Coluna do Gerson Nogueira – 08.09.14

8 de setembro de 2014 at 12:21 pm Deixe um comentário

Leão desencabula no Diogão

 

Apesar das dificuldades de marcação no segundo tempo, quase complicando um jogo ganho, o Remo conseguiu quebrar a maldição do estádio Diogão e conquistou vitória importante na luta pela classificação no grupo A2 da Série D. O placar de 3 a 0 poderia ter sido mais elástico, caso o ataque tivesse corrigido o velho problema de finalização, mas é justo reconhecer que o Interporto também poderia ter tido melhor sorte na etapa final, pois teve mais posse de bola e desperdiçou duas boas chances.

Os primeiros movimentos mostraram um time mais comprometido com a busca da vitória, atacando sempre e chegando com vários jogadores ao mesmo tempo. Quando o time avançava, Reis se posicionava como terceiro atacante e a faixa direita, com Roni e Levy, funcionava bem, explorando as subidas do ala esquerdo do Interporto.

O único senão ficava com o setor defensivo, onde Max, Rafael e os volantes se atrapalhavam na marcação ao atacante Lourival, muito habilidoso e rápido. Por vários momentos, ele esteve a pique de chegar ao gol.

Quando Leandro Cearense marcou o primeiro gol aos 15 minutos o Remo já era merecedor da vantagem. Continuou a merecê-la no decorrer do jogo e acabou saindo para o intervalo com 2 a 0, graças ao gol marcado por Roni no finalzinho da primeira etapa.

A superioridade técnica exibida no primeiro tempo não se confirmou no recomeço da partida. Isso se deveu principalmente à exaustão dos volantes Michel e Dadá, fator que permitiu ao Interporto se aventurar com mais desembaraço na intermediária azulina.

Para piorar, o meia-armador Danilo Rios, que havia participado bem do jogo até então, também acusou cansaço e o time perdeu consistência no meio. Marcinho e Ratinho entraram muito tarde, mas a tempo de decidir a parada já no apagar das luzes, com o gol do segundo.
Como já ficou evidente em outras partidas, a insistência com Reis no meio-campo numa função meio indefinida entre armar e marcar não está trazendo ao time os benefícios esperados. Pode ser um jogador para por mais velocidade na saída e ajudar o ataque, mas jamais um organizador ou segundo volante.

Outro ponto a ser corrigido é o posicionamento dos zagueiros Max e Rafael. Como nos outros compromissos do Remo no Diogão, a dupla voltou a falhar em lances bobos, hesitando no primeiro combate e muitas vezes se colocando em linha.

No geral, porém, foi uma atuação acima da média apresentada pelo time na Série D, com alguns pontos bastante positivos, como o encaixe do lado direito, com Levy e Roni, e a firme marcação de Dadá e Michel (enquanto tiveram fôlego) à frente da área. O ataque carece de mais força e movimentação. Ratinho, se recuperado por completo, tem lugar na frente.

Os três pontos colocam o Leão na liderança do grupo A2, precisando vencer o River na próxima rodada para sacramentar a classificação.

 

 

 

Primeiro desafio da RemoTV

 

A RemoTV fez sua estreia ontem, transmitindo o jogo diretamente de Bragança. André Anaisse narrou, com André Caldas comentando e Sandro Galtran na reportagem. Torcedores pagam R$ 19,19 (sócios torcedores, R$ 14,90) pelo pay-per-view, o primeiro do gênero .

O sucesso da transmissão via site oficial do Remo pode ser medido pela audiência – mais de 500 internautas-telespectadores. Mesmo com a pirataria, que atrapalhou bastante o projeto, que já prevê a transmissão de Remo x River na próxima rodada.   

 

 

Águia dá um passo para sair da zona

 

Ainda não deu para deixar a zona de rebaixamento, mas pelo menos serviu para largar a lanterna do Grupo A da Série C. Com grande e decidida atuação no estádio Zinho Oliveira, o Águia goleou o ASA de Arapiraca por 4 a 1 e pulou para a penúltima colocação.

Foi a melhor atuação do Azulão no campeonato e o desempenho teve como pontos altos a determinação dos jogadores e a pontaria dos homens de ataque. Aleílson marcou logo aos 10 minutos. Danilo Galvão ampliou aos 39. Mesmo com o gol do ASA aos 43, o Águia se manteve firme na perseguição aos três pontos, confirmando o triunfo no final da partida, com a dupla Danilo Galvão e Aleílson.  

O jogo foi mais difícil do que o placar indica, mas João Galvão finalmente mostrou que a força da motivação e do empenho da equipe podem fazer a diferença.

 

 

Sobre comparações imodestas

 

Quem viu a declaração de Anderson Silva ontem à noite, na TV, teve uma boa ideia de como anda a avaliação de talentos no Brasil. Com a maior sem-cerimônia, o lutador declarou que não precisa provar mais nada a ninguém, afinal só existe um Pelé, um Senna e um Anderson Silva. Foi como se tivesse baixado ali a modéstia de Suzana Vieira.

O ato falho confirma que as pessoas precisam controlar a ânsia por auto-promoção e evitar sacrilégios comparativos com verdadeiros gênios do esporte.

Entry filed under: Uncategorized.

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 08.09.14 Coluna do Gerson Nogueira – 09.09.14

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: