Archive for março, 2015

Coluna do Gerson Nogueira – 24.03.15

Olho gordo é um perigo

De pires na mão, vendendo o almoço para comprar o jantar, o nosso futebol parece ter desistido de aprender com seus próprios erros. Diante da auspiciosa chance de tirar o pé da lama, com três clássicos (um pelo Parazão e dois pela Copa Verde) em menos de um mês, eis que a primeira medida tomada pelos clubes já colide com o bom senso.
Pela necessidade de garantir faturamento, os clubes concordaram em estipular o preço dos ingressos para o Re-Pa de domingo, 29, em R$ 50,00 (arquibancada) e R$ 100,00 (cadeira). Quem se antecipar, terá direito a um desconto de 20% e o preço cai para R$ 40,00 e R$ 80,00, respectivamente.
O problema não está nos preços, mas na ocasião e no grau de importância do jogo. Primeiro da fila da trinca de clássicos, o Re-Pa valendo pela fase classificatória do returno do Campeonato Paraense não decide absolutamente nada. É forte, aliás, a possibilidade de não interferir na colocação dos rivais na competição.
É claro que o torcedor sabe disso. Sabe, também, que virão mais dois clássicos realmente decisivos, válidos pela semifinal da Copa Verde, sendo que o primeiro acontecerá no domingo seguinte, 5 de abril. Por mais interesse que o Re-Pa desperte no coração dos desportistas paraenses, há sempre um limite a ser observado.
Os preços que serão cobrados para esta partida seriam mais adequados para os outros dois jogos. Por ora, ficaria de bom tamanho cobrar ingressos de arquibancada a R$ 20,00, valor mais compatível com a natureza do clássico e que permitiria um público maior no Mangueirão. Com chuvas constantes, dinheiro curto e transmissão em TV aberta, os riscos de fiasco de público são imensos.
Por outro lado, não vejo ganância excessiva na decisão dos dirigentes, como muitos querem crer. Observo apenas certo açodamento, angústia até, em resolver os sérios problemas de caixa dos dois grandes clubes. Todos sabem das dificuldades que as diretorias enfrentam para custear a estrutura do futebol, situação agravada pela disputa de um campeonato deficitário.
Só que, da maneira como foi acordado entre as duas diretorias, o remédio em dose excessiva pode acabar matando o paciente.

Águia ensaia desistência da Série C

A notícia caiu como bomba nos arraiais do futebol local, ontem, no final da tarde. O Águia de Marabá cogita a possibilidade de desistir da disputa da Série C deste ano. Sem suporte financeiro, enfrentando a pior crise de sua história e há dois anos fora da elite do futebol paraense, a diretoria do clube prefere abrir mão da vaga a ter que se endividar ainda mais.
O presidente Sebastião Ferreira informou que diretores e conselheiros irão reunir no fim de semana para discutir e tomar a decisão final, mas admite que a tendência é pela desistência. Para azedar ainda mais a situação, um ex-dirigente entrou ontem com ação judicial cobrando R$ 2,4 milhões do clube.
Único representante paraense na Terceira Divisão, o Águia fez campanha heroica nos últimos dois anos, safando-se do rebaixamento nas rodadas finais. Caso saia da competição deste ano, o clube sofrerá punição por parte da CBF e cairá automaticamente, ficando sem divisão para 2016.
Péssima notícia para o já enfraquecido futebol do Pará.

A Copa Verde e o desperdício de ideias

Há situações em que a derrota parece subir à cabeça de certas figuras. Acontece em todos os níveis, até mesmo na alta esfera política, como se viu no período pós-eleitoral. Seguindo a maré, dirigente do Remo resolveu tornar público o seu desinteresse pela Copa Verde: “um desperdício”, segundo ele.
Ora, ora, mas justamente o Leão Azul terá a pachorra de esnobar um torneio que garante boa visibilidade nacional, rendas tentadoras e ainda qualifica para a Sul-Americana? Incrível.
E há ainda o mau jeito embutido na declaração, que funciona como desestímulo aos atletas para a batalha em dois jogos contra o maior rival.
Custo a crer que os demais diretores e conselheiros compartilhem desse sentimento. A não ser que a intenção seja justificar por antecipação um eventual fracasso na semifinal. Se for isso, será preciso urgentemente combinar com os russos – no caso, os torcedores remistas.

Se a moda pega por aqui…

Carlos Sergio Falcão, presidente do Vitória, renunciou ao cargo nesta segunda-feira. Entregou a carta de demissão anunciando oficialmente sua saída ao presidente do Conselho Deliberativo do clube, Silvoney Sales, que assume interinamente até a eleição do novo presidente.
Falcão decidiu pedir o boné depois da derrota do Vitória para o Colo Colo, no último sábado. Com o resultado, o time rubro-negro foi eliminado do Campeonato Baiano.

Iarley e a inesquecível façanha na Bombonera

Ao participar de mesa-redonda na ESPN sobre a Copa Libertadores, o ex-jogador Iarley foi indagado sobre o momento mais importante de sua carreira. Instado a escolher entre duas opções, o título mundial do Internacional sobre o Barcelona e a vitória do Papão sobre o Boca Jrs. na Bombonera, ele foi seco e direto: “A vitória do Papão da Curuzu, sem dúvida. Foi ali que tudo começou pra mim. Ganhei projeção e prestígio”.

24 de março de 2015 at 7:09 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 23.03.15

– VIVA A MODERNIDADE – Após a vitória diante do Princesa pela copa verde, o técnico Zé Teodoro abriu o verbo e contou e tudo que vem acontecendo dentro do clube, aliás noticias que nós já vinhamos divulgando constantemente aqui na Rádio e na TV, e que de vez em quando eram questionadas por alguns IMBECIS que não gostam de ouvir a verdade, o técnico remista foi categórico em informar que ele e os jogadores estão abandonados pela atual diretoria, ninguém aparece, salários atrasados, jogadores despejados do hotel por falta de pagamento, sinceramente é muito triste assistir tudo isso, o treinador ainda afirmou que se nada for feito ele vai deixar o clube por falta de estrutura para trabalhar, EU SEMPRE FALO AQUI, REMO E PAYSANDU NÃO PEDEM PARA ESTES LISOS SEM VERGONHA NA CARA SE CANDIDATAREM A NADA DENTRO DO CLUBE, VERMES SUMAM DO FUTEBOL PARAENSE.

– FIEL PREOCUPADA – Ontem jogando em Manaus o papão conseguiu com um empate em 1 x 1 diante do Nacional no estádio da colina a vaga para semi-final diante do seu maior rival, até ai tudo bem, mais alguma coisa vem tirando o sono da fiel torcida, e é bem simples explicar do que se trata, o Paysandu não consegue mostrar um futebol convincente a sua torcida, é impressionante como time vem deixando a desejar dentro das quatro linhas, falta criatividade e qualidade técnica para time, esta na hora de abrir os olhos a série B vem ai, e quem avisa amigo é, TA FALTANDO QUALIDADE.

– SEM NECESSIDADE – Que as coisas não estão bem lá pelas bandas do baenão isso todo mundo ta cansado de saber, agora me respondam o que foi que diretor de estádio do Remo ganhou ou contribuiu em alguma coisa mostrando o que todo mundo já sabe, que o baenão esta abandonado e que boa parte da sua estrutura tem que passar por um senhora reforma, O GRANDE PROBLEMA DO NOSSO FUTEBOL É ESTE, EM VEZ DE RESOLVER, QUEREM ARRUMAR FANTASMAS E CULPADOS.

– E VAI TER RE X PA – Festa do futebol do Pará, agora confirmados na semi-final da Copa Verde, Remo e Paysandu vão se preparar para mais uma batalha valendo vaga para final da competição, em campo Destará em jogo muito mais que uma partida de futebol, mais uma vez a rivalidade centenária destas duas equipes vão estar em jogo no colosso do bengui, E QUE GANHE O MELHOR, FORÇA FUTEBOL DO PARÁ

– OS ERROS SÃO OS MESMOS – As torcidas de Remo e Paysandu já sabem de cor e salteado as deficiências das suas equipes, o Remo tem um sistema defensivo que é uma piada, bola na área é um Deus nos acuda, sem falar no seu ataque que perde muitos gols, no caso do Paysandu a situação é mais ou menos a mesma com um agravante o Papão tem a SÉRIE B pela frente, e sinceramente com esta bolinha que vem jogando esta dando medo só de pensar.

– NEM MELHOR, NEM PIOR APENAS DIFERENTE.

23 de março de 2015 at 3:02 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.03.15

Jogando com o regulamento

Como no ano passado, remistas e bicolores estão classificados para a semifinal da Copa Verde. Como naquela ocasião, serão dois jogos com potencial para salvar as finanças de ambos no primeiro semestre. Os jogos do fim de semana definiram essa situação com performances sofríveis dos times locais.

No sábado, mesmo atuando em casa e podendo até perder por 1 a 0, o Remo passou pelo Princesa do Solimões com extrema dificuldade. Ontem, em Manaus, apesar de ampla vantagem de gols, o Papão sofreu o diabo para se classificar diante do Nacional.

Como visitante em situação folgada (até uma derrota por 2 a 0 lhe servia), o Papão pisou no gramado do estádio da Colina sem exibir a confiança necessária para superar os donos da casa. Logo de cara, seu melhor atacante (Bruno Veiga) levou infantilmente um cartão amarelo, revelando o nervosismo do time.

