Archive for dezembro, 2015

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 15.12.15

POSITIVO – Pessoal da APBM vai sugerir ao Governo do Estado nome de Edyr Goes, maior atleta de basquetebol do Remo, Seleção Paraense e chegou à Seleção Brasileira, para nome do Mangueirinho. Aprovo!

NEGATIVO – Gustavo Feijó, vice da CBF que se juntou a Delfim Peixoto contra Nunes, fez armação absurda para eleger seu filho Felie Feijó (24 anos) presidente da Federação Alagoana. Chegou a “concorrer” contra o rebento para tudo dar certo. Que moral tem?

Lá e Cá

Na confratenização da ABPM, na AP, tive o prazer de sentar ao lado de lendas do basquete como Sérgio Paiva, Galega, Nélson e Haroldo Maués. Bom papo! Festa impecável comandada por Paulo Seráfico e Alex Houat.

Eduardo Ramos substituto de Marcelo Toscano no América-MG? Se o Remo resolver a pendência ele vem é pro Baenão de novo!

Pikachu ao aceitar programação do Jogo de Com Seus Amigos (22.12), no Mangueirão, saindo no meio do segundo tempo e voltando com a camisa do clube que vai jogar em 2016 deu a senha. Alguém arrisca o clube?

Paysandu poderá conquistar na sexta o título do futsal adulto masculino depois de 36 anos, graças ao trabalho de Ivan Corrêa e equipe; no futebol o Papão já contratou 10 para próxima temporada. Filme conhecido!

Do presidente Paulo José (FEFUSPA) sobre seus algozes: “não preciso do futsal para viver. Preciso sim, para não morrer”; Minowa detonou CD Azul.

João Rodrigues toma posse na Tuna dia 5.1.16; na ASBEP venceu chapa 2, Marquinho novo presidente e vice Marco Antonio Gusmão; goleiro Paulo Rafael defenderá o São Francisco de Santarém no Parazão 2016.

Remo vai de 4 candidatos na eleição. Coronel Maroja não abre mão da sindicância do roubo da sede (já preso Marcelo Conde), dos camarotes e cadeiras do Baenão e auditoria geral para se saber o verdadeiro passivo.

Letícia, ex-jogadora do Pinheirense foi campeã brasileira de futebol feminino pelo Rio Preto-SP, enquanto a conhecida Formiga ficou com o vice no São José-SP; Pinheirense anunciado no Brasileiro de 2016.

CBF confirma eleição da vice-presidência para quinta (vai dar Nunes); hoje protesto pedindo a imediata renúncia de Del Nero em frente à sede da entdade, comandado por ex-jogadores como o ex-meia Alex.

Sub 17 do Tapajós ganhou a Copa Amazônia invicto, em Rio Preto da Eva-AM, derrotando na final o Holanda-AM, por 1×0, gol de Michael; Bangu foi o campeão da Liga Esportiva de Marabá depois de 18 anos.

HOMENAGEM – Solon Assef Tavares, o Solon, ex- bicampeão paraense de karatê e ex-campeão paraense de judô, peso leve, nos anos 90, pela APDK. É cantor.

Anúncios

15 de dezembro de 2015 at 11:47 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 14.12.15

Melhores & piores do ano

Organizar listas de final de ano é sempre uma tarefa instigante, pois permite exercitar memória, fazer comparações e testar a capacidade de reter informação. Há quem leve tão a sério essa história de listas que estende o hobby a outros temas, como cinema, livros e música, como aquele personagem famoso de Nick Hornby em “Alta Fidelidade”.
O futebol do Pará viveu um ano cheio, com os clubes disputando diversas competições. Minha seleção de melhores é centrada no desempenho de times e jogadores no Campeonato Estadual, na Copa Verde, na Copa do Brasil e nos Campeonatos Brasileiros (séries B, C e D).
A dos piores do ano não é propriamente uma seleção no sentido clássico. Elegi cinco “destaques” sem a preocupação de formar um time completo. No meu top 5, estão nomes óbvios como Souza, Flávio Caça-Rato, Carlos Alberto, Leandro Santos e Everaldo.
Por justiça, mais gente poderia estrelar o escrete dos pernas-de-pau da temporada, mas aí a lista se perderia por excesso de nomes.
Souza encabeça o pelotão pelo muito que deixou de fazer com a camisa do Papão. Cercado de expectativas e na condição de contratação mais dispendiosa do clube na temporada, passou quatro longos meses sem dizer a que veio.
Marcou um gol apenas com a camisa bicolor, assim mesmo na goleada de 9 a 1 sobre o São Francisco pelo Campeonato Paraense. Para dar uma ideia da garapa que foi o jogo, até Ricardo Capanema balançou as redes.
Depois disso, Souza só chegou perto do gol novamente contra o CRB, mas a arbitragem anulou a jogada, prejudicando o Papão e tirando do atacante seu único tento na Série B. Não por acaso, tendo Souza como titular na reta final do primeiro turno, o Papão viveu uma de suas piores fases na competição.
Flávio Caça-Rato foi outro engodo, embora ficando menos tempo em Belém. Jogou como titular, sob o comando de Zé Teodoro, mas não emplacou e saiu sem deixar saudades. Carlos Alberto, Leandro Santos e Everaldo completam o quinteto, embora sem provocar as mesmas decepções que os dois primeiros da lista.
Carlos Alberto jogou bem apenas contra o ABC pela Copa do Brasil e teve um lampejo diante do Paraná pela Série B. Leandro Santos foi trazido para o Remo como grande aposta para o setor de marcação e levou um passeio do ataque do Náutico na Série D. Everaldo foi o chamado gol contra, literalmente. Marcou sua passagem pelo Papão atentando contra as próprias redes em confronto com o Criciúma.
Já a seleção dos melhores vem na configuração clássica:
Emerson (PSC); Pikachu (PSC), Henrique (Remo), Gualberto (PSC) e João Lucas (PSC); Dadá (CR), Capanema (PSC), Eduardo Ramos (CR) e Flamel (Águia); Leandro Cearense (PSC) e Roni (CR). Técnico: Cacaio (CR). Revelação: Ameixa (CR). Destaques: Pikachu e Eduardo Ramos.
Alguns outros jogadores também tiveram momentos especiais na temporada, mas sem a regularidade da onzena titular aqui escalada.
Sobre o técnico da temporada, minha opção é por Cacaio pelo verdadeiro milagre que operou ao comando do Remo, vencendo o Parazão, decidindo a Copa Verde e garantindo o acesso à Série C. Seus resultados foram expressivos, levando em conta as delicadas condições em que assumiu o elenco azulino. Ameixa é a revelação pela belíssima participação no Parazão e na Copa Verde. E Pikachu e Ramos foram indiscutivelmente os melhores da temporada.

Blog fecha a temporada com 6 milhões de acesso

Pela intensa participação de comentaristas e baluartes, o blog campeão (www.blogdogersonnogueira.wordpress.com) alcançou no sábado à noite a marca de 6 milhões de acessos após cinco anos e meses no ar. O número revela a força da paixão que envolve o futebol no Pará, embora o espaço também seja dedicado a outros temas, como jornalismo, política, atualidades, cinema, HQ e rock.
Mais do que qualquer premiação, a satisfação está no exercício diário de alimentar um blog e interagir com leitores e torcedores. O futuro da mídia está desenhado nesta relação nem sempre pacífica, mas sempre saudavelmente crítica, entre o jornalista e o grande público. É o que fazemos há mais de cinco anos, ininterruptamente.
Obrigado, mais uma vez, a todos que participam desse projeto em contínua construção.

Sobre a despedida de um mito

Nunca fui fã de Rogério Ceni. Arrogante na maior parte das entrevistas da fase áurea de sua carreira e pouco dado a admitir suas próprias falhas, o ídolo do São Paulo sempre transmitiu uma excessiva preocupação com a imagem, quase beirando a soberba.
Pela incrível habilidade para cobrar faltas e pênaltis, brilhou mais como chutador do que como goleiro. Vem daí provavelmente sua dificuldade em abrir espaço na Seleção Brasileira.
Apesar disso, nunca deixei de reconhecer seus grandes méritos. Em campo, foi responsável por inúmeras vitórias tricolores. O título mundial de clubes sobre o Liverpool deveu-se 90% a suas incríveis defesas. Aquela foi, seguramente, sua mais brilhante atuação debaixo dos três paus. Como líder, ninguém pode lhe negar a importância dentro do São Paulo, servindo de exemplo para inúmeros jovens atletas.
Décimo artilheiro na história são-paulina e com uma extensa lista de conquistas pelo clube, Rogério ganhou na última sexta-feira uma festa emocionante, como poucas vezes se viu na história moderna do futebol no Brasil.
Mais de 60 mil torcedores se reuniram para cultuar, homenagear e agradecer por tudo que fez com a camisa 01 do São Paulo. Junto de antigos e novos companheiros, Rogério teve direito a uma celebração rara entre nós: a gratidão em forma de aplausos da multidão.
Não há preço para isso.
Para um atleta que sempre se pautou pelo cuidado extremo em planejar a carreira, ele sai pronto para assumir funções executivas ou mesmo de comando técnico. Acima de tudo, sai preparado para exercer dignamente a aposentadoria dos gramados, aquele período tão temido por todo boleiro.

14 de dezembro de 2015 at 2:47 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 13.12.15

Fé e esperança no que virá

A centenária rivalidade entre Remo e Paysandu há muito que ultrapassou os limites do futebol. É bem mais que uma querela entre torcidas ou um simples gancho apelativo de locutores de aparelhagem aquecendo festas mixurucas. Tradição popular tão forte quanto o Círio de Nazaré na vida dos paraenses, a paixão pelos dois clubes divide o Estado ao meio, tornando-se cada vez mais forte, apesar dos muitos passos em falso ao longo das últimas décadas.
Por obra de reiterados desmandos de gestão, tanto Remo quanto Paysandu têm sido castigados duramente, deixando de transferir para os gramados o prestígio de que desfrutam nas arquibancadas. Na falta de conquistas expressivas em campo desde 2005, os titãs saboreiam a repercussão que a força de suas torcidas obtém pelo país afora.
Impressiona a todos a grandeza da rivalidade. Colegas de outros Estados, acostumados a estádios às moscas na maioria das capitais, mostram-se curiosos e impressionados com tamanha fidelidade do torcedor a times que nem sempre se mostram à altura dessa paixão.
No Campeonato Brasileiro da Série B deste ano, o Papão alcançou média de 13.737 pagantes por jogo, posicionando-se em terceiro lugar entre os 20 clubes disputantes da competição, perdendo somente para Bahia e Ceará, duas potências de popularidade no Nordeste.
O Remo, que chegou às semifinais do Campeonato Brasileiro da Série D, tem números igualmente significativos. Em sete partidas como mandante – sendo que somente quatro delas no estádio estadual Jornalista Edgar Proença -, obteve a média (por partida) de 15.394 pagantes, liderando com folga a batalha nas arquibancadas, bem à frente do River (PI), o segundo colocado.
Em termos de desempenho técnico nas duas competições nacionais, o Remo obteve o almejado acesso à Série C, justificando a euforia de seus torcedores em todo o Pará. Já o Paysandu, mesmo sem subir para a Primeira Divisão, teve também bons motivos para deixar sua fiel torcida satisfeita com a permanência na Série B, conseguida com uma campanha das mais regulares (30 pontos ganhos no primeiro turno e 30 no segundo).
Para o próximo ano, as perspectivas são excelentes, principalmente para o Papão, que terá na Segunda Divisão um incremento nas verbas garantidas pela CBF. Deverá receber perto de R$ 5 milhões para se estruturar, buscar reforços e cumprir uma boa participação no torneio.
Antes, terá pela frente o Campeonato Paraense, cujo título está longe da Curuzu há dois anos. Com a base remanescente de 2014 e novos reforços, o time deverá ser um dos favoritos na disputa. Há, ainda, a participação já assegurada (pelo ranking nacional de clubes) na Copa do Brasil e a possibilidade de um convite para a Copa Verde.
Além da questão técnica, as competições citadas deverão representar um novo estímulo para a agregação de sócios torcedores, cujo programa oficial do Papão já contabiliza mais de 17 mil associados, com nível de adimplência em torno de 60%.
O Remo terá um ano como não tinha há sete temporadas. Terá calendário completo – Campeonato Paraense, Copa Verde, Copa do Brasil e Brasileiro da Série C. É a oportunidade para tentar retornar à ribalta e brigar pela ascensão nas divisões nacionais, imitando a arrancada do Santa Cruz (PE), que em cinco anos saiu do limbo para a elite.
Com quatro competições asseguradas, o clube terá condições de se preparar ao longo do certame estadual, planificando o que deve ser sua presença no torneio mais importante, a Série C. Com técnico novo (Leston Junior), o Remo tem também a chance de aproveitar jovens talentos surgidos em suas divisões de base, o que pode significar lucros mais à frente com negociações para outras agremiações.
Como o rival, o Remo terá ao longo do ano a oportunidade de ampliar ainda mais seu programa de sócio torcedor, denominado Nação Azul, hoje com mais de 13 mil associados – cerca de 70% adimplentes. A renda mensal proporcionada pelo ST, em torno de 400 mil, já permite que o clube pague despesas gerais de funcionamento e parte da folha de salários.
Para não dizer que não falei de flores, apesar do cenário amplamente favorável, existem inquietações. O processo político segue indefinido depois da renúncia do presidente Pedro Minowa. É provável que a nova eleição só ocorra em janeiro, deixando o clube sem presidente até lá e travando providências executivas. Há, ainda, o impasse envolvendo o estádio Evandro Almeida, que teve as arquibancadas laterais desativadas na gestão do ex-presidente Zeca Pirão e agora serve como um CT provisório para o elenco de profissionais. Será necessário um esforço extra, em meio ao programa de atualização da dívida trabalhista, para salvar o Baenão.
No Papão, a situação é bem mais tranquila. O clube desfruta de estabilidade institucional e conta com a participação incansável de colaboradores comprometidos com o sucesso da gestão. A calmaria política é tanta que o próximo presidente já está definido, faltando um ano para o pleito. Será Sérgio Serra, atual vice-presidente.
Apesar das diferenças de cenário, tanto remistas quanto bicolores têm motivos fundamentados para esperar um 2016 ainda melhor do que foi 2015. Seus torcedores confiam nisso. Que assim seja.
(Este texto foi originalmente escrito para a recém-lançada Revista Bacana, de Marcelo Marques).

Sob o signo da eterna muvuca

A CBF não tem jeito. Fechou a semana com a decisão judicial de suspensão da eleição do dia 16, que vai escolher o novo vice-presidente. O coronel Antonio Carlos Nunes, favorito absoluto na disputa, tem como principal desafiante o catarinense Delfim Peixoto, notório desafeto da turma de Marin e Marco Polo Del Nero.
Foi Delfim que obteve uma liminar na Justiça do Rio suspendendo o pleito. Alega possíveis irregularidades no processo de convocação e suposto impedimento do presidente interino, deputado Marcus Vicente.
É improvável que o catarinense consiga impedir a eleição do coronel. A CBF já avisou que vai recorrer e, antes mesmo de derrubar a liminar, confirmou a realização da eleição. Confia bastante na velha força de pressão sobre juízes e desembargadores.
O risco que ronda o futuro mandatário da entidade é de outra natureza: a investigação movida pelo FBI sobre esquemas de corrupção na Fifa e as confederações nacionais. A recente prisão do presidente da Conmebol foi apenas mais um passo dentro da ampla devassa que Tio Sam opera no futebol mundial. Só os muito ingênuos podem acreditar que essa cruzada moralizadora irá parar em Ricardo Teixeira, Marin e Del Nero.
Nunes fez sua pré-despedida da FPF na sexta-feira, em concorrido café da manhã. Ao explanar sobre o ano futebolístico no Pará, revelou sua pouca familiaridade com as minúcias do Parazão: referiu-se aos 28 jogos do segundo turno como sendo o número total da competição, que teve o dobro de partidas. A gafe indica que o foco está mesmo no trono da CBF.

Bola na Torre

O programa deste domingo terá Giuseppe Tommaso na apresentação, com participações de Valmir Rodrigues, Alex Ferreira e deste escriba de Baião. Começa logo depois do Pânico, na RBATV, por volta de 00h20.

14 de dezembro de 2015 at 2:45 pm Deixe um comentário

Bola pra Frente – Claudio Guimarães – 13.12.15

Entrevista com o presidente eleito da Tuna, João Rodrigues, empresário do comércio de transporte e com muitos planos para Águia do Souza.

Desde quando na Tuna?
Desde menino acompanhando meu pai Alvaro Rodrigues. Mas, diretamente nas ações do clube a partir de 2003. Sou sócio proprietário e benemérito.

Seu pai é nome respeitado no clube. Herdou dele a paixão Cuzmaltina?
Sim. Vem de berço. Curioso que ela achava que eu seria Bicolor e levou-me num Tuna x Paysandu, em 1970, dizendo: torcerás por quem ganhar. Deu Águia 3×2. Como eu queria. Aliás, nossa empresa se chama Águia.

Que lição tem do seu pai?
O de trabalhar com honestidade visando sempre o bem das pessoas. Ele me emocionou comparecendo para votar, mesmo doente e aos 83 anos.

Troca de posição entre presidente e vice no comando tunante não é continuísmo?
Não. É continuação de uma trabalho que vem dando certo.

Que de relevância foi feito nos dois anos Charles Tuma-João Rodrigues?
Reestruturação das categorias de base de futebol (vice Sub 20 em 2015); início da reforma do Ginásio Miranda Sobrinho, agora com piso Corodum; pagamento em dia dos funcionários (não acontecia há 10 anos).

Quantos sócios tem a Tuna?
Proprietários pagantes 598 e vamos buscar mais reintegração. Dos 6.000 remidos, 400 já retornaram ao convívio do clube.
Como resgatar a Colonia Portuguesa afastada da agremiação?

Desde a eleição de Charles Tuma começou o retorno paulatino e vamos intensificar. Com a eleição de Alírio Goçalves no Grêmio Literário Português estamos alinhavando uma grande parceria.

Projetos para sua administração?
Resgate do futebol profissional com critérios e sem exagero para retorno à elite; cumprimento aos parcelamentosdo REFIS e PROFUT (já temos CND); reestruturação do Departamento Médico para atender todos os atletas, indistintamente.

Que beneficios nesse convênio que vem aí com o Comando da 8ª Região Militar?
Garimpar atletas do Colégio Militar e despesas com manutenção de nossas piscinas serão do Exército. Depois virão mais vantagens.

Qual a receita atual da Tuna com sócios e eventos ao mês?
Cerca de 130 mil e queremos aumentar para 250 mil.

Como é ralação do clube com a FPF e que acha do coronel Nunes poder chegar a presidente da CBF?
Relação é muito boa. Acho que a assunção do presidente Nunes trará muitos benefícios ao futebol do Pará e Região Norte. Ele, inclusive, é nosso sócio e conselheiro.

14 de dezembro de 2015 at 2:42 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 13.12.15

BOLA NA TORRE

Neste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV –
Canal 13. Vamos falar dos Projetos do Clube do Remo e
Paysandu para a próxima temporada e suas
novidades. Estarei no comando e na Bancada Gerson
Nogueira, Valmir Rodrigues e o Companheiro Alex Ferreira.
Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instagran )

JOGO DAS ESTRELAS

Próximo domingo, dia 19, em Castanhal o “Jogo das Estrelas” quew está sendo organizado pelo ex-jogador Formiga e vai acontecer no Estádio Maximino Porpino o Modelão e a entrada será 1 Kg de alimento. E todo o alimento arrecadado será doado para a Clínica de Reabilitação para Jovens envolvidos com Drogas e também para suas Famílias. Nomes confirmados nesta festa do futebol: Goleiros Paulo Rafael, Breno e Gilberto. Zagueiros Charles Guerreiro, Yan, Formiga, Raul e os lutadores do UFC Iuri e Ildemar Marajó. Laterais Cicinho, Alex, Tiago Cametá, Marlon, Edinaldo e Wellinton Saci. Meio Campo Lecheva, Ernandes, Ilailson, Vanderson, Ricardo Capanema, Adrianinho, Giovani Augusto, Flamel e Yago Pikachu e os Atacantes Tiago Alves, Leandro Cearense e Carvalho, Rafael Oliveira, Moyses e Helinho. Apoio da IcaseCia. Todos estão convidados!!!.
ASFEPA

Como acontece todos os anos foi uma grande Festa e Confraternização a final do Campeonato de Futebol dos Funcionários da Associação dos Fiscais do Estado – Asfepa no sábado da semana passada em sua bela Sede Campestre na Alça Viária. Na decisão Real x Pac, vitória do Real por 2 a 1, gols de Paulo e Haroldo para o Campeão e George para o Pac. A equipe da UDI ficou com a terceira colocação.

PROFUT…

Vale o registro, pois é mais uma grande conquista da diretoria bicolor na administração do presidente Alberto Maia. O Paysandu é o primeiro clube do Pará a aderir ao “Profut” aprovado através de Lei de atualização de todos os Débitos Ficais que podem ser pagos em até 20 anos. Para aderir e atualizar seus impostos foram pagos cerca de 434 mil reais.
CAFÉ DA MANHÃ…

Na sexta que passou no Crowne Plaza Diretoria de Marketing da Federação Paraense de Futebol em conjunto com a presidência da casa reuniu a imprensa para uma prestação de contas da temporada e prospectando 2016. Presidente Antonio Carlos Nunes anunciou a renovação dos Convênios com o Governo e agradeceu o apoio de toda a imprensa e promete muito mais. Cel Nunes segue candidato a Vice Presidente da CBF, apesar de toda briga jurídica imposta por Delfim Peixoto e muito provavelmente deverá assumir a entidade com a renuncia de Marco Polo Del Nero. Será o primeiro paraense a comandar o futebol brasileiro de fato e de direito. É esperar pra conferir!!!

BELACHE

Tradicional Clínica em Diagnóstico por Imagem no Bairro do Umarizal a mais de 30 anos, a Clínica Belache está no mesmo lugar, Trav. Dom Romualdo de Seixas, mas com novos números para contatos: 30855505 e 987070288. Valeu Dr. Luiz Carlos Macedo!!!

14 de dezembro de 2015 at 2:29 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 10.12.15

Sob as vistas de Tio Sam

O coronel devia assumir a CBF em grande estilo. De cara, podia dar logo uma voadora. Demitia o Dunga, mandava o chefe da comissão de arbitragem pastar e enquadrava os mais afoitos dirigentes de clubes. Enfim, botava ordem no roçado. Se é para levar bordoada nos programas esportivos das emissoras de São Paulo e Rio, que seja pelo menos por um motivo justificado.
Não pode é ficar levando as sobras do que – por justiça – seria destinado a Marin e Del Nero.
Antes mesmo de ser ungido novo chefão da CBF, pelo critério de idade e camaradagem com Del Nero, o coronel já apanha mais do que estudante secundarista nas mãos da polícia de Alckmin em São Paulo. Desse jeito, corre o risco de virar uma espécie de Geni na CBF, apedrejado e pagando todos os patos possíveis e imagináveis.
Já foi acusado até de favorecer o Papão na mudança de formato da Copa Verde, quando, na verdade, o principal motivo da inclusão do time de coração do futuro presidente da CBF foi a insistência do canal Esporte Interativo, apressado em garantir a dupla Re-Pa na competição. Nunes foi apenas comunicado da intenção e, à sua maneira, aceitou numa boa.
Afinal, nunca foi mesmo característica do veterano dirigente quebrar estaca ou dar murro em ponta de faca. Quem acompanha sua trajetória como eterno presidente da FPF sabe bem disso.
Talvez tenha ficado faltando de sua parte, quando a CBF e o Esporte Interativo discutiam a mudança na Copa Verde, um pequeno esforço para preservar os direitos de Independente e Parauapebas. Como se sabe, são clubes que sempre foram extremamente leais ao coronel em suas sucessivas reeleições na FPF.
Já cotado para substituir Del Nero, Nunes podia ter pelo menos argumentado em defesa da dupla interiorana. Podia, mas não agiu assim.
Resulta daí a insatisfação derivada do anúncio de que tanto Independente quanto Parauapebas estão sumariamente defenestrados da CV 2016, sendo que ambos conquistaram direito em campo com campanhas brilhantes no Campeonato Estadual. Não têm culpa se, de uma hora para outra, a CBF decidiu pelas mudanças.
É com este ensaio de muvuca doméstica que o coronel marcha para, também à sua maneira, chegar à presidência da entidade que (ainda) manda no futebol no país. Fustigada de todos os lados por denúncias de maracutaias e sob investigação da Justiça norte-americana, a CBF talvez tenha no caboclo paraense Nunes seu último presidente no antigo perfil.
Custa a crer que os clubes – com 40 votos na entidade, contra 27 das federações – permitam por mais tempo que a vontade de Del Neros e Marins continuem a prevalecer sobre seus destinos. Há uma sinalização de que, em 2018, a presidência da entidade será disputada por um representante dos grandes clubes brasileiros, como já deveria ser há um bom tempo.
Até lá, contra todos os prognósticos, com R$ 200 mil de salários e muitas mordomias, o coronel deverá ser o presidente de fato e de direito – isto, é claro, se Tio Sam deixar…

Leão e Papão correm contra o tempo

A diretoria do Papão promete que desta vez começará a preparação para o campeonato estadual com todos os 14 (ou 16) reforços importados já em Belém, juntando-se ao elenco que irá disputar a competição.
Os planos azulinos são mais modestos quanto à gastança (a lista de reforços chega a 10, no máximo), mas a intenção é a mesma: dar ao técnico Leston Junior todos os reforços solicitados e iniciar a preparação com o grupo completo.
Tenho cá minhas dúvidas, mas, enfim…
A conferir.

Direto do blog

“Concordo com uma coisa e discordo muito de outra:
1) O Águia fez grandes temporadas e mereceu seu lugar no ranking: Ok!
2) O prazo de dois anos para mudança no regulamento: Errado! O regulamento da Copa Verde 2015 previu as regras para disputa da CV 2016 – o que é debatido de fato e de direito pelos clubes pelo simples motivo de que é o que está escrito lá, ipsis litteris. Ou seja, eu não posso hoje mudar o regulamento de uma competição que iniciou há dois anos. O que eu posso é: Hoje (em 2016), propor um novo regulamento para a CV de 2018 – “em dois anos”. Portanto a interpretação dele está errada.
Aliás, esse ranking tá tão furado quanto o ranking de seleções da FIFA: quem não ganha nada no ano sobe; quem ganha competições e chega à finais desce. Que é isso?!?!”

Daniel Leite, confuso quanto à Copa Verde e mais confuso ainda quanto ao ranking da CBF.

Bola de Ouro: só reza forte ajuda Neymar

Contusão de Neymar veio, de novo, em má hora. Como já havia acontecido na Copa do Mundo, o atacante se lesionou em momento crucial e decisivo – para ele. Em plena reta final para escolha da Bola de Ouro, o afastamento dos gramados até o final do ano deve limitar bastante suas chances de ser eleito o melhor jogador do mundo.
Apesar da torcida pela vitória, já não seria fácil encarar a disputa com Cristiano Ronaldo, principalmente, e Lionel Messi. Fora de combate, sem gols nas semanas que antecedem a premiação, o êxito de Neymar vai depender de muita boa vontade dos votantes.
CR7 volta a ser favorito absoluto. Neymar está precisando de uma reza forte.

10 de dezembro de 2015 at 11:46 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 10.12.15

POSITIVO – Paysandu e Remo caíram na real e dirigentes anunciam redução nas contratações para 2016, que devem ser pontuais. Tomara!

NEGATIVO – Adquirentes querendo do Remo dovolução do dinheiro das cadeiras e camarotes não construídos; Léo Keuffer (losk27@hotmail.com) cobra a tal construção das arquibancadas de fundo da Curuzu?

Lá e Cá

Saiu a 1ª rodada do Parazão 2016: 30.1, Tapajós x S. Raimundo; dia 31.1, Remo x Águia e Parauapebas x Cametá; dia 1.2, Paysandu x Independente. Folgam S. Francisco e Paragominas.

Eduardo Ramos poderá até não acertar continuação no Remo, mas quer mesmo é receber 130 mil que ainda tem pendentes no Leão Azul; pacote dos seis jogadores e técnico Abdala Salomão do basquetebol do Remo totalizando 40 mil reais e nenhuma despesa para o clube.

Águia se chegar à semifinal e final da Copa Verde terá de jogar em Belém, pois aí tem exigência da capacidade mínima de estádio para 10 mil. Aliás, entrada do Azulão na CV mudou logistica da FPF para o Estadual.

Coronel Nunes (FPF) não só se tornará vice da CBF dia 16.12, como deverá sair da entidade presidente, pois corre à boca pequena que no mesmo dia Del Nero renunciará.

Aliás, última ação de Nunes à frente da FPF será amanhã, no Crowne Plaza, 9h, café da manhã, com prestação de contas de 2016 e coletiva à imprensa.

Remo passando pelo Náutico-RR na Copa Verde pegará Nacional-AM ou Santos-AP. Já o Paysandu ultrapassando Águia ou Fast se debaterá com Gênus-RO ou Rio Branco-AC.

Atacante Jr Viçosa era namorado pelo Paysandu há 2 anos. Renovou com o Atlético-GO e não vem mesmo. Bicolores contratarão de 14 a 16 jogadores.

Fred Gomes, executivo do Remo, já estará aqui dia 29.12 e encaminha contratações de Fortaleza mesmo onde está. Apresentação no Leão dia 4.1.16, inclusive do atacante Bruno Aquino (ex-Tupi-MG), 24 anos.

Na Copa Amazônia Sub 17 em Rio Preto da Eva-AM, o Tapajós de Santarém estreou vencendo o Sul-América-AM por 2×1. Hoje, adversário será o São Raimundo-RR.

Bola Soccer do Marco fará festa de confraternização filantrópica dia 12.12, sábado, na sede campestre do TCM, com futebol, brindes e festa dançante. À frente Antonio Augusto, Angaldinho, Zico e Marcelo Soares.

HOMENAGEM – Valdemar Agripino Tavares Monteiro, que era conhecido como Valtinho, ex-lateral direito do Time Negra, Paroquial e Volante de Bragança nos anos 70-80. Sócio da Borracharia Trevo com o irmão Banana.

10 de dezembro de 2015 at 11:44 am Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.