Archive for janeiro, 2016

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 26.01.16

POSITIVO – André Cavalcante, novo presidente do Remo, mostra interesse em unir ao convidar para um jantar todos os candidatos que enfrentou e suas equipes de camapnha a fim de discutir o Leão Azul. Bela atitude!

NEGATIVO – Centro de Treinamento de Paysandu e Remo cotinua sendo o aeroporto de Val-de-Cans. Nem bem o Parazão começou, Papão já trouxe 17 e o Leão chegando a 10 contratados. Até quando?

Lá e Cá

Técnico do Paysandu foi tão surpreendido na derrota para o Sub 20 do Castanhal que mostrou interesse em 4 grotos de lá: André Castanhal e Bruno Santa Maria entre eles. Pode surgir parceria com a base do Japiim.
Jogo de segunda-feira na Curuzu contra o Paragominas terá ingressos a 40 e 80 reais.

Disponibilizados 6.750 bilhetes para o torcedor comum, haja vista a boa adimplência dos sócios-torcedores bicolores.

FPF e órgãos de segurança do Estado fizeram ontem à tarde vistoria técnica ao Mangueirão; SEEL reiuniu para tratar de segurança, trânsito e infraestrutura do Remo x Águia, inclusive com presença de gente do BRT.

Remistas trabalhando com possibilidade de 30 mil pessoas domingo. Ingressos 30 e 50 reais até sexta e, depois 40 e 80; quem foi a Castanhal ver o bicolor Celsinho se contentou com a boa atuação de Vélber.

Presidente Nunes no primeiro pódium como presidente da CBF, na entrega da Taça da Copa SP aos atletas do Flamengo; no Remo o potiguar Jaquiel pode fazer teste com ajuda de custo. Gente daqui não.Cada uma!

Na última década de Parazão estréia do Paysandu contabiliza 8 vitórias, 1 empate, 1 derrota e, do Remo, 7 vitórias e 3 derrotas (Fonte: Saulo Zaire).

Goleiro Emerson se candidatando a batedor de faltas no Papão com a saída de Pikachu, pois já fez isso no Guarani-SP. Betinho (Betigol) já voltou marcando e vai ter briga boa com Leandro Cearense e Bruno Veiga.

Paysandu e Remo só com um lateral esquerdo até agora e técnicos haja a recomendar jogadores de outras posições. Cada uma!

Morreu em Barretos-SP e será enterrado hoje em Belém (velório no Recanto-Diogo Móia) o Délcio, que jogou na base da Tuna; Era irmão dos ex-basquetebolistas Wilsão, Paulão e filho do antigo lutador Diabo Louro.

Dr. Alaci Nahum o expositor do case da Desportiva Paraense no lançamento do Troféu Camisa 13, na quinta; Dr. Henrique Custódio agora sub-coordenador de dopagem da CBF no Pará. Dr. José Guataçara mantido coordenador.

HOMENAGEM – Amilton Fergusson, o Amilton, ex-goleiro da Tuna e dos suburbanos, Norte Brasileiro e Nautico do Umarizal nos anos 60-70. É técnico em eletrônica.

Anúncios

26 de janeiro de 2016 at 1:50 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 25.01.16

Vitória da democracia

Pela vontade soberana dos eleitores, André Cavalcante foi escolhido para presidir o Remo pelos próximos nove meses. Pelo histórico do candidato e competência demonstrada na administração do programa de sócio torcedor do clube, o Nação Azul, pode-se dizer que a escolha foi das mais certeiras.

De perfil inovador e aberto a ideias modernas, André tem uma grande possibilidade de fazer a gestão necessária para tirar o Remo do atraso em que se encontra hoje. O desafio será romper com a velha estrutura administrativa, que leva à repetição de erros crassos a cada temporada.

A perspectiva positiva é, ao mesmo tempo, um imenso desafio para o novo gestor. Terá que realizar em pouco tempo mudanças que vêm sendo adiadas sucessivamente há mais de 10 anos. Desde o final da gestão de Raphael Levy, o Remo não conseguiu mais equilibrar receita e despesa.

Resulta desse acúmulo de problemas a situação aflitiva do clube no campo financeiro, tendo que comprometer quase um terço de tudo que arrecada para poder reduzir a dívida junto à Justiça Trabalhista.

Cumprir o acordo celebrado na esfera judicial é outra responsabilidade pesada sobre as costas da diretoria que está assumindo. Foram descumprimentos seguidos que fizeram o clube perder credibilidade e a correr constantes riscos de perda de patrimônio.

Por dever de ofício – e até para se preservar –, André terá que executar um processo de levantamento das dívidas e dos recursos que foram desviados do clube nos últimos anos, a fim de ter uma noção clara do quadro financeiro que está herdando.

Outro ponto crucial para o futuro imediato do Remo é se habilitar ao Profut, cujo primeiro prazo já foi descumprido pela gestão iniciada por Pedro Minowa. Sem se cadastrar no programa, o clube ficará sujeito a penalidades que incluem até a não participação em campeonatos oficiais a partir de 2017.

Pelo lado positivo, André terá agora condições de implementar avanços e melhorias no programa de sócio torcedor. Por tudo que aprendeu e fez no Nação Azul pode ampliar o alcance do ST, auferindo mais receita e oferecendo mais vantagens aos sócios.

Aliás, caso queira de fato avançar politicamente, o Remo terá que ajustar seu estatuto aos novos tempos. Não se concebe que os sócios torcedores sejam impedidos de deliberar sobre a vida do clube e de votar para presidente. De certa forma, têm tantos direitos quanto os sócios proprietários e remidos.

Acima de tudo, o triunfo da chapa André Cavalcante-Fábio Bentes significa que o Remo começa finalmente a se ajustar aos novos tempos, afugentando candidatos retrógrados, derrotando a demagogia e expurgando modelos clientelistas que não condizem com a prática democrática. O resultado das urnas indica que os associados querem avanços, com transparência e responsabilidade.

Tempo de treinar e observar

Não chega a surpreender o revés do Papão, ontem, em Castanhal. Ao contrário da equipe interiorana, recheada de jovens valores, o time de Dado Cavalcanti ainda busca a configuração ideal. Além disso, o elenco se encontra em fase de preparação, inclusive quanto ao condicionamento físico.

Alguns dos jogadores que enfrentaram o Castanhal certamente terão muito a render no Campeonato Paraense. Ilaílson, Augusto Recife, Leandro Cearense e Betinho foram alguns dos mais efetivos no amistoso, mas outros ainda se ressentem da necessidade de maior entrosamento, como Celsinho.

Muito mais que o resultado final do amistoso, o que importa é a movimentação do grupo, que não tinha ainda sido testado em jogo oficial. Dado deve ter aproveitado para observar bem seus atletas e tirar dúvidas para a estreia no Parazão contra o Paragominas, na próxima semana.

A formação titular não deve ser muito diferente da que se apresentou no Maximino Porpino, mas é certo que o setor defensivo ganhará atenção especial nos treinos desta semana.

Enquanto isso, em Belém, o Remo passava pelo selecionado de Maracanã sem maiores dificuldades, dando ao técnico Leston Junior a chance de novas experimentações na equipe. Marco Goiano voltou a aparecer bem.

 

Direto do blog

“O André será um excelente Presidente, tenho certeza. Votei no Miléo Jr., que tinha a seu lado grandes remistas, como Domingos Sávio, André Carrascosa, Milton Campos e outros. O grande vitorioso da eleição é o Clube do Remo. O André e o Fábio são profissionais exitosos em suas atividades e continuarão, agora de forma mais ampla, o trabalho que vêm fazendo no CR. As votações do André e do Miléo representam o repúdio do sócio a projetos mirabolantes, mais uma vez rejeitados pela coletividade azulina. Pé no chão e a ajuda de todos os remistas que colocam o clube acima dos interesses individuais são o caminho para o sucesso”.

Ronaldo Passarinho, grande benemérito azulino.

Sustos e preocupações alvinegras

Em partida exibida para todo o país através de um canal fechado, o Botafogo se encarregou de deixar seus torcedores com a pulga atrás da orelha depois da derrota frente à Desportiva capixaba. Os mesmos problemas verificados ao longo do Brasileiro da Série B voltam a surgir, sem que o comando técnico consiga corrigi-los.

Como se trata de amistoso de preparação, deve-se dar o devido desconto, mas jogadores que já não rendiam na Série B continuam perigosamente ocupando posições fundamentais no time, como na proteção à zaga, onde Lindoso é garantia de sustos intermináveis, ao lado do miolo de zaga.

Ao final do jogo, o goleiro e capitão Jefferson recomendou aos dirigentes que façam contratações para reforçar o time. Jefferson, como toda a torcida alvinegra, tenta alertar para a ameaça de novo rebaixamento à Segunda Divisão. Sabe o que diz.

25 de janeiro de 2016 at 10:23 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 24.01.16

A eterna malandragem

O futebol mundial anda de pernas para o ar, e não é de agora. Ocorre que a cada semana surgem novas e surpreendentes provas de que há algo de fora de ordem na geopolítica mundial da bola. Com exceção de clubes realmente ricos, com patrocínios consolidados e presença garantida nos principais torneios do planeta, a maioria segue atirando a esmo, catando aqui e ali ex-jogadores em atividade e se submetendo a maracutaias articuladas por empresários e agentes espertos.
A tal esperteza dos operadores da máquina de dinheiro que move o futebol se manifestou com extrema agressividade nesta semana, buscando colocar o atacante Alexandre Pato no Chelsea. Notícias plantadas em jornais e sites alimentaram a negociação, que começou a ruir quando o clube londrino se apercebeu do tamanho do prejuízo que estava prestes a contrair.
Pato surgiu como um jogador futuroso, apontado como candidato a suceder Ronaldo Fenômeno no escrete nacional e teve todas as chances para isso. Foi convocado seguidas vezes, mas aos poucos foi mostrando o que realmente era. Apenas um bom jogador de nível mediano, longe do super craque que o marketing tentou inventar.
Apesar disso, não pode se queixar da sorte. Rodou por grandes clubes e, mesmo jovem ainda, acumulou bom dinheiro. Depois de ficar por algum tempo no Milan, passar boa parte do tempo lesionado, acabou adquirido pelo Corinthians e depois foi repassado ao São Paulo, onde não conseguiu se firmar nem mesmo competindo com Luís Fabiano e Alan Kardec.
O Chelsea surgiu no horizonte como a chance de redenção do inconstante avante. A ideia era perfeita, pois permitiria alçá-lo de novo ao pelotão dos jogadores que rendem fortunas em negociações, mesmo quando em baixa. Mais ou menos como ocorre com o espanhol Fernando Torres, outro que não faz gol e nem encanta, mas segue enganando maravilhosamente e a fazer a alegria financeira de seus empresários.
Pelo que se noticiou nas últimas horas, o negócio murchou no nascedouro. A tal proposta de R$ 52 milhões para os investidores e para o Corinthians até agora não passa de miragem.
Mas Pato não é a única moeda desvalorizada em oferta na bolsa de apostas dos clubes de segundo escalão. Robinho, que foi jogar na China por não ter mais vez no mercado ocidental, ameaça se transferir para o Grêmio. Prova insofismável de que os dirigentes – mesmo os elogiados gaúchos – costumam não ter muita coisa na cabeça.
Depois de umas dez voltas ao futebol brasileiro, sempre para o Santos, Robinho segue insistindo – e faturando. Atravessou períodos altamente favoráveis no Real Madri, no Milan e no Manchester City, mas não jogou mais nada depois que suas pedaladas caíram em desuso. Na Seleção desfrutou de todas as oportunidades possíveis e imagináveis.
Robinho e Pato nunca foram pernas-de-pau, são apenas jogadores razoáveis, dentro da média. Estão sobrevivendo no futebol ainda às custas de uma mídia esportiva que baba ovo para qualquer indício ou resquício de craque. Não têm culpa disso. A estrutura do futebol é que precisa urgentemente tomar juízo e separar o shoyu do trigo.

Bruno Veiga: nova chance com Dado

A recepção foi digna dos grandes reforços. Sócios torcedores do Papão foram até a sede social na sexta-feira à tarde aplaudir o retorno do atacante Bruno Veiga. Um desfecho inesperado depois que o jogador saiu meio à francesa no começo do Brasileiro da Série B 2015, insatisfeito com as poucas chances no time titular. Foi jogar no Mogi Mirim, um dos times rebaixados à Série C. Ao falar com os jornalistas, aparentando surpresa com o carinho dos torcedores, Bruno reconheceu o mau passo e desmentiu contatos (que aconteceram) com o rival Remo.
A partir de agora, ele é mais uma opção para o ataque do Papão no Campeonato Paraense. Tem características que o habilitam a jogar ao lado de Leandro Cearense, mas tudo vai depender dos desenhos que Dado Cavalcanti vem montando nos treinos. É preciso lembrar que foi justamente sob o comando de Dado que Bruno fracassou no começo do ano passado.
Para ter êxito nesse recomeço, terá que mostrar as qualidades que exibia naquele ataque do time que conquistou o acesso em 2014 sob a batuta de Mazola Jr. Ao lado de Ruan, Bruno transfigurou o Papão na reta final da competição, quando muitos não acreditavam mais.

E a montanha pariu um rato…

O propalado grito de liberdade de alguns dos grandes clubes brasileiros resultou em tremenda frustração, como a coluna antecipou há alguns meses. A Primeira Liga (ex-Liga Sul-Minas-Rio) teve que se submeter às rígidas leis do mercado, o que significa aceitar sem reclamar o que a Globo oferecia pelos direitos de transmissão – cerca de R$ 5 milhões.
Para que o fiasco não fosse ainda maior, seus dirigentes precisaram pedir arreglo à Federação do Rio, que disponibilizou duas datas. A CBF, inimiga de primeira hora da ideia, nem precisou fazer muito esforço para atrapalhar.
A verdade é que a cartolagem de Grêmio, Inter, Flamengo, Fluminense e Atlético-MG nunca acreditou nas próprias palavras. Aquele papo empolado de independência e ruptura visava apenas encobrir a criação de um torneio de começo de temporada para faturar um dinheirinho.

Bola na Torre

O programa terá Guilherme Guerreiro no comando, com Tommaso e este escriba de Baião na bancada. O convidado da noite será o dr. André Cavalcante, novo presidente do Remo, eleito neste último sábado, que pela primeira vez dará entrevista sobre seus planos para administrar o clube.

Atorres vai à praça

Neste domingo, na banca do Alvino na Praça da República, haverá sessão de autógrafos do livro “Leão, Papão e Outros Bichos”, de mestre Atorres, a partir das 8h.

24 de janeiro de 2016 at 9:28 am Deixe um comentário

Bola pra Frente – Claudio Guimarães – 24.01.16

Entrevista com meia atacante paraense Giovanni Augusto destaque do Atlético-MG e recém-campeão do Torneio da Flórida-USA.

Como foi sua carreira no Pará?
Como muitos garotos, jogando pelada de brincadeira, mas que hoje se tornou profissão e um sonho realizado.

Jogou com Ganso no Paysandu?
Conheço o Ganso desde os tempos das partidas de futsal Tuna x Paysandu. Sempre foi diferenciado. Cultivamos amizade e respeito muito grande um pelo putro. É craque.

Quando saiu do Pará foi para qual clube?
Do Paysandu para o Atlético-MG (2008).

Clubes em sua carreira fora do Pará?
Atlético-MG e por empréstimo ao Náutico, Grêmio Barueri, Goiás, Criciúma, Náutico de novo, ABC e Figueirense, até voltar ao Galo.

Técnicos que são referências para você?
Levir Culpi confiou no meu potencial no Atletico-MG e deu-me sequência de jogos. Estou gostando do Diego Aguirre e aprendi muito com o Argel Fuck no tempo de Figueirense (cobrava muito).

Jogador que mais admira em sua posição?
Sempre fui fã do Ronaldinho Gaúcho. Em Belém sempre admirei o Vélber. Ele me ajudou muito no começo da carreira.

No Galo objetiva chegar à Seleção Brasileira?
Sem dúvida. Atlético-MG é um dos grandes clubes brasileiros, mas sei que a concorrência é enorme, inclusive dos que atuam no exterior. Confio em mim e estou no melhor momento técnico, tático e psicológico de minha carreira.
C
ompanheiros do Atlético-MG com quem mais se identifica?
Formamos uma família. Relaciono-me com todos, mas destaco Carlos, Luan, Lucas Pratto e Patric.

Gol mais importante da carreira?
Serei lembrado eternamente pelo gol de inauguração da Arena Corinthians defendendo o Figueirense (1×0 nos donos da casa). Esse gol me deu uma projeção nacional gigante.

Que recado dá para quem batalha nas divisões de base no Pará?
Acreditar em seu sonho e saber que não é fácil, Aproveitar todas as oportunidades, pois tem sempre alguém vendo você.

Sonha jogar na Europa?
Sim, mas atualmente estou feliz no Atlético-MG. Só se for muito bom pra mim, minha família e para o clube.

24 de janeiro de 2016 at 9:25 am Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 24.01.16

BOLA NA TORRE

Neste Domingão vai ao Logo após o Pânico na Band, na RBATV – Canal 13. Vamos ver os gols dos  amistoso e jogos treinos de Papão e Leão e os clubes do Parazão. Guerreirão no comando estarei na Bancada com Gerson Nogueira e nosso convidado será o dr. André Cavalcante, Presidente Eleito do Clube do Remo. Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instagran )

COPA  VERDE…

Na quarta, no Crowne Plaza Hotel aqui em Belém, o Presidente Antônio Carlos Nunes da CBF deu o ponta pé inicial para a 3ª Edição da Copa Verde e ao mesmo tempo começou o cala boca aos críticos de plantão. Competição mais valorizada, com 18 clubes, Televisão ao Vivo com o Esporte Interativo e comercialização da Klefer.  É só o começo da Gestão Antonio Carlos Nunes na CBF valorizando o Futebol do Norte!!!

“TROFÉU”

Contagem regressiva para mais um Troféu CAMISA 13. Será na próxima quinta feira, 28, às 7 e meia da noite, no Metropolitan Tower com a presença de autoridades,dirigentes, patrocinadores, atletas, árbitros e imprensa.Como vem ocorrendo nos últimos anos, o TC 13 se transformou também num fórum para discutir e procurar soluções que beneficiem o esporte regional. Este ano o tema é a formação de base no futebol, assunto permanentemente cobrado aos nossos clubes. O projeto Desportiva implantado em Marituba região metropolitana de Belém, será o tema deste ano no clima de aquecimento para o início da 24a. Edição do TC 13. Sempre bom lembrar o apoio ao Projeto de Portugal, Laboratório Amaral Costa e Big Bem. Todos lá!!!

NA TORCIDA…

Minha torcida aqui pela plena recupeção de saúde do Dr. Pedro Crispino que em função disso deixou a presidência da Sociedade Desportiva Paraense. Em reunião extraorninária dos sócios e quotistas ficou definido que o Dr. Antonio dos Reis Pereira é o novo Presidente, com nome aprovado por unanimidade, e ficará até o final do atual mandato. Parabéns!!!

AGENDA CHEIA…

Presidente da CBF Antonio Carlos Nunes passou a semana em Belém e agora cumpri compromissos de sua agenda,começando pelo Paraguai na Commenbol, depois vai aos Estados Unidos com todo o  staff para inspecionar instalações do Brasil na Copa América Centenária e na seqüência Zurich na Suiça reunião na Fifa. Tá bom pra ti? E os críticos vão morrendo…

PLANTÃO…

Aos que adoram criar rusgas e histórias, ta mais que definido e sacramentado no Paysandu. Na sucessão do Presidente Alberto Maia quem assume é Sérgio Serra que aguarda resposta de seu vice. Selado!!!

24 de janeiro de 2016 at 9:22 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.01.16

Para mudar a história

Serão apenas nove meses de mandato, mas o período será determinante para a recuperação administrativa e financeira do Remo. Quatro candidatos estão na disputa pela presidência na eleição marcada para hoje. Todos devem estar conscientes da imensa responsabilidade que será conduzir o clube nos próximos 270 dias.

A rigor, as plataformas são muito parecidas entre os pleiteantes ao cargo, mas a maneira de executar a gestão é o grande diferencial. Miléo Jr. e André Cavalcanti mostram-se muito focados na modernização dos procedimentos. Suas propostas, centradas no enxugamento da estrutura e na busca de novas receitas, mostram-se tão próximas que quase levou a uma composição de chapas.

Os demais candidatos têm propostas mais conservadoras. Focam seu interesse no futebol profissional, com poucas indicações sobre como pretendem dar sustentabilidade a um clube que tem dívidas pesadas (R$ 13 milhões de passivo trabalhista), muitas despesas diretas e limitadas fontes de arrecadação.

Preocupa, principalmente, a insistência com algumas propostas claramente danosas aos cofres do clube e a repetição de velhas promessas. O Remo chegou a um ponto tão delicado que não pode mais ficar refém de promesseiros. A situação contábil não permite novos endividamentos, ainda mais para quem terá que se habilitar ao Profut.

A rigor, os maiores problemas do clube hoje dizem respeito à limitação de uso do estádio Evandro Almeida e ao pagamento do robusto débito trabalhista.

Sem contar com o Baenão desde 2014 para realizar seus jogos pelo Campeonato Paraense e Copa Verde, o Remo desperdiça receita significativa. Mais que isso: desvaloriza e fragiliza o patrimônio do clube. As obras mal planejadas de desmanche da área de cadeiras e camarotes do estádio, ordenadas pelo então presidente Zeca Pirão, acarretaram danos que a nova gestão terá muito trabalho para sanar. Só as dívidas com compradores de cadeiras somam quase R$ 3 milhões.

As pendências na Justiça Trabalhista obrigaram a atual diretoria a celebrar um acordo draconiano, que compromete antecipadamente todos os patrocínios do clube pelos próximos dois anos. Tal situação obrigará a nova diretoria a agir no limite máximo de responsabilidade, evitando contrair novas dívidas junto à JT e cuidando de equilibrar receita e despesa.

Dos que estão concorrendo, por tudo que acompanho, apenas os dois primeiros, Miléo Jr. e André Cavalcanti, mostram-se firmemente comprometidos com a austeridade necessária para reerguer o clube como instituição, apresentando alternativas que vão além da bilheteria dos jogos.

Que os sócios remidos, sócios proprietários, conselheiros e beneméritos avaliem bem o passo a ser dado nesta eleição. Pelo bem do Remo é premente que não haja retrocesso através das urnas.

E os candidatos devem ter em mente que, encerrado o pleito, as diferenças acabam. A partir daí, todos têm que se unir em torno do projeto de reconstrução do clube.

Chances de observação para Leston e Dado

A movimentação de Leão e Papão no domingo deve garantir aos técnicos Leston Junior e Dado Cavalcanti as condições necessárias para formatar os times que estrearão no Campeonato Paraense no fim de semana seguinte.

Em Castanhal, o Papão vai enfrentar um time razoavelmente entrosado, que deve oferecer certa resistência. Dado terá oportunidade de testar o esquema com Leandro Cearense como homem mais avançado, auxiliado de perto pelos meias Marcelo Costa e Rafael Luz.

No Baenão – sem presença de torcida, por recomendação do Corpo de Bombeiros -, Leston terá nova oportunidade de movimentar seus jogadores. Como no treinamento do meio da semana contra o selecionado de Ananindeua, o adversário não é expressivo e dificilmente escapará de nova goleada.

O que importa na prática é a possibilidade de fazer com que os jogadores se movimentem e que o esquema com Eduardo Ramos como atacante possa ser experimentado.

Quando o futebol entra em fase delirante

No final da tarde, chegou a notícia via agências e internet que o atacante Alex Teixeira, ex-Vasco, está cotadíssimo para ir jogar na Inglaterra ganhando salários astronômicos. É a confirmação de que, neste início de temporada, o futebol resolveu se assumir de vez como “a mãe mais generosa”. Na coluna de amanhã darei mais exemplos desta onda extremamente favorável a jogadores de segunda linha.

23 de janeiro de 2016 at 2:29 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 22.01.16

POSITIVO – Feliz ideia no Paysandu levando jogo de estreia do Parazão contra o Paragominas para o Mangueirão; catraca eletrônica amanhã no acesso à votação na eleição no Remo. Proibido som em frente à sede.

NEGATIVO – Jurídico do Remo tomando providências contra os ataques do inexpressivo Flávio Caça Rato à Instituição. Cada uma!

Lá e Cá

Paraense Giovanni Augusto destaque do Atlético-MG meu entrevistado Bola Pra Frente de domingo. No Bola na Torre (RBA-TV e Rádio Clube) presença do novo presidente do Remo.

Paysandu x Paragominas será na véspera dos 102 anos do Bicolor. Face o aumento da adimplência do sócio torcedor, em princípio 5 mil ingressos ao torcedor comum e preços diferenciados antes e na data.

Papão estreou no Parazão 2014 (4×0 no Gavião), na Curuzu, com 13.044 torcedores. Última estreia no Mangueirão, 2008, 3×2 no São Raimundo, 12.553; Remo no seu 1º jogo ano passado, derrota de 2×1 diante do Parauapebas, Mangueirão e 18.410 pessoas (fonte Saulo Zaire).

Imprensa Esportiva x CT do Paysandu jogo festivo à tarde no CT da Desportiva. Finalmente acesso sem proibição a jornalistas; chapa Sob Nova Direção (Marquinho presidente) comemorará amanhã vitória na ASBEB com Re x PA, feijoada e festa ao som de Barca Boa e Camarote Vip.

Empresário Ronaldo Penna, ex diretor de futebol do Remo e ex-presidente do Pinheirense e dona Elane festejando amanhã, em Bragança, os 15 anos da meiga Ana Beatriz. Estarei lá!

Stúdio Batery-RJ, responsável pela letra e música do Hino da Copa Verde; Pikachu aos poucos entrando no time principal do Vasco, mas de meia; Pedro Minowa poderá voltar ao futebol do Remo. Eleição amanhã define.

Ao Parazão cadastrados 8 estádios municipais, 2 estaduais, 7 particulares, 11 com iluminação e 6 sem iluminação (fonte Paulo Sérgio Pinto).

Ítalo, zagueiro de 26 anos e nova contratação do Remo (a 9ª), egresso do Londrina, tudo indica vem pra ser reserva. E os daqui? Lateral direito que é bom, só o Levy. É duro!

Atleta e sócio da Assembleia Paraense, Jorge Oliveira Vaz, 1º colocado na corrida de São Sebastião-RJ, categoria acima de 60 anos, fazendo percurso de 10km em 38’. Parabéns!

Interioranos em testes mais fortes que dupla RE-PA antes do Parazão; Parauapebas e Independente fizeram zoada e já esqueceram Copa Verde.

HOMENAGEM – Carlos Duarte Reymão, o Carlos Reymão, nos anos 60-70 foi nadador do Remo, Seleção Paraense, Seleção Brasileira, primeiro paraense a ganhar a travessia da Baía do Guajará e seu maior recordista. É professor de Educação Física e proprietário de academia.

22 de janeiro de 2016 at 12:49 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.