Archive for dezembro, 2014

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 30.12.14

POSITIVO – Troféu Camisa 13 (Grupo RBA) dará largada do Parazão dia 27.1 e convidado é o presedente da Federação Catarinense (quatro clubes na Série A) Delfim Peixoto Filho. Temos muito a aprender com ele!

NEGATIVO – Mesmo com passagem e arbitragem pagas, Tuna quase desistente da Copa BR de Futebol Feminino por falta de time e recursos para despesas básicas. Pobre, Cruz-de-Malta!

Lá e Cá

Chega de letargia dos clubes e FPF. É hora de procurar patrocínio ao Parazão na iniciativa privada. Governo confirma que bancará competição em 2015, mas SEEL ainda deve parcelas de 2014. Até quando?

Zé Teodoro chegará domingo com 5 jogadores de sua confiança. Além disso, expectativa da reapresentação no Remo, dia 5.1, de 19 jogadores sob contrato. Isso não quer dizer que todos ficarão.

Entre outros são esperados Fabiano, Levy, Max, Rafael Andrade, Alex Ruan, Ameixa, Leandro Cerense, Val Barreto, Ratinho, Fabrício, Igor João e Eduardo Ramos. Na maioria um “Vale a Pena Ver de Novo”.

Enquanto isso, executivo de futebol Fred Gomes foi contratado. Curiosamente trabalhou com Zé Teodoro, no Ceará (2010) e Sidney Moraes, no ICASA (2013). Teve problema com Francisco Diá (ICASA).

Diretoria de estádio do Remo não dá garantia de que o Leão Azul usará o Baenão no Parazão. Obras em execução. Estreia diante do Parauapabeas. 1.2, no Mangueirão. Pré-temporada 9 a 20.1 (Barcarena).

Reapresentação do Independente dia 6.1 e, além da base passada, contratados atacantes Roberto Jacaré e Carlinhos. No time da Copa SP o técnico é Milton Jaime e viagem de ônibus dia 1.4, sem ajuda oficial.

Paysandu da Copa São Paulo vai de avião dia 3.1 e estreará 4.1. Expectativa para os três goleiros Paulo Ricardo, Jéferson e Redson, todos de altura acima de 1,90m e depois dois deles se integrarão ao profissional.

Mariozinho não é mais técnico das divisões de base do clube-empresa Desportiva Paraense. Walter Lima cotado; reviravolta no caso Lombardi-Paysandu e poderá voltar; Jr Timbó, cotado no Remo já esteve no Águia.

Pesar pelo falecimento do primo Benedito Augusto Guimarães. Velório nos Capuchinhos e enterro, hoje, 9 h, no Parque da Eternidade, em Marituba.

HOMENAGEM – Carlos Alberto da Costa Dias, o Carlos Alberto Dias, ex-meia do Matsubara, Coritiba, Botafogo (melhor fase), Seleção Brasileira, futebol japonês, Vasco, Grêmio, Flamengo, Paraná, Fluminense, Ceará e ABC, de 1988 a 2006. É a aposta do Castanhal para técnico no Parazão.

30 de dezembro de 2014 at 11:06 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 23.12.14

POSITIVO – Tabelas favoreceram o Independente que só joga em casa no início da temporada: 4.2 Remo (Parazão); 8.2 Brasília (Copa Verde); 11.2 São Francisco (Parazão). Que tenha bom proveito!

NEGATIVO- Remo enfrenta de novo problema de pré-temporada e for para Barcarena vai pagar suas despesas porque Prefeitura está quebrada. Que fique por aqui. Vai ser melhor!

Lá e Cá

Pikachu até tem achado interessado no seu passe, só que surgem até três donos dos direitos econômicos do jogador e isso dificulta. Como tem contrato até o final de 2015 ficará mais uma temporada no Paysandu.

Quem assina pré-contrato com o Paysandu sabe que poderá pagar multa de 100, 200 e até 300 mil reais. Fundos da Curuzu só serão mexidos quando houver recursos (cerca de 4 milhões). Lá só ficarão cadeiras.

Jorge Ferreira novo preparador de goleiros do Paysandu; em franca recuperaçaão os amigos bicolores João Coimbra e Edilson Castro.

Cláudio Jorge é o Gerente Geral do Remo e até mestre de cerimônia quando necessário; atacante Flávio Caça Rato, que deixou o Santa Cruz já fala na possibilidade de jogar no Leão Azul e se dá bem com Zé Toedoro.

Visitei o Bancrévea e testemunhei grandes melhorias no clube num trabalho de Evaldo Silva e que será continuado por Antonio Pinheiro;
RE x PA dos bancreveanos  o Paysandu ganhou de 6×3 nos super-másteres e o Remo de 4×2 no misturado de másteres e novos.

Na Copa Verde são 2 clubes da Série B (Paysandu e Luverdense), 1 da Série C (Cuiabá), 3 da D (Cene, Nacional-AM e Santos-AP) e 10 ainda sem Série: Remo, Vilhena, Independente, Estrela do Norte, Luziânia, Tocantinópolis, Brasília, Rio Branco, S. Raimundo-RR e Princesa do Solimões-AM.

Técnicos: Santos (Flávio Barros), Paysandu (Sidney Moraes), Vilhena (Birigui), Nacional (Sinomar Naves), Independente (Lecheva), Brasília (L.C. Carioca), Remo (Zé Teodoro), Rio Branco (Zezito), S. Raimundo (Chiquinho (Viana).

E mais: Princesa (Zé Marco), Estrela (Dario Lourenço), Luziânia (Ricardo Antonio), Cene (Valter Ferreira), Cuiabá (Márcio Goiano), Tocantinópolis (Neto Costa) e Luverdense (Leandro Niehues).

Atacante uruguaio Acosta, 37 anos, ex- Peñarol, Corinthians, Náutico e armador Jonathan, meio irmão de PH Ganso, novidados do Santos-SP adversário do Paysandu na Copa Verde.

HOMENAGEM – Carlos Hermínio Pamplona, o Pamplona, ex- nadador campeão de nado costa no Remo, Seleção Paraense e Tijuca-RJ nos anos 60. É engenheiro mecânico e empresário.

23 de dezembro de 2014 at 11:20 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 17.12.14

POSITIVO – No Remo é uma eleição atrás da outra: hoje, para o CD, 3 chapas (Hermes Tupinambá, Manoel Ribeiro e Ângelo Carascosa). Votarão os 100 novos Conselheiros, 30 Beneméritos e 10 Grandes Beneméritos.

NEGATIVO – Paara o diretor coronel Maroja a situaçãodo Baenão é crítica; contratos no Remo que ultrapassam gestão são irregulares (estatuto) e isso ocorreu na administração anterior.

Lá e Cá

Na eleição do CD azulino, hoje, a coisa está equilibrada. Situação tem de 65% a 70% dos conselheiros, mas oposição vai com quase todo o restante e praticamente a totalidade de beneméritos e grandes beneméritos.

Na conquista do basquetebol adulto pelo Remo depois de 12 anos estavam torcendo os ex-jogadores Sérgio Paiva, Haroldo Maués, Paulo Mota, Bené Cearense e Galega. Em 2015 festejo de 50 anos do hepta.

Copa do Brasil: Paysandu passando no Águia Negra-MS pegará Boa Vista-RJ ou ABC; Remo superando Atlético-PR, Tupi-MG ou Alecrim-RN; Independente ultrapsssando o ICASA, Goiás ou Santo André.

Águia Negra (42 anos) receberá o Paysandu no estádio Ninho da Águia (8 mil lugares) em Rio Brilhante-MS (150 km da capital, Campo Grande). Rio Brilhante é a terra natal de Alex Dias que jogou no Remo e brilhou no Brasil e no mundo.

Remo x Atlético-PR, em Belém, oportunidade do goleiro acreano Weverton voltar a Belem e enfrentar seu ex- clube, onde não deu um chute. São as viradas do futebol!

Em razão do ranking de cada clube junto à CBF, Paysandu fará segundo jogo contra o Águia Negra em casa, Remo e Independente fora diante do Atlético-PR e ICASA.

Paysandu solicitando para estrear no Parazão dia 2.2, festejando seus 101 anos; Bruno Veiga mais perto de retornar a Curuzu que Ruan; técnico Cludinho Batista (Mogi Mirim) falado no Remo.

Wellington Sacy e Vênus (clube que o revelou) realizarão domingo o 2º Jogo Beneficente da Solidariedade, em Abaetetuba, Estádio Humberto Parente, 10 h, ingresso 1 kg de alimento.

Astro o campeão de super-másteres do Bancrévea; Remo tri dos RE x PA do ano no Banpará; tabela do Parazão (sem aumento de verba) na próxima semana; prefeito de Barcarena quer pré-temporada do Remo.

HOMENAGEM – Francisco Corrêa Farias, o Chico do Mário, ex- ponta esquerda do Atalaia (campeão), Santana e Seleção de Breves nos anos 70. É funcionário da SEFA na unidade do Utinga.

17 de dezembro de 2014 at 12:12 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 16.12.14

POSITIVO – Estilo conciliador de Pedro Minowa é capaz de unir o destroçado Remo. Ex-vice presidente Marco Antonio Magnata ao cumprimetá-lo emocionado recebeu convite para trabalho conjunto.

NEGATIVO – Ex- presidente Zeca Pirão saiu antes do resultado da eleição e ainda postou ontem em rede social: “Faz de Conta Que Morri”. Quanta falta de remismo!

Lá e Cá

Nova 1ª dama azulina se chama Oscarina Morikawa Kabuk Minowa. Novo presidente, embora de descendência japonesa nasceu na Fazendo dos Acatauassu em Soure. É grande empresário do ramo de estaqueamento.

Raimundo Ribeiro (ex-presidente duas vezes) e Armando Corrêa (vai voltar à base) dos mais entusiastas na vitória de Minowa; novo diretor do Baenão é o Coronel Maroja, que hoje dará coletiva sobre o estádio.

Mais votado para o CD azulino foi Benedito Sá (351), seguido de Maurício Bororó (335). Bororó ainda conseguiu eleger o pai Wilson Figueiredo, além dos irmãos Wilson Figueiredo Jr e Eduardo Figueiredo.

Fábio Cebolão (191) e Evaldo Silva (110) eleitos ao CD. Eleição da mesa amanhã e consenso indica Hermes Tupinambá para presidente e Cláudio Bernardo vice.

Presidente do Paysandu Alberto Maia comprimentou presidente eleito do Remo Pedro Minowa. Outros tempos!

CBF desmente especulações e confirma que só no sorteio, hoje, serão conhecidos os confrontos da Copa do Brasil. Na 1ª fase, Paysandu e Independente pegarão adversários medianos e o Remo um grande.

CBF também estabaleceu Mangueirão para jogos de Remo e Paysandu e Navegantão ao Galo Elétrico. Pode haver mudança, mas isso é outra coisa.

Eduardo Ramos e Fabiano conversarão sobre redução de salário com a nova diretoria azulina ou terão de procurar clube; Landu já apareceu para tratar do atrasado, mas vai entrar na fila.

Na 3ª fase da Copa Verde, se tudo caminhar bem, dois RE x PA dias 5 e 15.4; árbitros paraenses farão pré-temporada a partir de 5.1, provavelmente em Mosqueiro; nessa data Paysandu anunciará contratados.

Corpo do primo Geraldo José Guimarães de Amorim (Juiz aposentado do TJE) será cremado hoje e cinzas jogadas dia 25.12, no Rio Caeté, em Bragança, sua terra natal, conforme desejo em vida. Descanse em paz!

HOMENAGEM – Vitor Domingos, o Bisteca, ex- ponta esquerda do Liberato de Castro, Izabelense e Sport Belém nos anos 70-80. Tem empresa fotocopiadora.

16 de dezembro de 2014 at 10:38 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 15.12.14

Um samurai no poder

O Remo finalmente conseguiu eleger seu presidente. Já é um avanço, levando em conta as muvucas que invalidaram o primeiro pleito. Descontado o prejuízo de um mês surrupiado do período de formação do novo time, pode-se dizer que 2015 começa agora para os azulinos. E não será um ano qualquer, pois o clube precisa de novo conquistar em campo um lugar na Série D.

Pedro Minowa, que desta vez venceu com folga, comemorou muito a eleição. E sua alegria tem razão de ser. Apaixonado pelo Remo, batalha há anos pela chance de presidir o clube, mas sempre acabava preterido ou bloqueado em suas pretensões.

E Minowa acabou triunfando logo na primeira eleição direta da história do Remo. Não por coincidência. É claro que foi graças a um novo universo de eleitores que um candidato de oposição teve a chance de vencer, e venceu.

Zeca Pirão foi vítima do sentimento de insatisfação de associados e torcedores do Remo. Não estão insatisfeitos só com Pirão. O voto em Minowa é claramente um brado oposicionista pela mudança de rumos.

Qualquer candidato da situação teria a mesma sorte de Pirão nesta eleição. E olha que o ex-presidente fez mais pelo Remo do que seus dois antecessores. Fez muito diante das imensas dificuldades existentes.

Deu início à reconstrução do estádio Evandro Almeida, que um antigo presidente chegou a depredar de propósito, e ganhou um título estadual que o clube não via há cinco anos. Deu o azar, porém, de fracassar na Série D.

E fracassou porque apostou em conselhos errados e deu carta branca a um técnico fraco, Roberto Fernandes, mais interessado em prestigiar seus jogadores do que valorizar os atletas pertencentes ao Remo.

Minowa assume com um discurso diferente, como era de se esperar. Avisou que vai pagar (até o próximo dia 24) os salários de jogadores da base e funcionários do clube. Já encaminha a contratação de um treinador renomado, provavelmente PC Gusmão. E confirma que o clube vai utilizar o CT do Carajás, em parceria firmada há meses.

O mais importante é que Minowa parece ter resumido numa frase aquilo que torcida e imprensa repetem há décadas e ninguém parece ouvir. Disse, ainda em meio às comemorações pós-eleitorais, que o Remo é uma mina de ouro. Não falava do minério propriamente dito.

Por experiência própria, como torcedor de arquibancada, que a massa azulina constitui o principal patrimônio do clube. Muito mal administrado na maior parte do tempo e pouco contemplado com recompensas nos últimos tempos.

A nova diretoria pretende investir muito no programa de sócio-torcedor e alavancar parcerias que permitam finalizar as obras do Baenão, iniciativa que pode significar a independência financeira do Remo, pois o estádio pode vir a ser usado para jogos de médio porte já no primeiro semestre.

Como todo novo gestor, Minowa terá direito a uma trégua inicial. Deve aproveitar esse período para ganhar a confiança do torcedor, que estava insatisfeito com a antiga diretoria e ainda não sabe se pode acreditar no projeto do presidente recém-eleito.

Medidas de impacto são bem-vindas, até para sacudir o clube, mas sem extravagâncias desnecessárias e sem perder o sentido de realidade.

Lua-de-mel com prazo de validade

Com a escolha do novo técnico, o Paissandu deu ao final do ano temperos mais serenos. A conquista do acesso também contribuiu para essa lua-de-mel entre diretoria e torcida. É claro que o próprio Sidney Moraes sabe que ambientes de calmaria são raros em clubes de grande popularidade.

O treinador terá o mês de janeiro todo para armar o time do Campeonato Paraense e da Copa Verde. Sem direito a erros, pois o torcedor ainda recorda os sofrimentos vividos ao longo da Série C e teme a repetição desses mesmos problemas na duríssima Série B 2015.

A princípio, a calma demonstrada pelos dirigentes chegou a impacientar setores da torcida, mas aos poucos fica claro que a postura é a mais sensata. Não há motivo para desespero e as contratações devem ser certeiras. Além disso, os salários andam inflacionados demais e a tendência é de que o novo ano torne os negócios mais palatáveis para clubes como o Papão.

Direto do Twitter

“O governo brasileiro também deveria ser dono dos direitos do futebol brasileiro”.

Por Flávio Gomes

Mundial começa em ritmo de peladão

Os jogos iniciais do Mundial de Clubes, disputados no Marrocos em estádios vazios e de campos esburacados, não insinuam a menor dificuldade para o San Lorenzo e muito menos para o Real Madri, que chegam com a justificada condição de favoritos para a disputa do título.

Dos clubes que atuaram na sexta-feira, somente o Cruz Azul mexicano inspira algum cuidado, mas sem ostentar a marca inconfundível da zebra. Real e San Lorenzo devem chegar sem sustos à final, com os argentinos depositando no Papa Francisco suas maiores esperanças.

Torcida grande não segura audiência

Segundo o colunista de TV Daniel Castro, o ano termina com uma novidade nas planilhas de audiência da emissora que transmite os jogos da Primeira Divisão no Brasil. Os números não mentem: o popularíssimo Corinthians foi superado pelos outros três grandes de São Paulo na audiência dos jogos exibidos na temporada.

Não, o Corinthians não deixou de ser o dono da maior torcida em São Paulo. O problema é que nem sua imensa legião de fãs aguentou ver as fracas atuações do time de Mano Menezes ao longo do ano.

15 de dezembro de 2014 at 9:39 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 14.12.14

BOLA NA TORRE

Deste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV – Canal 13. Vamos falar das Eleições do Clube do Remo e o Presidente Eleito, as contratações do Paysandu e seu novo treinador. Estarei no comando com Valmir Rodrigues e Gerson Nogueira e nosso convidado será o ex-árbitro
Fernando Sérgio Castro. Todo Mundo Ligado…

BASQUETE…

Amanhã no Ginásio Serra Freira teremos o encerramento do Segundo Turno do Campeonato Adulto de Basquete. Na preliminar jogam Cabano e NBP e na partida principal um novo RexPa recheado de emoções. Se o Remo vencer será o Campeão, o Paysandu precisa vencer pra sonhar em dsputar
o título. Com certeza de Casa Cheia…. Quem gosta vai…

NATAL SOLIDÁRIO…

Com a organização dos Grupo Cutucano e Parasoccer, sob a responsabilidade dos amigos Luiz Claudio Silva e Thiago
Quaresma, promoveram o I TORNEIO NATAL SOLIDÁRIO
o torneio contou com a participação de 8 clubes, sendo
que cada atleta inscrito daria 2 brinquedos, Os clubes: AD GENOS, ELITE SOCCER, FURA OLHO, KABANO, MARTINENSE, PAVÃO, SÃO JOSÉ E URUCUBARCA. Além de PUMAS ITAMARATY e COLMÉDIA que não participaram do torneio mas foram doar seus brinquedos. Na decisão
com bola rolando Martinense 1 x 0 Kabano. Foi um show de solidariedade com mais de 350 brinquedos arrecadados para as crianças das comunidades carentes do Jurunas e Cidade Velha. Parabéns pela iniciativa…

EM MACAPÁ…

Como acontece todos os anos a Colônia Paraense e Azulina em Macapá fará homenagem aos ídolos do passado em jogo festivo neste domingo no Estádio Zerão. A comitiva em Macapá está formada por Bira, Tiaguinho, Mareco e Zezinho Macapá. De Belém foram convidados e deverão participar
da festa Mesquita, Marinho, Dutra, Dico, Aderson, Mego, Ney Sorvetão entre outros. Bem que essa iniciativa poderia acontecer por aqui…

BARBALHÃO

Mesmo que a passos lentos as obras de conclusão do Estádio Jader Barbalho em Santarém continuam, na sexta foi feita a abertura para a Licitação para a colocação do novo gramado do Colosso do Tapajós. Muito provável que o Estádio possa ser utilizado no Parazão 2015. São Francisco e Tapajós serão
o anfitrião.

JOGO DAS “ESTRELAS”

Realizado pela Cia Athlética na segunda, dia 22 no Mangueirão a VI Edição do Jogo das Estrelas, a partir de 8 da noite. Já estão confirmados Werverton (Atletico-PR), Cicinho (Santos), Erik (Goiás), Edson Silva (São Paulo), Aloisio Chulapa, Charles Guerreiro, Lyoto Machida (UFC), Alan Fonteles (Campeão Palímpico), Amaral(ex-Palmeiras e Seleção), Valdin e Leco (Futsal) entre outros. PH Ganso vai estar em Belém, mas ainda não confirmou presença. Ingresso será 2 Kg de Alimento não Perecível. Todos lá..

14 de dezembro de 2014 at 10:49 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 14.12.14

Nem tudo que reluz é ouro

O futebol é pródigo em exemplos de jogadores que surgem de repente como a mais nova sensação do nobre esporte bretão. As informações brotam, os elogios se multiplicam e todo mundo passa imediatamente a acompanhar com interesse o candidato a astro.

Salvo casos muito especiais, a maioria dessas revelações termina decepcionando. Seja pelo excesso de expectativa ou por absoluta falta de qualificação do atleta. O fato é que no afã de descobrir novos Pelés, Maradonas, Messis e Cristianos as pessoas costumam exagerar nos rapapés.

Qualquer drible mais inspirado ou gol caprichado já é razão suficiente para provocar uma torrente de louvações. Lembro que há algum tempo o atacante Keirrison despontou como a nova promessa de redenção do futebol brasileiro. Ledo engano.

Enganou por um tempo no Palmeiras e, graças a um empresário esperto, ganhou até oportunidade no Real Madri. Como era apenas um atacante comum, não foi adiante. De volta ao Brasil tenta manter a carreira no Coritiba, seu clube de origem, mas sem entusiasmar ninguém.

Veio do Sul também outro nome endeusado pela mídia esportiva, cotado para brilhar no futebol europeu. Leandro Damião despontou no Internacional, fez muitos gols no Campeonato Brasileiro e chegou à Seleção.

Fez um golaço de rabo-de-arraia contra a Argentina. O mundo parecia aos seus pés. Veio a Copa do Mundo e Damião foi esquecido. Negociado a peso de ouro com o Santos virou reserva de luxo na Vila Belmiro, entrando no time só de vez em quando.

Não é privilégio do futebol atual. Antes, lá pelos anos 80, alguns jogadores também eram extremamente badalados, porém sem frutificar quando a grande chance aparecia. O fenômeno Washington é um dos mais emblemáticos. Revelação do Guarani, o jogador tinha passada elegante e porte físico que lembrava o Rei. Em questão de meses passou a ser comparado ao próprio Atleta do Século. Foi o seu fim.

No Fluminense, havia Robertinho, ponteiro ciscador, que durante anos embalou o entusiasmo, colecionando adjetivos elogiosos da ruidosa imprensa esportiva carioca. O esforço foi em vão. Não emplacou e acabou desaparecendo.

Naquele tempo era mais relativamente mais fácil enganar, pois a carreira do jogador de futebol não era tão esmiuçada pela imprensa como hoje. Alguns conseguiam até fazer uma carreira mais longa, até que alguém finalmente descobrisse a fraude.

Mesmo com a profusão de meios e plataformas para analisar o desempenho de jogadores do mundo todo, ainda há espaço para algumas esparrelas. Paulinho, volante que virou sinônimo de meio-campista moderno no Corinthians de Tite. Ganhou todos os prêmios e atraiu o interesse do futebol inglês, onde acabaria vivendo sua derrocada.

Ainda foi chamado para a Seleção Brasileira, mas a Copa do Mundo revelou em cores vivas que os bons momentos de Paulinho no Corinthians foram apenas espasmos numa carreira inteiramente mediana, mais ou menos como a de Robinho.

Expoente da geração “meninos da Vila”, o ás das pedaladas viu seu futebol murchar na mesma proporção em que acumulava milhagem em camisas poderosas – Real Madri, Milan, Manchester City, Seleção Brasileira.

Alexandre Pato, apesar de todo o furor inicial, foi aos poucos descendo na escala até chegar ao estágio de hoje, quando seu futebol de lampejos é visto sob uma ótima mais realista e menos empolgada.

