Archive for agosto, 2014

Coluna do Gerson Nogueira – 25.08.14

Leão goleia em tarde de Roni

A reação zangada do técnico Roberto Fernandes às críticas de imprensa e torcida, antes da viagem para o Ceará, parece ter tido um efeito positivo sobre o grupo de jogadores. Aborrecido com as críticas à instabilidade do time, o treinador reclamou da imprensa e dos torcedores, saindo em defesa de seus atletas. Se o plano era motivar a rapaziada, deu certo.

Pela primeira vez na Série D, o Remo foi determinado e se impôs ao Guarani em Sobral com uma atuação convincente. Para isso contribuiu bastante o desempenho de alguns jogadores, principalmente o jovem Roni, que chegou a ser relegado à reserva por Fernandes e que reapareceu em grande estilo.

Foi dele o primeiro gol, logo aos cinco minutos. Doze minutos depois, Leandro Cearense ampliou depois de boa jogada, que começou com disparo de Rodrigo Fernandes na trave do Guarani. Um recuo do Remo deu a chance aos donos da casa de ressuscitarem no jogo. O primeiro gol nasceu de um vacilo da zaga paraense e o empate veio em penal discutível, que teria sido cometido por Roni.

Com Ratinho e Ilaílson nas vagas de Potiguar e Dadá, o Remo apresentou-se mais agressivo na segunda etapa da partida. Logo aos dois minutos, em manobra iniciada por Roni, Cearense desempatou e abriu caminho para a vitória. O mesmo Roni fecharia o marcador, quase ao final, depois de driblar um defensor e disparar forte para as redes.

O Guarani jogou mais adiantado do que havia feito em Bragança, mas pareceu claramente surpreendido nos primeiros minutos pela ousadia ofensiva do Remo. Quando se assentou em campo, equilibrou as ações e alcançou o empate, graças à boa movimentação do meia Sadrak e aos cochilos da zaga azulina.

A vitória costuma obscurecer falhas, mas o Remo demonstrou ontem que até a crônica carência no setor de criação pode ser superada pelo empenho de todos. Com maior aproximação dos jogadores na meia-cancha, o time funcionou bem, partindo para a vitória no segundo tempo e impedindo uma nova reação do Guarani.

Deve-se reconhecer que Roberto Fernandes acertou com a mudança na lateral-esquerda (Rodrigo em lugar de Alex Ruan) e na insistência com Potiguar na meia cancha, mas é legítimo dizer também que Roni não pode ser reserva. Com o talento que tem para o drible em velocidade, barrá-lo constitui uma insanidade. Isso ficou evidente na partida de ontem.

Destaques do time em Sobral: Roni, Michel e Leandro Cearense.

A velha sina de entregar fora de casa

Um fato indiscutível: o Papão jogou melhor que o ASA, principalmente no segundo tempo. A realidade do jogo: os donos da casa foram objetivos o suficiente para aproveitar a única chance surgida. Essas duas situações resumem o que foi o jogo de ontem em Arapiraca. Depois de boa vitória em casa sobre o CRB, esperava-se um Papão mais confiante e seguro contra o time de seu ex-técnico.

Infelizmente, a velha mania de travar fora de casa voltou a marcar presença. O Papão até sustentou um jogo equilibrado, mas sofreu com o fraco rendimento de jogadores importantes, como Pikachu e Héverton. O meio-de-campo funcionou razoavelmente na marcação, mas foi zero em criatividade. Raul pouco apareceu, sendo mais notado pelos erros.

É inegável que o Papão de Mazola tem mais organização que o de Vica, mas isso ainda não é suficiente para uma competição que exige firmeza de atitudes.

Depois de um primeiro tempo de altos e baixos, Mazola resolveu mexer no ataque, tirando Héverton e lançando Bruno Veiga. Aproveitou e tirou Raul, colocando Rafael Tavares em campo. As mudanças quase não alteraram o pamorama porque em vários momentos o time parecia desplugado, como se estivesse num amistoso.

O lance que resultou no gol do ASA foi sintomático desse marasmo. O atacante Wanderson apareceu livre por trás da zaga, para receber livre e diante do gol. Falha primária de marcação, denotando o nível de desatenção dos defensores.

No final, um lance precioso poderia ter garantido o empate, mas Pikachu optou pela simulação ao invés de finalizar para o gol. Merecia o cartão amarelo só pela interpretação teatral ruim.

Com mais três jogos em casa, o Papão pode chegar a 22 pontos, limite necessário para escapar do rebaixamento. Quanto ao acesso, as chances diminuíram bastante, pois tudo depende agora do comportamento nos outros três compromissos fora.

Ganso em altíssimo nível

Outro golaço de Paulo Henrique Ganso no Campeonato Brasileiro. Em visível mudança de posicionamento, atuando dentro da área como um ponta-de-lança, o paraense passou a se destacar no São Paulo de Muricy. Ainda é cedo para dizer que voltou a jogar como em 2009 e 2010, mas é óbvio que já é seu melhor momento desde o apagão de 2012/2013.

A jogada do gol sobre o Santos, ontem, reflete bem o grau de segurança que Ganso voltou a ter no seu jogo. Recebeu a bola, protegeu do combate com o zagueiro e virou quase de sem-pulo, mandando no ângulo esquerdo da trave santista.

Só jogadores em excelente condicionamento físico e técnico são capazes de executar com perfeição um lance tão complexo. Ganso voltou a jogar em alto nível e cada vez mais fica difícil entender como foi esquecido na reta final das convocações para a Copa.

Como tem demonstrado neste São Paulo recheado de grandes talentos, o futebol de Ganso se sobressai quando ele está bem acompanhado.

25 de agosto de 2014 at 1:41 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 25.08.14

REMO ACERTA O TIME E O PASSO

Como é que você imaginaria que o Remo, depois de uma derrota em Bragança para o Guarany de Sobral, que estava embalando na competição, fosse visitar o seu adversário e voltasse de lá com uma brilhante vitória? O que será que aconteceu? Fácil de explicar, pois o time foi mal escalado em Bragança e ontem o técnico Roberto Fernandes acertou o passo e colocou um time em campo para atacar o adversário, tanto que fez logo dois gols e abriu uma boa vantagem. De repente bateu a síndrome do pânico, tanto no time como na galera e lá tomamos dois gols do adversário e assim acabou o primeiro tempo. Será que o time perderia um jogo praticamente ganho? Lá veio o segundo tempo e o time se recompôs novamente, não dando chances ao adversário. Onde foi que a vitória sorriu? Entendo que a saída de Tiago Potiguar e a entrada de Ratinho deu uma dinâmica ao time como nunca tinha visto antes, ou seja, o que o Roberto tinha que ter feito em Bragança fez em Sobral e ganhou o jogo. Simples assim, como dois e dois são quatro. Que fique a lição, para que consigamos a primeira vitória em casa.

ALTA TEMPERATURA

E a seleção de vôlei feminino heim? Deca campeã do Grand Prix, sete vezes ao comando do José Roberto Guimarães. O que nos faltou no futebol na Copa do Mundo, sobrou pras meninas do vôlei, mesmo com aquela derrota no início da competição para a Turquia. Aliás, parece que aquela derrota mexeu com as moças do Brasil e o que se viu na madrugada de sábado pra domingo foi a garra e a vontade de levantar mais um título, o que realmente aconteceu. Valeu Brasil!!!

BAIXA TEMPERATURA

E o Vica se vingou do seu ex-time, conseguindo uma vitória pelo escore mínimo em Arapiraca, o que fez o time alagoano subir e o Paysandu cair de novo. Enquanto o Remo pontua fora o Paysandu não consegue fazer a mesma coisa e olha que ontem até poderia ter saído com um empate ou até vitória, se a sorte tivesse ajudado. Agora o Papão necessita vencer seus jogos em casa e buscar pontos fora, de preferência com vitórias, para sonhar com o G4.

NO TERMÔMETRO

Quem viu pênalti no Pikachu no final da partida em Arapiraca viu errado, pois o lateral tentou cavar a falta maior e se arriscou a levar um amarelo. Talvez o desespero fez com que Pikachu forçasse o penal, quando poderia ter penetrado e chutado e quem sabe não acertava o gol. /// Ficou provado que quando o meio campo ajuda os atacantes funcionam, Roni e Leandro Cearense fizeram os quatro gols azulinos em bolas trabalhadas pela meiúca azulina, mesmo com o Tiago Potiguar meio perdido. Ratinho entrou e consertou, mas que o torcedor ficou com medo ficou. /// E o penal marcado contra o Leão, existiu ou não? Só as imagens poderão dizer. Estava encerrando a coluna e me preparando para assistir o programa Bola na Torre para tirar as dúvidas. /// Hoje o Águia pega o Fortaleza e só a vitória interessa. João Galvão e seu “Bocão” estarão de volta ao comando do time marabaense, que não vem fazendo a campanha de anos anteriores. /// Os resultados da chave do Paysandu ontem só pioraram a situação bicolor; em compensação, o bom resultado do Remo fora de casa colocou o time azulino no G2, colado no River do Piauí, nove contra oito pontos. Agora o Leão não pode tropeçar na sua nova casa, que é o Parque do Bacurau, contra Interporto e River. Terão que ser seis pontos garantidos para não precisar pontuar contra o Moto na última partida da fase classificatória. /// Remo e Paysandu venceram seus jogos de estréia na 2ª Copa Norte sub 20, que dá direito à vaga para a Copa do Brasil. O Leão derrotou em casa o São Raimundo de Roraima e o Paysandu foi ao Chico Vasques conquistar sua primeira vitória diante do Comercial do Piauí. /// Paysandu em 7º lugar, distante cinco pontos do G4 e o mesmo número de pontos do rebaixamento. Qualquer vacilo em casa poderá ser fatal. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!
E-mails: rporto@supridados.com.br

25 de agosto de 2014 at 1:38 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 24.08.14

Nova hegemonia europeia

 

Não bastaram os humilhantes 7 a 1 nas semifinais, nem o título mundial conquistado com requintes de competência e método em pleno Maraca. Incansáveis, os alemães continuam a nos assombrar com exemplos quase diários de evolução dentro e fora de campo. Todo o planejamento concebido e executado a partir de 2000, com investimentos grandiosos na formação de atletas, materializa-se em vitórias de valor incalculável.

A história da transformação alemã de força decadente em potência revitalizada já é bem conhecida. Veio à tona durante a própria Copa, quando todos os olhos se voltaram para a campanha impecável e o apuro nos detalhes da preparação da seleção de Joachin Low. Não custa, porém, reavivar memórias no país que sempre gostou de pensar que tinha o melhor futebol do mundo.

Que a Alemanha é um exemplo de determinação e competitividade todo mundo está cansado de saber. A firmeza com que o país se reergueu depois da destruição advinda das insanidades do nazismo é prova mais do que eloquente da fibra de seu povo e da confiabilidade de suas instituições.

Em termos globais, a execução do ambicioso plano de reforma do futebol, a partir do estímulo à criação de escolinhas, é tão significativa para o esporte quanto a formatação da Premier League na Inglaterra e o renovado esforço norte-americano para conquistar excelência e respeito mundial.

Pois a combinação de fartura de atletas com a solidez econômica dos clubes permite hoje à Alemanha inverter uma rota que normalmente a situava como mercado de quarta linha na Europa, atrás de Itália, Espanha e Inglaterra.

Seus clubes, notadamente Bayern de Munique e Borussia Dortmund, já rivalizam com Real Madri, Barcelona, Manchester United, Internazionale, Milan, Juventus, Chelsea e Arsenal. Prova eloquente dessa mudança de cenário foi dada nesta semana, quando o ídolo Thomas Müller recusou oferta milionária do Manchester United para deixar o Bayern.

Ao descartar a oferta do United, Müller disse simplesmente que estava bem na Alemanha e no Bayern, seu clube de coração e onde aprendeu a jogar bola. Bem remunerado e disputando um campeonato quase tão charmoso quanto o inglês, o craque não viu razão para mudar de país.

Cabe também a Müller e seus talentosos companheiros campeões do mundo a manutenção da hegemonia europeia no futebol planetário. Desde 2006, somente seleções do Velho Mundo conquistaram a Copa. Antes da Alemanha, Itália e Espanha haviam vencido. E, pelo andar da carruagem, diante da decadência de potências como o Brasil, é improvável que a situação se altere nos próximos mundiais.

São três potências conhecidas pela importação maciça de talentos da América do Sul e da África, que, ao contrário do que se imaginava anteriormente, conseguiram reagir à influência dos estrangeiros e passaram a formar seus próprios craques. Alguns – caso de Müller – até bem superiores à média dos boleiros revelados nas “colônias”.

 

 

Dura missão azulina no sertão do Ceará

 

Em meio a boatos de divisões internas, zangas entre o técnico e os jogadores, o Remo viaja a Sobral-CE para tentar devolver o prejuízo sofrido semana passada em Bragança. A tarefa é duplamente ingrata, pois o Guarani jogará em sua casa e com informações sobre a maneira de atuar do campeão paraense.

Acima da boataria que nada acrescenta e ciente de que sua permanência depende de um bom resultado, o técnico Roberto Fernandes comandou treinos durante a semana que pouco modificaram a escalação que já era prevista para o jogo de hoje. O meio-de-campo deve ter três volantes (Dadá, Ilaílson e Michel) e Reis como meia de ligação.

No ataque, as dúvidas de sempre. Fernandes deve manter Leandro Cearense, centroavante que tem sua preferência desde o Parazão. O segundo atacante deve ser Tiago Potiguar, embora o jogo se prenuncie ideal para as arrancadas de Roni em contra-ataque.

Ocorre que Roni, como Jonathan e Alex Ruan (substituído por Rodrigo Fernandes), carrega a sina de ser um jogador local, cujas limitações são sempre superdimensionadas enquanto as virtudes ficam em segundo plano.

De qualquer maneira, assustado com o tropeço em casa, o Remo parece armado para se defender à espera de erros do Guarani. Exatamente como os cearenses fizeram em Bragança. O fato é que, pelas características dos times, o jogo corre o risco de virar um chatíssimo embate de volantes.

A conferir.   

 

 

O futebol na era do amadorismo

 

Cascata, de procedência não muito clara, e Leandrão, aquele centroavante que passou em branco pelo Remo, são os “reforços” que o Icasa garbosamente se prepara para receber nos próximos dias.

Não há jeito.

O futebol muda de perfil em muitas áreas, assimila fundamentos de gestão avançada e busca se tornar um negócio rentável para todos, mas certas práticas seguem imutáveis.

Contratar mal e sem critério é aleijão que assombra todos os clubes brasileiros, de A a D. Uma simples busca no Google permitiria avaliar as reais condições dos jogadores, evitando frustrações e prejuízos financeiros.

 

 

Bola na Torre

 

Guilherme Guerreiro apresenta e a bancada será formada por Giuseppe Tommaso, João Cunha e este escriba baionense. O programa vai ao ar na RBATV por volta de 00h15, logo depois do Pânico na Band.

24 de agosto de 2014 at 11:44 am Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 24.08.14

BOLA NA TORRE

Deste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV – Canal 13.  As presenças no Brasileiro da Série C com o Paysandu e Águia e o Remo na Serie D. Comando
Do Guerreirão com Valmir Rodrigues, Gerson Nogueira e Rui Guimarães. Tem Prêmios para a Galera. Partícipe pelo Twitter @bolanatorre

CONGRESSO…

Semana que passou aconteceu em Belém, ocorreu no dia 16.08 (sábado) durante o XVII Congresso Medico Amazônico o II Fórum Paraense de Medicina do Futebol. Novidades em Tratamento, Diagnostico, Condutas e Rotinas das Áreas que envolvem o Departamento Medico dos clubes do futebol paraense em debate! Sucesso total com mais de 200 participantes!

REENCONTO…

Diretoria bicolor preparando uma grande festa para o próximo sábado, quando o Paysandu irá receber o Salgueiro na reabertura da Nova Curuzú pela Série “C”. Presidente Vandick Lima arrumou a casa investiu em melhorias, Placar de LED, Novo Gramada, Vidros Temperados e Pintura Geral. Agora chegou a vez de o verdadeiro torcedor dar sua contribuição. Uma arquibancada vai custar 50 reais e a cadeira 100 reais. Dentro do padrão para uma Super Festa Alvi-Azul. Pra festa ficar completa só falta um grande resultado hoje em Arapiraca contra o Asa…

BASQUETE

Agora Vai, passando uma borracha na antiga “Gestão Atrapalhada” o Presidente Antônio Caetano reuniu filiados, árbitros, imprensa e apaixonados pelo Basquete e apresentou os projetos para este Segundo Semestre. Todas as categorias estarão em atividades do Sub 12 ao Sub 19. Competições começam dia 8 de setembro. O Campeonato Adulto com Clube do Remo, Paysandu e Assembleia Paraense pode ganhar o retorno da Tuna Luso Brasileira. Esse é o Basquete Paraense que nós esperamos.

CURIOSIDADES BY
DIEGO BECKMAN…
– Ex-Azulino Thiago Cametá é uma das Armas do Fortaleza para o jogo contra o Águia amanhã em Marabã. Águia nunca venceu o Tricolor do Pici.
–  Remo vai contar com o Goleiro Fabiano, que conhece muito bem o gramado do estádio do Junco, em Sobral, local da partida de hoje contra o Guarany. Passou por lá em 2012.
– Leão Azul não joga no Estado Cearense desde 2007. Na época o Remo foi derrotado pelo ceará, 2 a 1, pela Série B do Brasileirão.
– Paysandu reencontra o Técnico Vica no jogo deste domingo contra o Asa-AL, em Arapiraca e vai tentar não repetir o erro de 2013. Levou empate no final do jogo.
– Assim com o Estádio Leonidas Castro, chamado de Curuzú, o Estádio Municipal de Arapiraca, Coaracy da mata e chamado de “Fumeirão”, referencia ao município alagoano conhecida como Terra do Fumo.

24 de agosto de 2014 at 11:42 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 22.08.14

POSITIVO – Lateral esquerdo de Capanema-PA, Anderson Ferreira da Silva, o Pará, do E.C. Bahia, sem chance no Remo em 2012, foi titular e campeão do Torneio da Espanha com Sub 20 do Brasil. Fará 19 anos amanhã. Valeu!

NEGATIVO – Pessoal de Bragança uma revolta só com o Remo. Não é pra menos!  

Lá e Cá

Michel Schmöller, volante do Remo, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA TV e Rádio Clube), Guilherme Guerreiro, Giuseppe Tomazo, Gérson Nogueira e João Cunha.

São 3 confrontos ASA-AL x Paysandu, 2 empates, uma vitória do Papão que tem 3 gols a 2; Guarany Sobral x Remo, 4 partidas, 2 triunfos cearenses, 1 azulino, 1 empate e 6 gols para cada lado.

Águia x Fortaleza, 7 jogos, 6 empates, 1 vitória do Fortaleza que tem 5 gols a 4. Marcelino Paraíba (cartão) desfalcará os Tricolor do Pici, segunda em Marabá, substituído por Erick Flores ou Valfrido.

Vica repetirá time do ASA, domingo: Pedro Henrique, Tiago Baiano, Micael, Rodrigão e Tayson, Cal, Lucas, Michel e Didira, Alex Henrique e Wanderson. Ingressos 10 e 5 reais para lotar estádio. Jogo de 6 pontos.

Enquanto Paysandu tem o melhor ataque do Brasil em 2014 (92 gols), o artilheiro é Robert, do Fortaleza (27 tentos) e que estará segunda em Marabá; bicolor Djalma sentiu no treino da tarde e aos cuidados do DM.

Empresário Alberto Fernandes é quem está trazendo reforços para o Remo; Leãozinho terá na Copa Norte jogadores rodados como Jader, Ian, Denilson e Arturzinho. No Papãozinho, Murilo, Araújo, Márcio e R. Morais

Hoje de novo treino remista de portões fechados à imprensa. Atacante Danilo Lins já se movimetou e vive expectativa de ser relacionado. Parque do Bacurau (Cametá) novo abrigo azulino na Série D solucionando laudos.

PM não quer dar policiamento para jogos da Copa Norte Sub 20 no Baenão, por ausência de laudo da corporação; para que nada falte ao Leão Azul no Ceará presidente Zeca Pirão se antecipou à delegação.

Academia 40 (Daniel Lavareda e Edmir Lima) receberá amanhã no campo dos Estivadores os Veteranos de Brasília-DF; amanhã no campo do Edim-Curuçambá, América PV x Fluminense do Telégrafo.

HOMENAGEM – Gledson Santana Costa, o Marabá, ex- volante do S. Rosa, Tiradentes, Águia, Vênus, Abaeté, S. Raimundo (campeão Série D), Paysandu (bi-estadual), Trem-AP e Miracema-TO. É formado em Ed. Física e técnico do Sub 20 da Tuna e do Centro de Formação Leal Sports.

22 de agosto de 2014 at 12:10 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 21.08.14

Outra revelação descartada

A decisão pegou quase todo mundo de surpresa pela esquisitice e ausência de bons motivos. O Remo anunciou anteontem a dispensa de um de seus mais promissores zagueiros. Desde Raul, que também não teve vida tranquila no clube, as divisões de base azulinas não produziam um beque de bons recursos como Igor João. Assim de supetão, alguém da diretoria ou da comissão técnica decidiu se livrar do jogador e ele foi descartado. Sem mais, nem menos.

Como ocorre com tantas outras revelações, o torcedor teve poucas oportunidades de ver Igor João jogar pelo time principal do Remo. Depois de dedicar mais de cinco anos ao clube, ele foi escalado apenas algumas vezes, em situações de emergência e aperreio, mas raramente começou partidas como titular da zaga.

Mas, por coincidência, foi com Igor João na zaga que o Remo garantiu o título estadual da temporada. Isso ocorreu no primeiro Re-Pa da decisão do Parazão, vencido pelos azulinos por 4 a 1. Na ocasião, o técnico Roberto Fernandes viu-se forçado a lançar oito reservas para suprir a ausência de jogadores contundidos e suspensos.

Igor João ficou incumbido de comandar a defensiva. E deu conta do recado. Ao lado de Yan, também oriundo da base remista, foi fundamental para o excelente resultado obtido. Ainda haveria um segundo clássico decisivo, vencido pelo Papão por 2 a 0, mas o título foi assegurado naquele primeiro confronto.

Desde então, como se tivesse desaprendido a jogar, não teve mais oportunidades entre os titulares. Mesmo quando a zaga fraquejou em lances bobos, como na estreia diante do Moto Clube ou nos instantes finais do jogo contra o River em Teresina.

Acabou relegado à condição de terceira ou quarta opção para a defesa, atrás de jogadores mais limitados, como Rubran. Agora, em medida de contenção de despesas, a diretoria resolveu abrir mão do jovem zagueiro. Podia ter começado a adotar medidas de ajuste financeiro evitando contratações de risco, como a do zagueiro Negretti e do atacante Danilo Lins.

Abrir mão de um atleta de bom nível revelado na própria base é daquelas atitudes que caracterizam gestões pouco preocupadas com projetos de médio e longo prazo. Trabalham sempre com a corda no pescoço e só conseguem ver saída na importação de “reforços”. Igor João foi sacado porque era um dos menos salários do clube, o que, em tese, deveria servir para preservá-lo um pouco mais.

Existem dúzias de exemplos a comprovar que essa linha de conduta é danosa aos clubes, mas por aqui a regra imutável é a de persistir no erro. Fez muito bem o grande benemérito azulino Ronaldo Passarinho em questionar junto ao presidente Zeca Pirão a razão da dispensa de Igor João. Não surtiu efeito prático, mas revelou que pelo menos uma voz de respeito no clube não concorda com a aloprada medida.

Mais do mesmo na lista de Dunga

Ingênuos foram os que apostaram em convocação menos conservadora na primeira lista de nomes escolhidos por Dunga para a Seleção Brasileira. Como se os trágicos 7 a 1 não tivessem maior importância, o técnico decidiu prestigiar o grupo de Felipão convocando 10 de seus jogadores. Número muito expressivo para o paupérrimo futebol praticado pelo Brasil no Mundial.

Alguns são nomes até aceitáveis, como David Luiz, Luiz Gustavo e Oscar, mas outros se inserem na galeria dos descartáveis – Willian, Maicon, Fernandinho, Ramires, Hulk. A insistência em preservá-los denota a falta de critérios do novo comandante.

Que contribuição esses jogadores têm a dar à Seleção depois do que mostraram na Copa? Pelo visto, Hulk seguirá como a principal esperança para o ataque. Como não há milagre capaz de transformar caneleiro em craque, Hulk continuará rude e com parcos recursos. Enfim, o mesmo atacante esforçado e errático de sempre.

Acima de tudo, Dunga queimou preciosa oportunidade para impor nomes novos e experimentar jogadores deixados de lado por Felipão. Nesse sentido, soa como pura teimosia a ausência de Paulo Henrique Ganso, preterido pelo treinador, como já havia ocorrido em 2009 e 2010. Ao contrário daquela época, o camisa 10 não está na plenitude da forma, mas na crise técnica atual não é jogador para ser ignorado.

Apesar de boas novidades, como os cruzeirenses Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart, Dunga esqueceu de convocar Lucas, que Felipão orgulhosamente preferiu não chamar para a Copa, optando por Willian. Ora, tudo o que o meia do Chelsea não fez em gramados brasileiros deveria ser motivo mais do que suficiente para resgatar Lucas.

As críticas à primeira lista de Dunga não anulam o fato de que o Brasil amarga um terrível período de entressafra, agravado pelas pouquíssimas opções ofensivas. A ausência de um legítimo camisa 9 na convocação é evidência desse cenário.

Ô fase.

Águia sob nova/velha direção

João Galvão é o Águia, o Águia é João Galvão. Isto é algo que o torcedor marabaense sabe de cor e salteado há muito tempo. A pedidos, ele está de volta, chamado a socorrer o time em meio a uma situação desesperadora na Série C. Nunca o Águia esteve tão próximo do rebaixamento como atualmente. Galvão reassumiu o comando técnico depois da demissão do técnico Everton Goiano.

A mudança não elimina a estranheza com a guinada do clube em direção a um treinador importado nesta temporada. É provável que o fracasso do Águia no Parazão 2013 tenha forçado a experiência, que se mostrou ainda mais surpreendente quando o clube anunciou a contratação de Dario Pereyra.

Afastado do futebol há algum tempo, Dario chegou sob desconfianças e acabou confirmando os maus presságios. Desafiado a montar um novo time, mesmo com bons reforços, o uruguaio não conseguiu dar ao time a consistência exigida para uma competição dura e equilibrada como a Série C. Foi substituído por Everton Goiano, que seguiu na mesma toada.

Galvão entra em cena como último trunfo para impedir a queda. Não duvido que consiga seu intento, mas é inegável que a empreitada se impõe como a mais difícil que ele já enfrentou no clube. O consolo é saber que ninguém, além dele, pode salvar o Águia neste momento.

21 de agosto de 2014 at 2:28 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 21.08.14

POSITIVO – Professor Hugo Montenegro ministrando Curso de Árbitros e Treinamento em Voleibol, em Paragominas, até sábado; de 29 a 3.8 será o professor Biratan Palmeira a orientar Curso de Alto Rendimento de Volei.

NEGATIVO – Depender do poder público municipal dá nisso: Izabelense desmonando time e abandonando disputa da Segundinha por falta do apoio prometido. É duro!

Lá e Cá

CBF-FPF vetando Castanhal, Paragominas e Cametá para o Remo. Luta agora é conseguir licença especial e atuar no Baenão ou voltar ao desprezado Diogão (Bragança) para jogos frente ao Interporto e River.

Rayro, Marcelo Brás, André Luiz e Vânderson algumas novidades no Castanhal do técnico Rogério Belém na 1ª fase do Parazão; Esdras e Aleílson de volta ao Águia contra o Fortaleza e Émerson dispensado.

Djalma e Bruno Veiga em alta com técnico Mazolla Jr no Paysandu; Roberto Fernandes barrou dois ontem no treino azulino: a imprensa e lateral Alex Ruan, mas um oriundo da base a perder espaço no time.

Chapa da situação do Paysandu (Alberto Maia-Sérgio Serra) será lançada hoje, 20 h, na sede. Antes, jurídicos de Remo e Paysandu estarão 16 h, no Hotel Regente, apoiando parceria Contra Trabalho Infantil do TRT.

Todo conforto ao azulino Danilio Rios: além das contusões foi assistir sua esposa em Brasília que perdeu filhinha no parto. Retornará amanhã.

Luiz Carlos Apeú o técnico da seleção da Vigia para o Campeonato Intermunicipal.

Servidores das Albrás ganharam em 3 categorias 1ª etapa de tênis dos Jogos do SESI. Brilharam Edrisan Cruz e Takashi Nakamura. Próxima etapa de 27 a 28.9.

6ª Edição do Torneio de Voleibol de Funcionários do BB-Etapa Pará, sábado, a partir de 7:30 h, na AABB, com 12 equipes. A campeã estará na Etapa Nacional em Saquarema-RJ. Contatos 91-92196948 e 83706264.

Médicos Flávio Freire, Amintas Melo e Hélton Nóvoa até sábado em BH no XVI Congresso Brasileiro de Medicina do Exercício do Esporte. Freire e alunos da LAMEESP apresentado trabalho científico sobre DM do Paysandu, inclusive na linha da pesquisa com PRP.

3ª Etapa do Ranking de Corridas da AP terá Miniaratona (10 km) dia 21.9 e inscrições http://www.aponline.com.br ou 91-31819919.

HOMENAGEM – Laurimar Santos da Costa, o Laurimar, ex-bicampeão de regata pelo Remo no double e four skiff (1989-90). Remou ainda pela Seleção Paraense. Cursa Educação Física e é árbitro da CBR e CSR.

21 de agosto de 2014 at 2:26 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.08.14

POSITIVO – No limite, por não aceitar mais desculpas e não ser omisso, presidente azulino Zeca Pirão cuida de laudos e mandou equipes técnicas a Paragominas e Cametá. Onde estiver melhor clube jogará. Certíissimo!

NEGATIVO – Torcida proscrita do Paysandu foi a Castanhal, espantou crianças de um parque, bagunçou no jogo e fez quebra-quebra contra carros depois da partida. E a polícia só olhando. Medo?  

Lá e Cá

Paysandu tem 92 gols na temporada (maior artilharia do Brasil) em 49 jogos. Mazolla Jr completou 21 vitórias à frente do time em 41 partidas e seu aproveitamento é de 63% (tem 14 empates).

Técnico Éverton Goiano não resistiu e entregou cargo no Águia onde só tinha 24% de aproveitamento. E lá vem o João Galvão salvar da queda!

Águia ainda tem 4 jogos em casa e 3 fora. Já o Paysandu atuará apenas 3 vezes como mandante e 4 como visitante até o fim da Série C. Bicolor quebrou tabu de 13 anos contra CRB e Pikachu fez seu 40º gol no clube.

Aliás, biclores Pikachu e Mazolla Jr entraram na Seleção da 11ª rodada da Série C. Atitude de Paulo Rafael aceitando jogar (Douglas contundido) sabendo do estado de saude se sua mãe Carla (morreu) altamente digna.

Liberação de Robinho até era esparada no Remo, mas a de Igor João certamente é para dar espaço a Negretti. Atacante Danilo Lins não jogava no Mogi Mirim desde 24.4. Leão Azul seu 13º clube.

Por sinal, no Remo melhor goleiro é Jader, mas nem cheira o time principal e dupla de ataque ideal Rony-Val Barreto não é escalada. É duro!

Árbitro paraense Dewson Freitas apitará hoje sua 8ª partida na Série A deste ano (Coritiba x Vitória); Dr. Gilberto Araújo novo presidente do TJD.

Sábado o tradicional 2º RE x PA do ano da ASBEP (funcionários do banco estadual) começando 9:30 h. São três ao todo.

Crianças de 5 a 12 anos já podem se inscrever para 11ª edição da Copa Miúdos e Miudinhos do Grêmio a ser jogada na Arena do Futuro a partir de 5.9. Procurar sede ou acessar http://www.gremioportugues.com.br.

Foi inaugurado o Centro de Formação de Atletas de Futebol da Leal Sports, o primeiro do Norte em parceria com o Sport do Recife.

HOMENAGEM – Marinez Cruz Arraes, a Marinez, ex-cestinha campeã de basquetebol feminino no Pará pela Tuna, Remo e Paysandu (70-80). Jogou ainda na Seleção Paraense. É Juiza de Barcarena e está na Corregedoria do Interior em nossa Capital (TCE).    
 

20 de agosto de 2014 at 11:45 am Deixe um comentário

COLUNA DO GERSON NOGUEIRA – 19.08.14

Reencontro com a vitória

 

Já se esboçava um novo tabu no horizonte bicolor. O Papão não vencia na Série C há seis partidas e vinha de um período desanimador sob a direção técnica de Vica. A reação começou antes mesmo de Mazola Jr. reassumir. Contra o Coritiba, pela Copa do Brasil, a simples notícia da recontratação do treinador já funcionou como estímulo e o time arrancou uma vitória alentadora.

Ontem, em Castanhal, o bom momento se confirmou. O Papão recebeu o perigoso CRB, dono de maior pontuação e brigando para entrar no G4. Com tranquilidade, sem afobação, controlou as ações e construiu no segundo tempo uma vitória convincente. Aliás, foi uma das vitórias mais merecidas da equipe nesta temporada.

Independentemente da simpatia ou antipatia que seu estilo desperte, o fato é que Mazola confirma nessa reentrada a boa impressão deixada no primeiro semestre. Foi o responsável pela montagem de um time aguerrido, marcador e aplicado, que superava as limitações com uma saída para o ataque e muitas jogadas pelos lados da área.

Desta vez, mesmo sem o artilheiro Lima, Mazola encontrou um grupo ligeiramente mais qualificado, com a vantagem de não ter mais a responsabilidade de prestigiar jogadores que indicou, como Bruninho e Lacerda.

Adepto de formar duplas na estruturação do time, Mazola reeditou diante do CRB a dupla mais afinada que o elenco tem. Parelha que havia sido desfeita na gestão Vica. Pois Djalma e Pikachu voltaram a jogar juntos e, como por encanto, o Papão contabilizou de imediato os lucros dessa iniciativa.

Comentei na Rádio Clube ontem à tarde que o técnico já iria acertar em cheio se resgatasse Pikachu, que nas últimas partidas parecia longe e desligado de tudo. Contra o CRB, Pikachu foi um dos mais ativos jogadores, colaborando no meio e se apresentando para finalizações. Consequência direta disso foi o gol que marcou depois de meses sem balançar as redes.

Para que isso se concretizasse, Mazola teve a sensibilidade de colocar Djalma como escolta de Pikachu. Como jogam juntos há muito tempo, os dois se entendem por música. No primeiro tempo, já mostraram desenvoltura e participaram diretamente das principais manobras ofensivas. O gol não saiu por puro capricho, pois até bola na trave o Papão botou.

No segundo tempo, a partir do gol de Héverton aos 17 minutos, o time acertou de vez a marcação e resistiu bem ao ensaio de pressão que Ademir Fonseca tentou fazer. Bem montado, o time alagoano saía em bloco para buscar o empate. Charles e Lombardi guarneciam a zaga e não deram chances. Acontece que, com os avanços, o CRB escancarou os espaços pelos quais Mazola estava esperando.

O segundo gol nasceu quando o Papão ainda enfrentava alguns perigos. A bela finalização de Djalma aos 37 premiou um jogador que esteve praticamente expurgado durante a passagem de Vica e sacramentou a vitória. O escore final de 3 a 0 foi definido por Pikachu nos acréscimos, coroando sua grande atuação e o acerto da estratégia de Mazola.

Apesar da velocidade do CRB e da aplicação de seus jogadores nos contra-ataques, o Papão teve uma atuação sólida, mandou em campo na maior parte do jogo e mereceu até um placar mais dilatado. Mas, para recomeço de trabalho, está de bom tamanho.

Os melhores do jogo (e do Papão): Djalma, Pikachu, Charles e Héverton. Todos jogadores que se destacaram muito pelas mãos de Mazola. Não há mistério em futebol.

 

 

O retorno triunfal do craque Neymar

 

Os golaços que Neymar marcou ontem contra o León, pelo torneio Joan Gamper, confirmam que ele está em plena forma depois daquele joelhaço aplicado pelo colombiano Zuniga durante a Copa. Episódio que, por sinal, a Fifa tratou com extrema condescendência, tendo o endosso de muita gente séria da crônica esportiva brasileira. O jornalismo ensina que não se deve brigar com os fatos e as imagens são claríssimas quanto à agressão.

Pois Neymar, recuperado completamente da séria lesão que o afastou da Copa, mostrou a alegria que sempre teve ao jogar futebol. Rápido, insinuante e driblador, apresentou-se na área para receber e finalizar os dois passes de Iniesta e ainda colaborou com o primeiro gol, marcado por Messi.

Tudo bem que o León é mais um desses times mexicanos especialistas em correria, mas o que importa mesmo é ver Neymar recuperando o prazer pelo jogo, sem medo de encarar beques de cara feia.

E Dunga, que tenta relativizar o valor do craque com aquela velha zanga contra jogadores habilidosos, terá forçosamente que engolir esse Neymar revigorado.

 

 

Direto do blog

“Mazola fez o time voltar a jogar bola. Passou sufoco? Passou. Isso é Série C, amigos. Nada é fácil. Papão foi melhor no jogo como um todo, em que pese os momentos de equilíbrio. É preciso destacar que Mazola conseguiu fazer com que jogadores que não estavam rendendo voltassem a jogar bem. Yago e Charles são bons exemplos disso. Vamos Papão! O sonho continua. A Mazola o que é de Mazola!”.

De Celira, torcedor do Papão, exultante com a primeira vitória na Série C depois da Copa.

 

 

No Leão, um freio nas desculpas

 

Dadá, com a simplicidade dos bons, decretou um fim para o festival de desculpas esfarrapadas depois da derrota para o Guarani de Sobral, em Bragança. Perder em casa não tem justificativa, disse o volante.

Alguém precisava parar com a escalada de lorotas para o tropeço azulino. Afinal, perder faz parte do negócio. E o melhor caminho para reencontrar a vitória é aprender com os próprios erros.

19 de agosto de 2014 at 11:33 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 19.08.14

POSITIVO – Árbitro paraense Dewson Freitas continua com tudo: apitará amanhã Coritiba x Vitória (Série A), sexta América-MG x Ponte Preta (Série B) e, sábado, adicional de Atlético-MG x Inter (Série A). FIFA bem perto!    

NEGATIVO – Quanta ingenuidade no Departamento de Futebol Azulino: tem é de cobrar do plantel mais caro de Série D e do técnico mais bem pago resultados ou tomar medidas drásticas. Chega de desculpas tolas!  

Lá e Cá

Jurídico do Remo tentando sensibiizar CBF a fim de adiar os dois jogos de punição que faltam para 2015, enfrentando Interporto (7.9) e River (14.9) no Baenão e com ingresso pago. Toda tentativa é válida!

Takashima Nakamura, diretor vice presidente da Albrás ganhou de Paulo Cecim, da Hydro Alunorte, no tênis de quadra, nas novas instalações do SESI que promoveu a disputa. E foi de capote!

Santa Rita-AL, sucesso na Copa do Brasil (vai pegar agora o Cruzeiro) é o antigo Corinthians Alagoano, de empresários e o único nas oitavas que não disputa nenhuma série do Brasileiro.

Após cirurgia e chegada do técnico Mazolla Jr, atacante bicolor Leandro Carvalho se anima para voltar; no Remo, hoje Danilo Rios de retorno ao trabalho com bola liberado de novo pelo DM.

Salgueiro (no G4 da Série C) recebe ajuda mensal de 150 mil do Governo de Pernambuco da parceria da Nota Fiscal Cidadã. E por aqui nada!

Alerta aos bicolores: Brasília é de um grupo de empresários ligado politicamente ao Governador do DF, Agnelo Queiroz.

Pikachu, que só ficará no Paysandu até final deste ano, deixou a lateral direita há alg tempo e com isso perdeu espaço na mídia nacional para outro paraense, o Tiago Cametá, do Fortaleza. Agora só se fala nele!

No seu segundo jogo no Brasil, Seleção da Etiópia empatou com o Gama-DF em 1×1. Time candango esteve reforçado dos veteranos Flávio Conceição e Viola (fez o gol). Agora, Brasiliense amanhã.

Jogo Remo 0x1 Guarany de Sobral, em Bragança, teve 1.230 pagantes a menos que na partida Remo 0x0 Moto lá mesmo. Por sinal, Guarany é o único time cearense com título nacional, a Série D de 2010.

Caio Max Augusto Vieira-RN, árbitro de Guarany-CE x Remo, domingo em Sobral, tem 32 anos, é professor de Educação Física e já apitou este ano 1 jogo da Série A, 3 da Série B, 1 da C e 1 da D.      

HOMENAGEM – Walter Ferreira Maués Filho, o Waltinho, ex-lateral esquerdo do futebol de campo do Paysandu desde a base nos anos 90, ex- atleta de futsal do Remo (94) e Paysandu (96-97). É técnico de enfermagem do Ophir Loyola.

19 de agosto de 2014 at 11:30 am Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.