Aos 10 minutos, gol do Nacional. Léo Paraíba, cobrando falta. O que era tenso passou a ficar dramático ainda no primeiro tempo. O jogo se desenrolava com muitas faltas, choque físico entre os jogadores e muita provocação. Mais agressivo e organizado, o Naça levava perigo em vários momentos, com Leonardo e Fininho.

Acuado e preocupado apenas em desarmar, o Papão nada criava. Dado Cavalcanti optou por um meio-de-campo conservador, com três volantes, atento à vantagem que o regulamento lhe conferia. Carlinhos era peça decorativa na armação e os atacantes ficavam o tempo todo isolados lá na frente.

Até se justificava a preocupação com a defesa, mas o técnico exagerou na dose e deixou a equipe presa demais ao seu próprio campo. O retraimento do Papão deixou as forças niveladas e, com tantas cautelas, o primeiro bom ataque só aconteceu aos 39 minutos, com Aylon.

No começo do segundo tempo, o Papão se soltou um pouco mais, levando Pikachu ao ataque pela primeira vez e fazendo Bruno Veiga tentar um lance individual antes dos 10 minutos. Dado povoou a entrada de sua área, bloqueando as tentativas do Naça. Estratégia arriscada, mas que acabou funcionando, pois os amazonenses detinham a posse de bola sem saber fazer uso dela.

No desespero, Aderbal Lana manteve seu time sempre no ataque. Chegou a botar em campo o artilheiro Wanderlei, que havia sido poupado no primeiro tempo, mas o cansaço deu as caras e o Papão soube aproveitar o momento para empatar. Em boa jogada, aos 37, Aylon passou para Jonathan, que tocou na saída do goleiro Rodrigo Ramos.

Foi um jogo tecnicamente feio e até mais difícil do se previa, com pressão dentro e fora do campo, mas o Papão teve força e disciplina para se garantir na semifinal da Copa Verde. Os melhores da equipe foram Willian Alves e Jonathan.

Leão vence em confronto nervoso

O Princesa chegou como franco-atirador. O Remo era o mandante e tinha a torcida a lhe apoiar. O gol aconteceu logo cedo, aos 10 minutos, ampliando ainda mais a boa vantagem azulina. Outros foram perdidos antes que Val Barreto fizesse o segundo, aos 43. Ainda assim, a partida era nervosa, sem que o torcedor se sentisse tranquilo nas arquibancadas.
A etapa final trouxe o Princesa ainda mais desprendido, na base do perdido por um, perdido por mil. Atacava com vários jogadores e encurralava o time azulino, que não conseguia se safar do cerco. Quando tentava sair jogando, o Remo sempre errava os passes e possibilitava a pressão adversária.
Aos 17 minutos, um susto. O beque Dewrick (que havia feito gol contra no começo) recebeu livre à altura da marca do pênalti e bateu rasteiro. Fabiano aceitou. Começava ali um período de martírio para os azulinos. Ciente de que podia sonhar com a vaga, o Princesa amiudou as investidas pelos lados, levando sempre de roldão os laterais Jadilson e Levy.
Inseguros, os remistas não conseguiam trocar três passes seguidos, facilitando sempre a marcação. O Princesa, ao contrário, era puro entusiasmo. Parecia destemido, como se estivesse em casa. Canutama, Edinho e Léo Paraíba se revezavam no cerco constante à grande área azulina, com cruzamentos e chutes perigosos.
A zaga se safava como podia, mas Ciro Sena andou levando dribles desconcertantes e Igor João não ajustava o combate ao centroavante Sandro Goiano, depois substituído por Nando. Amaral recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, mas nem assim o Remo conseguia se acertar em campo.
Eduardo Ramos cansou na metade do segundo tempo e Val Barreto não recebia passes na área. Improdutivo, Flávio Caça-Rato custou a sair. Rony o substituiu nos 15 minutos finais, a tempo de perder um gol incrível aos 42.
Mesmo limitado, com sérios problemas de cobertura e organização, o Remo joga muito mais do que apresentou no sábado à tarde. É aceitável imaginar que os muitos problemas externos tenham afetado o elenco, influindo no desempenho em campo.
Apesar da diminuição de ritmo no segundo tempo, Ramos foi o mais lúcido do time, secundado por Alberto, Barreto e Dadá. Caça-Rato, Macena e Jadilson foram peças destoantes.

PFC reage, Castanhal afunda

O Parazão teve apenas um jogo no fim de semana e o Paragominas aproveitou para assumir a liderança do grupo A2. Com autoridade, derrotou o Castanhal na Arena Verde por 3 a 0, sábado à noite. Especialista na competição, Charles Guerreiro dá mostras de que o PFC ainda pode surpreender neste returno.
O Castanhal, que tinha grandes ambições na volta à primeira divisão, errou nas apostas e está à beira do rebaixamento. Com apenas um ponto na classificação geral, precisará vencer todos os jogos restantes e ainda rezar bastante.

23 de março de 2015 at 2:35 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 23.03.15

LEÃO E PAPÃO MANDAM NA AMAZÔNIA

Mesmo com todos os problemas do final de semana, o Clube do Remo ganhou vaga nas semifinais da Copa Verde, eliminando o Princesa do Solimões-AM, sábado no Mangueirão. O Leão venceu lá fora e carimbou a vaga aqui, ambas às vezes por 2×1. O técnico Zé Teodoro optou mais uma vez em colocar em campo jogadores adoentados e improdutivos, como foram os casos de Eduardo Ramos e Flávio Caça Rato. O Leão fez 1×0, com um gol contra de Deurick e chegou aos 2×0 com Val Barreto, após o rebote do goleiro amazonense, num chutão de fora da área do meia Felipe Macenas. Os torcedores que foram ao Mangueirão imaginavam, como eu, que o Remo iria crescer no segundo tempo e o que vimos foi a pressão do tubarão manauara, que diminuiu para 2×1 com o zagueiro Deurick, dessa vez a favor. Apesar da pressão, o Remo no final perdeu boas oportunidades com Roni, mas garantiu a classificação, com incentivo da torcida nas arquibancadas.

ALTA TEMPERATURA

E o Paysandu também fez bonito em Manaus e empatou com o Nacional na Colina, depois de ter vencido aqui por 4×1. Logo no começo da partida o Naça fez seu gol, mas o Papão soube se impor e acabou empatando no final com Jonathan. O mais importante de tudo é que Remo e Paysandu vão fazer uma das semifinais da Copa Verde, dias 05 e 15 de abril, o que significa mais dinheiro nos cofres dos maiores rivais da Amazônia.

BAIXA TEMPERATURA

E os dirigentes do Remo continuam não se entendendo e isso reflete no plantel e o treinador Zé Teodoro já deixou seu recado após a classificação na Copa Verde. Jogadores despejados do hotel, presidente que marca reunião com o plantel e não comparece, vice que se queixa nas redes sociais e mesmo assim o Leão venceu em campo. Até quando?

NO TERMÔMETRO

Flávio Caça Rato e Mateus Carioca, os dois jogadores azulinos que foram barrados no hotel e lá não puderam dormir, já que o Remo não pagou as diárias atrasadas. Parece coisa do passado. /// O atraso no pagamento dos salários no Remo provocou uma reunião entre o presidente Minowa e o plantel, mas o mandatário azulino não deu as caras e o Zé Teodoro dispensou a concentração. E o Remo precisando conquistar a classificação no 2º turno do Parazão para disputar o título paraense, pode? Pra completar o Cláudio Bernardo declarou ontem que todo o mês corre atrás do dinheiro para fechar a folha, pedindo aqui e acolá. Modernidade é? /// É líquida e certa a desunião entre o presidente e o vice do Clube do Remo. Minowa e Henrique Custódio, apesar de se fecharem em uma sala dias atrás por uma hora, não conseguem se bicar mais. O atual presidente diz que o vice será o futuro presidente e o vice detona com ele nas redes sociais, junto a outros parceiros. É hora pra isso? /// E o Castanhal não se encontrou este ano no Parazão, fazendo a campanha pior em toda a vida do clube. Fez até agora um ponto só. Quem te viu e quem te vê Japiim! O Gavião está indo na mesma toada. /// Ainda não está definida a questão da arrecadação do clássico Remo x Paysandu do dia 29. André Cavalcante defende uma tese que consta, segundo ele, no regulamento do Parazão 2015, enquanto a turma do Paysandu se baseia num documento feito pelo Cel. Nunes, presidente da FPF. O bom senso seria a melhor lei para acabar com toda essa polêmica. /// A outra semifinal da Copa Verde será entre Cuiabá x Luverdense, que ontem se classificaram e vão fazer o clássico mato-grossense. De qualquer forma o Pará já está nas finais da Copa Verde e esperamos que este ano o título fique por aqui, sem necessidade de Tribunais. /// São Francisco e Remo no Grupo A1 e Paragominas e Cametá no A2, vão liderando o 2º turno do Parazão. Castanhal e Gavião lutando para não cair. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!
E-mails: rporto@supridados.com.br

23 de março de 2015 at 2:27 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 18.03.15

A batalha leonina

O que menos ajuda o Remo a esta altura do pagode é ficar se lamuriando pelo que deixou de fazer ou pelo que não soube ganhar. Um exemplo: viúvas azulinas de Mazola Jr. cornetam que a caminhada de volta à Série D seria mais tranquila sob a batuta do marqueteiro treinador.
Está aí um troço que nunca se irá saber, pois Mazola está no Botafogo de Ribeirão e o Remo é comandado por Zé Teodoro, um técnico muito mais credenciado e vencedor. Num esporte cheio de variáveis como o futebol, não significa que Zé vá dar jeito na situação azulina, mas fatos são fatos – e precisam ser ditos.
Na verdade, o dilema remista é bem mais profundo do que esses bate-bocas inócuos de mesa de bar ou resenhas de escritório, que costumam decretar bobamente que os males do clube passam por “ciúme de homem” ou vaidade excessiva entre a cartolagem. Ciumadas são normais, seja em ajuntamentos masculinos ou femininos. É claro que não respondem pela sinuca de bico em que o Remo está metido há uma década.
Sim, porque o Remo está sem vencer algo realmente relevante desde o Campeonato Brasileiro da Série C em 2005. E naquela época havia muita desavença internas. Ainda assim, com esforço de alguns poucos e aquela faísca de sorte que segue os vencedores, o time derrotou todos os obstáculos, inclusive suas próprias limitações.
Desde então, o que fez o clube? Desfez elencos a cada seis meses, trocando de técnicos em espaço ainda menor de tempo. Abandonou a política de revelar jogadores e garimpar reforços regionais. Naquele time de dez anos atrás, pontificavam peças genuinamente paraenses, como Landu, Magrão, Marquinhos Belém e Márcio. Não eram peças questionadas, eram titulares.
A rotina do clube tem sido a de abrir mão dos bons valores, quase sempre de graça ou a preço de banana. São raros os casos de bons atletas revelados (Deus sabe como…) que foram aproveitados. Parece repetitivo, mas está aí a raiz de todos os problemas. A cartilha é obrigatória: todo time que luta contra a falta de patrocínio e as dificuldades normais das competições deficitárias precisa investir tudo na formação de jogadores.
De 2010 pra cá, o Remo já perdeu muita gente que poderia ter pelo menos significado lucro para os cofres do clube. Cicinho, Tiago Cametá, Betinho, Héliton, Rodrigo e Jonathan saíram de graça. Roni, Alex Ruan, Igor João e Sílvio são as exceções no time atual, embora até mesmo Roni quase tenha saído no final de 2014. E ele é simplesmente o melhor atacante surgido no Baenão nos últimos anos.
É esta realidade que o Remo precisa encarar de frente e fazer o possível para não repetir erros tão absurdos e recorrentes. Para tanto, a nova diretoria precisará, além de vitórias em campo, contar com o apoio de conselheiros e colaboradores realmente engajados no projeto de recuperação do clube.
O primeiro passo é evitar as contratações amalucadas, de veteranos como Zé Soares e Leandrão, que só interessam aos empresários sabidos que rondam os clubes mal administrados. A partir daí, caberá ajustar as despesas, evitando gastar mais do que pode e esforçando-se para produzir receita, a partir da apaixonada torcida.
Quando isso tudo estiver encaminhado, o Remo poderá enfim olhar para jogos como o desta noite contra o Cametá com a serenidade necessária para entender que sua real grandeza. Isso significa que não pode jamais se comportar como um combinado formado às pressas e sem compromisso para ir conhecer as belezas do Baixo Tocantins. Grandes clubes são confiantes e se impõem sempre, joguem aqui ou na Indochina.

O apito ainda é dos mais espertos

Robinho, com aquele cartaz de não ter ganho nada como atleta de fama internacional, forçou um árbitro fraco a marcar pênalti inexistente contra o Londrina, ontem à noite. O árbitro Paulo Salmázio acompanhava o lance, como todo mundo no estádio, percebendo que a bola bateu no ombro do zagueiro. Robinho gritou pedindo o pênalti e o apitador convenceu-se em questão de segundos de não ter visto o que viu.
Milagres da reflexão forçada.
Robinho, então, sem o menor pudor, foi lá e mandou a bola para as redes. Um pequeno assalto à verdade dos fatos, mais um neste país em que os fatos e a constatação das verdades são atirados nas lixeiras em nome da esperteza que satisfaz a fome imediata.
Enfim, vida que segue.

Manto bicolor remete à glória dos anos 40

Com um uniforme que resgata a estética da gloriosa camisa envergada pelo Esquadrão de Aço do período de 1939 a 1947, responsável pelo pentacampeonato e a histórica goleada de 7 a 0 sobre o maior rival, o Papão está de roupa nova.
Para quem estranhou o azul mais fechado nas tradicionais listras verticais, a explicação é simples: o primeiro uniforme resgata o azul royal utilizado nos anos 40. O azul-celeste atual foi abraçado definitivamente a partir da década de 60.
Do Brasil todo, torcedores de outros clubes aplaudiram a beleza do novo manto bicolor, atestando o acerto da Puma no design escolhido. Aplausos mais do que merecidos e correspondentes à grandeza da festa que teve Viviane Araújo como garota-propaganda, anteontem à noite.

Dewson barrado no Re-Pa

Ao contrário do que se imaginava, o Re-Pa do dia 29 pelo Parazão não terá arbitragem local. A pedido do Papão, encaminhado na tarde de ontem à federação, o trio Fifa deverá ser de outro Estado. Curiosamente, o paraense Dewson Freitas não estará no comando, se prevalecer a vontade dos dirigentes.

18 de março de 2015 at 5:00 pm 1 comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 18.3.15

POSITIVO – Mais uma ação extraordinária da Associação Zezé do Boxe: domingo, 9 h, saindo da Avenida Tamandaré com Carlos de Carvalho a caminhada “O Esporte Pede Paz”. Tudo a ver!

NEGATIVO – É Dewson Freitas, santo de casa não faz milagre mesmo: RE x PA do dia 29.3 terá trio FIFA de outro estado a pedido dos clubes. É duro!

Lá e Cá

Uma beleza também a camisa da Copa Verde a ser utilizado pelo Paysandu e estreia programada para domingo. Tomara numeração dos novos mantos seja padrão FIFA!

Paysandu não terá moleza: Águia Negra de Rio Brilhante-MS, adversário de hoje na Copa BR lidera grupo B do sulmatogrossense (17 pontos) e, o Nacional, sábado pela Copa Verde, comanda o amazonense (12 pontos).

Por sinal, Alex Dias que estourou no Remo, brilhando depois no Brasil e na França e Val Barreto, ainda no Leão Azul, nasceram em Rio Brilhante.

Paysandu reconheceu ontem no Ninho da Águia (tem 5 mil lugares), em Rio Brilhante-MS. Dado Cavalcanti gostou do gramado e deu nota 8;

Remo teve espião domingo em Cametá assisitindo e filmando ações do Mapará. Vídeo será utilizado hoje na preleção de Zé Teodoro; com Igor João e Ciro Sena na zaga hoje dará para avaliar se o problema era o Max.

Adriano Paredão,39 anos, goleiro que fez sucesso no Remo está de volta ao Rio Negro-AM. Em Manaus já atuou tamabém no Cliper e Fast Club.

Não há procura dos torcedores do Remo pelos ingressos do jogo de hoje em Cametá. Já se sabe que no caso de uma derrota mudará a CT. Azulinos só ganharam até agora no Parazão do Castanhal.

Presidente Nunes (FPF) hoje em Rio Brilhante-MS e, domingo, o vice Maurício Bororó, em Manaus-AM, ao lado do Paysandu.

Para facilitar a logística do São Francisco, jogo em Cametá mudado para dia 7.4; não será novidade se o Paysandu for a Tucuruí de avião; ontem Souza treinou entre os titulares bicolores no MS e poderá ser novidade.

Aos 34 anos, atacante Borges, que esteve no Paysandu em 2004 e de contrato encerrado com o Cruzeiro, novo reforço do Avaí-SC; Independente tem chance hoje de faturar mais 240 mil na Copa BR.

HOMENAGEM – Alan Carlos Nascimento, o Alan, ex- atacante do Remo da base ao profissional (1988-97), Ponte Preta, Guarani, Inter de Limeira e Santos-SP (campeão), de 1998 a 2002. Empresário do ramo de confecções.

18 de março de 2015 at 4:58 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 18.03.15

– QUER SER TITULAR – O atacante Val Barreto que há vários jogos vinha sendo esquecido pelo técnico Zé Teodoro, tem a esperança de ser titular do time remista no jogo de hoje no parque do bacural, o bom desempenho na partida elevou o moral do atleta, que teve seu nome bastante lembrado nas arquibancadas readquiriu a confiança de começar como titular, “embora esse empate tenha dado um gosto de derrota. Levar cinco gols em uma situação que trabalhamos muito, não dá para aceitar. Infelizmente aconteceu e vamos ter que ouvir do nosso professor, o nosso treinador está fazendo o trabalho dele e eu tenho eu respeitar, mas eu acho que ele vai olhar com mais carinho para mim depois desse jogo. Enquanto isso, eu continuo aqui fazendo o meu trabalho, com muita paciência e dedicação, porque sei que a minha hora vai chegar”, conclui.

– DIA D – Uma coisa é certa hoje no parque do bacural na partida Remo x Cametá, os azulinos sabem que só a vitória interessa a equipe, em caso de um resultado negativo o clima no Leão pode ficar insustentável, e o sonho de vaga para série D também pode ir por água a baixo.

– NADA DE JÁ GANHOU – Jogando pela Copa do Brasil hoje no Mato Grosso, o Paysandu é considerado por todos inclusive pelo presidente do Águia Negra como favorito a vencer a partida, tudo que em termos de tradição e conquistas lógico o papão é realmente o favorito, só que caldo e canja de galinha não faz mal a ninguém, estamos falando de Copa do Brasil, e todo cuidado é pouco.

– É A VEZ DO GAROTO – Hoje com o desfalque do zagueiro Max que ficou contundido em recuperação aqui em Belém, o técnico Zé Teodoro vai colocar o garoto Igor João na zaga remista, é bom lembrar que este garoto há muito é pedido pela grande nação azul, Igor que é da base do clube participou da grande campanha da Copa do Brasil sub 20 de 2013, BOA SORTE GAROTO.

– NEM MELHOR, NEM PIOR APENAS DIFERENTE.

18 de março de 2015 at 3:59 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 17.03.15

– O NOVO MANTO BICOLOR – Em uma noite gala com a presença de uma parte da fiel torcida foi lançada ontem o novo modelo camisa bicolor para temporada 2015, que traga sorte ao clube de suíço e glorias a grande nação alvi-celeste.

– PERDEU UMA GRANDE CHANCE DE FICAR CALADO – Quem acompanhou a entrevista do técnico do Remo após o jogo de domingo notou que ele perdeu uma grande chance de ficar calado, como é que o Zé Teodoro vem falar que a torcida saiu satisfeita com o que viu da equipe no jogo diante do Tapajós, alguém esqueceu de avisar para ele que o Remo levou CINCO GOLS na partida, CALADO TINHA FICADO BEM MELHOR.

– PARECE QUE AGORA ACORDOU – Em meio a festa de ontem parece que o presidente do Paysandu acordou e declarou que o clube vai contratar jogadores para reforçar o elenco para série B, outra atitude que alegrou o torcedor é que finalmente ele acabou com aquela frouxura de ficar falando que o Paysandu iria disputar para se manter na série B, e que o clube vai brigar por uma vaga pelo acesso a primeira divisão, UFA ATÉ QUE FIM, O PAYSANDU É TIME GRANDE, CHEGA DE PENSAR PEQUENO E COMO SEMPRE LISOS ABANDONEM O FUTEBOL.

– O ESTILO ABESTADO DE SER – Ontem surgiu uma noticia que o Clube do Remo iria representar contra o arbitro que apitou o jogo do Leão diante do Tapajós no ultimo domingo, os azulinos se acharam prejudicados em alguns lances da partida, bem isso era a vontade da maioria da torcida, assim também como a grande maioria não engoliu a história da divisão de renda no RE X PA, quando a federação para concertar um erro seu, inventou a historia de um ADENDO e rasgou de uma só vez estatuto do torcedor e o regulamento do campeonato paraense, O REMO É MUITO GRANDE PARA TER UM PASPALHO NO SEU COMANDO, EU SÓ ACHO.

– ATÉ QUE FIM – Escutando a turma do bate-papo ontem finalmente escutei alguém falar umas verdades sobre a MÚMIA que comanda a federação paraense de futebol,o advogado André Cavalcante afirmou em alto e bom tom que o Nunes não manda nos clubes e que os papeis estão invertidos no nosso futebol, amigos da coluna sinceramente achei muito legal este comentário do André pois este VERME pensa que manda no futebol paraense e que ele esta acima do bem e do mal, MUN-HÁ TU ÉS A VERGONHA DO FUTEBOL PARAENSE.

– NEM MELHOR, NEM PIOR APENAS DIFERENTE.

17 de março de 2015 at 5:02 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 17.3.15

POSITIVO – Boa notícia: obras de adequação dos pórticos de entrada do Mangueirão já iniciadas, recuperadas as valetas internas e catracas padrão FIFA adquiridas. Dentro do programado!

NEGATIVO – Jáder estava no Baenão e Remo não quis, Paulo Rafael foi menosprezado e, agora, goleiro Cesar Luz ainda vai não no banco de Fabiano contra o Cametá. Zé Teodoro gosta de esquisitas emoções!

Lá e Cá

Jogadores da ARF para Copa da Noruega: Artur, Andrey, Alexandre, Carlison, Cleiton, Douglas, Eduardo, Edvan, Gledielson, Geferson, Irlan, Ilgner, Lucas Lameira, Lucas Oliveira, Marcelo, Nalbert e Wellyson.

Sócios torcedores do Inter-RS (130mil) e Grêmio (80 mil) têm direito a votar nas eleições do clube; atacante Souza e lateral Pikachu muito assediados ontem no embarque do Paysandu para jogo da Copa BR.

Goleiro reserva bicolor Emerson antes foi volante e lateral direito; árbitro FIFA Dewson Freitas não gostava de futebol. Aliás, Dewson Freitas apitará nas Universíades (Copa do Mundo Universitária), em Pequim, em julho.

Eduardo Ramos em 1,5 mês no Remo já fez 4 gols este ano. Ano passado marcou o mesmo número em 6 meses; nunca o Leão Azul havia empatado de 5×5 em sua história, mesmo praticando futebol desde 1913.

Como técnico Zé Teodoro diz estar sacrificando Caça-Rato e o quer na sua posição (jogando pelas beiradas), deve sobrar para Rony. Ou usará os dois?

Parazão esquisito tem 8 artilheiros e com apenas 3 gols: Monga (Gavião), Magno e Juninho (Parauapebas), Pikachu (Paysandu) Cadu (S. Francisco), Whelton (Tapajós), E. Ramos (Remo) e Bruno Maranhão (Paragominas).

Independente vai chegar baleado: sai hoje cedo de Tucuruí para Marabá (ônibus) e pega avião via Brasília, São Paulo, Fortaleza e Juazeiro do Norte. Ufa! Ainda bem que ganhou de 5×0 a primeira da Copa BR.

Remo é líder do seu grupo, mas 8º no geral e isso é preocupante; fórmula do campeonato vai fazer neste segundo turno torcedor do Remo querer vitórias do Paysandu com demais adversários e vice-versa. Pode?

Certa vez sugeri que goleiro Narciso (Paysandu) fizesse exame de vista e ao topar teve de parar de jogar. Que tal DM de nossos clubes pocederem esses exames agora? Ladeira (S. Francisco) 4º técnico a cair no Parazão.

HOMENAGEM – Ivonildo Gonçalves Barreirinhas, o Paulo Cintura, que como soldado foi campeão de futebol da 8ª RM pelo 2º BIS (1979) e 4º nos 100 metros de atletismo nos Jogos do Exército (1981), tendo a companhia de João do Pulo. É segurança da recepção da RBA.

17 de março de 2015 at 4:55 pm Deixe um comentário

CHUMBO GROSSO – Paulo Fernando – 16.03.15

– ACABARAM COM A POSE DO GALO – O Mapará não tomou conhecimento do campeão do primeiro turno e venceu o Galo por 3 a 1. O Independente saiu na frente com Douglas Tandu aos 28 do primeiro tempo. Soares de falta empatou o jogo e também virou aos 42 do primeiro tempo e aos 3 do segundo. O meia experiente Flamel fez o terceiro de cabeça e deu números finais ao jogo, agora o Cametá recebe o Remo no Parque do Bacurau, na próxima quarta-feira e o Independente receberá o Tapajós, no dia 1 de abril, em Tucuruí.
– FIEL PREOCUPADA – Mesmo ganhando do Castanhal no ultimo sábado, o torcedor do Paysandu esta com a pulga atras da orelha com o futebol praticado pelo time dentro de campo, é bom lembrar que o papão terá uma temporada nada fácil pela frente, a série B vem ai e se continuar jogando desta forma vai tirar muito o sono do torcedor alvi-celeste, QUALIDADE É PRECISO, se não tem condições de jogar no Paysandu manda embora e contrata quem tenha, o PAPÃO NÃO É INSTITUIÇÃO DE CARIDADE.
– UM BARCO SEM COMANDO – Infelizmente hoje o Remo é um barco sem comando, salários atrasados, dividas com a justiça, dirigentes sem moral alguma para cobrar alguma coisa de alguém, pois quem não paga tem que meter a LÍNGUA NA ORELHA, e além de todos estes fatores colocados aqui, a grande nação azulina tem que aturar UMA MARIONETE no comando do clube, uma figura sem sangue e sem postura alguma de PRESIDENTE para comandar o grande Leão azul paraense, sinceramente até onde vai a VAIDADE DE UM HOMEM.
– TA JOGANDO MUITA BOLA – Eu sempre falei que não tenho nada pessoal contra ninguém, faço criticas quando tenho que fazer, e elogio quando tenho que elogiar, e hoje aqui venho dizer que Eduardo Ramos vem fazendo a diferença na equipe remista, além de criar ta definindo também, é uma pena que ele não tenha ninguém no time que pense na frente igual a ele, é duro querer jogar com quem não entende o que é um, dois, uma tabela, o cara da a bola redonda e recebe cada tijolo de volta que é brincadeira, TA FAZENDO A DIFERENÇA.
– ALÉM DE BURROS O CARAS SÃO CEGOS TAMBÉM – 1- Fabiano, 2 – Levi, sinceramente não tem torcedor que aguente isso, será que os dirigentes do Remo que além DE LISOS E BURROS SÃO CEGOS também, brincadeira estes dois já eram para estar bem longe do baenão, O REMO NÃO É ABRIGO NEM INSTITUIÇÃO DE CARIDADE, quarta tem o Cametá fora e se não acordar ADEUS SÉRIE D, QUEM AVISA AMIGO É.
– NEM MELHOR, NEM PIOR APENAS DIFERENTE.

16 de março de 2015 at 5:53 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.