É claro que existem enganadores contumazes, cuja carreira improdutiva e bem remunerada desafia a lógica. Fernando Torres, o atacante que um dia encantou a Espanha, joga até hoje com a imagem de dez anos atrás. Recordista mundial de gols perdidos, sempre atuando por grandes esquadras – Chelsea, Liverpool, Milan. Prova viva de que no futebol é possível enganar (quase) todos por muito tempo.

Atenção redobrada sobre as arbitragens

Durante muitos anos a arbitragem brasileira foi alvo de desconfianças e acusações de picaretagem, mas não aparecia ninguém capaz de comprovar qualquer irregularidade. Isso durou até o dia em que a “máfia da Loteria Esportiva” foi desbaratada, na década de 1970, a partir de uma série corajosa de reportagens do então repórter Marcelo Rezende, da revista Placar.

Naquela ocasião, a arbitragem caiu do pedestal e passou a ser vista com outros olhos. Com o tempo, porém, as coisas foram se acomodando e uma boa geração de apitadores restituiu a confiança perdida.

A descoberta da “máfia do apito”, capitaneada por Edilson Pereira de Carvalho, em 2005, viria abrir uma nova fissura na imagem da arbitragem nacional. E com características novamente de vinculação com apostas criminosas.

Na última década, embora o Brasil tenha passado ao largo de investigações, a Fifa e a Interpol têm se empenhado em investigar esquemas fraudulentos envolvendo casas de apostas africanas e europeias. Suspeitas sobre alguns resultados da Copa de 2006 seriam posteriormente confirmadas.

Por aqui, a cisma sempre foi quanto a interesses diretos de clubes que disputam acesso ou rebaixamento. Quanto ao crime organizado, pouco se comenta e quase nada se faz para prevenir ou observar.

A mais nova iniciativa, por orientação da Fifa, é o fortalecimento da Corregedoria de Arbitragem da CBF. Um detalhado manual de procedimentos foi elaborado a fim de tentar inibir a ação de mafiosos junto a árbitros brasileiros.

A aceitação de presentes, mordomias e outros mimos é expressamente proibida, bem como a prática de apostas por parentes de árbitros. A punição para quem descumprir será severa e deve surtir bons resultados, mas a CBF deveria também aproveitar para investir mais na qualificação desses profissionais.

Estudos da própria Fifa comprovam que quanto mais preparado for o árbitro, inclusive do ponto de vista acadêmico, menor é a possibilidade de vir a ser enredado pelos esquemas de manipulação. De toda maneira, toda e qualquer providência para garantir a lisura do jogo é sempre bem-vinda.

Bola na Torre

Giuseppe Tommaso apresenta o programa deste domingo, com participações de Valmir Rodrigues, Fernando S. Castro e este escriba de Baião. Começa por volta de 00h15, depois do Pânico na Band.

14 de dezembro de 2014 at 10:41 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 12.12.14

POSITIVO – Diretoria do Tapajós confirmou mando de jogos na fase principal do Parazão em Santarém, aonde já ocorrerá a representação dia 2.1. Contratou zagueiro Wallace, do Macaé. Estamos na torcida!

NEGATIVO – Eleição no Remo ameçada e as pessoas envolvidas nela se preocupam mais com suas vaidades, esquecendo a grandeza do clube centenário. Que falta faz uma Junta Governativa!

Lá e Cá

Presidente eleito do CD do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA HD TV e Rádio Clube) o convidado é Fernando Castro Rodrigues, diretor da FPF.

Candidatos a conselheiro do Remo bem recomendados: Fábio Bentes (20), Evaldo Silva (34), Fábio Cebolão (35) e Julio Martins (70). Aliás, Cebolão, Paulo Araújo, Dico e Dutra comandarão base, dependendo do pleito.

Segunda-feira último RE x PA em ginásio de menor porte (será no Serra Freire) o que já é consenso dos dirigentes. Se acontecer jogo extra para decisão do título adulto, quinta-feira, no SESI.

Veterana Formiga (brilhou aqui no Independente da Marambaia) homenageada pelos 20 anos de Seleção Brasileira Feminina na goleada sobre a Argentina por 4×0. E ela fez dois!

Jogador Alan Peterson, revelado no Remo e que estava no Tapajós acertou com Anápolis-GO; presidente Nunes (FPF) fazendo o que mais gosta: amanhã na decisão do campeonato de Moju e domingo de Mãe do Rio.

Associado Stefani Henrique espera liminar hoje da suspensão de 6 meses no Remo; Chapa 2 consegiu na Justiça que só está apto a votar amanhã quem detinha essa condição dia 8.11. Chapa 1 recorrendo. É duro!

Vitória-BA também não gostou da proposta do ex- bicolor Mazolla Jr e contratou técnico Ricardo Drubsky que estava no Goiás.

Questionamento: por que Ricardo Capanema ficou no Paysandu e Zé Antonio (capitão, autor de gols importantes e de uma regularidade latente) não? Tinha extra-campo pior? Falta resposta!

