noite. O assunto já ficando velho, Ney Franco já até havia falado como novo contratado do Flamengo.

Jaime, com razão, relembrou da quantidade de vezes que o presidente do clube o procurou pessoalmente para dar orientações e informes. Aliás, quando Mano Menezes abandonou a nau rubro-negra no ano passado, o presidente achou rapidamente Jaime pedindo que assumisse o cargo em situação extremamente delicada.

Com competência e disciplina, o interino operou uma grande transformação no elenco do Flamengo. Em poucas semanas, fez com que o grupo desacreditado se tornasse repentinamente vitorioso. Conquistou a Copa do Brasil em campanha surpreendente, ganhou o campeonato estadual do Rio e ainda livrou o time do rebaixamento no Brasileiro.

Tudo isso acabou esquecido pelos dirigentes depois da má jornada na Libertadores e do começo titubeante na Série A deste ano. Poucos lembraram que o Flamengo entrou nas duas competições ainda mais desfalcado que no ano passado. Afinal, perdeu Elias e Marcelo Moreno.

O futebol é rico em histórias desse tipo, com treinadores que vêm e vão dos clubes em divórcios tumultuados ou simplesmente incivilizados. Leão foi demitido da Seleção Brasileira por telefone, quando estava no aeroporto, se preparando para voltar ao Brasil.

Jaime não foi o primeiro nem será o último, nem os dirigentes flamenguistas são os únicos a agirem assim. É uma praga nacional, estimulada pela omissão e desunião dos próprios treinadores, que não hesitam em aceitar o lugar de um colega antes mesmo que este tenha sido avisado.

Na Europa, referência em gestão de futebol, as demissões são sempre anunciadas antes do fim dos contratos. Como ocorre agora com Tata Martino no Barcelona e já aconteceu com Vanderlei Luxemburgo no Real Madri há alguns anos. Lá, pelo menos, o demissionário ganha tempo para limpar as gavetas e começar a procurar um novo emprego, pois a vida continua.

O Papão e seus 300 volantes

Contra o Sport, hoje à noite, no Mangueirão, o Paissandu tem tudo para desfrutar da primeira facilidade nesta atual maratona de jogos. O campeão do Nordeste vem a Belém com um time misto, disposto a não ir longe na Copa do Brasil, pois seu foco é a Sul-Americana, que começa logo depois da Copa do Mundo. Em outras palavras, o rubro-negro pernambucano está a fim de entregar os pontos.

Mazola Júnior, que conhece bem o Sport, deve finalmente lançar mão de um esquema mais ofensivo, explorando a qualidade de seu ataque, com Lima e Leandro Carvalho. Sim, porque se insistir na rotineira barreira de volantes, de nada vai adiantar as chances oferecidas pelo desfalcado visitante.

É preciso entender que volantes podem ser últimos, pois guarnecem a defesa e seguram a onda no meio-de-campo, mas são por essência inimigos do futebol ofensivo.

Depois do Sport, caso confirme a passagem, o Papão pegará o Coritiba, que também não está nada interessado na Copa BR. Significa que, sem fazer maior esforço, o bicampeão paraense já pode estar às portas das oitavas-de-final da competição.

14 de maio de 2014 at 5:45 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 14.05.14

POSITIVO – Neste ano do Centenário, Paysandu vai homenagear os torcedores que morreram na Curuzu assistindo jogos (Reinaldo Xerfan e Manoel Noguera de Melo) e Sônia Ohana, Rainha do Futebol Brasileiro.

NEGATIVO – Documento sem assinatura de Tobias poderá complicar para o Águia junto à CBF-STJD, mesmo sendo apenas relacionado contra o Paysandu. Papão não fará nada, pois ganhou o jogo.

Lá e Cá

Reinaldo Xerfan morreu na Curuzu, no Paysandu 1×0 América-RJ (8.7.66) e Manoel Nogueira de Melo, no Paysandu 0x1 Tuna (21.3.71). Sonha Ohana, pelo Paysandu ganhou título nacional em 1966 e foi à Copa da Inglaterra.

Familiares de Manoel Nogueira de Melo deverão contatar para Av. Braz de Aguiar 487 ou fone 91-31841100 (Couceiro).

Troca completa do gramado da Curuzu ocorrendo pela 1ª vez. Antes só recuperação; Paysandu x Fortaleza, 1º de ingresso pago (Série C) e último antes da Copa, passou de 16 h para 21 h, dia 31.5, sábado, Mangueirão.

Time de basquetebol do Botafogo-RJ vem para dois jogos (31.5 e 1.6), faltando a Federação Paraense de Basquetebol definir locais e adversários.

Roberto Rivelino é quem vai trazer a taça da Copa a Belém, dia 20.5. Exposição no São José Liberto, na Praça Amazonas; atacante paraense Lima hoje sua 3ª final seguida de Liga Europa, segunda pelo Benfica.

Diretoria do Remo e advogado Osvaldo Sestário na tentativa de reduzir pena do clube para 2 jogos (portões fechados). Mantida punição de 4, será com ingresso pago e a uma distância superior a 100 km de Belém.

Técnico Roberto Fernandes quer amistoso para o Leão Azul sábado. Nada de jogo treino; Rafael Tavares novidade nos relacionados do Paysandu amanhã; Dewson Freitas apitando Vasco x Náutico (Série B).

9 judocas do Pará (inclusive as estrelas Luizinho Nogueira e Mayara Silva) no Brasileiro Sub 21 do final de semana em Campo Grande-MS. Pontos para ranking nacional e vagas ao Pan e Sul-Americano da categoria.

Fernando Colombo Uliana, a linda bandeirinha Asp-FIFA-SC, na berlinda atualmente é a nova Ana Paula Oliveira (esta agora na
CA da CBF). Musa Fernanda tem parentes no Pará.

HOMENAGEM – Ivan Lopes de Azevedo, o Ivan, nos anos 90 ex- zagueiro do Fluminense e Seleção de Barcarena, Seleção de Maracanã, IPASEP (peladão) e Veteranos do Jurunas. Irmão de Ageu Sabiá é taxista.

14 de maio de 2014 at 5:43 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 12.05.14

Dever cumprido, apesar dos sustos

Competição marcada por grande equilíbrio, a Série C não permite tropeços caseiros. Para se manter vivo na competição, os times devem sempre se garantir dentro de seus domínios. O Paissandu seguiu à risca esse receituário e derrotou o ASA-AL por 1 a 0, sábado à noite, em Castanhal.
Sem o calor da torcida – time cumpre punição por episódios envolvendo gangues uniformizadas na Série B 2013 –, o bicampeão paraense tomou a iniciativa do jogo desde os primeiros movimentos, padecendo com as conhecidas dificuldades de criação no meio-de-campo.
Com três volantes, o time de Mazola Junior se defendia com eficiência, mas quase nunca conseguia chegar com qualidade à área alagoana. O artilheiro Lima ficava isolado entre os zagueiros, enquanto o atacante Jô buscava chegar pela esquerda, revezando-se com o lateral Aírton.
O ASA baseava seu jogo na espera, mantendo-se muito recuado nos primeiros 20 minutos. Com subidas constantes pela direita, Djalma e Pikachu levavam ampla vantagem sobre a marcação improvisada de Talyson. Leandrinho, pela direita, era a peça mais avançada do ASA. Chegou a invadir a área, numa sequência de dribles, mas Paulo Rafael defendeu bem.
Até que, aos 40 minutos, uma bola cruzada por Djalma foi rebatida pela zaga e caiu nos pés de Charles. O zagueiro lançou na área, Jô raspou de cabeça e Pikachu recebeu de frente pro gol. O chute saiu à meia altura, com endereço certo.
A vantagem parcial fez com que o Paissandu voltasse para o segundo tempo bem mais tranquilo, buscando tocar a bola e explorar o contra-ataque. Acontece que o ASA voltou do mesmo jeito, fechado atrás e raramente se aventurando no ataque.
Lima, aos 11 minutos, apareceu finalmente no jogo, recebendo pela esquerda e mandando um tiro rasteiro e cruzado, que passou rente a trave do goleiro Marcão. O lance parece ter despertado a equipe alagoana, que partiu para uma sequência de ataques, acuando o Papão em seu campo.
Tiago Frutuoso, Talyson e Didira criaram várias situações de perigo e Paulo Rafael fez três importantes defesas a partir dos 35 minutos. A pressão era desordenada, mas constante. Sem Augusto Recife (substituído por Billy), seu melhor passador, o Paissandu não conseguia administrar o resultado e perdia o duelo na meia cancha.
No fim, o presidente Vandick Lima admitiu que o time teve sorte em conquistar a vitória. Mazola reclamou da maratona de competições e lamentou a ausência forçada da torcida. Ambos, porém, festejaram o excelente resultado. Quanto à sorte, não é fator que desmereça ninguém. Afinal, dizia Nelson Rodrigues, é preciso ter sorte até para chupar picolé.

Inter e Flu ensaiam disparar no Brasileiro

É muito cedo para cravar favoritismos, afinal a Série A está apenas na quarta rodada. A questão é que nos últimos anos o começo da competição é determinante para a classificação final. Por ora, Fluminense e Internacional começam a impressionar pela consistência técnica, valendo-se de elencos caros e mais qualificados. Impressiona, na parte de baixo, o péssimo início do futebol catarinense. Criciúma, Chapecoense e Figueirense seguem firmes na zona do rebaixamento.

Quando a matemática entra em campo

E eis que surge mais um especialista inglês dedicou horas de pesquisa e cálculo para esmiuçar algumas verdades não escritas do nobre esporte bretão, conforme matéria exibida no programa “Fantástico”. Para começo de conversa, ele decreta que, ao contrário do que imaginam nossos técnicos, em 89% das vezes escanteio (e cobranças de falta) não dá em nada.
Ele também contesta algumas certezas. Por exemplo, técnico que substitui antes dos 12 minutos do segundo tempo tem mais chance de se dar bem. Nesse caso específico, a estatística flerta com a Lei de Murphy: quem espera demais quase nunca alcança.
Outra bomba do metódico pesquisador: quem abre série de penalidades tem mais de 60% de chances de vencer. Ele revela também que índice de acertos nos penais é de quase 70%, mas alerta: o último batedor quase sempre fracassa. Há menos de 15% de acerto no chute derradeiro.
E a velha crença de que os craques são os jogadores mais importantes de um time é parcialmente abalada. Segundo ele, jogadores ruins são mais decisivos, no mau sentido. Eles são os causadores da maioria das derrotas. Grosso modo, segundo a cartesiana análise, é mais importante reduzir a quantidade de pernas-de-pau no time do que aumentar a presença de craques.
É, pode ser.

12 de maio de 2014 at 2:20 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 12.05.14

O CERTO É FAZER O DEVER DE CASA

O ideal seria jogar sempre bem e vencer, mas nem sempre é possível, por uma série de fatores. O jogo do Paysandu no sábado contra o ASA de Arapiraca foi um exemplo disso, pois o Papão apesar de não jogar o fino da bola, acabou derrotando o time alagoano por 1 x 0, gol do Pikachu, e ficou momentaneamente na liderança do Grupo A da série C. Dois jogos em casa, mesmo sendo em Castanhal de portões fechados, duas vitórias que significam seis pontos, que somados ao ponto conseguido contra o CRB lá fora deixam o Paysandu numa situação cômoda, esperando o jogo de logo mais entre Fortaleza x Águia para fechar a rodada como líder. E todos deverão torcer pelo time marabaense, que se ajuda e ajuda o Paysandu. O nome do jogo de sábado foi Paulo Rafael, que fez defesas importantes, no segundo tempo principalmente, e garantiu cinco jogos do Papão sem tomar gols, salvo engano. Agora o Papão sairá para jogar dia 19 diante do Salgueiro-PE, pegará dia 24 o Botafogo-PB em casa, no reencontro com sua torcida, e fecha ainda em casa contra o Fortaleza-CE, podendo completar 16 pontos antes da parada para a Copa. Será?

ALTA TEMPERATURA

Finalmente o Remo conquistou a vaga em campo para disputar a série B, com a eliminação do São Francisco. A torcida bicolor aproveitou para dizer que a vaga foi dada por eles, mas é bom não esquecer que o Leão Azul venceu o 1º turno e revirou uma situação quase impossível diante do Independente. Fez por merecer a vaga pela sua campanha e não pela ajuda de ninguém, ou o Paysandu perderia a vaga nas finais do 2º turno apenas para sacanear o maior rival? E perderia dinheiro também?

BAIXA TEMPERATURA

Há muitos mais mistérios entre o céu e a terra do que imagina a nossa vã filosofia. Porque o preço dos vidros temperados que cercam o campo de jogo da nova Baenão são bem mais baratos que os que serão instalados na nova Arena Curuzú? Na Curuzú, quem colabora ainda pode colocar seu nome “jateado” em cada peça.

