Archive for setembro, 2015

Coluna do Gerson Nogueira – 26.09.15

Duas batalhas

Fazia algum tempo já que a dupla Re-Pa não encarava, num mesmo dia, batalhas tão importantes e decisivas fora de Belém. O Papão joga em Salvador defendendo a segunda colocação no Brasileiro da Série B contra o Vitória, um adversário direto. O Leão enfrenta o Palmas, na capital tocantinense, buscando começar positivamente o mata-mata das oitavas de final da Série D.
São jogos importantes e perigosos por razões diversas. O Papão não pode facilitar, pois o próprio Vitória e mais seis clubes lutam pelo acesso e tentam ultrapassá-lo. Na verdade, o representante paraense virou o time a ser batido nesta parte final da Série B. O Remo estreia na fase eliminatória da Série D e, apesar de superior ao adversário, precisa ter cautelas para evitar surpresas.
Caso consiga sair de Salvador com uma vitória, ou mesmo um empate, o Papão dará passo importantíssimo para o acesso. Com 47 pontos ganhos, precisa acumular mais 19 para garantir uma das quatro vagas. Como terá ainda cinco jogos a fazer em casa, o time precisa beliscar quatro pontos em terreno adversário. Começar essa colheita hoje seria oportuno e teria efeitos ainda mais animadores sobre o elenco.
A garantia de escalação do atacante Betinho – graças a efeito suspensivo – representa um importante trunfo para o técnico Dado Cavalcanti. Sem um homem de referência na frente, seria obrigado a improvisar Aylon, cujas características são mais de um atacante de lado, pela velocidade que imprime ao jogo.
Além disso, Betinho tem sido um jogador produtivo, marcando gols importantes e em franca evolução técnica, depois de um começo pouco auspicioso na Copa do Brasil. Contra o ABC, marcou dois gols, exibindo grande movimentação em todos os lados do ataque. Na partida seguinte, diante do Náutico, salvou-se do naufrágio geral. Em tarde pouco inspirada do time, teve o melhor rendimento, criando boas situações mesmo sem ter sido acionado pelos meias.
Para dar ainda mais consistência ao time, a linha defensiva não sofre alterações, contando com os laterais titulares, Pikachu e João Lucas. O ponto de interrogação fica por conta do meio-campo, onde, na ausência de um armador de ofício, Jonathan deverá ter funções de ligação. Rony e Léo, mantidos na equipe, terão que desempenhar um papel mais dinâmico, ajudando tanto o meio quanto Betinho na ofensiva.
Sob o sol inclemente de Palmas, o técnico Cacaio optou por lançar um ataque à moda antiga, apostando tudo na altura do centroavante Kiros. Até mesmo a longa inatividade do jogador foi esquecida, talvez por força das lembranças de 2005, quando Roberval Davino usava Capitão para complementar jogadas aéreas. Outro fator determinante para a entrada de Kiros foi a baixa produtividade dos outros atacantes de área. Rafael Paty, principal goleador da equipe na temporada, não atravessa bom momento. Aleílson e Welthon não conseguiram se firmar quando entraram como titulares.
Léo Paraíba, especialista no jogo de velocidade pelo lado direito, será o companheiro de Kiros no ataque. Sozinho, porém, não poderá fazer muito. Para que Kiros tenha oportunidades, será fundamental o trabalho de Juninho e Eduardo Ramos na meia-cancha e de Levy e Alex Ruan nas laterais. Acima de tudo, os cruzamentos devem ser caprichados.
Como o duelo é de 180 minutos, é importante conquistar um bom resultado no primeiro jogo, embora com a consciência de que o desespero e a pressa devem estar do outro lado. Ao Remo cabe fazer um jogo estratégico, observando e explorando eventuais falhas do Palmas.
O time do Tocantins fez uma das mais fracas campanhas da fase classificatória, marcando sete gols e sofrendo quatro. Os números indicam que a defesa é seu ponto alto, mas o ataque é econômico. Outra razão para que Cacaio e seus jogadores não se entreguem à afobação. Saber esperar pode ser um trunfo decisivo nesta fase eliminatória.

Direto do blog

“Deus ajude o Ricardo Oliveira, eis que, na atualidade, o futebol brasileiro jogado no Brasil tem muito mais a oferecer do que aquele jogado pelos estrangeiros como este que agora se contundiu. A propósito, pro nível em que se encontra o time da cbf já é chegada a hora de chamar o Ganso. E não basta só chamar, é necessário prestigiar, dar moral pro jogador. Mais ou menos assim como o Dado fez com o Carlos Alberto, e com outros menos votados. É preciso proporcionar ao Ganso uma boa sequência de jogos. No caso do Carlos Alberto não deu certo. Mas, do Ganso, dado o nível dos que o Dunga tem convocado e dos demais que estão disponíveis, tenho uma boa expectativa que o resultado venha a ser favorável.”

De Antonio Oliveira, sobre a última novidade na Seleção de Dunga.

O amigo e conterrâneo Zezé do Boxe comemora 42 anos de dedicação ao boxe com programação festiva, hoje, a partir das 12h30, no Mormaço. Haverá show de Nelsinho Rodrigues e participação de outros cantores. Zezé, generoso como sempre, não quer presentes, mas doações de brinquedos para o Natal das crianças carentes das comunidades que ajuda. A coluna se associa às justas homenagens a um defensor incansável da nobre arte no Pará. Parabéns.

Anúncios

26 de setembro de 2015 at 12:01 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 25.09.15

Sapateado de catita

Ex-companheiro de quarto do Baixinho na Copa do Mundo de 1994, Dunga pegou firme em resposta a Romário, que havia criticado o critério de convocações da Seleção Brasileira. O técnico exige que o senador prove as acusações sobre tráfico de influências em torno da escolha de jogadores. Aproveita para tecer loas ao supervisor de Seleções, Gilmar Rinaldi, dizendo que o conhece há muito tempo, como se isso fosse prova absoluta de lisura.
Em nota, Dunga renega as ligações com Romário. “Amizade pressupõe respeito, lealdade e estrita confiança na integridade de quem (sic) dedicamos aquele sentimento. Por isso, o senador Romário nunca esteve no meu rol de amigos e ele fica na obrigação, sobre o que disse, de apresentar fatos”, afirma, tomando as dores de Gilmar.
A presença de Gilmar no cargo é dessas excrescências próprias da CBF. Depois de encerrar a carreira de jogador, dedicou-se a agenciar atletas. Adriano Imperador foi um de seus mais notórios clientes. Na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, entrevistei Gilmar à beira do campinho de treinos de Köningstein.
Declarou na ocasião que levava fé no sucesso de Adriano naquele mundial, formando com Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e Kaká o chamado quarteto mágico do Brasil. Dias depois, a Seleção seria eliminada pela França de Zidane e o centroavante iniciando ali sua derrocada. A atividade de empresariar jogadores representa um flagrante conflito de interesses com a de supervisor da Seleção. Isso deveria ter impedido a indicação de Gilmar para a função.
Grosso modo, é como botar a raposa para vigiar o galinheiro.
O fato é que as convocações se tornaram um prato cheio para especulações e suspeitas. Tudo começou com a dupla Zagallo e Parreira, responsável por lembrar de atletas que ninguém conhecia ou por outros que eram bem conhecidos pelo futebol limitado – casos de Amaral, Viola, Paulo Sérgio e outros.
Desde então, as chamadas de jogadores para o escrete se transformaram em sinônimo de balcão de negócios, envolvendo empresários, agentes de atletas e clubes. Essa promiscuidade tem sido combatida à meia força, com evidente má vontade.
CBF e autoridades não têm interesse em enfrentar a situação, talvez pelo próprio grau de comprometimento. Nenhuma apuração a respeito teve caráter conclusivo. Na prática, persiste blindagem poderosa, que impede avanços e ignora denúncias.
A CPI do Futebol, que Romário ora preside no Senado, tornou-se um palco dos mais privilegiados para que o assunto volte a ser investigado e discutido a sério. O jornalista inglês Andrew Jennings participou de audiência no mês passado, afirmando com todas as letras que o esquema de corrupção que domina a Fifa teve início pelo Brasil.
Não se ouviu qualquer resposta por parte da CBF, diretamente acusada pelo repórter. Ao contrário, o presidente Marco Polo Del Nero faz questão de fingir o tempo todo que não ouve, não lê e não sabe nada sobre os escândalos que levaram à prisão de seu antecessor no cargo, José Maria Marin.
Por enquanto, Romário brada sozinho, bem ao estilo justiceiro que o levou à câmara mais alta do parlamento brasileiro, mas com resultados até aqui muito parecidos às tentativas anteriores de revirar no lixo produzido pelo futebol e seus donos no país.
Dunga se abespinhou com as críticas do ex-parceiro, advogou por Gilmar, mas não abriu mão de nomes controvertidos nas últimas convocações. Por seu turno, o Baixinho até agora fez firulas, mas não invadiu a área dos grandes latifúndios do futebol no Brasil, a começar pela detentora dos direitos de transmissão e dona dos campeonatos. Enquanto não encarar isso de frente, tudo não passará do nosso conhecido sapateado de catita.

Tio Sam investe para virar potência

Considerado o novo eldorado do futebol, a liga norte-americana (MLS) terá investimento total de US$ 168 milhões. Os 20 clubes torraram essa fortuna contratando 574 atletas nesta temporada. O curioso é que a maioria desses atletas já está remando pra beira, para usar uma expressão do amigo Valmireko.
O brasileiro Kaká lidera o ranking, com US$ 7,16 milhões/ano. O craque italiano Pirlo vem logo abaixo, faturando em torno de US$ 6 milhões.
Os EUA seguem a receita inaugurada nos anos 80 pelos japoneses. A criação da J-League foi a alavanca que faltava para popularizar e rentabilizar o futebol no Japão, com forte importação de atletas veteranos e alguma sucata de países do primeiro mundo da bola.
O Brasil cedeu muitos atletas, contribuindo para a evolução do futebol como negócio no país do sol nascente. Com muito dinheiro e austeridade gerencial, o programa foi bem executado e o Japão começou a revelar seus próprios jogadores. Hoje, merecidamente, ocupa posição honrosa no mapa do futebol.
A ambição americana vai além. O objetivo é ingressar na elite do esporte mais popular do planeta nas próximas décadas.
Alguém duvida de que chegarão lá?

E se o futebol pudesse imitar o rock¿

O futebol, que tem tanto em comum com o rock (alegria, vibração, irreverência, rebeldia), infelizmente não consegue ter a capacidade de se manter eternamente jovem como o gênero que é a trilha sonora de minha geração. Vi ontem o show no Rock in Rio do projeto-curtição de Alice Cooper, Hollywood Vampires, arrebentando em performances caprichadas de grandes clássicos de bandas legendárias.
No time, Joe Perry, Zak Starkey, Duff McKagan e vários outros cobras, além de Johnny Depp, o capitão Sparrow, brincando de guitarrista. Pura diversão, elemento essencial no rock.
Seria mais ou menos como se numa Copa do Mundo um dos times fosse convidado exclusivamente para divertir a massa, mesclando cobras do passado, como Zidane e Platini, e alguns mais recentes, como Henry e Ronaldo. Cabia até incluir ex-jogadores ainda em atividade, como Ronaldinho Gaúcho. A galera ia vibrar com os dribles e lances de efeito, como nas viradas de guitarra de Perry ontem à noite.

25 de setembro de 2015 at 3:15 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 25.9.15

POSITIVO – Revitalização por que passa a sede da Tuna chegou ao Ginásio Miranda Sobrinho e está sendo trocado o piso. Louvores à Diretoria!

NEGATIVO – Distrato anunciado entre Paysandu x Leandro Carvalho, até pela nota do jogador, está para “noivo que não queria deixar a noiva”.

Lá e Cá

Técnico da Tuna, Carlos Alberto Lucena, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA HD TV e Radio Clube) o convidado é Édson Matoso.

Por sinal, técnico Lucena confirmou que não tem auxiliar técnico: “todo auxiliar vive de olho no cargo do titular e acaba mais atrapalhando que ajudando”.

Hoje, Dado Cavalcanti 7 meses à frente do Paysandu, 23 vitórias, 8 empates, 15 derrotas e aproveitamento de 56%. Pikacchu fará amanhã 50ª partida este ano pelo Papão e 17 gols.

Filme do Paysandu “100 anos de Payxão” é sucesso, já levou 10 mil às sessões em Belém, vem lotando salas de cinema em Macapá e está chegando a São Luis-MA e RJ.

Palmas se chama Palmas de Futebol e Regatas e tem atacante conhecido como Lourigol (chegou a fazer 40 gols em 2013). Clube treina hoje, 9 h, no Estádio Nilton Santos e Remo fará reconhecimento às 10h.

Enquanto aqui Bombeiros não liberaram Mangueirão para 40 mil, em Palmas estádio Nilton Santos autorizado a receber 8 mil torcedores amanhã. Seu recorde é 11.129, Copa BR, Palmas 0x7 Atlético-MG, 2008.

Morreu em Fortaleza o ex-técnico Cesar Morais, o Guri, três títulos no Paysandu em 1980-82 e 84. Em 1985 trabalhou no Remo.

Fortaleza colocou à venda para domingo contra o Águia 43.500 ingressos e preços variando de 20 a 120 reais. Para sócios apenas 5 reais.

Volante Fahel só hoje se incopora à delegação do Paysandu em Salvador, pois ficou assistido seu filho enfermo; Djalma cotado para jogar contra o Vitória-BA fez 11 partidas este ano, nem sempre o tempo todo e 2 gols.

Confrontos: Fortaleza x Águia, 9 jogos, 7 empates, 2 vitórias cerenses que fizeram 9 x 6 gols; Vitória-BA x Paysandu, 20 partidas, 10 triunfos baianos (42 gols), 6 bicolores (29 gols) e 4 empates; Palmas x Remo, 2 jogos, uma vitória de cada, 4×3 gols para eles. Reencontro depois de 11 anos.

HOMENAGEM – Marcelo Vitor Lobato Alves, o Pará, ex-pivô do basquetebol da Assembleia Paraense, Seleção Brasileira Juvenil (vice Sul-Americano e 6º no Mundial) e adulto do Minas Tênis Clube (tudo de 2000-2006). Professor de Educação Física.

25 de setembro de 2015 at 3:07 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 25.9.15

POSITIVO – Revitalização por que passa a sede da Tuna chegou ao Ginásio Miranda Sobrinho e está sendo trocado o piso. Louvores à Diretoria!

NEGATIVO – Distrato anunciado entre Paysandu x Leandro Carvalho, até pela nota do jogador, está para “noivo que não queria deixar a noiva”.

Lá e Cá

Técnico da Tuna, Carlos Alberto Lucena, meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA HD TV e Radio Clube) o convidado é Édson Matoso.

Por sinal, técnico Lucena confirmou que não tem auxiliar técnico: “todo auxiliar vive de olho no cargo do titular e acaba mais atrapalhando que ajudando”.

Hoje, Dado Cavalcanti 7 meses à frente do Paysandu, 23 vitórias, 8 empates, 15 derrotas e aproveitamento de 56%. Pikacchu fará amanhã 50ª partida este ano pelo Papão e 17 gols.

Filme do Paysandu “100 anos de Payxão” é sucesso, já levou 10 mil às sessões em Belém, vem lotando salas de cinema em Macapá e está chegando a São Luis-MA e RJ.

Palmas se chama Palmas de Futebol e Regatas e tem atacante conhecido como Lourigol (chegou a fazer 40 gols em 2013). Clube treina hoje, 9 h, no Estádio Nilton Santos e Remo fará reconhecimento às 10h.

Enquanto aqui Bombeiros não liberaram Mangueirão para 40 mil, em Palmas estádio Nilton Santos autorizado a receber 8 mil torcedores amanhã. Seu recorde é 11.129, Copa BR, Palmas 0x7 Atlético-MG, 2008.

Morreu em Fortaleza o ex-técnico Cesar Morais, o Guri, três títulos no Paysandu em 1980-82 e 84. Em 1985 trabalhou no Remo.

Fortaleza colocou à venda para domingo contra o Águia 43.500 ingressos e preços variando de 20 a 120 reais. Para sócios apenas 5 reais.

Volante Fahel só hoje se incopora à delegação do Paysandu em Salvador, pois ficou assistido seu filho enfermo; Djalma cotado para jogar contra o Vitória-BA fez 11 partidas este ano, nem sempre o tempo todo e 2 gols.

Confrontos: Fortaleza x Águia, 9 jogos, 7 empates, 2 vitórias cerenses que fizeram 9 x 6 gols; Vitória-BA x Paysandu, 20 partidas, 10 triunfos baianos (42 gols), 6 bicolores (29 gols) e 4 empates; Palmas x Remo, 2 jogos, uma vitória de cada, 4×3 gols para eles. Reencontro depois de 11 anos.

HOMENAGEM – Marcelo Vitor Lobato Alves, o Pará, ex-pivô do basquetebol da Assembleia Paraense, Seleção Brasileira Juvenil (vice Sul-Americano e 6º no Mundial) e adulto do Minas Tênis Clube (tudo de 2000-2006). Professor de Educação Física.

25 de setembro de 2015 at 3:03 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 24.9.15

POSITIVO – Para quem quer saber sobre lesões esportivas: fisiologista Adriano Pizolato ministrará Curso de Atualização em Exame Musculoesquelético, 26 e 27.9, no Hotel Regente (Inf. 32236123). Ótimo!

NEGATIVO – Corridas e caminhadas nas ruas da cidade têm merecido reprovação maciça da população. Que se procure alternativas. Justo!

Lá e Cá

Diretoria do Paysandu prometendo CT em 2016 se o clube subir e média de público nos 5 jogos faltantes em Belem for de 20 mil; ônibus dia 10.10 e nova arquibancada começando obra até 1ª semana de outubro.

Zagueiro bicolor Gualberto: “temos onze jogos a fazer e serão onze finais”. Betinho suspenso por 1 jogo e Jurídico deu entrada de liminar com efeito suspensivo. Jogador esteve no STJD e já foi para Salvador.

Três Carlos Alberto no Paysandu: o meia que usa esse nome, o Carlinhos e o Betinho. Carlinhos cursava 2º semestre de Educação Física no RJ e trancou para vir jogar no Papão.

Os 6 triunfos do Paysandu no Vitória-BA: 1954, amistoso aqui, 4×1; 1993, Série A, aqui, 2×0; 1994, Série A, lá, 1×0 e, aqui 3×1; 2004, Série A, aqui, 4×2; neste 2015, Série B, aqui, 1×0.

Palmas deve 500 mil reais e presidente Richard Sanches promete 6 mil pessoas no sábado, em parceria com empresas; clube tocantinense tem 58,3% de aproveitamento como mandante e Remo 41,7% fora de casa.

Iarley (ex-Paysandu) e Ailton Ferraz, o Predestinado (ex-Remo) comentarista da ESPN Brasil na Copa BR; na Copa BR Sub 20 o Cruzeiro eliminou Fast-AM num só jogo (4×2) e ex-azulino Rony fez gol.

Mauricio Figueiredo-Bororó (vice da FPF) substituirá coronel Nunes na viagem do Remo a Palmas; Kiros fez gol e ganhou aplausos no treino azulino de ontem; agora rendas líquidas para jogadores e funcionários.

Morreu Hélio Rubens, o Hélio Piauí, 41 anos, ex-volante do Castanhal e outras equipes daqui. Justifica-se minuto de silêncio nos jogos da Segundnha, domingo. Aliás, Pinheirense x Águia, terça, Curuzu, 20:30h.

Otimismo bicolor é tão flagrante no Acesso que já há conversa para algumas renovações e tem lista de contratações visando 2016; Djalma agradou Dado no treino de ontem.

HOMENAGEM – Lucivaldo Barradas Corrêa, o Nenê (anos 80-2000) ex-pugilista tetra campeão paraense peso-pena na Joe Louis, campeão no Paysandu, Estrela do Norte e bicampeão na Dom Manoel. Ainda Campeão Brasileiro Super pena na Academia Zezé do Boxe. Segurança particular.

25 de setembro de 2015 at 2:59 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.09.15

O enigma Kiros

O Remo se prepara para outro mata-mata na temporada. Foi relativamente bem nos anteriores, embora a memória mais recente seja ingrata. O fracasso em Cuiabá, com direito a surra de 5 a 1 na final da Copa Verde, ofuscou feitos importantes em rodadas eliminatórias, como as semifinais da própria Copa e do Campeonato Paraense contra o Papão e a decisão do certame estadual diante do Independente Tucuruí.
A derrota na Copa Verde deixou traumas na torcida e principalmente no técnico Cacaio, que custou a se recompor do impacto. Ao longo da Série D, mesmo com boa campanha, o time oscilou muito e pareceu sempre extremamente inseguro quando pressionado. Era como se receasse levar nova goleada desmoralizante como a de Cuiabá.
É fundamental que essas sequelas tenham sido curadas e deixadas pelo caminho, pelo bem do próprio Remo. Só nas quatro últimas rodadas da competição nacional, depois de surpreendente derrota frente ao Náutico em Roraima, o esquema de meia-cancha com dois volantes e dois armadores voltou a ser utilizado.
A mudança foi providencial, pois afastou a cautela excessiva, que levava o time a levar sufoco até de equipes limitadas como o próprio Náutico e o Vilhena. Com Eduardo Ramos e Edcléber na meia-cancha, tendo Chicão e Ilaílson como volantes, o Remo voltou a ter a ofensividade que garantiu a conquista do Parazão e o vice-campeonato da Copa Verde.
Para que essa alteração frutifique será preciso, porém, que Eduardo Ramos tenha de fato liberdade e espaço para jogar junto aos atacantes no jogo de sábado em Palmas. Na partida contra o Vilhena, no Mangueirão, o camisa 10 ainda ficou muito preso às ações no meio, embora sua participação tenha sido decisiva para a construção da vitória.
Nas batalhas com o Palmas, o Remo terá que contar com jogadas pelos lados e alternativas pelo meio, principalmente se o atacante Kiros (foto) entrar como titular. Acostumado a jogar fixo na área, dependerá da produção e da aproximação dos demais atacantes e armadores. Juninho, provável substituto de Edcléber, deve ser o responsável pela organização de jogadas, mas Ramos só funcionará como atacante se jogar junto à grande área.
Este desenho ofensivo incluindo Kiros, que não foi testado com Eduardo Ramos em campo, é a principal incerteza para o jogo de sábado. Ao mesmo tempo em que dependerá da criatividade de seus armadores, o Remo terá que contar com os laterais Levy e Alex Ruan mais ativos e presentes no ataque, pois Kiros só terá utilidade se receber bons cruzamentos.
Pelo porte físico, que leva a comparações apressadas com Alcino, Kiros é visto como solução para quase todos os problemas do ataque remista. Pode vir a ser, caso bem aproveitado no jogo aéreo, mas o time não pode abrir mão de outras opções, como a movimentação de Léo Paraíba e a presença de área de Rafael Paty, principal goleador remista na temporada.
Por ora, o rendimento de Kiros ainda é um enigma. Estava sem jogar há meses, treinou três vezes com o elenco e estreou no amistoso com o Castanhal sem maior destaque. A lógica diz que talvez fosse mais produtivo usado como arma para mudar o jogo no segundo tempo.

A incrível proeza do polonês goleador

Em incríveis nove minutos, dos 6 aos 15 minutos do segundo tempo de Bayern de Munique x Wolfsburg, Robert Lewandowski cravou seu nome na história do futebol moderno. Cinco gols em tão curto espaço de tempo constituem façanha incomum em tempos de dura marcação, vigilância defensiva e poucos craques em campo. Mesmo pertencendo ao timaço do Bayern, o atacante polonês esbanjou categoria e oportunismo para fulminar a zaga adversária.
O Wolfsburg vencia por 1 a 0 no primeiro tempo e parecia pronto a aprontar uma zebra em Munique. No intervalo, o técnico Pep Guardiola lançou Lewandowski no comando do ataque, deslocando Douglas Costa para a esquerda e Thomas Müller para o lado direito.
Foi o suficiente para confundir o sistema defensivo do Wolfsburg, entregue aos brasileiros Naldo e Dante. Quatro dos cinco gols saíram em cima de Dante, o espalhafatoso beque que parece realmente predestinado a protagonizar goleadas infames, como no histórico 7 a 1 em Belo Horizonte na última Copa, no qual teve papel destacado, falhando em pelo menos cinco gols.
E Lewandowski esteve perto de fazer mais dois gols, mas a zaga interceptou seus arremates. Uma atuação estupenda, valorizada por ter acontecido num campeonato de alto nível, como o Alemão.
Não se pode dizer que foi apenas um espetacular golpe de sorte. Pelo Borussia Dortmund, ele marcou quatro vezes contra o poderoso Real Madri na semifinal da Champions 2013-2014. Óbvio que o fator sorte está sempre presente em goleadas, mas é preciso fazer por onde ele se manifeste. Lewandowski fez e aconteceu.

