Archive for dezembro, 2015

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 09.12.15

POSITIVO – Técnico Zezé do Boxe viajando 3ª feira para Londres com o pugilista paraense Renatinho. Dia 19 ele luta contra o inglês Tommy Langford pelo Título Intercontinental de Boxe, peso médio. Na torcida!

NEGATIVO – Essa hesitação do Paragominas, atolado em dívidas de 2 milhões, atesta o quanto o Parazão tem sido danoso para muitas equipes interioranos. Cuidado, gente!

Lá e Cá

Dos muitos cogitados pelo Paysandu destaco lateral Tiago Cametá, 23 anos, estilo Pikachu e nosso conhecido; Anderson Aquino (atacante), 28 anos, 13 gols na no Santa Cruz; Jr Viçosa (atacante), 26 anos, 9 gols no Atlétio-GO.

Obras na sede do Paysandu para abrigar loja de proutos e espaço mais confortável ao sócio-torcedor de vento em pôpa e à vista de quem passa pela Avenida Nazaré.

Dewson Freitas-paraense-FIFA no seu primeiro jogo internacional de verdade como mediador, apitando domingo Brasil x México, no Torneio Internacional de Futebol Feminino, em Natal-RN.

Em nova reunião do Condel do Remo, dia 14.12, tudo indica que a proposta para formação de Junta Governativa até final de 2016 vá prosperar. Leão sempre se deu bem com Junta!

Paysandu pegando na Copa Verde vencedor da fase preliminar de Fast x Águia de Marabá, enquanto o Remo vai a RR enfrentar o Náutico. Parauapebas e Independente fora. Vem bronca ai não para o Nunes?

RE x PA de basquete desta noite poderá dar triplice coroa ao Leão (futebol, regata e bola ao cesto), além de completar seu 25º título. O Paysandu (35 conquistas) tentará adiar festa e provocar o playoff.

4ª Edição do Nocaute na Violência, à frente Zezé do Boxe, sábado, a partir de 16h, Ginásio Altino Pimenta. Adolescentes de cerca de 60 academias de Belém, interior paraense, Maranhão, Amapá e Mato Grosso em ação.

Coronel Nunes terá salário de 200 mil reais quando chegar a presidente da CBF. Marcus Vicente se licenciando da Câmara para se dedicar à entidade, mas não atrapalha Nunes. Quando Del Nero renunciar ele entra (idade).

Atorres lançando hoje à noite numa das dependências da Tuna seu livro de charges do futebol paraense; na boate, de 15 a 20h, eleição cruzmaltina concorrendo as chapas de João Rodrigues e Mário Manga.

Miguel Sampaio, deixando Deartamento de Esportes Olímpicos do Paysandu, mas apostando que os garotos do mini Michel (11 anos) e Mateus (12 anos) vão parar na Seleção Brasileira principal. A conferir!

HOMENAGEM – José Ribamar Monteiro, o Banana, ex-lateral direito muito voluntarioso do Paroquial de Bragança nos anos 60-70. Sócio da Borracharia Trevo.

Anúncios

9 de dezembro de 2015 at 11:44 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 07.12.15

Sem deixar saudades

E o campeonato mais sem graça dos últimos tempos finalmente chegou ao fim. Corinthians, já campeão, cumpriu tabela, como grande parte dos outros participantes. Só quem ainda sonhava com alguma coisa eram os cinco ameaçados de rebaixamento e os dois (São Paulo e Internacional) que buscavam garantir presença na Taça Libertadores do próximo ano.
As torcidas de treze clubes estavam como meras espectadoras da cena. No máximo, torciam pela desgraça dos outros. A tese de que os pontos corridos são mais justos não é suficiente para compensar o estrago motivacional que um campeonato sem emoção é capaz de causar.
Fiquei vendo a luta inglória do Vasco para se safar da terceira queda no espaço de oito anos. Lutou bravamente, apesar da ruindade geral do time, mas não conseguiu. O Coritiba, mais ruim ainda, se segurou de todas as formas, deu chutão para todos os lados e sustentou o 0 a 0.
Mesmo que tivesse vencido em Curitiba o Vasco seria rebaixado pela vitória do Figueirense sobre o Fluminense. E nem se pode falar em facilitação por parte do tricolor carioca, pois todos os times chegam naturalmente desinteressados às últimas rodadas.
Sem nada a aspirar mais na competição, o Flu foi a Santa Catarina apenas cumprir tabela. Com vários reservas no time, não teve forças para impedir a vitória do Figueirense, que lutava desesperadamente contra o descenso.
Campeonatos de verdade, à moda antiga, têm nas últimas rodadas a sua fase de coroamento. É quando as primeiras posições são definidas e se conhece o campeão, permitindo emoção pura até os minutos finais das partidas decisivas. Desde que a CBF e a maioria dos clubes apoiou a teoria europeia dos pontos corridos a coisa degringolou.
Para complicar ainda mais as coisas neste ano, o nível técnico foi rés ao chão. Times muito fracos, jogadores apenas medianos e muita retranca produziram jogos horrorosos, vencidos muito mais pela força dos contra-ataques do que por domínio técnico incontestável.
Até o campeão Corinthians, com seus números grandiloquentes, foi quase sempre pragmático, o que em bom português significa o manjado feijão-com-arroz. Sistema fechado até os dentes, como aprecia Tite, e bolas esticadas para a correria de laterais e dois atacantes. O diferencial foi a presença de dois meias de qualidade, Jadson e Renato Augusto.
O vice-campeão Atlético-MG esteve bem até começar a ser fustigado pela instabilidade de alguns titulares e infortúnios com a arbitragem. Por conta disso, mais ou menos no começo do returno já se sabia que o Galo dificilmente iria conseguir encostar e ultrapassar o líder Corinthians.
A equipe de Levir Culpi também pecou pelo excesso de aplicação e o predomínio de volantes. Não lembro de nenhuma atuação brilhante, digna de nota. Grêmio e São Paulo seguiram a mesma toada, perdendo jogos fáceis e ganhando alguns mais complicados na força e na coragem. Sem qualquer vestígio de bola no chão, dribles, lançamentos e outras bossas.
Ao longo dos próximos dias, a mídia esportiva do Sul e Sudeste vai eleger os melhores da competição, vai novamente glorificar (com o exagero habitual) o trabalho de Tite e o modelo corintiano de triunfar nos pontos corridos. Mais ou menos como fazia com o São Paulo vencedor de Muricy Ramalho e seu estilo bate-estaca.
Em face do que não vi em campo, prefiro não escalar seleção de melhores. Opto por destacar o Sport-PE como a equipe que mais gostei de ver atuando. Pela simplicidade do esquema e a troca de passes que ia da defesa ao ataque, sem recorrer à mesmice das ligações diretas.
Por essa razão e a ausência de unanimidades, Diego Souza foi o mais regular da Série A deste ano. É claro que ele não entrará na seleção dos colegas paulistas, gaúchos e cariocas, mas foi quem melhor se apresentou, liderando um time tecnicamente modesto, mas muito consciente sobre o que podia fazer em campo.

Direto do blog

“Já deu. A CBF deve encerrar as atividades. Altamente lucrativa, a atividade futebolística deve retornar mais em valor aos clubes. E os clubes, por sua vez, devem investir mais, muito mais na base. O futebol como negócio não tem sentido quando visto apenas como palco do retorno de nomes que foram à Europa e um dia jogaram muita bola. Se o futebol fosse tratado com mais seriedade, nas categorias de base haveria menos espaço para protegidos de cartolas, o sobrinho desse, o afilhado daquele. Por incrível que pareça, essa prática é ainda bastante comum. E isso só aponta para o amadorismo reinante no futebol brasileiro. Dá-se prioridade para contratações badaladas, de grandes nomes e a formação de grandes elencos. Diga-se, contratações caras, folha salarial cara. E resta a dívida trabalhista depois, gigantesca. O fim da CBF abrirá um novo horizonte para o futebol. Para os clubes mais propriamente. Por que, com o fim da CBF, uma liga nacional de futebol começa com todos os clubes fazendo nova partilha dos recursos e premiações dos campeonatos, de modo mais democrático, sem a intervenção de cartolas suspeitos de privilegiar este ou aquele clube. Até a comissão de arbitragem deve mudar de comportamento. Enfim, o fim da CBF não trará maiores prejuízos para o futebol, mas esperança”.

Lopes Junior, fazendo coro com o posicionamento da coluna de ontem.

Sobre o destino de Pikachu

O Vasco caiu e, ao que parece, Pikachu vai junto. Pelas últimas declarações do jovem lateral, mencionando a capacidade de dar a volta por cima, seu destino deve ser mesmo São Januário. Especulado como possível reforço do Flamengo, aos poucos a história foi mudando de direção com a súbita entrada em cena de Eurico Miranda.
Ao lado dele, por sinal, o pai e procurador de Pikachu acompanhou o jogo entre Vasco e Corinthians, que decidiu (por antecipação) o título da Série A em favor dos paulistas.
Não se sabe ainda se Pikachu já é jogador vascaíno, muito menos a natureza do acordo firmado, mas se a transação se confirmar o declarado sonho de disputar a Primeira Divisão fica adiado por enquanto.

Papão já conhece todos os oponentes

Com a definição dos participantes da Série B 2016, já se pode projetar um campeonato dos mais encardidos e equilibrados, sem favoritos quanto a acesso e queda. O Papão vai se digladiar com 6 do Sul (Joinville, Criciúma, Avaí, Brasil, Londrina e Paraná), 5 do Nordeste (CRB, Bahia, Náutico, Sampaio e Ceará), 4 do Centro-Oeste (Vila Nova, Luverdense, Atlético-GO, Goiás), 4 do Sudeste (Vasco, Tupi, Bragantino e Oeste). Dureza.

7 de dezembro de 2015 at 2:03 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 07.12.15

ATÉ QUE 2015 FOI MELHOR!

Acabou 2015 para o futebol paraense e agora Remo, Paysandu e Águia vão se preparar para 2016, onde o Papão continuará na Série B, o Clube do Remo que chegou à Série C e o Águia vai provar do veneno da Série D, ao lado de outro clube paraense. O Paysandu poderia estar na elite, se não tivesse desperdiçado tantas chances; o Remo, que conseguiu o acesso, poderia ter ido às finais, mas o time alcançou seu principal objetivo; já o Águia, desde o começo que estava claudicante, não conseguindo vencer em casa e sendo um time apático quando jogava fora e como resultado caiu para o limbo do futebol brasileiro e agora terá que remar para voltar de onde saiu. Pelo menos o time marabaense irá disputar a fase principal do Parazão, de onde estava também afastado. Num balanço objetivo, o time que evoluiu foi o Remo, que alcançou o objetivo principal e subiu de série. Agora entendo que o Paysandu deve subir para a elite, o Remo conquistar seu lugar também na série B e o Águia voltar à série C, se possível trazendo outro paraense junto. Vamos torcer para que tudo isso aconteça.

ALTA TEMPERATURA

Destaco como balanço positivo os dois treinadores de Remo e Paysandu, Cacaio e Dado Cavalcanti. Cacaio tinha nas mãos um time sem estrelas, à exceção de Eduardo Ramos que foi o maestro do time. Dado conseguiu alguns nomes de valor, chegou pertíssimo da elite e terminou num honroso 7º lugar, a seis pontos da glória. Pelo que fizeram mereciam ter ficado, mas só o Dado teve essa sorte. Cacaio foi convidado a se retirar.

BAIXA TEMPERATURA

O balanço negativo ficou para os problemas internos do Remo, onde vamos destacar as duas eleições para colocar Pedro Minowa e Henrique Custódio no cargo de presidente e vice. Na primeira, Zeca Pirão não se conformou com a derrota e no repeteco levou outra surra. Depois vieram as perseguições e os dois acabaram se licenciando e abdicando dos cargos dias atrás. Com a volta do Remo à 3ª divisão, os problemas minimizaram, mas as confusões continuam. Se quiserem uma opinião, deixem com está e trabalhem para levar o Remo à 2ª divisão em 2016.

NO TERMÔMETRO

E a Seleção de Vigia sagrou-se campeã do Intermunicipal de Seleções do Interior, pela 3ª vez, diga-se de passagem, ao vencer a Seleção de Melgaço no final de semana no Mangueirão. 1×1 no tempo normal e 4×2 nos tiros livres da marca do pênalti. Informações do amigo Ruivaldo Monteiro e segundo ele a festa varou a madrugada. Foi um presente ao município que comemorará 400 anos dia 06 de janeiro. /// Braços cruzados e feições fechadas, foi assim que os jogadores da Série A iniciaram a última rodada do Brasileirão. Foi uma forma de protesto para que Marco Polo Del Nero renuncie ao cargo de presidente da CBF. /// Aliás, se isso acontecer, o Cel. Nunes deverá assumir a 1ª vice-presidência da entidade, cargo que lhe cairá no colo por ser o mais velho dos presidentes de federações. Nasceu com aquilo virado pra lua. /// A Associação Paraense de Basquetebol Master estará realizando no dia 12 no Restaurante Panorâmico da Assembléia Paraense a sua confraternização natalina. Agradeço o convite enviado pelo presidente Paulo Seráfico. Estaremos presentes. /// Essa semana o meia Eduardo Ramos estará definindo sua permanência ou não no Clube do Remo no Parazão, Copa do Brasil, Copa Verde e Série C em 2016. Pelo andar da carruagem, e pelos motivos políticos, ED deverá ficar. /// E o Vasco lutou até o final para permanecer na Série A, mas a vitória do Figueirense em casa contra o Fluzão acabou com quaisquer chances, pois não adiantaria vencer o Coritiba. Com isso teremos Paysandu x Vasco, duas vezes, pela Série B em 2016. Fazer o quê?  /// Avisando nossos assíduos leitores, que estaremos ausentes desse espaço, em merecidas férias, nas próximas semanas. Quando a bola voltar a rolar em Janeiro pelo Parazão, estaremos de volta. Até a volta! /// Uma boa semana a todos, feliz Natal, feliz 2016 e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

7 de dezembro de 2015 at 2:00 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 06.12.15

Por que a CBF tem que acabar

Os clubes teimam em deixar o cavalo passar selado. Já era tempo de assumirem uma posição mais resoluta e corajosa, assumindo os destinos do futebol no Brasil. Não é inédito, já ocorreu na Inglaterra, com os resultados que todos conhecemos – e admiramos. Antes da Liga, o futebol da terra da Rainha também era dominado pela cartolagem sem compromisso. Com os clubes à frente, a coisa mudou drasticamente de figura.
No Brasil, o que dificulta a libertação é a falta de coragem para romper com as velhas estruturas. Os dirigentes, alguns tão anacrônicos quanto a ultrapassada turma que manda na CBF, receiam assumir a responsabilidade pelo próprio destino. Alguns são sinceros quanto a esse temor, outros se pautam pelas conveniências.
Quando se vê a fuga desesperada dos chefões da confederação fica claro que a entidade só se mantém poderosa e imune às mudanças pela omissão dos clubes, que formam a real plataforma de poder no futebol. A equação é simples: não há campeonato ou Seleção Brasileira sem passar pelos clubes. Estranhamente, só os dirigentes das agremiações parecem não ver isso.
É claro que, do ponto de vista de Corinthians e Flamengo, não há pressa em mexer no sistema atual, afinal ambos – pelo tamanho de suas torcidas – embolsam verbas anuais bastante superiores ao montante que é repassado aos demais. Situação cômoda e altamente rentável. Acontece que o futebol brasileiro não se resume a esses dois grandes clubes.
Caso se adotasse aqui o modelo inglês ou o espanhol, a folgada vantagem de Corinthians e Flamengo em faturamento iria ser reduzida. Por lá, apenas 50% do bolo de recursos leva em conta a popularidade dos clubes. Os demais 50% são divididos de maneira equânime, ou quase. De todo modo, não prevalece o nefasto esquema praticado no Brasil, que aprofunda vantagens e eterniza injustiças.
Interesses pontuais deveriam ceder espaço neste momento a um objetivo maior: a tomada de poder pelos clubes. O noticiário esportivo tem mostrado a CBF se esfacelando como instituição. O presidente pede licença para se esconder dos longos braços da Justiça americana, que já alcançou José Maria Marin, J. Hawilla e Ricardo Teixeira.
Na vacância de poder, um deputado federal assumiu interinamente e os grupos rivais se movimentam para lançar candidatos à eleição do vice-presidente no próximo dia 16. O paraense Antonio Carlos Nunes, eterno presidente da FPF, é o mais cotado para se tornar vice e primeiro na linha sucessória. Sua idade, 79 anos, é seu maior trunfo.
Noutros tempos, talvez alguém se animasse a festejar essa chegada (ou aproximação) com o poder. Hoje, com a CBF irremediavelmente manchada pelas gatunagens de ex-presidentes e sócios, não se sabe ao certo se a possível eleição do coronel Nunes é um prêmio ou uma prenda.
Aos clubes paraenses seguramente a vitória de Nunes será inócua, pois ele não terá margem de manobra para beneficiar efetivamente o futebol local. É possível até que nem venha a assumir a presidência. E, caso se habilite a assumir, é possível até que nem haja mais CBF, como conhecemos hoje.
Para que isso aconteça, basta um mínimo de vontade e mobilização política. A batalha da opinião pública já foi vencida. É de conhecimento geral que a CBF não serve ao futebol. Pelo contrário, serve-se dele. Por isso, ela não tem qualquer razão de existir. Os clubes terão que, agora ou mais tarde, dar seu grito de independência e assumir os próprios destinos. Pelo bem de todos e felicidade geral da nação boleira.

Emergentes se reforçam para o Parazão

Quando se pensava que dezembro traria – além de fumaça em Belém e ameaça institucional em Brasília – novidades nos dois grandes da capital, eis que os interioranos estão dominando o noticiário. O Cametá anuncia o retorno de Cacaio ao clube. O São Raimundo negocia com Samuel Cândido. O Parauapebas confirma Léo Goiano no comando.
Na sexta-feira, surgiu a especulação sobre possível desistência do Paragominas. Atolado em dívidas (em torno de R$ 2 milhões), o clube estaria propenso a abrir mão da vaga. De imediato, o Castanhal se manifestou disposto a substituir o Jacaré.
Há ainda uma tentativa de garantir o Paragominas na disputa, mas a situação pré-falimentar do clube não inspira muito otimismo a essa altura.

Atorres lança “Leão, Papão e Outros Bichos”

O segundo livro de Atorres reunindo as charges publicadas no DIÁRIO está saindo do forno. O lançamento será nesta quarta-feira, 9 de dezembro, às 19h, nos salões da sede da Tuna, na avenida Almirante Barroso. Trata-se de uma compilação dos melhores trabalhos sobre futebol em geral e a dupla Re-Pa em particular, produzidos pelo principal cartunista de sua geração. Vale a pena prestigiar.

Festa chata com gente esquisita

Depois de seis meses de maratona, finalmente fecham-se as portas do espetáculo na Série A, com a realização da última rodada. A dúvida que assola a torcida é se o Vasco cai ou não cai. Quase ninguém lembra mais que o Corinthians é o campeão – aliás, hexa. Talvez nem o torcedor corintiano comemore mais o feito de seu time, como seria natural.
Não, no dia que deveria ser da celebração em torno de um vitorioso, teremos apenas – como nos últimos anos – a curiosidade mórbida pelos quatro rebaixados à Segunda Divisão.
O modelo de pontos corridos, vigente nos últimos 13 anos, se sustenta na vã filosofia do mérito e da justiça. Como se isso fosse possível em futebol. Um torneio que tem clubes com investimentos desiguais já começa sob o signo da injustiça, que a forma de disputa não tem a capacidade de corrigir.
Quando já se souber o destino do Vasco, ali por volta das 18h deste domingo, será o momento ideal para que as cabeças pensantes do nosso futebol avaliem friamente a monotonia que se apoderou do principal campeonato do país. Como citei há dois dias, a comparação com as finais da Copa do Brasil está aí mesmo a indicar o caminho.

Bola na Torre

Guilherme Guerreiro comanda a atração, a partir de 00h20 na RBATV, logo depois do Pânico. Na bancada, Valmir Rodrigues, o convidado Bernardo Tomaso e este escriba de Baião.

6 de dezembro de 2015 at 2:17 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 06.12.15

Entrevista com Leston Júnior, 37 anos, novo técnico do Remo, que vem de um acesso para Série B do Brasileiro com o Tupi-MG.

Foi jogador?
Só de base, no Guarani de Divinópolis e Vila Nova de Nova Lima, ambos de Minas Gerais. Meu pai preferiu que eu estudasse e encerrei precocemente a carreira.

Mas virou técnico? Desde quando?
Futebol estava no sangue e aí comecei nas divisões inferiores do Cruzeiro, América-MG e Bahia. Iniciei em 2001. Depois cheguei ao time principal do Inter de Bebedouro, Olímpia e Guarani-SP, Madureira-RJ e Tupi-MG.

Títulos conquistados?
Vários em divisões de base. Profissionalmente acesso com o Inter de Bebedouro à 2ª Divisão Paulista (2010), Vice da Copa RJ com Madureira (2014) e acesso à Série B do Brasileiro com o Tupi (agora em 2015).

Quem o convidou para trabalhar no Remo?
Convites partiram do André Cavalcanti e Fred Gomes.

Quem indicou para integrar a sua CT?
Apenas o jovem auxiliar Gustavo Shiroma que já estava comigo no Tupi.

Pensa em dar oportunidade aos jogadores da base azulina?
Sim. Mas base é uma vertente do clube, trabalho que precisa ser desenvolvido com solidez e a médio prazo.

Vai indicar jogadores? Quantos? Quais as posições?
Sim. Mas vamos convesar com dirigentes, ver a real necessidade e analisar características dos jogadores de melhor adaptação aqui. Vamos procurar ter o melhor possível.

Gosta de jogar em qual sistema?
Gosto de um sistema equilibrado, suficiente para vencer os jogos. O sistema faz parte de um processo muito complexo que é o futebol.

Qual técnico lhe serve de referência?
Temos grandes profissionais e busco tirar um pouco de cada, seguindo meu trabalho e criando minha filosofia.

Remo disputará Parazão, Copa do Brasil, Copa Verde e Série C. Pensa num plantel de quantos jogadores?
Não existe quantitativo, mas um pantel capaz de atender o que vamos precisar, sem exageros.

Qual recado para torcida azulina conhecida como Fenômeno Azul?
Tenho certeza que vou retribuir o carinho recebido, com dedicação, respeito à Instituição e conquistas, inclusive acesso à Série B.

6 de dezembro de 2015 at 2:15 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 06.12.15

BOLA NA TORRE

Neste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV –
Canal 13. Vamos falar dos Projetos do Clube do Remo e
Paysandu para a próxima temporada e suas
novidades. Guerreirão no comando e na Bancada Gerson
Nogueira, Valmir Rodrigues e o Convidado Bernardo
Tommaso. Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instagran )

JOGO DAS ESTRELAS

Esta sendo organizado pelo Formiga e vai acontecer no Estádio Maximino Porpino em Castanhal, no dia 19 de Dezembro e a entrada será 1 Kg de alimento. E todo o alimento arrecadado será doado para a Clínica de Reabilitação para Jovens envolvidos com Drogas e também para suas Famílias. Nomes confirmados nesta festa do futebol: Goleiros Paulo Rafael, Breno e Gilberto. Zagueiros Charles Guerreiro, Yan, Formiga, Raul e os lutadores do UFC Iuri e Ildemar Marajó. Laterais Cicinho, Alex, Tiago Cametá, Marlon, Edinaldo e Wellinton Saci. Meio Campo Lecheva, Ernandes, Ilailson, Vanderson, Ricardo Capanema, Adrianinho, Giovani Augusto, Flamel e Yago Pikachu e os Atacantes Tiago Alves, Leandro Cearense e Carvalho, Rafael Oliveira, Moyses e Helinho. Apoio da IcaseCia. Vai ser um Show!!!.

PROPOSTA…

Com a saída do ex-zagueiro Duílio que estava no comando do Vitória do Espírito Santo, o Técnico Charles Guerreiro é a bola da vez e poderá assumir o time capixaba. O Vitória tem garantido no Primeiro Semestre o Campeonato do Espírito Santo, Copa Sul / Minas e Copa do Brasil. Ótimo mercado para o Charles. Sucesso!!!

CAFÉ DA MANHÃ

Na próxima sexta, dia 1, no Hotel Crowne Plaza, em Nazaré, seguido de uma Coletiva de Imprensa. Oportunidade, que a FPF fará a apresentação do encerramento de todas as suas atividades ocorridas em 2015, apresentando em 40 minutos o fechamento das competições no estado. Serão abordados, também aspectos financeiros e a renovação de convênios com o Governo do Pará, por intermédio da SEEL, BANPARÁ e FUNTELPA. Grato pelo convite ao Fernando Sérgio Castro – Diretor de Marketing da Federação Paraense de Futebol.
LUTA…

Com iniciativa para ação Solídária e o ingresso será 1 Kg de Alimento e 1 Brinquedo. Próximo sábado no Ginásio João PauloII (Abacatão) em Ananindeua o evento será o “II Monster de Natal Solidário”. No Tatame mescla de Submission, MMA e Muaythay entre outros. Começa as 18 horas no próximo sábado dia 12. Todos lá…
EDUARDO RAMOS

O atleta retorna amanhã a Belém e irá confirmar sua permanência no Clube do Remo. Com um Pré-Contrato assinado com o Leão e o acerto para uma possível Candidatura nas próximas eleições para Vereador, ficar em Belém passa a ser prioridade…

6 de dezembro de 2015 at 2:11 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 03.12.15

POSITIVO – Dia 14.12 uma novidade em Belem: confraternização dos padres Barnabitas com RE x PA de futebol no CASSAZUM. Dizem que o padre Géfisson (vidrado no Paysandu) é craque. A conferir!

NEGATIVO – CBFS por dificuldades diversas comunicou à FEFUSPA cancelamento da Superliga de Futsal Adulto que seria em Francisco Beltrão-PR, de 15 a 19.12. Lamentamos pelo Continental de Bragança.

Lá e Cá

Dado Cavalcanti ficou no Paysandu, mas como ele queria e não como desejava a diretoria. Até final do Parazão. Não é bobo: ganhando ficará mais valorizado. Perdendo tem mercado fora; Gualberto operado em SP.

Técnico Leston Jr chegou ontem à sede do Remo totalmente blindado da imprensa pelo executivo Fred Gomes; presidente do Paysandu reconheceu que clube contratou errado este ano. Prometeu tudo diferente para 2016!

Colecionador de fora do Estado procura camisas do Ananindeua, Independente da Marambaia, Tiradentes, Vila Rica, Pinheirense, Time Negra, Santa Rosa, Sport Belém, Bragantino, Cametá, Desportiva, Parauapebas, Santa Cruz Cuiarana e Izabelense. Contato: meu e-mail.

Com fecho da temporada, Remo em todos os tempos tem 4.210 jogos, 2.273 vitórias, 921 derrotas, 990 empates, 26 partidas não registradas, 8.437 gols a favor e 4.567 contra.

Paysandu contabiliza 4.160 partidas, 2.158 vitóris, 1.049 derrotas, 953 empates, 8.468 gols a favor e 4.859 contra. (Fonte-Jorginho Neves).

Nomes das chapas decididas a concorrer na eleição do Remo: Avança Leão (Miléo Jr), União e Renovação (Hélder Cabral), Feliz Ano Novo (Alcebíadess Maroja).

Preparador físico Robson Melo (também fisiologista) mantido na CT de Leston Jr para 2016, no Leão Azul. Mostrou competência no trabalho desde maio e já brilhou no Ananindeua, São Raimundo, Independente, Paragominas e Tapajós.

Ramon, Marquinho, Douglas, Paulo Ricardo (será o 3º goleiro do profissional em 2016) e Lucas Gabriel, com passagem no time de cima do Paysandu, esperança de sucesso na Copa SP. Tem ainda Léo e Rodrigo.

Lateral Romário e zagueiro William Alves, de passagem discreta no Papão, se destacam no Marítimo e Vitória de Setúbal de Portugal.

Copa Verde começará dia 6.02 e tabela sairá de 4 a 8.12. Resta saber com quantos e quais clubes. Agora se fala em pré-copas antes da fase principal.

HOMENAGEM – Reinaldo Wilson Vulcão, o Nenê, ex-remador, proa do 2 sem e 2 com, campeão de regata 5 anos pela Tuna (anos 70) e 1 pelo Paysandu (anos 80). Defendeu a Seleção Paraense. É gráfico.

3 de dezembro de 2015 at 12:40 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.