Coluna do Gerson Nogueira – 07.03.16

7 de março de 2016 at 11:15 am Deixe um comentário

Campeão com méritos

Nervoso, disputado sob forte marcação e fraco tecnicamente. Assim foi o Re-Pa decisivo do turno. Não muito diferente do que têm sido os jogos do Parazão. Os times passaram grande parte do jogo fazendo ligações diretas, denunciando a falta de jogadas criativas e de consistência técnica no meio.

O Papão mostrou mais segurança ao longo do primeiro tempo. Levava perigo nas bolas aéreas, utilizava bastante a faixa direita do ataque, com Roniery avançando para cruzar em direção a Betinho.

Apesar da discreta participação dos meias Marcelo Costa e Rafael Moura, o Papão sempre levava perigo pelos lados, principalmente quando Fabinho Alves investia sobre Murilo, o mais atrapalhado defensor remista.

Curiosamente, a partida demorou 17 minutos para ver o primeiro arremate a gol. Foi de Betinho, aparando de sem-pulo e mandando por cima do gol de Fernando Henrique. Minutos depois, em belo disparo de Levy, Emerson espalmou e Ciro perdeu excelente oportunidade.

Aos 31 minutos, depois de uma sequência de dribles sobre Murilo e Yuri, Fabinho sofreu falta, que Marcelo Costa bateu em direção ao gol. No primeiro pau, Eduardo Ramos tentou afastar, mas desviou para as redes.

Leston Junior substituiu Murilo (lesionado) por João Vítor e devolveu Levy à lateral direita, conseguindo corrigir o erro da escalação. A partir daí, o Remo conseguiu deter os avanços de Fabinho e ganhou, com Levy, mais um homem nas ações ofensivas. Sem nada a perder, abandonou a estratégia de marcar em seu próprio campo e passou a perseguir o empate. Rondou muito a área, mas o gol não veio.

No segundo tempo, Léo Paraíba entrou na vaga de Marco Goiano e o time cresceu muito, acuando o Papão, trabalhando sempre em velocidade. É bem verdade que o domínio não foi por força de planejamento tático. Veio pela garra dos jogadores, estado de ânimo que contrastava com visível lentidão dos bicolores. Welton entrou aos 20 minutos no lugar de Yuri e o time ficou mais forte na frente, passando a atacar até com seis jogadores.

O Papão já tinha Leandro Cearense e Bruno Veiga em campo, substitutos de Betinho e Marcelo Costa. Em lance na área azulina, aos 26, a bola foi cabeceada por Cearense no braço do zagueiro Ítalo, mas Joelson Cardoso entendeu como lance involuntário. Questão interpretativa. Achei pênalti.

A insistência azulina surtiu efeito. Aos 39 minutos, em bola enfiada por Léo Paraíba, Welton entrou na área e foi derrubado por Emerson, que saiu desesperado do gol. O goleiro levou o cartão vermelho e Eduardo Ramos converteu o pênalti.

Com um a mais, o Remo exagerou nas bolas rifadas da defesa e não conseguiu executar a estratégia correta para tentar a virada, permitindo até que o Papão ameaçasse nos instantes finais.

Na cobrança de penalidades, prevaleceu a competência dos cobradores alvicelestes. Leandro Cearense, Bruno Veiga, Augusto Recife e Rafael Luz converteram. No Remo, somente Eduardo Ramos. Léo Paraíba e Ciro chutaram mal, facilitando defesas seguras do goleiro Marcão.

Em meio ainda à disputa nos penais, estourou uma briga entre os jogadores no meio-campo, revelando o despreparo emocional e a pouca consciência de quem representa duas camisas poderosas e muito amadas.

Mas, no fim das contas, o título fica nas mãos certas. O Papão não jogou bem, mas é o melhor time da competição até aqui.

Os melhores do jogo: Emerson, Augusto Recife, Capanema e Fabinho Alves (PSC); Levy, Henrique, Ciro e João Vítor (Remo).

Nas estatísticas, um bom retrato do clássico

Pelas anotações do repórter e produtor Saulo Zaire, da Rádio Clube, o Remo finalizou 10 vezes a gol, cinco em cada tempo e apenas cinco em direção ao gol. O Papão disparou cinco vezes, acertando apenas uma (a do gol).

Foi dos azulinos o maior índice de cruzamentos certos, 13 contra 7, como no número de escanteios: 8 a 4.

O Papão foi flagrado em impedimento duas vezes. Já o Leão teve ataques anulados por sete vezes. Em quantidade de faltas, tudo igual: 21 a 21.

Futebol na marca do pênalti

O Campeonato Paraense fechou o primeiro turno sob o signo da disputa em séries de penalidades. Significa quase uma sentença explícita. Os três jogos decisivos – semifinais e final – terminaram empatados no tempo normal, forçando a decisão extra em tiros livres da marca do pênalti.

O Papão conquistou a Taça Cidade de Belém, com méritos pela boa campanha, mas o fato é que não houve vencedor nos 90 minutos nas três partidas. Por um lado, pode ser visto como equilíbrio entre os times, mas o fato é que evidencia mesmo um nivelamento por baixo e flagrante despreparo das equipes neste começo de temporada.

Mais organizado, com elenco superior aos demais, o Papão cumpriu a fase classificatória com extrema tranquilidade, disparando goleadas e mantendo desempenho 100%. Quando a situação afunilou, o time não teve o mesmo rendimento, sofrendo com a correria do Águia e levando sufoco na partida com o Remo.

Superior nas cobranças de pênalti, levanta a taça e comemora o primeiro feito do ano, mas precisa estar atento às limitações exibidas nos últimos jogos. Os erros de passe no meio e a pouca participação dos atacantes são aspectos a serem corrigidos, não só para o decorrer do Parazão, mas principalmente com vistas a competições futuras – Copa Verde, Copa do Brasil e Série B.

Já o Remo, derrotado no enfrentamento com o rival, terá que fazer um trabalho de recuperação no Parazão para tentar achar (com urgência) um plano de jogo mais eficiente e que faça com o que time produza coletivamente. Enquanto depender de individualidades e tentar se salvar com a legião de volantes, correrá sempre muitos riscos. As luzes amarelas de alerta máximo já devem estar acesas no Evandro Almeida.

Entry filed under: Uncategorized.

Coluna do Gerson Nogueira – 06.03.16 PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 07.03.16

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: