Coluna do Gerson Nogueira – 29.01.16

29 de janeiro de 2016 at 10:21 am Deixe um comentário

Os primos pobres

A simples possibilidade de extinção da Série D do Campeonato Brasileiro já estimulou debates acirrados na esfera regional. A informação sobre o plano da CBF veio da imprensa de São Paulo, a partir da informação do coronel que preside a Federação do Mato Grosso do Sul há 24 anos. Pelas afinidades de patente com Antonio Carlos Nunes, sua palavra deve ser considerada.

Até o momento, a entidade não se manifestou sobre as especulações, mas é provável que o fim da competição esteja realmente próximo. Como os clubes (salvo exceções, como o Remo nas últimas duas edições) têm pouca tradição e torcida, o torneio carece de baixo apelo de audiência. Por isso, não atrai o interesse da TV. Como a TV não transmite os jogos, os patrocinadores se mantêm distantes.

Num mundo ideal, a CBF bancaria o torneio, garantindo a participação de todos os clubes mesmo sem patrocínios da iniciativa privada. Para tanto, bastaria destinar um naco do gordo manancial de receitas da entidade.

No estágio atual, fica evidente o pouco caso pelo campeonato e pelos clubes mais modestos do país. Há um equívoco sério embutido aí. Sem atividades oficiais, essas agremiações tendem a desaparecer gradativamente.

 

Vai aparecer alguém para dizer que os próprios clubes cavam sua desgraça a partir de gestões caóticas e irresponsáveis. Ocorre que, se não houver um esforço a partir da entidade-mãe, eles nunca sairão desse estágio. Como mantenedora e proprietária do futebol brasileiro, a CBF deveria zelar pelos seus filiados. Por todos.

Tome-se como exemplo os clubes paraenses que disputam o campeonato estadual. Uma de suas aspirações ao encarar o torneio local é conquistar acesso à Série D, que garante um mínimo de exposição e condições de funcionamento por mais três ou quatro meses na temporada.

O desestímulo que virá de um eventual fim da competição será danoso para os clubes e trágico para os profissionais envolvidos no processo. Como são 40 clubes participantes, significa que pelo menos 1.200 profissionais estão empregados.

Na condição de primos pobres do futebol, porém, é quase impossível que alguém venha a se preocupar de verdade com sua situação. Os salários são modestos, o glamour é quase nenhum, a visibilidade midiática é quase nenhuma e as transações entre equipes não são exatamente sedutoras para a turma do olho gordo.

A dúvida cruel sobre o pênalti

Para dirimir todas as dúvidas sobre a marcação de pênaltis em jogadas de toque de mão na bola, a CBF programou uma semana intensiva de aperfeiçoamento para todo o seu quadro de árbitros, a partir de 30 de janeiro.

A ideia é fazer com que a turma consiga finalmente atinar que, para comissão de arbitragem da Fifa, nem toda bola que resvala no braço deve ser entendida como infração.

Vai ser difícil.

Afinal, pelas regras não escritas do futebol no Brasil, mais do que a interpretação de cada jogada a maioria dos árbitros leva em conta mesmo é a cor das camisas em ação dentro da área.

Desportiva quer descobrir novos goleiros

A Desportiva promove uma peneira destinada a selecionar jovens goleiros nos dias 8 e 9 de fevereiro, a partir das 9h. Meninos e jovens de boa estatura, de 11 a 18 anos de idade, podem se inscrever gratuitamente (fone: 98371-1065). No dia 8 acontece a palestra sobre fundamentos técnicos e sobre as características exigidas de um goleiro. No dia 9, os inscritos serão submetidos aos testes práticos dentro de campo.

Foi-se o tempo da aristocracia do Morumbi

José Roberto Malia nos informa através de seu blog que a tal crise econômica chegou firme aos portões do antes poderoso São Paulo. Até o momento o clube não pagou a comissão de R$ 900 mil devida ao empresário Jolden Vergette, que foi o intermediário do empréstimo do zagueiro Dória.

O mais curioso é que Dória já foi embora do clube, enquanto Vergette corre atrás do prejuízo, tentando receber a grana. Para acalmar o empresário, o São Paulo liberou dois cheques, um de R$ 600 mil e outro de R$ 300 mil, ambos sem fundos. Sinal dos tempos. O Tricolor do Morumbi já foi mais cuidadoso com seus negócios.

Um curso top para técnicos de vôlei

O voleibol paraense ganha finalmente um curso de alto nível (grau 3) para a preparação de treinadores. Caetano Rocha, instrutor da Confederação Brasileira de Voleibol, e Ednilton Vasconcelos, que treinou a seleção feminina da modalidade, estarão em Belém de 14 e 21 de fevereiro para ministrar o curso no IFPA.

Considerado fundamental para a preparação de técnicos de ponta no país, o curso deve reunir a nata dos comandantes do vôlei no país, interessados em atualizar conhecimento. A FPV avalia que o curso deve alavancar a qualidade do esporte no Pará, abrindo possibilidade de participação competitiva até na Superliga nacional.

A entidade disponibilizou 40 vagas, com matrículas a R$ 400,00.

Gangorra financeira expõe as diferenças

Ao negociar Renato Augusto, Jadson, Ralf e Gil com o futebol da China o Corinthians faturou perto de R$ 80 milhões.

Apenas com a venda de Ramires para o Jiangsu Suning, o Chelsea embolsa R$ 150 milhões.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.01.16 BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.01.16.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: