Coluna do Gerson Nogueira – 22.06.15

22 de junho de 2015 at 3:13 pm Deixe um comentário

Aos trancos e barrancos

O empate eliminaria a Colômbia e, a seis minutos do final, a Venezuela diminuiu ao aproveitar rebote de Jefferson em meio a cinco defensores brasileiros. Todo mundo pensou naquele momento que a bronca brasileira em relação aos colombianos poderia virar uma pequena forra. Em se tratando de Dunga e suas zangas, raciocínio perfeitamente normal. Mas o placar ficou mesmo em 2 a 1, sendo que a Venezuela pouco fez para merecer melhor sorte contra um Brasil apenas esforçado e caprichando nos passes improdutivos, geralmente para os lados.
A vitória foi imensamente facilitada pelo gol logo aos 8 minutos. Tiago Silva fez o que os atacantes não costumam mais fazer: pegou de primeira e estufou as redes venezuelanas depois de um escanteio batido por Robinho.
O santista, por sinal, foi o mais empenhado dos atacantes que Dunga escalou. Sabendo que não é o preferido para o time titular, lutou como principiante e criou até bons lances, embora sem ajuda do lento e lerdo setor de criação.
Com a vantagem no placar, a Seleção organizou-se melhor em campo, sem muita pressa. Segurou o quanto pôde seus laterais Daniel Alves e Filipe Luís, embora nem precisasse. A Venezuela, mesmo perdendo, continuava recuada, defendendo-se com até nove lá atrás. Enfim, aquela Venezuela de sempre.
Ainda houve um penal sobre Philippe Coutinho não assinalado pelo árbitro e duas chances desperdiçadas pelo Brasil, mas o jogo estava bem encaminhado. Afinal, a classificação estaria garantida com vitória ou empate.
Por via das dúvidas, depois do intervalo Dunga mexeu no time. Para retrancar, claro. Botou David Luiz de volante, função que executou com esmero, distribuindo cotoveladas e pontapés. Quando Tardelli entrou, Firmino já havia marcado o segundo em consequência de uma rara arrancada de Willian pela extrema esquerda.
Com 2 a 0, Dunga decidiu se cercar de todas as garantias contra a “temível” Venezuela. Botou o zagueiro Marquinhos em campo. Quatro beques, contando com David Luiz.
Como não tinha mais nada a fazer, a Venezuela começou a avançar e passou a arriscar alguns chutes, com perigo. Foi assim que surgiu seu único gol, aos 39 minutos. No minuto final deu um susto na defensiva brasileira, mas ficou nisso.
Brasil classificado, e com atuação incensada na TV como a “melhor da temporada”. Fiquei imaginando qual terá sido a pior, já que a partida foi sonolenta e arrastada. Deve ser o tal padrão Dunga de jogar futebol.
Em primeiro lugar no grupo, mesmo aos trancos e barrancos, o Brasil vai enfrentar o Paraguai no sábado, nas quartas de final desta desenxabida Copa América, que já rivaliza com a de 2011 como uma das mais fracas dos últimos anos.

Zagueiro é atacante mais perigoso

O time não foi nem melhor nem pior do que tem sido. Jefferson tranquilo e seguro. Miranda em bom nível. Tiago Silva foi nosso melhor atacante: fez um gol e quase marcou outro. David Luz estabanado. Daniel Alves instável. Firmino conseguiu finalmente acertar o pé, e só. Filipe Luiz burocrático. Willian nas nuvens – parece sempre estar pensando longe.
O destaque foi Robinho, o que diz muito da atual Seleção. Fernandinho foi o pior, o que não surpreende, pois tem sido assim desde o espetacular vexame contra a Alemanha.

Direto do Face

“Final da Copa das Américas: Argentina e Chile. Com esse esquema ‘caranguejo’ de jogar para os lados a nossa selecinha não vai a lugar nenhum. Quanto ao Neymar, se ele e o pai fizeram alguma maracutaia para sonegar impostos, que se acertem lá com o Fisco do país onde ele (ainda) consegue jogar bem. E segue o barco”.
Waldemar Marinho, meu compadre, em análise sucinta sobre a Seleção de Dunga.

A distância que nos separa

O Campeonato Amazonense finalmente terminou. Na Arena da Amazônia semi-vazia, com pouco mais de 6 mil torcedores, o Nacional derrotou o Princesa do Solimões e levantou a taça.
Manaus tem uma das arenas mais modernas do mundo, construída a peso de ouro para a Copa 2014, mas só consegue encher 15% de seus assuntos.
Só como comparação, a decisão do Parazão, entre Remo e Independente, teve 35 mil espectadores (e quatro dias depois a torcida azulina voltou a lotar o Mangueirão para a final da Copa Verde).

Torcida protesta contra a cartolagem

Um grupo de torcedores do Remo está convocando um ato de protesto para hoje à tarde em frente à sede do clube, na avenida Nazaré, reivindicando que a Assembleia Geral destitua a diretoria atual. Segundo um dos organizadores, Rodrigo Puget, a intenção é fazer uma manifestação ordeira, cobrando providências imediatas por parte de conselheiros e sócios. O segundo passo será ingressar na Justiça contra os dirigentes, imitando atitude de torcedores do Bahia.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 18.6.15 BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 23.6.15

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: