Coluna do Gerson Nogueira – 02.08.15

2 de agosto de 2015 at 6:19 pm Deixe um comentário

Leão tem missão de risco

O Remo tem missão curiosa neste domingo em Paragominas. Precisa dos três pontos para seguir na liderança e terá pela frente a equipe mais frágil do Grupo 1 da Série D. O Náutico de Roraima perdeu pontos por escalar jogadores em situação irregular e veio para o jogo com dificuldades até para compor o banco de suplentes. Se em condição normal já seria um adversário pouco cotado, com a punição virou o azarão da chave.
É aí que mora o perigo da coisa. Equipes em situação de desesperança costumam jogar também sem maior pressão ou responsabilidade, o que pode permitir atuações bem mais ousadas. O futebol tem incontáveis exemplos de times aparentemente desenganados que, de repente, se superam e conseguem surpreender favoritos destacados.
Diante disso, o Remo entrará em campo consciente de que um empate já será resultado desastroso para as suas pretensões na fase inicial da Série D. Com isso, aumenta naturalmente o grau de ansiedade e risco. Enfrentar um franco-atirador é sempre temerário, mesmo que seja o combalido Náutico.
Para neutralizar as dificuldades, o Remo terá que mostrar postura resoluta, agressiva desde os primeiros minutos. De preferência, deve se empenhar para não repetir as hesitações e falhas de finalização que quase complicaram as coisas contra o Rio Branco, há duas semanas.
Naquela ocasião, mesmo com formação ofensiva, o time se perdeu em jogadas improdutivas, chutou poucas vezes a gol e desperdiçou todas as chances surgidas no primeiro tempo. Apanhou também das condições do gramado, muito seco, que dificultava o controle da bola. Foi achar o gol aos 28 minutos da etapa final, em cobrança de escanteio, quando o desespero já assolava a equipe.
Passado o nervosismo da estreia em casa, cabe ao time atuar como mandante e time grande da chave. Algumas vezes, o Remo passa a ideia de temer adversários de menor tradição e com elencos limitados.
Cacaio definiu o time com Juninho e Eduardo Ramos na criação, com Rafael Paty e Welthon na frente. É uma aposta no velho. esquema 4-4-2 que rendeu bons frutos ao Remo e ao próprio Cacaio nas competições do primeiro semestre. À frente da zaga, estarão Ilaílson e Chicão, sendo que este tem características que casam bem com a movimentação e habilidade de Juninho.
Na lateral direita, Gabriel entra jogando, o que deve corrigir um dos sérios problemas do Remo atual: a ausência de força pelos lados do campo. Nos jogos anteriores, Cacaio viu-se forçado a improvisar Ilaílson na direita, enfraquecendo o apoio ao ataque.
É uma boa chance para a equipe se ajustar de vez na competição, mas sem esquecer das falsetas que o futebol gosta de pregar em favoritos.

Faltou talento para evitar prejuízo em casa

Foi frustrante para os quase 20 mil torcedores que foram ao Mangueirão na sexta à noite. Para quem esperava uma reprise da boa atuação contra o América-MG, o Papão ficou devendo – muito – diante do vice-lanterna Mogi Mirim. Não se viu nem sinal da bem tramada movimentação dos atacantes que tanto contribuiu para a vitória de terça-feira. Faltou também apuro nas finalizações, embora as oportunidades tenham aparecido.
Apesar do gol logo de cara, a atuação evidenciou a limitação que o elenco impõe a Dado Cavalcanti. Como não dispõe de um homem criativo para organizar o jogo, o técnico tem que apostar no fraco Carlos Alberto, arriscar com um novato (Valdívia) e rezar por um lampejo de Pikachu.
Quem cuida das contratações no Papão parece crer que o ataque é a solução para todos os problemas. Nem sempre. É preciso entender que no futebol moderno tudo começa e acaba na meia-cancha. Sem vida inteligente naquela faixa do campo, pouco se pode esperar de um time. É possível até ganhar alguns jogos, mas é improvável chegar mais longe, principalmente em campeonato de pontos corridos.
O Papão tem hoje nove atacantes, já contando com Betinho, mas não tem um meia-armador para chamar de seu. Contra o Mogi Mirim, equipe aplicada e rápida, Carlos Alberto andava em campo. João Lucas era constantemente vencido na ala esquerda. Cearense voltou a ser o Cearense sem recursos. E, como Pikachu não estava em noite feliz, o time ficou na dependência de uma bola fortuita sobre a área, que não veio.
O lado preocupante da partida é que o Mogi deu sinais de exaustão, teve um zagueiro expulso no segundo tempo e ainda assim o Papão não foi competente para marcar o segundo gol. Diante de um adversário caindo pelas tabelas, Dado voltou a mexer com muito atraso, chegando a fazer a última substituição a cinco minutos do final. Série B requer, também, decisões rápidas.
Nos últimos seis jogos, o Papão só venceu uma vez e contabilizou cinco pontos em 18 disputados. É pouco.

Direto do blog

“A gente torce, vibra e se desespera, mas a qualidade técnica fala mais alto, quem olha o Papão jogar vê que é muito difícil um time subir jogando somente com lançamentos longos para os atacantes correrem e o Leandro Cearense se bater com os zagueiros, e a bola sobrar em um lance fortuito para alguém empurrar para as redes. É pouco também viver só da bola parada. Hoje até quase tivemos um gol após os vários tiros de canto e na falta que sofreu o Valdívia e o Pikachu cobrou, mas sem dúvida é pouco para um time ascender à Série A através de pontos corridos. Espero mesmo é que time se mantenha na Série B e que se derem uma brecha, quem sabe com um pouco de sorte, o Papão suba”.

Raimundo Jaime, em diagnóstico realista sobre o plano de voo do Papão na Série B.

Entry filed under: Uncategorized.

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 02.08.15 PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 03.08.15

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: