Archive for novembro, 2015

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 24.11.15

POSITIVO – Temos de tirar o chapéu para o Mestre Givanildo OliveIra e seus 7 acessos: para Série A, América-MG 3 vezes, Paysandu, Sport e Santa Cruz; Série B, América-MG também. É o verdadeiro “Rei do Acesso”.

NEGATIVO – Os grandes também pisam na bola: enquanto a parte do salário de Aylon no que cabe ao Paysandu está rigorosamente em dia, a outra metade de obrigação do Inter-RS se encotra atrasada. Verdade!

Lá e Cá

Presidente eleito da Argentina, Maurício Macri, comandava o Boca Juniors em 2003 quando o Papão venceu lá de 1×0 (Libertadores). Cumulou de gentilezas a diretoria do Papão (Tourinho e Cia) e teve a recíproca aqui.

Minha posição sobre o técnico do Paysandu continua a mesma do pós-Parazão. Em certo momento da Série B, pensei que estava errado, mas não. Precisa se reciclar (novo se recicla) e ganhar perfil de chegada.

Técnico Flávio Araújo (apagado no Remo) conseguiu seu quinto acesso: ICASA, América-RN e Sampaio para Série B, Sampaio e Ríver Série C; impressionante: Santa Cruz-PE em 5 anos pulou da D para Série A.

Eleição no Pinheirense amanhã e na Tuna Luso Brasileira dia 19.12. Já no Remo o descaso com o tal recadastramento é palpável. Mas técnico será contratado até amanhã.

Pelo menos é o que demonstra a nova Comissão de Futebol do Leão, formada por Dirson Medeiros, André Cavalcanti, Ricardo Ribeiro, Marco Antonio Magnata e Paulo Mota.

Eduardo Ramos responderá ao Remo até dia 30.11; grato ao azulino Lucival Alencar pela remessa do livro “Memórias Eu, Por Mim”; notícia do Vasco atravessando para ter Pikachu tem cara de blefe.

Discurso do técnico bicolor Dado Cavalcanti é dar mais oportunidade à base. Na Série B utilizou apenas 2.

Sábado ainda insistiu com Roni até aproveitar de novo Marquinho. E tem Ramonzinhoque promete!

Menor público pagante do Papão na Série B foi sábado (5.499). Melhor na vitória sobre o Atlético-GO, 10ª rodada (30.201). Média bicolor na Série B de 13.737 e no ano 12.392.

Alviazuis têm 249 jogos na Segundona, 93 vitórias, 76 empates, 80 derrotas, aproveitamento de 48%. Sábado a real despedida de Pikachu contra o Oeste no jogo 250. Ceará torcendo pelo Papão.

Responsáveis pela base do Remo apostam em 4 garotos do Sub 17: Miranda e Paulinho (zagueiros), Lailson e Wendel (meias). A conferir!

Imprensa bradou e Ginásio Mangueirnho está em fase de conclusão. Piso finalizado e será todo climatizado. Falta marcar a data da inauguração.

HOMENAGEM – Pedro Paulo de Souza Paes, o PP ou Dr. Pedro Paes. Foi atleta de futsal do Olaria e Santa Rosa (anos 70) e médico do Pinheirense e Santa Rosa (80-90). É médico do Estado e tem consultório em Icoaraci.

Anúncios

24 de novembro de 2015 at 4:37 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.11.15

O primeiro bom reforço

Em meio às despedidas de Pikachu do público de Belém e do fim das chances de acesso, a melhor notícia do fim de semana para o torcedor do Papão foi o anúncio da renovação de contrato do goleiro Emerson. Titular em 95% dos jogos do time na Série B, brilhou pela regularidade e a agilidade embaixo das traves.
Pode-se dizer que Emerson representou um verdadeiro esteio defensivo da equipe, principalmente nas jornadas infelizes da linha de zagueiros e do setor de marcação – que não foram poucas.
O desempenho sempre impecável transformou o goleiro em símbolo de segurança e tranquilidade para a torcida. Suas raras ausências, embora muito bem supridas pelo reserva Ivan, sempre vinham acompanhadas de certa inquietação nas arquibancadas. Prova maior do prestígio que passou a usufruir junto à massa torcedora, normalmente pouco paciente com goleiros na Curuzu.
A bem da verdade, tirando Marcão, titular na Copa dos Campeões em 2002, e Ronaldo, que disputou a Libertadores no ano seguinte, poucos arqueiros encheram os olhos da Fiel nos últimos 15 anos. Bem abaixo deles, podem ser lembrados ainda João Ricardo (2012) e Paulo Rafael, de passagem mais recente.
Emerson se consagrou na Série B pelo grau de dificuldade da disputa e principalmente pelos recursos demonstrados. Goleiro de reflexos rápidos, ele sai muito bem nos cruzamentos pelo alto e sabe também se antecipar para fechar o ângulo em jogadas pelo chão. Além disso, como cabe a todo e qualquer goleiro, demonstrou ter muita sorte.
Chegou ao clube sem grande cartaz, eclipsado por nomes mais conhecidos, como Fahel e Souza, mas aos poucos foi ocupando com competência o espaço que lhe cabia. Pela excelente participação ao longo dos dois turnos da Segundona, pertence a ele o título de principal jogador do Papão na competição, sem direito a contestações.
Fiel à máxima de que todo grande time começa por um bom goleiro, ao renovar com Emerson o Papão sinaliza para escolhas sensatas e meritórias para a próxima temporada. Que o mesmo ocorra em relação a Ivan, Gualberto, Tiago Martins, João Lucas, Augusto Recife, Fahel, Jonathan, Welinton Jr., Betinho, Aylon e Leandro Cearense, jogadores que fazem por merecer a permanência no elenco em 2016.

Em clima de fim de festa

O Papão entrou em campo de maneira tão desplugada que não conseguiu quebrar o baixo astral em torno da última partida pelo campeonato em Belém. Além das parcas probabilidades de acesso, alimentadas somente pelos mais fanáticos, o time sentia também o peso do adeus de Pikachu do público paraense – pequeno, é verdade, para os padrões da galera alviceleste.
Como o Papão não agredia com constância, contundência e golpes alternados, insistindo sempre nos cruzamentos perigosos para a área, o Criciúma não fazia maior esforço para sair lá de trás, arriscando pouquíssimas vezes ao longo do primeiro tempo. Embora, quando agiu assim, tenha levado algum perigo ao gol de Emerson.
Betinho era sempre o mais valoroso e aguerrido atacante do Papão, buscando de todas as maneiras deixar sua marca, mas não conseguia receber bolas em condição de arrematar. Acabava tendo que disputar no jogo aéreo, levando desvantagem com os altos defensores do time catarinense.
No meio-de-campo, repetiam-se os erros vistos à exaustão ao longo das 36 rodadas anteriores. Nenhuma conexão entre armação e ataque, frustrando qualquer tentativa pelo meio, onde Roni era peça improdutiva. Com isso, todas as esperanças se concentravam nos laterais Pikachu e João Lucas, ambos em jornadas discretas.
O placar em branco do primeiro tempo fez jus também ao pouco entusiasmo do torcedor, influenciado pela pouca vibração no gramado. Dado Cavalcanti mexeu no intervalo, lançando Marquinho. Depois, colocou Edinho e aí a movimentação melhorou, principalmente pelos avanços de Pikachu e as tentativas de Welinton Jr. pela direita.
O gol quase ao final veio premiar a presença dos mais de 5 mil pagantes e mostrar novamente a importância de Pikachu para a equipe. Em lance que parecia quase perdido, ele recuperou a bola e tocou sob medida para Edinho entrar pelo meio e finalizar.
Se o jogo não foi um primor de técnica e aplicação, ficou pelo menos a certeza de que o Papão tende a evoluir muito no ano que vem, se mantiver as diretrizes que nortearam as ações de sua diretoria nesta temporada. A permanência na Série B, longe de ser um passo atrás, é na verdade uma evolução, o que só dignifica o trabalho de todos no campeonato.

Ensaio de projeto no Glorioso

O Botafogo, que levantou a taça da Série B na sexta-feira, começa a projetar a nova temporada. De pés no chão, a nova diretoria parece bem atenta à realidade de mercado. Com as verbas de TV já comprometidas pelo ex-presidente de triste memória, resta ao clube investir em captação de patrocínio e se socorrer do programa Sócio Torcedor.
De todo modo, a intenção de manter o capitão e ídolo Jefferson já atesta que os gestores estão no rumo certo, enxergando o desafio da Primeira Divisão com olhos pragmáticos. Confirmarão isso de vez se desistirem da infeliz ideia de manter Ricardo Gomes como técnico. A conferir.

Nas entrelinhas

A ausência de dirigentes ou representantes do Papão na festa pelo aniversário do coronel Antonio Carlos Nunes, ontem, no Ceju, pode significar que o clube de fato pretende trilhar um caminho independente em relação à Federação Paraense de Futebol.
Para observadores da cena, o real motivo do gesto ainda está por ser desvendado. Nunes é conselheiro e benemérito do Papão há décadas.
Em tempo: o Remo esteve formalmente representado pelo dirigente Magnata.

23 de novembro de 2015 at 1:06 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 23.11.15

PAPÃO FECHOU COM VITÓRIA

A participação do Paysandu no Brasileiro da Série B em Belém acabou no sábado dentro do Mangueirão com uma vitória diante do Criciúma-SC por 1×0, gol do Edinho, num belo passe do Pikachu que também fez suas despedidas, mas deverá viajar para São Paulo, onde enfrentará o Oeste-SP em Osasco, fechando a participação do Papão em 2015. O primeiro tempo foi sofrível, o Paysandu atacava e o Criciúma se defendia, mas a segunda parte ganhou um pouco de emoção, premiando o Papão no final, pelo esforço do Pikachu e a presença de área do Edinho. Ao final do jogo, os aplausos da galera para o time que terminou com vitória, diferente do final do primeiro tempo quando o elenco saiu vaiado. A história do “se” foi muito lembrada no Mangueirão no sábado: se não tivesse empatado no 1º turno com Sampaio e Mogi e no 2º turno diante do Bahia e Macaé (com um jogador a mais), seriam oito pontos a mais e o Papão estaria com 67 pontos, disputando a vice-liderança. Mas também o Paysandu ganhou fora contra ABC, Botafogo e Santa Cruz em grandes jornadas. Mas aquela derrota em casa para o Náutico marcou muito e foi o começo da derrocada. Mas o Papão continua na Série B.

ALTA TEMPERATURA

Dado Cavalcanti e Cacaio foram dois treinadores que somaram, e muito, ao comando de Paysandu e Remo. Dado, se não conseguiu subir, poderá deixar o Paysandu entre os seis primeiros da Série B com 62 pontos em 114 possíveis, se vencer o Oeste, e poderá continuar. Já Cacaio conseguiu subir com o time do Remo para a Série C, chegou às semifinais da D e foi defenestrado do comando técnico, pois alguns dirigentes acharam que ele não é treinador para a Série C. Só o tempo dirá.

BAIXA TEMPERATURA

E os problemas do Remo estão longe de acabar. Minowa e Custódio entregaram seus cargos por “livre e espontânea pressão”, o estádio Baenão continua quebrado, a renda do último jogo evaporou naquele assalto, o Cacaio foi mandado embora e poucos sócios fizeram o recadastramento. Manoel Ribeiro está com meio caminho andado para continuar presidente e as competições estão às portas (Parazão, Copa do Brasil, Copa Verde e Série C). Candidato por lá é o que não falta, com toda essa crise.

NO TERMÔMETRO

Pikachu não marcou seu gol de despedida, mas foi atrás de uma bola quase perdida e cruzou na medida para o gol do Edinho. No final deu uma entrevista exclusiva ao Dinho Menezes e fez (ou não fez?) suas despedidas do bicola. Não quis dizer, mas está fechado com o Flamengo. /// Se não aspira mais a Série A, o Paysandu poderá ajudar o Ceará-CE na última rodada se vencer o Oeste-SP lá dentro no fim de semana e o próprio Ceará vencer o Macaé em casa. A torcida de lá agradece. /// Dado foi bem no Paysandu, mas no final da partida de ontem falou bobagens no microfone do Timão ao declarar que a crônica esportiva do Pará cantava em prosa e verso a queda do Papão para a Série C. Poderia ter ficado calado ou falar dos seus erros quando perdeu em casa para o Náutico e empatou com o Macaé jogando com 11 contra 10. Não quero nem lembrar que não conseguiu ganhar do fona da Série B, o Mogi. /// O Remo na Série C em 2016 terá as companhias de Mogi-SP, Boa Esporte-MG, ABC-RN com certeza e Ceará-CE, Oeste-SP ou Macaé-RJ; já o Paysandu receberá o Joinville-SC com certeza e Vasco-RJ, Goiás-GO, Coritiba-PR, Avaí-SC ou Figueirense-SC que lutam contra o rebaixamento. /// Saudando os Corintianos e Botafoguenses, campeões das Séries A e B de 2015, ambos com folgas diante dos seus adversários e o Coringão metendo um chocolate de 6×1 no São Paulo na entrega das faixas. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!
E-mails: rporto@supridados.com.br

23 de novembro de 2015 at 1:04 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 22.11.15

Entrevista com Roberto Martins, fundador, presidente, técnico e atleta do time de futsal do Shouse.

Vida de atleta?
Fui remador (sota voga) por 20 anos do Remo e Tuna com 15 títulos locais, regionais e nacionais. Treinei também na náutica do Vasco-RJ. Ainda atuei por pouco tempo no futsal do Remo.

Como surgiu o Shouse de futsal?
Primeiro eu e meu filho Mauro fundamos um time de futebol para competições amadores como esse nome (mesmo de minha empresa de tecnologia). Disputamos Copa do Diário do Pará e outras. Como era complicado arregimentar muitos atletas, mudamos para o futsal.

Shouse federado na FEFUSPA desde quando?
Era para ser em 1996, mas nosso técnico Paulo Zagadá faleceu. Aí federamos em 1997 e desde de lá sou também o técnico. Entre nossos primeiros atletas Mauro, Eu, Luciano, Aldo, Ordep, Castor e Maurício.

Quantos títulos? Shouse tem também função social?
Dois adultos paraenses, quatro torneios Bené Aguiar, quatro Copas Ouro e uma Liga Norte. Na parte social apoiamos nossos atletas, suas familias e já tiramos muita gente das áreas de risco e mesmo das drogas.

Base do Shouse atualmente e cor da camisa?
Célio (tem o George goleiro linha), Eu, Gledson, Luizão e Edilson. A camisa vermelha, azul e branco é homenagem ao Pará (cores da bandeira).

Quanto custa o Shouse mês?
Mesmo com apoio da Lei Tó Teixeira ainda gastamos cerca de dois mil.

Estágio atual do futsal paraense?
Numa escala de 0 a 10 considero nota 6. Já fomos de 8 a 9.

Alguma reclamação?
Advogo a interiorização, mas falta critério de nossa entidade. Rendas deveriam ser divididas igualmente, pois no interior times da Capital são atração e isso não ocorre aqui. Viagens se tornam dispendiosas pra nós.

Melhores atletas de futsal no Pará e no Brasil?
Aqui, Gledson (Shouse) e Biolai (Remo). A nível nacional ainda o Falcão (Sorocaba).

Recorreu do desfecho da utima Liga Norte vencida pelo Continental de Bragança?
Sim. Está nível de STJD da CBFS, nossos argumentos são fortes e acredito que vamos reverter.

És o atleta mais idoso de todos os esportes em atividade no mundo?
Creio que sim. Aos 63 anos sou o fixo do meu time e antes de competições nacionais tenho de fazer exames médicos. Há protocolo no Guiness para reconhecimento disso.

22 de novembro de 2015 at 1:18 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira 22.11.15

Um Brasileiro chinfrim

Não há o que discutir. No papel, olhando os números, não há nada que possa ser alegado contra a conquista corintiana. Pelo contrário: o time de Tite tem a melhor artilharia, melhor defesa, saldo de gols superior ao dos concorrentes etc. etc. As resenhas são grandiloquentes, verdadeiros rapapés aos novos campeões nacionais. No entanto, para quem acompanhou o Brasileiro da Série A com atenção, sem os olhos marejados da paixão, há pontos a observar no hexacampeonato do Timão de Itaquera.
O fosso de 11 pontos entre o Corinthians e o Atlético-MG, que se manteve nas últimas seis rodadas, até justifica a afirmação de que o título não contém manchas. A expressão vem de uma declaração do ex-presidente atleticano Alexandre Kalil logo depois de uma das rodadas mais questionadas da competição. Foi precisamente na noite em que o Galo foi vergonhosamente garfado contra o Atlético-PR enquanto o Corinthians era flagrantemente beneficiado, no Itaquerão, contra o Sport.
Naquela noite, além de ter um jogador (Marcos Rocha) injustamente expulso, o Galo questionou gol em impedimento e penalidade não marcada. Do outro lado, o Corinthians acabou salvo com um penal assinalado a 15 minutos do final no tipo de interpretação que se passaria a denominar de “pênalti à corintiana”. O zagueiro do Sport deslizou no chão para impedir com o corpo a passagem de um cruzamento e a bola resvalou em sua mão, que se apoiava no chão para impedir a queda.
O jogo era duríssimo. O Sport estava em cima, tendo revertido a diferença de dois gols para um empate em 3 a 3. Partia para a virada quando o pênalti fatal esfriou sua reação. Com a vitória em casa e a derrota do Atlético, o Timão conquistou naquela noite a chamada cesta de seis pontos. Nem seria caso para tanto alarido se uma rodada antes o time não tivesse sido beneficiado em lance que lembrou bastante aquele penal contra o Sport.
Ao enfrentar o São Paulo, o Corinthians escapou de um pênalti (e da derrota) graças a uma interpretação simpática da arbitragem. Chute em direção ao gol foi interceptado por um beque alvinegro com as mãos espalmadas. Pelo critério que seria usado depois contra o Sport, o lance resultaria em penalidade máxima. Pela ótica do apitador, a jogada foi normal e o placar terminou empatado.
Outros lances, contra Santos, Fluminense e Coritiba, também resultaram em fortes questionamentos contra arbitragens em jogos do Corinthians. Advém desse período a suspeita de um campeonato de cartas marcadas, como arguiu o sempre contundente Kalil.
É um exagero afirmar isso, como é exagerado entender que havia um complô da arbitragem pró-Timão. Mas é fato que, até então, o campeonato era extremamente equilibrado, com o Galo inicialmente à frente. Mesmo depois de ultrapassado pelo Corinthians, os atleticanos se mantinham próximos, dois ou três pontos atrás.
A partir da ocorrência dos erros citados, a distância se alargou, atingindo sete pontos e se ampliando definitivamente com o categórico triunfo corintiano sobre o Galo em Belo Horizonte, marcando 3 a 0 e dando um belo exemplo do estilo Tite, tão feio quanto eficiente: time compacto, marcando até arremesso lateral, saídas rápidas e atacantes escoltados por dois meias produtivos, Jadson e Renato Augusto.
Acima das desconfianças, é importante ressaltar que nenhum outro time foi tão regular e demonstrou tanto apetite pelo título quanto o Corinthians. Vale dizer também que poucos campeonatos nacionais foram tão chinfrins quanto este. A bem da verdade, foi o triunfo do menos ruim e nem craque pode-se dizer que houve na disputa.

Livros de traço e resgate histórico

No dia 9 de dezembro, na sede campestre da Tuna, o chargista Atorres lançará “Leão, Papão e outros Bichos”, livro reunindo as melhores charges sobre futebol publicadas em 20 anos de DIÁRIO. Está tudo lá. As idas e vindas de Leão e Papão pelos campeonatos paraenses, brasileiros e torneios diversos, compondo um painel de fino humor nas 100 páginas da publicação. Para quem aprecia o traço do melhor cartunista de sua geração, o livro é pura gozação. Segundo Atorres, “torcedores, secadores, sofredores e campeões vão poder acompanhar um pouco da história do futebol paraense contada com muito riso e deboche”.
Aproveito a deixa da notícia sobre o livro do companheiro Atorres para agradecer penhoradamente pelo belíssimo presente que recebi do amigo botafoguense Ronaldo Passarinho: “Recados da Bola”, livro-álbum de Jorge Vasconcelos, contendo depoimentos de 12 mestres do futebol brasileiro. Um primor. Ainda escreverei a respeito dele aqui neste espaço.

Fogão campeão, com méritos

Título da Segunda Divisão nem devia ensejar festejos. É como muitos pensam, inclusive o hoje comentarista Mário Sérgio. Problema dele. Eu que sempre defendi comemoração máxima para toda taça conquistada, sigo a festejar o suado campeonato ganho pelo Botafogo. Pode não valer nada para os outros, mas para os seguidores da Estrela Solitária tem a importância de uma Champions League.
Fooogoooooo!

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro apresenta, com participações de Giuseppe Tommaso e Valmir Rodrigues. O convidado da noite é Yago Pikachu, que realizou neste sábado sua última partida com a camisa do Papão diante da torcida alviceleste. Programa começa logo depois do Pânico, por volta de 00h20.

Direto do blog

“O Mais Querido não terá orçamento de Série C. No máximo, terá demanda financeira, despesa de Série C. Mas as receitas serão as mesmas da Série D, ou até mais deprimidas, tendo em vista o roubo dos R$ 423 mil e demais comprometimentos, inclusive decorrentes dos acordos trabalhistas. Assim, o que se impõe é o pé no chão, a criatividade, a credibilidade para conservar e aplicar os parcos recursos que direta ou indiretamente a torcida, e só ela, vai conseguir disponibilizar”.

Antonio Oliveira, atento às dificuldades que aguardam pelo Leão em 2015.

22 de novembro de 2015 at 1:13 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 22.11.15

BOLA NA TORRE

Neste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV –
Canal 13. Vamos falar de Paysandu e Criciúma e os
Bastidores para as Eleições do novo Presidente do Remo.
Guerreirão no comando estarei com o companheiro Valmir
Rodrigues e Nosso Convidado Especial será o Craque Bicolor
Lateral Pikachu. Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e
Instagran )
CIA ATHLÉTICA

Reta Final do Brasileirão de Futebol Society na Cia Athlética e a corrida pelo Título continua firme, destaque para a goleada do palmeiras no Cruzeiro por 10 a 2. Próxima Terça teremos na segunda rodada da Semifinal: Palmeiras x Cruzeiro e São Paulo x Corinthians. Só jogão!!!
BASQUETE…

O Campeonato Paraense Adulto de Basquete deste ano promete muitas emoções. Com seu inicio previsto para o próximo dia 27 de novembro sexta-feira, este ano será disputado com quatro equipes o Clube do Remo (Atual Bi-Campeão), Paysandu, Cabano Clube e teremos o retorno da Tuna Luso Brasileira depois de 20 anos. Remo e Paysandu reforçaram suas equipes e prometem um grande duelo em quadra. Rodada inicial prevê os confrontos Paysandu x Tuna Luso, as 19:15h e Clube do Remo e Cabano, às 20:45 h, ambos no Ginásio Moura Carvalho do Paysandu. Parabéns a dupla Antonio Caetano (Presidente) e Marcelo Souza (Vice) pelo belo trabalho.
PARCERIA…

O presidente do Leão Santareno, Nerivaldo César e seu Vice Bruno Moura, visitaram as modernas instalações da Desportiva, em Marituba. São Francisco e a Desportiva, representada pelo seu presidente Pedro Crispino, fecharam parceria, que prevê a utilização das instalações, pelo Leão do Tapajós, durante os treinamentos da equipe, no Estadual, nos jogos realizados na capital paraense. Segundo o presidente Nerivaldo César, a parceria, também, prevê um intercâmbio entre os atletas dos dois clubes. Bela sacada…
COLÔNIA NO TATOO

Olha o Convite do Tio Chico Salomão. Começa dia 7 de Dezembro/15 e vai até o dia 15 de Janeiro/16 a Colônia de Férias mais animada da cidade, Colônia do Tatoo Park, os preços de julho e com uma super promoção para os apressadinhos, de 20 de Novembro até dia 5 de Dezembro quem fizer sua inscrição a partir de 10 dias ganha 5 dias de bônus, então corra e garanta a vaga do seu filho e os 5 dias de bônus.

22 de novembro de 2015 at 1:09 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.11.15

POSITIVO – Árbitro paraense FIFA Dewson Freitas domingo, em Brasília, no Flamengo x Ponte Preta, seu 19º jogo de Série A, completando 32 em 2015. Os cães ladram e a caravana passa, Dewson!

NEGATIVO – Tem árbitro que trabalhou na Copa da Juventude 2014 e ainda não recebeu; alguns jogadores de nossos clubes vão às sedes tratar renovação de bermuda e camiseta. Olha a postura, gente!

Lá e Cá

Roberto Martins, fundador, presidente, técnico e atleta (mais idoso em atividade) do Shouse de futsal, meu entrevistado Bola Pta Frente domingo No Bola na Torre (RBA HD TV e Rádio Clube) o convidado é Pikachu (PSC).

Sete jogos Paysandu x Criciúma, 4 triunfos do Tigre (11 gols) 1 do Papão (8 tentos) e 2 empates. Essa única vitória Bicolor foi na Série A de 2013 (4×0), gols de Jorginho, Souza, Magnum e Zé Augusto.

Paysandu o 6º melhor mandante da Série B, 12 vitórias, 4 empates, 2 derrotas e aproveitamento de 74%. Como visitante Criciúma é o 15º, 2 vitórias, 8 empates, 8 derrotas e aproveitamento de 26%.

No Campeonato de Basquetebol Adulto de 2015 estarão Remo, Paysandu, Tuna e Cabano. Jogos no SESI. Os dois RE x PA acontecerão dias 2 e 9.12.

Sócio torcedor inadimplente que perdeu a oportunidade de ganhar o carro no Paysandu tem a inscrição 14.042. Novo sorteio amanhã pela Loteria Federal. Quitação já!

Sondados para o Remo: volantes Josa e Amarildo, laterais-esquerdos Diego Corrêa e Jadson, meias Doda e Diego Rosa, atacantes Alípio, Robinho, Henrique e Pipico. Lateral direito Levy acertou permanência.

Especulados para o Paysandu: lateral direito Mateus Caramelo, meias Ronaldo Mendes e Nadson, atacante Pimentinha (tem constuão antiga). DM vai ter mexida para 2016. Pikachu recebendo emissário do Inter-RS.

Permanência de Dado Cavalcanti no comando técnico do Paysandu implicará em mais atenção à base. Executivo Sérgio Papelim mantido.
Charles Guerreiro o coordenador técnico do Paragominas no Parazão 2016 e Mariozinho o técnico; será exigida dos clubes a Certidão Negativa de Débito (CND); Arena do Xingu receberá vistoria para servir de opção.

Temporada 2016 chegando e incrivelmente o Remo não tem presidente, técnico, time e estádio. Quanto a Eduardo Ramos, tratando também de passaporte. Avaliando as duas opções (Remo e China).

Encerram na segunda-feira as inscrições da etapa infantil/infanto-juvenil (4 a 17 anos) da Meia Maratona SESC de Revezamento (www.sesc-pa.com.br/maratona2015). Competição dia 29.11.

HOMENAGEM – Waldir Peres dos Santos, o Waldir, ex-campeão paraense de ciclismo nos anos 70 pelo Estrela do Norte e Mangueira. Defendeu também a Seleção Paraense. É fiscal da SECON.

20 de novembro de 2015 at 3:42 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.