NO TERMÔMETRO

Eduardo Ramos vai embora mesmo para o Joinville, sem dívidas nenhuma de parte a parte. O 33 do Baenão esteve aquém daquele jogador que nos conhecemos e terá sua grande chance de provar tudo ao contrário nas duas partidas pela decisão do 2º turno, isso se jogar. /// Fortaleza e Águia farão daqui a pouco um jogo de suma importância às pretensões dos dois paraenses na série C, até porque os outros resultados não mudaram a situação de líder do Paysandu; se o tricolor cearense vencer vira líder. Então todos torcendo pelo Águia para se ajudar e, claro, ajudar o bicola. /// O Remo foi à Parauapebas no sábado e conseguiu um empate contra a seleção local. O torcedor de lá esperava o time principal, mas teve que se contentar com um time mesclado para honrar o compromisso. 1 x 1 foi o resultado do amistoso. /// CRB está mal das pernas mesmo e perdeu em casa para o CRAC-GO, que chegou aos quatro pontos e entrou momentaneamente no G4. Hoje mais do que nunca, a torcida pelo Águia é de real importância. /// Muita gente especulou na quarta passada a convocação de Paulo Henrique Ganso entre os 23 integrantes da família Scolari. Juro que eu tinha uma pontinha de esperança, isso pelas últimas apresentações do meia paraense, mas não fiquei decepcionado pelo não chamado de Ganso. /// O governo do Amapá voltou a atacar para ter jogos dos clubes grandes paraenses no Zerão; o Paysandu não fechou com os dirigentes amapaenses e acabou jogando de portões fechados mesmo em Castanhal e ainda bem que venceu as duas partidas. Agora o Remo recebeu uma proposta de 80 mil reais por jogo, com todas as despesas pagas, para fazer os dois primeiros jogos da série D no Zerão. Ou recebeu ou vai receber. /// Ingressos do RE X PA na faixa dos 40 reais está bom demais, mas 30 reais estariam muito mais, pelo menos do 1º jogo. Tomara que não aumentem para 50 reais, caso o Paysandu vença o 2º turno e aí serão mais dois jogos. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!
E-mails:- rporto@supridados.com.br

12 de maio de 2014 at 2:17 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 09.05.14

POSITIVO – Empenho do técnico bicolor Mazolla Jr em pedir trabalho

especial de musculação, moradia digna e estudo para o pessoal da base

junto à diretoria, reconhecido por todos, como citou o Araújo. Valeu!

NEGATIVO – Preocupação no Mangueirão: bancos de reservas quebrados,

pista de atletismo com infiltrações e limo, arquibancadas ocas e lâmpadas

queimadas. Alô, vistoria!

Lá e Cá

Depois de Eduardo Pinho (Judô) o meu entrevistado Bola Pra Frente de

domingo será finalmente Edilson Kramer, presidente da Federação de

Ciclismo. E no Bola na Torre (RBA TV e Rádio Clube) atacante azulino Rony.

Se o Paysandu ganhar o 2º turno chegaremos a 10 RE x PA em 2014. Até

agora 4 no estadual, 2 da Copa Verde, 4 empates e 2 triunfos bicolores;

zagueiro Bruno Everton (S. Francisco) não levou cartão em 16 jogos.

22 rádios do Brasil estão credenciadas para transmissão da Copa do

Mundo e uma delas é a nossa Rádio Clube do Pará, a única do Norte.

Se o Paysandu passar pelo Sport-PE na Copa do Brasil pegará na 3ª fase

de novo o Coritiba, como em 2012, quando foi eliminado; Remo nas duas

disputas de Série D caiu para Vila Aurora-MT (2010) e Mixto-MT (2012).

Agora tem nova oportunidade e fará projeto para alcançar a Série C,

pegando inicialmente Moto-MA, Interporto-TO, Santos-AP e um do Piauí;

Luiz Muller e Agnaldo comandarão o Leão Azul, em Parauapebas, amanhã.

Paysandu e ASA já jogaram 2 vezes e 2 empates de 1×1 na Série B do ano

passado; Fortaleza e Águia acumulam 6 empates em 6 jogos, 4 gols pra

cada lado.

Papão da Amazônia fará amanhã contra o ASA seu jogo 4.065º. Até agora

2.114 vitórias, 932 empates, 1.018 derrotas, 8.318 gols a favor e 4.743

contra.

Meia Rodrigo fez acordo com o Remo na JT e vai procurar clube em troco

de 6 mil parcelados. Leão ainda ficou com 20% dos direitos econômicos;

nosso Dewson Freitas apitará Chapecoense x Grêmio, domingo, Série A.

Águia perdeu goleiro titular Bruno Grassi para jogo de segunda em

Fortaleza (Série C) em razão de estiramento muscular grau 2. Vai estrear o

Bruno Colaço.

HOENAGEM – Augusto Ferreira Filho, o Augusto, ex- campeão paraense e

brasileiro de tênis de mesa, atuando aqui pelo CEP e Pará Clube nos anos

80-90. Foi também técnico campeão brasileiro. Aposentado da Petrobrás.

9 de maio de 2014 at 6:57 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 08.05.14

Um ensaio para o hexa

O fato de que considero Hulk um zagueiro mal aproveitado no ataque não impede que reconheça a coerência de Felipão na convocação da Seleção Brasileira que vai buscar o hexacampeonato mundial. Para começo de conversa, não há nenhum caso flagrante de craque injustiçado, como ocorreu em 2002 com Romário, por exemplo.

Desta vez, Felipão foi inteiramente fiel aos seus princípios, até mesmo na surpreendente opção por Henrique, aquele beque lento e meio “passarão” que levou vários riscas de Pikachu no Mangueirão, terminando por ser expulso de campo em jogo válido pela Série B 2013.

Henrique é o chamado jogador de confiança do técnico. Essa condição significa um monte de coisas, mas a definição que me parece mais apropriada é que o Henrique é o Murtosa do Felipão dentro de campo. Joga pouco, é inferior à maioria dos zagueiros em atividade no país, mas é o cara da preferência do treinador.

É quase certo que, ao contrário de Anderson Polga em 2002, não será titular. Mas, de toda sorte, estará ali no grupo e pode até beliscar um lugarzinho como volante caso surja uma emergência.

Concentrei-me no Henrique porque ele simboliza bem o que é a Seleção Brasileira atual, uma reunião ocasional de jogadores “europeus”, cujo sucesso dependerá muito do entusiasmo, do preparo físico e mental.

O Brasil é favorito, como sempre, e sujeita-se a riscos como qualquer um dos bichos-papões do Mundial, casos de Espanha, Itália, Argentina e Alemanha. Prevejo algum enrosco no quarto jogo, nas oitavas, provavelmente contra espanhóis ou holandeses. Mas, se até lá o escrete já estiver nos braços do povo, um abraço.

A lamentar apenas que o paraense Paulo Henrique Ganso tenha deixado passar o cavalo selado. Era a Copa mais garapa para um camisa 10 de verdade, tanto que Felipão foi obrigado a dar a titularidade a Oscar (ou Willian), que há quatro anos não chegavam aos pés de Ganso.

Poucas vezes na vida o Brasil – talvez só na estiagem de 1994 – entrou numa Copa tão desfalcado de um meia-armador cerebral. Para nosso consolo, mesmo sem vida inteligente no meio, naquele Mundial conquistamos o tetra. Mais ou menos como desta vez vamos conquistar o hexa, apesar de alguns batráquios torcendo contra. E tenho dito.

Papão ganha e garante Leão na Série D

Como até as pedras já sabiam, o Paissandu se classificou para decidir o returno do Parazão e sacramentou a presença do maior rival na Série D do Campeonato Brasileiro. No confronto com o São Francisco, ontem à noite, o Papão não encontrou maiores dificuldades.

A rigor, foi um jogo tranquilo, sem estresse, nem parecia uma semifinal de turno. O time santareno chegou caindo pelas tabelas, improvisado em várias posições e um interino no comando técnico.

Em campo, a diferença de postura era abissal. O Papão sabia exatamente o que queria e procurou administrar as facilidades criadas pela vantagem no cruzamento. Podia perder até por um gol de diferença e, portanto, não precisava se mandar ao ataque.

Mazola Junior jogou da maneira que mais gosta: esperando o adversário atacar. Mesmo com todos os seus volantes a bloquear o jogo no meio-campo, o Papão foi superior e fez os gols que necessitava na hora que bem quis.

Deu-se ao luxo de ditar o ritmo e poupar seus jogadores quando alcançou o resultado que lhe interessava. Augusto Recife esteve impecável, inclusive nos passes, e Pikachu foi bem, mesmo perdendo o penal. Só não entendi o gol dado ao artilheiro Lima, que estava longe da jogada.

Direto do Facebook

“E saiu a convocação. Tão revolta quanto água de poço e tão surpreendente quanto novela da tarde. Hoje em dia gosto muito mais da copa como evento de interação social do que propriamente da Seleção. A inevitável distância que os euros impuseram foi aos poucos me afastando. Jamais torcerei contra, mas não me peçam pra enfeitar rua que eu não vou”.

De mestre Moreira Junior, campeão nacional de marchinhas carnavalescas e remista juramentado.

Futsal para times de peso

No último final de semana, o time da Alumínio Brasileiro S/A (Albras) empatou com o da Imerys na categoria “Futsal Novos” da etapa regional dos Jogos do Sesi. O time ainda briga pela classificação para o estadual da competição. O próximo embate, dia 18, será contra a Eletronorte e definirá quem passa para as semifinais desta etapa.

8 de maio de 2014 at 4:21 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.