Archive for fevereiro, 2015

Coluna do Gerson Nogueira – 20.02.15

Um vexame histórico

Aconteceu o previsto. A dupla Re-Pa sai prematuramente da disputa do primeiro turno antes do encerramento da fase classificatória. É a primeira vez que os grandes da capital não disputam as semifinais de um turno do campeonato estadual. Pelos investimentos feitos pelas duas diretorias, a situação configura um tremendo vexame.

O Papão nem chegou a entrar em campo. Foi eliminado porque tem apenas três pontos ganhos e não pode mais alcançar Tapajós e Cametá, ambos com sete pontos conquistados em três jogos. O golpe de misericórdia foi a vitória do surpreendente time santareno dentro do Parque do Bacurau, por 2 a 1.

Já o Remo sai de cena após empatar com o São Francisco, por 1 a 1, em Santarém. Incrível: foi o primeiro ponto conquistado pelos azulinos em três rodadas. No grupo, Independente (9 pontos) e Parauapebas (6) já estão garantidos nas semifinais. Sob todos os pontos de vista, um vexame sem precedentes na história dos rivais centenários.

O infortúnio do Remo vinha se desenhando desde a estreia no Parazão, quando perdeu em casa para o Parauapebas, por 2 a 1. Perdeu também para o Independente na segunda rodada. Ontem, desesperado, foi a Santarém tentar permanecer vivo na competição. Não deu.

Precisava vencer, até encaminhou a vitória com o gol ainda no primeiro tempo, mas sucumbiu a erros primários de sempre e cedeu o empate. E olha que o São Francisco cansou visivelmente nos vinte minutos finais, sentindo a falta de quatro titulares.

Além da pressão natural sobre os ombros do time, o que espanta no Remo atual é a absoluta ausência de força para se impor, principalmente quando longe de casa. No Barbalhão, a partida parecia de início sob feição para o meio-campo remista, liderado por Bismarck e Eduardo Ramos. Livres de marcação, ambos avançavam sempre com a bola dominada e tinham espaço para manobrar.

O São Francisco custou a corrigir esse descuido, mas ainda assim o Remo continuou mais efetivo até que os donos da casa decidiram partir para os cruzamentos sobre a área. Todos partiam do lado esquerdo da zaga azulina e levavam muito perigo. Cadu chegou a desviar de cabeça e a bola bateu no travessão de Camilo.

Depois do susto, o Remo se reaprumou e partiu para definir. As jogadas em velocidade se repetiam, envolvendo sempre Roni e Bismarck. O São Francisco tinha dificuldades para marcar e foi assim que nasceu o gol, em finalização de Flávio Caça-Rato, até então pouco acionado no jogo.

O gol tranquilizou os azulinos e travou o São Francisco. Tudo indicava que no segundo tempo o Remo podia até ampliar o marcador, pois demonstrava empolgação com a vantagem e jogava melhor.

Acontece que no segundo tempo a equipe esqueceu alguns cuidados básicos. O principal deles: não desperdiçar tantas chances nascidas de contra-ataque. Eduardo Ramos, Roni e Caça-Rato abusaram do desperdício. O São Francisco tentava reagir e saía em bloco, mas deixava um imenso buraco em sua intermediária.

Mesmo fechando a marcação em seu campo e saindo com grande facilidade, o Remo não conseguiu executar um só contra-ataque. Pressa, afobação, excesso de firulas e erros de finalização. Tudo isso junto fez com que o jogo se arrastasse até quase ao final com a vantagem magra no placar e o São Francisco aparentemente controlado e exausto.

Ocorre que um cochilo da marcação na entrada da área permitiu ao combalido Leão santareno um chute forte em direção ao gol. O goleiro Camilo rebateu a bola nos pés do bom ala esquerdo Gerson, que, desmarcado, só fez tocar para as redes.

Castigo merecido para o time azulino, que teve a partida nas mãos durante a maior parte do tempo, mas não teve competência para matar o jogo quando teve oportunidade para isso. Nas circunstâncias, o que se esperava era um Remo mais decidido a fazer gols no tempo final. Ao contrário, Zé Teodoro manteve o time interessado apenas em contra-ataques, mas sem volume suficiente para encurralar os donos da casa.

Peripécias do Boto tapajônico

Ninguém esperava nada do Tapajós, que é um dos estreantes na competição, ao lado do Parauapebas. Seu cartão de visitas foi a incontestável vitória sobre o Papão logo em seu primeiro jogo. Em seguida, saiu para enfrentar o Paragominas e quase obteve novo triunfo. Ontem, em Cametá, voltou a exibir arrojo e não tomou conhecimento dos donos da casa e marcou 2 a 1.

Repleto de jogadores rejeitados pelos grandes, como Moisés, Patrick e Adriano Miranda, o Tapajós não exibe nenhuma grande novidade tática. É apenas um time que usa bem a velocidade e conta com um camisa 10, Wendel, que sabe o que fazer com a bola.

O técnico Victor Hugo, ao contrário da maioria de seus colegas de Parazão, não tem medo de atacar. O Tapajós atua sempre buscando a vitória, mesmo quando não está no Barbalhão. Num campeonato equilibrado por baixo, com times ainda desajustados, a ousadia tem feito a diferença.

Ainda há muito jogo pela frente e o primeiro turno continua em aberto, mas ninguém deve se surpreender se o time que entrou como franco-atirador acabe virando a sensação do campeonato. Quando levantaram o título estadual, Independente e Cametá tinham esse mesmo desprendimento exibido agora pelo Tapajós. A conferir.

Parazão pode ter apenas um Re-Pa

O campeonato de 2014 ficou famoso pela overdose de clássicos. Chegou a um ponto que nem as duas fanáticas torcidas aguentavam mais. Desta vez, pode ocorrer justamente o inverso.

Pelos rumos tortuosos da competição, é provável que Leão e Papão só se enfrentem uma vez, justamente na etapa classificatória do returno.

Com times cambaleantes até aqui, não é absurdo prever que ambos voltem a encontrar dificuldades para chegar às semifinais e à decisão do segundo turno.

Copa Verde: verba minguada

Totaliza R$ 810 mil a verba destinada aos participantes da Copa Verde deste ano. O dinheiro será pago pelo canal Esporte Interativo. A equipe campeã, além de vaga garantida na Sul-Americana 2016, vai faturar R$ 175 mil por toda a campanha.

É pouco.

Anúncios

20 de fevereiro de 2015 at 2:09 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 20. 02. 15

– PARABÉNS PARA O INTERIOR – Show de bola, a festa é do interior sem grito, sem frescura e com muita humildade, em vez de pavulagem e salto alto os clubes do interior fizeram gato e sapato com o nariz empinado da dupla RE X PA, fica a pergunta de que adianta arrotar caviar se o jantar foi ovo com farofa.

– DAR A CARA PARA BATER QUE É BOM NADA – O torcedor remista deve esta se perguntando por onde andam os PINÓQUIOS que assumiram o clube prometendo MODERNIDADE no leão, ontem o clube foi eliminado do primeiro turno em Santarém e nenhum, eu falei nenhum dirigente falou nada, COMERAM ABIL, é bom lembrar que agora o Remo tem a obrigação de ganhar tudo se quiser ter calendário no segundo semestre, A QUE PONTO CHEGA A VAIDADE DE UM HOMEM.

– TAI BONITO PARA OS INTELIGENTES – Fim de linha para dupla RE X PA no primeiro turno, só queria poder olhar a cara de alguns BUNDÕES que frequentam estes clubes querendo dar aula de gestão e modernidade para todo mundo, pelo amor DEUS seus LISOS larguem os nossos clubes, ninguém suporta mais as mentiras de vocês seu INCOMPETENTES.

– E A FRESCURA CONTINUA – Já está demais tem muita gente querendo aparecer na dupla RE X PA, um dia é treino fechado é jogador que não fala, é técnico que pra falar é uma novela, e só quem perde com isso é o torcedor que é tolido de saber o que está acontecendo dentro do seu clube, outro fator desinteligente é o desrespeito com OS PATROCINADORES, que pagam e não veem suas marcas na mídia, CONTINUEM ASSIM QUERENDO APARECER MAIS QUE O CLUBE.

– SÓ TENHO UMA COISA A DIZER – Eu não quero nem saber, e nem me interessa saber quem foi, mais tenho que dar PARABÉNS aos IMBECIS que bolaram este novo formato de disputa do campeonato, PARABÉNS COVEIROS do futebol paraense.

20 de fevereiro de 2015 at 1:57 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.02.15

POSITIVO – Em bom momento técnico Sidney Moraes fez sua reflexão e Pikachu está de vlta à lateral ou ala direita. Mazolla Jr quando fez isso no Paysandu se deu bem!

NEGATIVO – Repórteres de rádio, jornal e TV continuam reclamando da forma de atendimento da assessoria de imprensa do Paysandu, especialmente na designação do pessoal para coletivas. Urge providência!

Lá e Cá

Ex- atacante Nuno, do Paysandu, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA HD TV e Rádio Clube) o convidado é Sidney Moraes, técnico bicolor.

De Cláudio Café, preparador físico do Paysandu: “elenco novo tem que passar por três fases para encaixar, no caso resistência, força e velociade.”

Jogadores do Remo sem conta em banco já receberam os 70% pagos aos demais. Os 30% restantes e total do pagamento dos funcionários só em 10 dias. Já os 115 mil no TRT recolhidos em tempo hábil.

Gerente Executivo do Paysandu desconhece oficialmente saida de Marlon para o Figueirense e diz que se Romário entrar amanhã no lugar dele no time do Paysandu, contra o Santos-AP, trata-se de opção do treinador.

Seria Aylon um novo Ruan? Muitos na Curuzu acreditam que sim e ele veio também do Inter-RS. Teste prgramado para amanhã.

Grupo do Independente com salário em dia e promessa de 50 mil pela conquista do 1º turno.

Brasília, adversário do Independente domingo no jogo de volta da Copa BR (0x2) deu uma queda no Campeonato Candango, agora é 4º colocado e no último jogo empatou com Ceilândia em 1×1. Galo daqui segue para o DF.

Tem jogador do Paysandu tão bem de vida quem nem retira do banco salário do mês.

Preocupação no Remo com julgamento do dia 27.2, no STJD. Presidente do River-PI, Eliseu Aguiar, também no banco dos réus; assaltaram sede do Tapajós que estava em Cametá. Levaram muitos pertences dos jogadores.

Douglas, Reiniê e experiente Magnun, todos ex-jogadores do Paysandu (Magnum também Tuna e Remo) fazem sucesso no Volta Redonda-RJ, principalmente Magnum.

Até 3ª rodada do Parazão média de renda era de R$ 76.348,54 e de pagantes 4.109.

HOMENAGEM – Antonio Lery da Silva, o Lery, ex- goleiro do Remo da base ao profissional (1994-95), Tiradentes (1996) e Ananindeua (1997). É gráfico.

20 de fevereiro de 2015 at 1:53 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 19. 02. 15

– DUELO DE LEÕES – Hoje o Barbalhão vai presenciar um choque de leões pela quarta rodada do parazão 2015, de um lado estará o time da casa lutando por uma vitória que pode lhe dar a classificação para as semi-finais do primeiro turno, em contra partida do outro lado estará um gigante do futebol paraense lutando desesperadamente por uma vitória e uma combinações de resultados que podem acender uma luz no fim no túnel, entre mortos e feridos na rodada só quem tem a ganhar com isso será o torcedor que vai acompanhar pela CLUBE 690AM uma rodada emocionante na noite de hoje, ERA DE FAZER FIGA TORCEDOR PARAENSE.
– PELO MENOS QUATRO MODIFICAÇÕES – Tudo que o torcedor bicolor quer na atual circunstâncias é que além das mexidas na equipe que o técnico alvi-azul pretende fazer para o jogo contra o Santos Amapá, ele Sidney Moraes tenha conseguido mudar princialmente a atitude e a postura do seu grupo dentro de campo, já que o torcedor do papão não aguenta mais ver o seu time dentro da quatro linhas com aquela garra que é marca registrada da camisa bicolor, entre quem entre no time o torcedor quer doação e principalmente sangue nas veias para defender esta camisa.
– ELAS ESTÃO É DE PARABÉNS – Em um estado que não se tem ajuda de ninguém, as meninas do futebol feminino da Tuna que ontem perderam por 2 x 1 para Ferroviária de Araraquara que é base da seleção brasileira de futebol, estão é de parabéns, é duro se praticar esporte amador em estado que não prestigia nada, nossas AUTORIDADES SÃO UMA VERGONHA, pobre esporte amador e olha que ano que vem teremos uma olimpíada neste País, MENINAS não baixem a cabeça não vocês na minha opinião são umas guerreiras.
– DUELO NO RIO – As águas rio do tocantins hoje prometem ficar mais agitadas do que de costume, teremos um encontro de peixes no parque do bacurau, de um lado o remoso e já classificado Cametá, do outro o Tapajós o botinho encantado de Santarém, esta partida é cercada de muitos holofotes em caso de vitória do Cametá os outros participantes do grupo vão agradecer penhoradamente, se der Tapajós ai as duas equipes estarão classificadas para as semi-finais do turno, por isso torcedor se ligue na CLUBE 690AM.
– COM UM OLHO NO PADRE E OUTRO NA MISSA – Castanhal e Independente e Gavião e Paragominas além do Paysandu que folga na rodada todos hoje torceram por uma vitória do Cametá diante do boto do tapajós, além logico de terem que fazer a sua parte logo mais pela quarta rodada do parazão, ou seja, TODOS CONTRA O BOTO.
– CLASSIFICAÇÃO DO PARAZÃO –
GRUPO “A1” PG J V
1° Independente-PA 6 2 2
2° Parauapebas-PA 6 3 2
3° São Francisco-PA 4 3 1
4° Castanhal-PA 1 2 0
5° Remo-PA 0 2 0
GRUPO “A2”
1° Cametá-PA 7 3 2
2° Tapajós-PA 4 2 1
3° Paysandu-PA 3 3 1
4° Paragominas-PA 1 2 0
5° Gavião-PA 1 2 0

19 de fevereiro de 2015 at 3:13 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 19.02.15

A super quinta-feira

Quando o campeonato começou, ninguém podia prever que os dois grandes favoritos ao título do Parazão pudessem ser eliminados já na terceira rodada do turno. E isso pode ocorrer hoje à noite, caso o Remo tropece em Santarém e o Tapajós vença em Cametá. Fazia tempo que a dupla Re-Pa não passava por tamanho constrangimento.
O assunto já virou até clichê. É inegável a evolução técnica dos emergentes, demonstrada nos últimos anos pelos títulos de Independente e Cametá, mas cabe observar também que o nível de estagnação dos grandes é assustador. Apesar do acesso à Série B obtido pelo Papão, os tradicionais times da capital há tempos não se mostram superiores aos adversários mais modestos, sejam equipes paraenses ou de Estados vizinhos.
A competição deste ano mostra-se muito equilibrada desde o início, fato agravado pela fórmula de disputa, bem mais enxuta do que nos anos anteriores. Enquanto Cametá, Independente, Parauapebas, São Francisco e Tapajós voam em campo, remistas e bicolores patinam.
Enquanto o Remo busca sua melhor formação, padecendo da má condição de alguns jogadores, como o lateral George Lucas, o São Francisco mostra-se forte e pronto a garantir classificação dentro de seus domínios.
Para tentar pontuar no campeonato, o técnico remista Zé Teodoro planeja um esquema mais agressivo, com Eduardo Ramos e Bismarck jogando próximo aos atacantes. O problema é que o ainda inseguro setor defensivo ficará ainda mais exposto, apesar da presença dos volantes Dadá e Alberto. Um jogo de altíssimo risco para os azulinos.
Já o Papão pode ser eliminado mesmo sem jogar. Para isso, basta que o surpreendente Tapajós mantenha a pegada audaciosa diante do classificado Cametá no Parque do Bacurau.
O Parazão tende a sofrer com a saída de cena dos dois tradicionais rivais. As duas maiores torcidas ficarão ausentes da reta final do turno. Mas, como tudo na vida, há um lado bom. O fracasso servirá de alerta aos dois gigantes quanto ao que pode vir a ser o restante da temporada.

Quando a má campanha azeda o carnaval

O bochicho em torno do atraso na reapresentação de Flávio Caça-Rato dá bem a medida dos humores da torcida quando um time está em baixa. Se o Remo estivesse liderando seu grupo, ninguém tomaria conhecimento do ocorrido. Haveria certamente quem até defendesse uma folga mais prolongada para o atacante.
Como o mar não está para peixe, nem para rato, a casa caiu. Em programa da Rádio Clube, ontem, houve torcedor responsabilizando até os dirigentes pelo ocorrido, dando a entender que não podem reclamar do atleta se também estavam fora do clube, curtindo o feriadão momesco.
Nada mais deslocado e sem sentido. Dirigentes não precisam estar dentro do clube para vigiar jogadores. Precisam, sim, estabelecer normas que seus funcionários devem obedecer. Além disso, o clube conta hoje com um gerente remunerado, que responde justamente sobre esse tipo de ocorrência.

A diferença entre vontade e letargia

O Corinthians teve nove chances de gols, fez dois. O São Paulo não criou nenhuma, ficou no zero. Libertadores é torneio de características muito particulares. Uma delas é a obrigação de correr e se entregar ao jogo. Os tricolores pareciam de ressaca carnavalesca, ontem, ao contrário dos lépidos e dinâmicos corintianos. Os tricolores se deixavam marcar e os corintianos fechavam os espaços. Não havia como dar outro resultado.
O primeiro gol do jogo foi uma apoteose de tabelinha em velocidade, entre Danilo, Jadson e Elias, com arremate precioso deste último. Ainda houve tempo para um toque de polêmica na jogada do segundo gol, como quase sempre, em jogos do Corinthians. Foi visível o empurrão de Emerson Sheik no volante são-paulino. A bola foi ao ataque e Rogério Ceni aceitou, com mãos de mamona, o chute de Jadson.
Chamou atenção a partida quase letárgica de Paulo Henrique Ganso, de quem se esperava muito na Libertadores, depois de um final de temporada entusiasmante. Como o São Paulo depende muito dele, a ausência de imaginação no meio foi determinante para o insucesso.
Ganso, por sinal, mostrou-se descontrolado nas reclamações contra a arbitragem, fugindo ao seu estilo normalmente contido. No final, deselegante, subiu o tom e falou que o São Paulo foi roubado, que o árbitro merecia sair de camburão e citou até Serginho Chulapa, insinuando que o apitador merecia levar uns cascudos.
Definitivamente, o nosso camisa 10 não foi em campo e pior ainda fora dele.

Campeões de verdade não trapaceiam

Não aprecio lutas e evito acompanhar os torneios de MMA. Pelo simples fato de que não é um esporte e porque não vejo graça na violência pura e simples como forma de disputa – dentro e fora de ringues ou octógonos. Prefiro ver técnica e respeito às regras.
O próprio boxe, cujas regras sempre foram bem claras – não bater abaixo da linha de cintura e proibição de chutes, cotoveladas ou cabeçadas –, nunca foi modalidade capaz de me encantar.
Agora, quando o sujeito é pago (muito bem) para bater e tirar sangue de adversários, torna-se inadmissível que ainda recorra a substâncias proibidas. É o chamado fim da picada.
O comentário visa responder a alguns questionamentos que recebi recentemente.

19 de fevereiro de 2015 at 3:01 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 19.02.15

POSITIVO – Reunião dos clubes na FPF, dia 24.2, 15h, para conhecimento da Resolução 18.589 disciplinando “prestação de contas de auxílios, contribuições e subvenções de orgãos da administração estadual”. Ótimo!

NEGATIVO – Carnaval e digitação me fizeram ontem grafar errado o nome da rua da sede do Pedreira de Mosqueiro, que é Pratiquara e mês do descobrimento do Brasil. Minhas desculpas!

Lá e Cá

FEFUSPA já tem novo vice-presidente: trata-se de Paulo Márcio Rodrigues Cecim, que assumiu desde a última segunda-feira gorda de carnaval.

Tuna perdeu só de 2×1 para Ferroviária de Araraquara-SP, na Copa BR de
Futebol Feminino, assegurando viagem a SP para jogo de volta, dia 25.2.

América PV, com reforço de Fernando Jack, atuará hoje, na Fazendinha, diante do Mapará.

Flávio Caça-Rato, menos de um mês no Remo e já levou primeira multa (cestas básicas). Isso era rotina nos tempos de Santa Cruz-PE. Leão vai esta noite de três atacantes e Caça-Rato é um deles.

Junta Governativa do Pedreira de Mosqueiro perdeu Carlos Mantins, o Galera, que faleceu. Fernando Robalo e Raimundo Araújo procurando substituto para organizar eleição e retorno ao acesso do Parazão.

Atacante Nuno, que brilhou no Paysandu em 1995, não consta no site do clube entre os estrangeiros que defenderam a camisa bicolor. É moçambicano.

Futsal do Paysandu, à frente o diretor Ivan Corrêa, trouxe Dieguinho Belém, ex-Minas Tênis Clube e Seleção Brasileira. Do Remo veio toda a CT: técnico Jean Vale, auxiliar Alex Gela, preparador físico e fisiologista Alexandre Herculano e fisioterapeuta Marcelo Borges. Meta título adulto!

Rodada desta super quinta-feira do Parazão poderá definir de vez os protagonistas das semifinais do 1º turno, atualmente mais para Independente x Tapajós e Cametá x Parauapebas.

Pikachu na sua, Romário na lateral esquerda (Marlon saindo para o Figueirense?), Léo Canhoto na meia e Aylon no ataque, novidades do Papão cogitadas para sábado, na Copa Verde.

Rádio Futebol Interior (Web Rádio) hoje em parceria com a Radio Clube – PRC 5, na rodada do Parazão; assessor de imprensa Sandro Galtran agora viaja com o Remo.

HOMENAGEM – Murilo da Costa Silva, o Murilo, ex- ala de futsal do Paysandu (1993-94, neste ano campeão), Tuna (1995-96) e Seleção Paraense. E vendedor de empresa de telefonia celular.

19 de fevereiro de 2015 at 2:56 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 18. 02. 15

– DE QUEM É A CULPA – Se um clube precisa desesperadamente vencer sua próxima partida, e este mesmo clube contrata um atleta acima do seu peso e que ainda não conseguiu justificar sua contratação dentro de campo, ai este mesmo clube libera este atleta para o aniversário do seu filho que há um mês atrás estava do lado do Pai eu falei um mês e não um, dois, três anos, eu pergunto para vocês É AMADORISMO OU NÃO É, DÊ SUA OPINIÃO.
– SE NÃO GANHAR A CASA CAI – A vida do técnico Sidney Moraes a frente da equipe bicolor depende muito do jogo pela copa verde diante do Santos/AP, qualquer resultado que não seja uma boa vitoria bicolor a batata do técnico vai esquentar já que o torcedor alvi-celeste já não aguenta mais a forma sonolenta que a equipe vem atuando, NÃO DA MAIS PARA SEGURAR, OU GANHA OU BICHO VAI PEGAR.
– PELO MENOS R$ 1.000,00 REAIS – No Pará tem alguns clubes que enchem de conselheiros seus conselhos e ai em vez destas figuras reunirem e discutirem a situação do clube em alguns o que tem se assistido é um verdadeiro clube de fofocas pior que lavadeiras na beira do rio é fofoca pra lá é fofoca pra cá, e como falo sempre tudo isso por que qualquer um LISO quer ser conselheiro, para acabar com isso teria que se colocar no estatuto dos nossos clubes quem quiser ser conselheiro tem que pagar uma mensalidade de R$ 1.000,00 reais a titulo de colaboração para com o clube, ai sim amigos acabaria com estas reuniões de LISOS E DESOCUPADOS.
– A MISSÃO DO GALO – O Independente Tucuruí vai pegar uma pedreira pela frente no jogo de volta valendo vaga para próxima fase da copa verde, o galo vai ter pela frente nada mais nada menos do que atual campeão da competição o Brasilia/DF, tudo bem que Galo tem a vantagem no confronto já que em Tucuruí a equipe da energia despachou o Brasilia por 2 x 0, FORÇA GALO ELÉTRICO.
– COISA QUE ODEIO É PUXA SACO – Amigos comecem a analisar com mais detalhes e critérios a postura de alguns ” PROFISSIONAIS DA IMPRENSA ” chega a dar nojo, vivem em cima do muro babando o ovo de dirigentes atrás do seu próprio beneficio, se liga torcedor um dos motivos do nosso futebol não sair desta situação é justamente a postura COVARDE E COMPROMETIDA DE ALGUNS DA CRÔNICA.

18 de fevereiro de 2015 at 3:27 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.