Lateral troca Brasil pela Alemanha

No fim do dia, a Alemanha produziu outra notícia surpreendente. O lateral brasileiro Rafinha anunciou publicamente sua desistência da Seleção Brasileira, abrindo mão de convocações futuras e confirmando o processo de naturalização para defender a seleção germânica. Nos tempos de Zagallo e seu discurso “ame-o ou deixe-o”, Rafinha seria execrado por esnobar a camisa canarinho pentacampeã do mundo.
Seu gesto só não causa mais espanto porque a fase da Seleção Brasileira não é mesmo das mais atraentes. O time se transformou num fantasma, com lampejos em alguns amistosos furrecas, mas sem jamais comover ou tocar o coração da torcida depois do desastre de 2014.
Além do mais, Rafinha toma um caminho que Diego Costa já havia seguido há três anos, quando decidiu pela cidadania espanhola e virou as costas para o escrete então dirigido por Felipão. Teve peito e veio jogar a Copa pela Espanha de Vicente Del Bosque.
Longe de embarcar naquele discurso xiita de amor à pátria e outras baboseiras do gênero, entendo que um atleta precisa ter responsabilidade. No último dia 17, ao ser convocado para as Eliminatórias, Rafinha postou mensagens nas redes sociais exultando com a chance de representar o país e “feliz com a oportunidade”.
Pelo visto, mudou de ideia em apenas uma semana.

23 de setembro de 2015 at 12:13 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 23.9.15

POSITIVO – Após 27ª rodada da Série B o site Chancedegol dá 72,6% de possibilidades do Paysandu subir e Infobola (matemático Tristão Garcia) 67%. Resta ao Papão continuar fazendo sua parte!

NEGATIVO – Quem diria: grandeza da Tuna, Águia, São Raimundo e Castanhal lutando por 2 vagas na Segundinha, sem contar o Bragantino e Desportiva. Estão na disputa detentores de 3 títulos nacionais. É o futebol!

Lá e Cá
Após 12 jogos entre Série B e Copa BR em 35 dias, intervalo de menos de 3 dias por jogo, Paysandu agora travará 6 partidas em outros 35 dias, aumentando o intervalo para palatáveis quase 6 dias.

Pendurados do Paysandu: Edinho, Tiago Martins, João Lucas, Misael, Luiz Felipe, Wellington Jr e Lombardi. Destes, Wellington Jr está lesionado e apenas Tiago Martins e João Lucas vem sendo titulares.

No Vitória-BA, adversário bicolor sábado, com dois cartões David, Elton, Flávio, Marcelo, Pedro Ken, Gatito Fernández, Ramon e Rhayner. Preocupação é que após jogo do Papão vem BA x VI.

Paysandu tem 17.089 sócios torcedores e adimplância de 80%, mas muitos dos 20% têm procurado legalizar situação. Agora, esse segmento fará check-in antes dos jogos para facilitar programação do clube.

Árbitro de Vitória-BA x Paysandu, Wilton Pereira Sampaio GO-FIFA (1º jogo da Série B) dirigiu na semifinal da Taça Estado do Pará 2015, Papão 0x0 Parauapebas (4×3 Bicolor nos penais) e expulsou Bruno Veiga. Apitará hoje São Paulo x Vasco (Copa BR).

Remo vai com aparato de guerra para o Tocantins, deixando em alerta preparação física e fisiologia. Além do calor sábado (40 graus), respiração estará prejudicada com UR do ar em 23%, quando mínimo da OMS é 30%.

O escalado para Palmas x Remo é Avelar Rodrigo da Silva-CE-CBF1. Em 2012 dirigiu Remo 2×1 Vilhena, também na Série D. Já apitador de Fortaleza x Águia, Renan de Souza-PB-CBF1 é o mesmo de CRB 3×0 Papão.

Empresário baré quer patrocinar RE x PA na Arena da Amazônia no final do ano; volante Leandro Santos é tocantinense e quer voltar ao Remo na sua terra; e Leandro Cearense sentiu de novo. Alô, DM

Águia virá de Fortaleza e ficará aqui por Belém para estrear na Segundinha contra o Pinheirense. Aonde e quando? É duro! E vem aí a Associação de Ligas Desportivas presidida por Mauro Santos.

HOMENAGEM – Ivanildo Conceição Ferreira, o Touro Sentado, ex-remador voga do 2 com que foi tricampeão na Tuna (1976-77-78) e campeão no Paysandu (1983). É autônomo.

23 de setembro de 2015 at 12:11 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.