Dia D hoje para Ruan e Bruno Veiga decidir se aceitam proposta de continuar no Paysandu. Caso digam não, vida que segue!

Academia 40 (Daniel Lavareda) confraternizará dia 20.12, no Sítio do Renato, em Barcarena. Futebol, gelada e churrasco.

HOMENAGEM – Luis Augusto Monteiro Bastos, o Luluca, ex- goeiro do futsal do Remo (campeão em 1985-87), Santa Cruz da Pedreira (campeão em 90) e dois títulos nacionais na Seleção Paraense na 2ª divisão (95-96). É representante de medicamentos.

12 de dezembro de 2014 at 11:00 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 12.12.14

Um gigante enfraquecido

A 24 horas da eleição que deveria servir para botar o clube nos trilhos, o Remo se encontra mergulhado numa crise sem precedentes. Muito mais grave que a baixaria que domina a campanha eleitoral é a percepção, cada vez mais clara, de que a centenária agremiação de Evandro Almeida perdeu suas referências políticas.

Houve um tempo em que as campanhas eram igualmente baixas e inflamadas, mas sempre havia um grupo de grandes nomes, que se encarregava de apagar as labaredas e cuidava de restaurar a normalidade.

Isso não existe mais.

O Remo de hoje, prestes a realizar sua primeira eleição direta, está rachado pelo antagonismo feroz entre duas chapas que não representam o conjunto de associados e, obviamente, estão longe de preencher os anseios da imensa legião de torcedores.

Na prática, mesmo que isto não seja dito em voz alta, é uma disputa entre candidatos de grupos emergentes na estrutura do clube. E aí o cidadão mais distraído com o rumo da prosa há de perguntar: onde estão os verdadeiros segmentos políticos remistas? Aparentemente, estão desinteressados da refrega eleitoral e se limitam a acompanhar de longe o tormentoso processo.

A nostalgia é inevitável. Em outros tempos, grandes beneméritos já teriam se movimentado para assumir as rédeas do processo, aplacando as iras e puxando as orelhas dos mais exaltados.

Os últimos lances da campanha têm sido bem reveladores da ausência de uma instância maior no clube, capaz de exercer o papel de reserva moral, acima das disputas entre chapas. Longe de buscarem meios para ajudar a reerguer a instituição, os dois lados se empenham num confronto sangrento, com golpes baixos e que ameaçam a governabilidade do vencedor da eleição.

Denúncias de irregularidades na lista de votantes ampliam o repertório de problemas de uma eleição que foi impugnada da primeira vez, há um mês, por erros primários na organização da votação. A ação judicial que denuncia a ilegalidade de novos sócios, movida pela oposição, pode tornar até sem valor a eleição de amanhã.

Depois de tanto esforço para eleger seu novo presidente, o Remo pode ter a frustração de vir a conhecer o novo mandatário pela via judicial. Além das incertezas que a situação provoca, há a questão prática de que o planejamento do futebol para 2015 está seriamente afetado pelo retardamento da eleição.

Sem técnico e com elenco reduzido, o Remo corre o sério risco de chegar ao campeonato estadual – sua primeira competição em 2015 – sem um time pronto para estrear. Alguém precisa se preocupar com isso.

No país das aparências

A notícia de que o técnico Tite será confirmado pelo Corinthians até o fim de semana só não é mais surpreendente porque diz respeito ao futebol brasileiro, cuja gestão é por natureza incoerente e destrambelhada. Só no Brasil um clube demite um treinador, aparentemente por motivos inconciliáveis, e o recontrata uma temporada depois, ganhando bem mais.

Quando deixou o Corinthians, Tite desfrutava da condição de técnico mais bem pago do país, com salários mensais em torno de meio milhão de reais. Volta em alta agora, depois que o clube dispensou os serviços de Mano Menezes. Como se nada tivesse acontecido, Tite parece ter esquecido as circunstâncias de sua saída. Embolsará R$ 700 mil, segundo informam os jornais paulistanos.

A sem-cerimônia com que os grandes clubes brasileiros movimentam altas somas é outro ponto a desafiar a lógica. Além de concordar em dar a um técnico quase o mesmo que gigantes como Manchester United, Bayern e Real Madri pagam a seus comandantes, os clubes ainda se engalfinham em negociações cansativas pelo direito de trazer os mais caros profissionais.

O Corinthians não é o único. Integra um seleto rol de clubes que parecem se vangloriar pelo fato de pagarem salários europeus a treinadores de nível limitado e que só encontram mercado tão risonho no Brasil ou na Arábia.

A valente resistência argentina

Enquanto por aqui os clubes fingem nadar em prosperidade, nos demais países sul-americanos campeia uma realidade inteiramente diversa. Nem a Argentina vice-campeã mundial está imune a um cenário de forte pindaíba. Seus maiores times padecem da falta de patrocínio e sobrevivem com dificuldades, dependendo da comercialização de seus melhores jogadores.

Apesar da iminente quebradeira, não se pode esquecer que o momento é altamente favorável ao futebol argentino em comparação com o nosso. Conseguiram passar por cima de mazelas bem conhecidas, como a corrupção da cartolagem e a bagunça administrativa, para manter o protagonismo no continente.

Seus times conquistaram a Libertadores e a Copa Sul-Americana, além de a seleção ter feito bonita jornada em campos nacionais na Copa do Mundo, culminando com a ida à grande final no Rio de Janeiro. Não ganharam, mas participaram da festa em grande estilo, ao contrário do time de Felipão.

Ainda assim, a fragilidade econômica do futebol argentino só é hoje compensada pela paixão sem limites das torcidas, cujos espetáculos continuam nos causar inveja. Foi assim, por exemplo, anteontem, quando o River Plate derrotou o Atlético Nacional e festejou o título da Sul-Americana.

Metade do valente time de Gallardo pode tranquilamente tomar o rumo de clubes brasileiros, pois os salários que são pagos aqui superam em muitos dígitos os que são praticados lá. É questão apenas de escolher e partir para a pressão direta.

Desmanche total no Alvinegro

O Botafogo dispensou o técnico Vagner Mancini, o gerente Wilson Gottardo e 17 jogadores. A nova diretoria encontrou os seus culpados para o desastre da temporada. Seria maravilhoso se não fosse trágico.

Com tantas demissões de uma só tacada, o Botafogo se verá obrigado a reconstruir um time na marra. Sem dinheiro e sem credibilidade na praça.

A fúria dos novos dirigentes só poupou o principal responsável pela tragédia alvinegra: o ex-presidente Maurício Assumpção, executor impune do projeto de rebaixamento à Série B.

12 de dezembro de 2014 at 10:57 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 11.12.14

POSITIVO – Foi acerto e tanto o basquetebol do Remo nas mãos dos experientes Sérgio Dias e Paulo Sérgio Paiva; Dr. Pedro Lima comandando com retidão e medidas coerentes o novo processo eleitoral azulino.

NEGATIVO – CBF já fazendo a tradicional cobrança dos laudos de nossos estádios, inclusive Mangueirão. Por que nunca se é proativo? Botafogo faturando 50 milhões na Série B e Paysandu 3 milhões. Desigualdade!

Lá e Cá

Sobre eleição de sábado do Remo: 1- Não haverá bebida alcóolica; 2- Horário de votação no Ginásio Serra Freire, 8h até 17 h; 3- Mesas receptoras se tornarão apuradoras após votação; 3- Posse imediata.4- Só votarão sócios prprietários quites e remidos; 5- Serão 10 mesas receptoras; 5- Cada mesaa terá um presidente e 2 mesários; 6- chapas terão um fiscal de cada chapa; 7- 800 proprietários e 9.000 remidos aptos.

Artur Oliveira e Agnaldo Seu Boneco cotados para trabalhar no Remo nos grupos opostos nestas eleições. Seria tão bom se aproveitados juntos!

Quando retornar dia 5.1 técnico do Paysandu, Sidney Moraes, já virá acompanhado do preparador fisico Claudio Café e auxiliar Cristiano Lauria. Caso do preparador de goleiros Ronaldo sendo definido.

Presidente eleito Alberto Maia confirmou que o Papão trabalhará no Parazão, Copa Verde (8.2 a 6.5) e início da Copa BR com 25 a 30 profissionais. Para Serie B uma reavalição a fim de tratar de reforços.

Paulo Rafael não pertence mais o Clube de Suiço e 3o goleiro será procurado. São 9 atletas já contratados (aí também Capanema e Augusto Recife), inclusive 2 guarda-metas.

Se Chico Spina (ex – jogador bicolor e agente FIFA) não negociar Pikachu para o exterior ele continuará na Curuzu na temporada 2015. Bruno Veiga e Ruan dependendo de pequens detalhes.

Final da Copa SESI Atleta do Futuro de Futebol, amanhã, 18 h, no SESI-Ananindeua, reunindo o favorito ARF de Barcarena (tentando o tri) x MPA do Marco; América PV sábado enfrentando o Red Bull do Icuí (amistoso).

13o no futebol feminino do Brasil (ranking da CBF), Pinheirense é o clube melhor classificado do Pará e do Norte. Tuna 14a. FPF é 6a na categoria.

Paraenses Ana Beatriz (Sub 18) e Luiz Nogueira (Sub 21) alcançaram vagas para estágios internacionais de judô; FEPAGIN realizando Curso na UEPA-João Paulo, sábado, 8 até 14h. Depois Campeonato de Ginástica Artística.

HOMENAGEM – Rodrigo Kazuó, o Rod, ex- bi campeão paraense de jiu-jítsu peso pluma no final dos anos 90 pela Academia Ivan Leal e também defendeu o Pará no Norte-Nordeste. É fisioterapeuta.

11 de dezembro de 2014 at 11:13 am Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.