Coluna do Gerson Nogueira – 28.04.15

28 de abril de 2015 at 12:31 pm Deixe um comentário

Os segredos da recuperação

A mudança foi drástica e se operou em menos de um mês. O Remo saiu do inferno e ascendeu ao paraíso. A lua-de-mel com a torcida, justificada pela heroica arrancada na Copa Verde e no Campeonato Paraense, ainda está por se completar nos jogos que vêm pela frente, mas algumas figuras merecem destaque nesta caminhada que espelha bem a natureza absolutamente imprevisível do futebol.

Cacaio é o grande responsável pela reversão de expectativas no Baenão. Assumiu e dois dias depois já fez o time jogar com inesperada pegada competitiva contra o Atlético-PR. Perdeu logo depois para o Papão, mas não mudou de atitude. Marcação forte, briga pela bola em qualquer parte do campo e solidariedade em campo. Sem a bola, todos combatem.

Parece simples – e é. Mas dá trabalho, exige muito treino. Cacaio teve pouquíssimo tempo para esses ajustes, mas encurtou caminho ao contar com a boa vontade do elenco. E aí entra o mérito da atual diretoria de escolher um treinador com vivência no futebol regional e que conhecia quase todos os jogadores. Foi provavelmente o único acerto da gestão de Pedro Minowa até aqui.

Ao estabelecer regras básicas de convivência, levando em conta o mérito e a dedicação de cada um, ganhou a confiança de todos e pavimentou o caminho para a plena recuperação do time.

Além das turbulências financeiras, Cacaio teve que enfrentar desafios externos poderosos, como o nivelamento do Campeonato Paraense e o cruzamento direto com o Papão na semifinal da Copa Verde. Ainda terá muito a fazer nos próximos dias, em jornadas duríssimas contra Independente e Cuiabá, mas seu trabalho já é reconhecido.

As entrevistas dos jogadores depois dos jogos revelam que a troca de treinador foi decisiva. Sem detonar o antecessor, Zé Teodoro, manifestam a convicção de que agora todos têm oportunidades iguais. Acima de tudo, acreditam nas palavras do novo técnico. Em meio à descrença generalizada em relação aos dirigentes, o elenco resolveu apostar tudo em Cacaio. Está dando certo.

Jogadores como Ratinho, Ilaílson, Igor João, Ameixa, Alex Ruan, Sílvio, Fabrício e Val Barreto voltaram a ser relacionados. Eduardo Ramos passou a assumir as responsabilidades que um meia-armador de seu nível precisa ter. Fabiano se consolidou como titular no gol, depois de um período de incertezas na gestão de Zé Teodoro.

Há quem considere Cacaio apenas um “bombeiro”. Na linguagem futebolística, significa que é um profissional especialista em solucionar crises, apagar incêndios, mas que não sustenta trabalho mais duradouro. Não se pode afirmar isso em relação ao técnico do Remo, pela simples razão de que ainda não teve oportunidades de fazer trabalhos de médio e longo prazo. No Cametá e no Paragominas ficou por menos de seis meses.

Sua grande chance é agora. Ao Remo caberá, dando-lhe as condições necessárias para o trabalho, se beneficiar dessa coincidência.

Para consertar equívocos

Na pressa para atender aos prazos de fechamento da edição, acabei trocando alhos por bugalhos na coluna impressa de ontem, analisando o clássico. Disse que Levy havia substituído a Ilaílson, quando a troca foi por Bismarck. Do lado alviceleste, misturei os Leandros. Na verdade, o Carvalho entrou no lugar de Carlinhos e o Canhoto substituiu a Ricardo Capanema. Pelos equívocos, peço desculpas (e compreensão) dos 27 leitores de sempre.

Desabafo de um torcedor consciente

Recebi do amigo desportista José Marcos Araújo, bicolor de fibra e lealdade inquestionável, um comentário em forma de desabafo crítico, que transcrevo, por lúcido, educativo e pertinente:

“A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa. (Karl Marx MARX, K., Dezoito Brumário de Louis Bonaparte, 1852). Não é fácil para ninguém reconhecer a vitória do adversário. Muito menos para mim. Meus amigos sabem disso. Mas, o que fazer? O que dizer? Parece que tem dia que a placenta se transforma em bela moça, com direito a faixa de miss. Mas, duas vezes? Dois anos seguidos?

Não adianta reclamar que juiz foi ‘comprado’, que foi pênalti, que a Federação queria e um monte. Se infelizmente isso existe no futebol, como tanta incompetência deixar isso acontecer? Como é que uma administração modelo como se intitula a nossa permite que o exército de brancaleones consiga lhes passar a perna?

Se do nosso lado tem grana à vontade – ou quase isso – de 14 mil sócios torcedores, jogadores de salários de R$ 40 mil, 50 e 60 mil, tudo em dia, com concentração 5 estrelas e do outro lado atrasos até na Cheirosinha do Ver-o-Peso, ameaças de rebelião e até fuga para as Alterosas.

O que dizer? Em 2014 foram um grupo de meninos a derrotar nosso esquadrão e neste ano foi um amontoado de coisas. É preciso entender as reais causas e os responsáveis para virar essa página. A culpa é do Dão? Do Souza? do Romário? Dos 30 e poucos jogadores contratados? Ou de quem contratou mal? Onde já se viu, às vésperas de cada jogo importante, o dirigente vir a público informar que na próxima semana estarão chegando novos jogadores.

E que esses novos jogadores serão de qualidade superior aos que aqui estão. Alguns até chegam em meio da preparação da equipe para a final da Copa Verde e do Paraense. Será que esses dirigentes não poderiam consultar um psicólogo ou psiquiatra para buscar orientação em como motivar a equipe? Pois dessa forma o que conseguem é arrebentar as condições desses jogadores.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLA PRA FRENTE – Claudio Guimarães – 28.4.15 BOLA PRA FRENTE – Claudio Guimarães – 29.4.15

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: