Archive for abril, 2016

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.04.16

POSITIVO – FPF, São Francisco e o próprio Paysandu convergem para arbitragem local na decisão do Parazão. Ótimo!

NEGATIVO – Mudança no critério de seleção poderá acabar com o sonho da paraense Joseane Lima (taekwondo) de chegar à Olimpíada do RJ. É duro!

Lá e Cá

Quem transita pela Rota Turístca Belém-Bragança ao chegar à Vila São Luís (Igarapé-Açu) tem atenção voltada para o cuidado com o patrimônio dos tradicionais clubes rivais Independente e Horizonte. Sedes bem conservadas, pintadinhas e estádio do Horizonte impecável. Aplausos!

Técnico Lecheva (Independente) sonho de consumo da diretoria do São Raimundopara Série D, até porque Everto Goiano tem propostas do Centro-Oeste, do Nordeste e agora interesse do Nacional-AM.

Paysandu chegou a 22 jogos de invencibilidade (16 vitorias e 6 empates) e poderá se igualar temporariamente ao Vasco no sábado. Técnico Dado Cavalcante superou invencibilidade de Mazolla Jr de 2014 no clube.

Time do Paysandu amanhã na Copa BR deverá ser o mesmo que venceu em Tucuruí, até pelo desejo de poupar jogadores visando o Gama na CV (este eliminado do certame do DF). Ingressos na Curuzu a 20 e 40 reais.

Levy tem proposta da Luverdense, mas Remo não pode prescindir de um jogador desse quilate. Técnico Marcelo Veiga é só elogios aos garotos, especialmente Marcinho e João Victor.

Time azulino será remotado para Série C com 10 contratações criteriosamente escolhidas pelo treinador (haverá dispensas). Volante Aldo (Luziânia-DF), oferecido, é artilheiro e baita jogador.

Marcelo Veiga precisa virar o jogo, pois em 10 partidas pelo Remo foram quatro eliminações, uma em 2012 e três agora. Aliás, nova diretoria faz parte desse recorde negativo de 2016 e precisa por o pé no fogareiro.

Técnico do Cuiabá, adversário de estreia do Remo na Série C, na Arena Pantanal (25.5), é o ex-azulino Flávio Araújo. Jogo é um juste de contas para o Leão.

Erick Cavalcante no comando dofutebol feminino da Esmasc para o certame paraense a começar dia 15.5. Destaque para as atletas de meio campo Loura Capanema e Loura Soure.

Curralinho, no Marajó, em festa com a conquista do Torneio Bené Aguiar de Futal Adulto, através do Huligans, cuja presidente é a dedicada Ediane Freitas. Atleta BIolay foi o grande reforço.

HOMENAGEM – João Ferreira Rodrigues, o Wyskizito, ex-campeão paraense de karatê categoria até 60 kg pela Academia Arakawa nos anos 60-70. É proprietário de lanchonete.

29 de abril de 2016 at 6:23 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 27.4.16

POSITIVO – Cogita-se ressurgimento da “Copa dos Campeões” (TV interessada), reunindo campeões da 1ª Liga, Copa do Nordeste, Copa Verde e Paulistão num quadrangular. Prêmio: vaga na Pré-Libertadores.

NEGATIVO – Chama atenção a condição física do Imperador e João Vitor (Remo), Betinho, Bruno Veiga e Celsinho (Paysandu). Que há com eles?

Lá e Cá

Restrospecto: Vasco e Remo, 21 jogos, 12 triunfos cuzmaltinos (32 gols), 2 azulinos (13 tentos) e 7 empates; Independnete e Paysandu, 16 partidas, 8 vitórias bicolores (34 gols), 4 do Galo (29 tentos) e 4 empates.

Vasco (Pikachu começa) e Paysandu com mistão diante de Remo e Independente (Copa BR), hoje; Estádio de São Januário se chama na verdade Vasco da Gama, mas ficou conhecido pelo nome da rua próxima.

Já o Estádio Bezerrão (Walmir Campelo Bezerra) que o Gama utiliza é legado da Copa (ganhou melhorias), pertence ao GDF, pega 20.310 torcedores, fica a 30km de Brasilia e serviu de palco em 2008 para Brasil 6×2 Portugal. É lá que o Paysandu vai decidir a Copa Verde, dia 11.5.

Rafael Grampolla, o temido goleador do Gama, tem 28 anos, 1,82m, 80kg, bom no jogo aéreo e é paulista de Nova Granada. Treinador do time é o veterano Artur Bernardes que teve passagem pouco lembrada no Remo.

Por falta de apoio e patrocínio, natação do Remo levará apenas 14 atletas para o Torneio Kalo Caminha, em Fortaleza (pertiz-mirim). Da última vez foram 40 nadadores. Mesmo assim técnico Fábio Aquino está confiante.

Depois de 2 anos de disputa no atual formato, Parazão de 2017-18 poderá ter modificações e serão procuradas novas parcerias. Continuarão sendo utlizadas as 19 datas e permanecerão 10 clubes.

DM do Remo anuncia volta de L.C. Imperador em 15 dias, Sílvio e Yuri em 10 dias; autorizada construção de novas arquibancadas da Curuzu (idéia é chegar20 mil lugares).

Hotel Concentração do Paysandu se chamará Antonio Couceiro e auditório Satoshi Sato.Justo! Meia Rafael Costa, 25 anos, ex-RD Brasil-SP confirmou acerto com Paysandu para Série B; Leandro Brasília falado no Baenão.

Zagueiro Fernando (ex-base do Remo e Tubarão-SC) a caminho do Coritiba F.C; Maurício Bororó (FPF) não pôde ir a Tucuruí; Marco Polo Del Nero e Nunes hoje em São Januário; Independente bem modificado hoje por lesões e já liberou os jogadores Fabrício, Leandrão, Wendel e Pedro Balu.

HOMENAGEM – Hinton Beltrão dos Santos Jr, o Hinton, ex-lateral do futsal do Alegria, Campina Clube e Subsar nos anos 70-80. É aposentado do INSS.

27 de abril de 2016 at 2:39 pm Deixe um comentário

Bola pra Frente – Cláudio Guimarães – 26.04.16

POSITIVO – Programação suculenta do Paysandu: 27 e 30.4, Copa BR com o Independente (lá e cá); 3 (mudou) e 11.5, Copa Verde, decisão, contra o Gama (cá e lá); 8.5, decisão do Parazão diante do S. Francisco (cá); 14.5, estreia na Série B diante do Ceará (lá). Plantel tem!

NEGATIVO – Embora não tenha repercutido muito, foram brutais as cenas de violência das torcidas de Remo e Paysandu na periferia, domingo. Até quando?

Lá e Cá

Remo desfalcado amanhã contra o Vasco e provável time: Fernando Henrique, Levy, Henrique, Max e Fabiano (estreante), Lucas Garcia, Chicão, Állison, Marco Goiano e Eduardo Ramos, Ciro. Viagem cedo.

Base do Gama, adversário do Paysandu na decisão da CV: Pereira, Dudu Gago, Pedrão, Eduardo e Makeka, Tiago Gaúcho, Lucas, Abuda, Fábio Gama e Michel Pires, Rafael Grampolla (artilheiro com Betinho – 4 gols).

Papão a 180 minutos de mais uma competição internacional, a Copa Sul-Americana; 3ª edição da Copa Verde e mais uma vez jogo decisivo fora de Belém. Quando teremos uma grande final no Mangueirão?

Paysandu poderá se igualar ao Vasco em 22 jogos de invencibilidade nesta quarta-feira diante do Independente. Ganhando de dois gols de diferença elimina partida da volta. Viagem depois do almoço. É jogo complicado!

Ruan (estava no Ituano), depois de passagem de Goiás, manifestando desejo de voltar ao Paysandu. Fez o gol do acesso ano passado; Jonathan, Alexandro e Dominguez já na Curuzu.

Zagueiro Brinner e atacante Fernandinho (Fernando Jr) estão fechados com o Leão, mas chegada adiada; Manuel Ribeiro em reuniões paralelas com grupos azulinos para agregar e dar mais substância ao futebol.

Aleílson (Paragominas), Robinho e Marcelo Maciel (Cametá) nas cogitações do S. Franc isco para Série D. São Raimundo não se dispersou e também busca reforços.

Na ausência de Adelson Torres (curso na CBF), Maurício Bororó assumiu FPF e estará em Tucuruí amanhã. Aproveitando que já se encontra na Maravilhosa, Adelson marcará presença em São Januário.

Hoje, 3º Debate Bola do Troféu Camisa 13, no auditório do Laboratório Amaral Costa (18h), presenças de José Guilhermino de Abreu, José Ângelo Miranda, Alex Ferreira e comando do Zaire Filho. Acesso livre!

HOMENAGEM – Henrique Melo Chaves, o Henrique, ex-zagueiro desde a base do Remo e AP, não se profissionalizando por ter-se formado médico. É ciurgião oftalmologista.

26 de abril de 2016 at 12:41 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 25.04.16

PAPÃO LEVOU EM JÔGO DRAMÁTICO

Definidos os classificados para as disputas da final da Copa Verde 2016. Em Brasilia o Gama-DF levou a vaga, mesmo derrotado por 2×1, numa partida cheia de erros da arbitragem contra o Aparecidense-GO. Como havia vencido de 3×1 na ida, o time candago ficou com a vaga. Em Belém, depois de vencer na ida por 2×1, o Paysandu venceu de novo por 4×2 no sábado e vai disputar mais uma final. O Leão empatou duas vezes, mas o time não teve a capacidade de virar para forçar pelo menos os penais. O Paysandu jogou a partida com o regulamento debaixo do braço, controlando seu adversário, fazendo uma partida “cirúrgica”, aproveitando a fragilidade do adversário, que teve o zagueiro Max expulso de campo quando o jogo estava em 2×2. Ainda assim, o Remo levou perigo ao gol de Emerson, mas o 4×2 final premiou quem melhor se comportou em campo. Interessante que o autor dos dois gols que sepultaram o Remo, o lateral Raí, estava mal na sua posição, mas quando foi para o meio acabou decidindo a partida. Méritos à Dado Cavalcanti e seus atletas, que agora terão mais uma chance de título.

ALTA TEMPERATURA

E o Paysandu já conhece seu adversário para a decisão do Parazão 2016. O São Francisco do técnico Walter Lima chegou à grande final contra o Paysandu, ao derrotar com propriedade o Cametá por 3×0, dentro de Santarém e vai tentar o título paraense. Será uma partida só aqui em Belém,dia 1º de maio no feriado do Dia do Trabalho. O Papão terá a grande chance de conquistar o título paraense, roubando o cetro do maior rival, enquanto o São Francisco pode levar um título inédito para a Pérola do Tapajós.

BAIXA TEMPERATURA

Trânsito caótico, acessos complicados, dia e horário diferentes, mesmo assim a torcida compareceu ao Mangueirão, principalmente a bicolor e a renda chegou aos 412 mil reais, com mais de 21 mil e 500 pagantes. As torcidas vibrarammuito, mas no final uma pequena parte da galera bicolor achou de tirar sarro com o técnico Marcelo Veiga e quase o pior acontece. Nem as equipes e nem a turma da imprensa tem a segurança que merecem naquele portão de acesso. Até quando?

NO TERMÔMETRO

O técnico Marcelo Veiga chegou e não conseguiu colocar o Leão em nenhuma final, perdendo a chance no Parazão e na Copa Verde para seu maior adversário. Agora na quarta vai ter mais uma chance contra o Vasco na Copa do Brasil, mas terá que vencer por 1×0 e levar nos penais ou ganhar por dois gols de diferença, caso contrário só restará a série C. /// Em compensação, Dado Cavalcanti terá duas oportunidades de ganhar um título, contra o Gama pela Copa Verde e diante do São Francisco pelo Parazão. Faz tempo que um título “total” não entra na Curuzú. /// Dewson e Joelson calaram mais uma vez os “corneteiros” de Remo e Paysandu. Se não foram arbitragens brilhantes, pelo menos foram bem melhores que essas peças que trazem de fora. Tivemos lances polêmicos nos dois jogos, mas os erros pertenceram mais aos quatro assistentes. E o grande Manoel Ribeiro ainda embarcou na corda alheia. /// Hoje começa a vassourada no plantel do Remo com vistas ao Brasileiro da Série C. O presidente remista preferiu esperar o jogo de ontem que tirou o Leão da final da Copa Verde para começar as dispensas. Alguns nomes eu já conheço, mas prefiro esperar o anúncio oficial. Lucas Garcia e Fabiano, volante e lateral, já são os dois nomes para reforçar o plantel. /// E o 3º Bate-bola/Debate do Troféu Camisa 13 vai acontecer amanhã às 18 horas no auditório do Laboratório Amaral Costa na Antônio Barreto. O tema será: Arbitragem Paraense, do descrédito à FIFA e o expositor será José Guilhermino de Abreu, presidente da Comissão Paraense de Arbitragem, tendo como debatedores José Ângelo Miranda e o jornalista Alex Ferreira. Os dirigentes de Remo e Paysandu não podem faltar. /// Audacioso esse AUDAX-SP, vai disputar o título Paulista contra o Santos e no Rio o Vasco pegará o Botafogo. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

25 de abril de 2016 at 4:25 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 24.04.16

BOLA NA TORRE

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na Torre vai
ao Ar Logo após o Pânico da Band. O Parazão será destaque
com a Partida Final do Returno entre São Francisco e Cametá
e qvamos conhecer quem será o adversário do Paysandu na
Grande Final e a Dupla RexPa na Copa do Brasil. Estarei no
comando e na bancada com os companheiros Gerson
Nogueira, Valmir Rodrigues e Rui Guimarães. Participe pelo
@bolanatorre (Twitter e Instagran )

BASQUETE  “MASTER”

Promovido pela Associação Paraense de Basquetebol Master – APBM, Torneio “Emerson Dias – Mamute” teve rodada de encerramento no Ginásio Moura Carvalho, realizada no domingo passado na decisão de 3º e 4º Lugares entre TEdson Matoso 64 x 40 Tomazo e na Decisão do Título Sergio Noronha (Campeão) 63 x 58 Zaire Filho. Manhã festiva com muito Basquete, Churrasco e Feijoada. Parabéns Paulo Seráfico pela organização e iniciativa.

FESTIVAL ESPORTIVO…

No Próximo dia 1 de maio a partir das 9 da manhã,
3º Festival Esportivo da Paróquia São Francisco de Assis – Tapanã. Além de muito Futebol, haverá feijoada é em prol do congresso eucarístico que se realizará em agosto em Belém. Inscrições na Secretaria da Paróquia, já estão a venda as cartelas da feijoada que será entregue durante o festival esportivo. Traga seu time e participe dessa manhã alegre. Tem Diversão e Ação Social.

BATE  BOLA…

E será o último desta Edição XXIV do “Troféu Camisa 13”, e que irá abordar o Tema “Arbitragem Paraense: do descrédito ‘a FIFA”. O expositor será José Guilhermino de Abreu, Presidente da Comissão de Arbitragem da FPF e como debatedores convidados serão José Ângelo Miranda, ex-vice presidente da FPF e o Jornalista Alex Ferreira. Nesta terça, as 18 horas no Auditório do Laboratório Amaral Costa, na Antonio Barreto. Sem dúvida o9 assunto está na ordem do dia…

É BRONCA FEIA…

A licença do Presidente Nunes na Federação Paraense de Futebol acaba em 8 de junho, mas ele deverá renová-la e continuar na Função de Vice da CBF residindo no Rio de Janeiro. Por aqui Adelson Torres e Mauricio Figueiredo (Bororó) seguram as broncas. A principal delas a descoberta das notas Frias da Ulisses Transportes que recebeu pelos serviços prestados no Campeonato Paraense e descoberta pela direção da FPF. Da auditoria da Seel, pode virar CPI na Assembleia Legislativa, pois é verba pública. Te segura que é só o começo. Vem mais bronca pelo caminho…

 

24 de abril de 2016 at 2:44 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 22.4.16

POSITIVO – Hoje, 88 anos da Radio Clube do Pará- PRC 5, a rádio do esporte, sonho tornado real por Edgar Proença, Eriberto Pio, Roberto Camellier e sequenciado por Edyr Proença. Entrei na casa dia 1.4.63.

NEGATIVO – Movimentação dos recursos liberados pela SEEL para a FPF utilizar na logística, especialmente transporte do Parazão deverá parar no MPE. Denúncias de notas fiscais frias. Vem bronca!

Lá e Cá

Sport TV homenageou-me ontem no programa “ Redação Sport TV”, passando imagens do gol de Leandro Cearense no RE-PA com a minha narração. Grato!

Feriado confundiu-me: só hoje o final da tarde Cametá vem pra Belém e amanhã 9h estará voando para Santarém. Não faltará o carinho da Colônia da Terra do Mapará aos jogadores.

Quando Remo e Paysandu entrarem em campo amanhã já estará conhecido o finalista da outra perna da Copa Verde, uma vez que Gama x Aparecidense começará às 16h. Na segunda o sorteio de mando das finais.

Domingo próximo 13 anos da épica vitória do Paysandu sobre o Boca, em La Bombonera, pela Libertadores, gol de Iarley; Ricardo Capanema carinhosamente chamado pela Avalanche Fiel Bicolor de “CAPA-MITO”.

Árbitro Joelson Cardoso no seu 5º RE-PA neste sábado. Até agora 2 vitórias do Paysandu (2×0 e 3×0) e 2 empates (3×3 e 1×1); Bicolores em concentração permanente (Radison) e azulinos voltaram ao Hotel Sagres.

Média de público dos três RE-PA deste ano é de 16.628, bem aquém de outras jornadas. Média do Paysandu na temporada de 7.961 e, do Remo, 7.615.

Técnico Marcelo Veiga vai para 6º jogo à frente do Leão Azul, 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas, 33% de aproveitamento; lateral João Vitor (Remo) e meia Celsinho (Paysandu) cotados para amanhã.

No novo Mangueirão (2002 pra cá) amanhã o jogo 60º, sendo até agora 25 empates, 18 vitórias do Leão e 16 do Lobo; seguranças da FPF denunciados pelo tratamento grosseiro a dirigentes de clubes e imprensa.

Dentro da atividades do XVIII Congresso Médico Amazônia, no Hangar, na segunda-feira médicos do esporte paraense em ação: Henrique Custódio (Atividade Física, Coração e Saúde), Giovanni Barros e fisioterapeuta Jr Furtado (Joelho de Atleta).
Na Mesa Redonda, Lesões Musculares, moderador será Flávio Freire, os palestrantes Ricardo Ribeiro, José Silvério e Helton Nóvoa.

HOMENAGEM – Marcelo Cardoso Faro, o Marcelo Faro, nos anos 90 foi campeão de boxe peso médio pelas Academias Ulysses Pereira e Trindade e ainda campeão de jiu-jítsu pela Academia Broca. É engenheiro civil.

22 de abril de 2016 at 11:12 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 20.04.16

Na última trincheira

A lógica cartesiana do futebol, centrada sempre na produção de gols, muitas vezes deixa de lado a importância dramática do último homem da trincheira: o goleiro. Neste Re-Pa de 180 minutos, que começa hoje à noite, Emerson e Fernando Henrique podem ter participação capital. Os últimos confrontos terminaram empatados e, se isso se repetir na semifinal da Copa Verde, ambos estarão no centro dos holofotes.

Já estiveram antes. No último confronto, decidindo o primeiro turno, Emerson foi expulso a minutos do final da partida, após pênalti sobre Welthon. O lance gerou muita polêmica e acabou dando espaço para que um novo herói, também arqueiro, surgisse no lado bicolor. Marcão, reserva de Emerson, assumiu o posto e fechou o gol, defendendo duas cobranças de penalidades que garantiram a conquista.

Na ocasião, Fernando Henrique passou em branco, não conseguindo deter os chutes dos cobradores alvicelestes na série decisiva.

A oportunidade está posta para que Emerson e Fernando Henrique brilhem nos dois clássicos. Principal jogador do Papão no Campeonato Paraense, Emerson já é ídolo da torcida e tem se comportado como um autêntico líder do time em campo. Seguro, ágil nas saídas de gol e sem malabarismos desnecessários, consolidou-se como titular da camisa 1 alviceleste desde a Série B do ano passado.

Com justiça, virou sinônimo de segurança no arco do Papão. É o primeiro goleiro a ganhar esse status depois de uma longa jornada de instabilidade na posição. Ronaldo talvez tenha sido o último goleiro aprovado plenamente pelo torcedor, principalmente pela facilidade (como Emerson) de agarrar pênaltis.

Do lado azulino, Fernando Henrique apareceu bem na temporada passada durante a campanha na Série D, posicionando-se como uma das vozes mais experientes e ponderadas do elenco que era comandado por Cacaio. Sua imagem acabou arranhada no Campeonato Paraense deste ano devido a falhas contra Independente e Papão, que acabaram por ofuscar bons momentos dele na competição.

A fase inicial da Copa Verde serviu para que o goleiro resgatasse o prestígio perante a torcida, com atuações seguras diante de Náutico e Nacional-AM. De estilo mais vistoso (alguns diriam que é meio espalhafatoso) que Emerson, Fernando Henrique tem no currículo passagens marcantes por Fluminense e Ceará.

Nos grandes momentos, costuma fazer defesas espetaculares, como contra o Vasco na semana passada, em jogo válido pela Copa do Brasil. Defendeu dois chutes certeiros, de Riascos e Jorge Henrique, que poderiam ter desequilibrado a partida. A derrota azulina, com gol sofrido nos instantes derradeiros, não chegou a afetar a recuperação de Fernando Henrique e de todo o time junto à torcida.

Sob o comando de Marcelo Veiga, o Remo tem mostrado um rendimento mais consistente, com mais compactação no meio e consequente aumento da segurança no setor defensivo. Especialista em montar times essencialmente marcadores, Veiga tem pautado seu trabalho pela preocupação em arrumar a cozinha. Nesse aspecto, Fernando Henrique tem papel relevante, pela experiência e ascendência sobre os companheiros.

No Papão, que vem mais azeitado e confiante, Emerson é ponto de referência e um dos homens de confiança de Dado Cavalcanti no elenco. Nem mesmo a turbulência exibida no returno do Parazão, gerando críticas à produção do time, afetou a imagem do goleiro. A campanha invicta na Copa Verde sinaliza para a recuperação técnica da equipe e os clássicos com o maior rival devem ser tomados como parâmetro para o nível atingido neste primeiro quadrimestre.

Velhos titãs na hora da verdade

O Re-Pa duplo pela Copa Verde tem caráter de tira-teima para os velhos titãs. Em 2014, o Papão levou a melhor na semifinal com os azulinos. O troco foi dado pelo Leão no ano passado após dois confrontos encarniçados, que conduziram à decisão nos penais.

A disputa no torneio interestadual servirá também como despedida para o torcedor. São os últimos clássicos da temporada, visto que os dois times não mais se enfrentarão no Campeonato Paraense e disputarão certames nacionais de divisões diferentes.

Apesar do horário ingrato para a tradição de jogos em Belém, o Re-Pa desta noite tem lá seus atrativos. O principal deles talvez seja a oportunidade de mensurar o verdadeiro poder de fogo de cada equipe.

Com baixas nos dois lados, há também a perspectiva de um confronto entre times bastante modificados, com improvisações e utilização de jogadores que não vinham sendo aproveitados.

De todo modo, é jogo para movimentar a cidade e eletrizar a torcida em todo o Estado. A batalha vale muito na corrida em busca do título da Copa Verde e, principalmente, pela chance de disputar uma competição internacional – anseio tanto do Papão, que disputou a Copa Libertadores em 2003, como do Leão, cuja última participação foi no Torneio de Caracas, há mais de 60 anos.

Parazão perde apelo no segundo turno

São Francisco e Cametá terão que esperar até o feriado de 1º de maio para decidirem o returno do Parazão. O confronto decisivo foi adiado supostamente por falta de passagens na rota Belém-Santarém-Belém, conforme justificativa da Federação Paraense de Futebol.

Com isso, o interesse pela competição cai ainda mais.

A ausência da dupla Re-Pa, eliminada na fase classificatória, fez com que o campeonato perdesse no segundo turno o apelo que teve na primeira metade. Com falhas de natureza administrativa e um futebol pouco empolgante, o Parazão caminha para um final abaixo das expectativas.

20 de abril de 2016 at 11:44 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.4.16

POSITIVO – Treinador Marcelo Veiga (Remo) é outro nível. Está sempre à disposição para entrevistas, sem cara feia, embora desde que chegou não tenha conseguir escalar o time titular azulino. Parabéns!

NEGATIVO – Essa celeuma com o árbitro Dewson Freitas (antes era o Paysandu e agora o Remo) faz parecer que nossos dirigentes ainda usam calça curta. É uma das razões do torcedor estar sumindo dos estádios.

Lá e Cá

Hoje o RE-PA 736, o clássico mais jogado no mundo e já são 255 vitórias azulinas (948 tentos), 231 bicolores (945 gols) e 249 empates. Diferença favorável ao Leão Azul é de 24 vitórias.

Técnico Dado Cavalcanti (Paysandu) tem hoje seu 7º “derby”, 2 vitórias, 2 empates, 2 derrotas, 44% de aproveitamento; Marcelo Veiga vai para o segundo, na sua estreia 1×1 e eliminação do Parazão.

Paysandu tem elenco de 30 jogadores, médias de 27,41 (idade), 1,79m (altura), 72 kg (peso); Remo com 29 profissionais apresenta médias de 27,28 (idade), 1,80m (altura) e 76 Kg (peso). Fonte: Saulo Zaire.

Raí será mantido na armação hoje e mais uma vez Celsinho de fora no Papão; no Leão Azul, Eduardo Ramos é dúvida e João Vitor sentiu de novo (égua!), devendo Álisson e Ítalo se tornaram os laterais. Marco Goiano opção para esquerda se Eduardo Ramos se recuperar.

Remo não perde do Bicolor há 4 clássicos (2 vitórias e 2 empates); Dewson Freitas já comandou 4 RE-PA: 0x0 (2012), 2×1 Remo (2013), 2×2 (2014) e, 0x0 (este ano, amistoso). Leão não caiu com ele; só Chicão pendurado

Aliás, não sei o que está faltando para o Dewson aceitar uma das propostas da Federação Paranaense ou Catarinense. É a hora!

Site do Remo melhou bastante, mas falta esclarecimento sobre a Campanha do Porcelanato; Bicolores festejando chegada aos 20 mil sócios-torcedores, destaque no Norte e Nordeste.

Encerrado Torneio de Basquetebol de Másteres da APBM homenageando jornalistas e o time denominado Sérgio Noronha foi o campeão.

Passagem na Curuzu ajudou muito jovem zagueiro Tiago Martins, atualmente titular absoluto do Palmeiras com o técnico Cuca; João Lucas liberado pela Chapecoense e de volta ao Paysandu (43 jogos em 2015).

Mais que depressa tudo se resolveu, S.Francisco x Cametá, domingo mesmo, 18 h, em Santarém, na decisão do 2º turno e arbitragem de Benedito Pinto da Silva. Precisava tanto desgaste!

HOMENAGEM – Cláudio José Marques Pereira, o Pagão, ex-lateral direito do Marítimo (campeão) e Seleção de São Caetano de Odivelas nos anos 70. É peixeiro naquela cidade interiorana.

20 de abril de 2016 at 11:19 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 19.4.16

POSITIVO – Zaire Filho comunica data e local da premiação do Troféu Camisa 13 de 2016: dia 10.5, na Assembléia Paraense-Presidente Vargas, 20h. Parazão se encerrará dia 8.5 com a grande final no Mangueirão.

NEGATIVO – FPF e FUNTELPA não se entendem e Cametá o mais prejudicado. Já estava em Santarém, voltou e por falta de voo final do segundo turno contra o S. Francisco só dia 1.5. Falta de respeito!

Lá e Cá

Jadão e Marcelo Maciel leveram 3º amarelo pelo Cametá e fora da decisão do 2º turno; seria bom observar goleiro Rédson, do Paragominas, pois é novo e mostrou muita qualidade.

Marcelo Veiga apostará em Ítalo na lateral direita no lugar de Levy, no Remo, mesmo tendo Álisson e Yuri que já estiveram por lá. Quanto a Ciro continuará jogando pelas beiradas e marcando, mesmo a contra-gosto.

Pendurados no Paysandu: Roniery, Lucas, Pablo, Capanema, Bruno Smith e Bruno Veiga. É bom ficar atento que RE-PA de amanhã (CV) será 19:30h.

Paysandu este ano 15 jogos oficiais, 8 vitórias, 7 empates, 29 gols a favor, 11 contra, aproveitamento de 69%. Invicto desde o ano passado em 19 partidas.
Remo 16 jogos em 2016, 6 vitórias (25 tentos), 3 derrotas (levou 16 gols), 7 empates e aproveitamento de 52%;

Paysandu lidera público em RE-PA no ano (15.566) e CV (6.344). Fonte: Saulo Zaire.

Uma vaga para Série D de 2016 e Copa BR de 2017 ainda em aberto e dono só após decisão do 2º turno; Euclides Magno, destacado técnico do Cametá era 3º goleiro do Paysandu na conquista da Série B de 2001.

Hoje, 89 anos do Palacete Alvi-Azul construído por Fausto Soares Filho, Nabor Siva, irmãos Couceiro e hoje reformado. Lembro da velha sede que frequentei muito, tempo de Clodomir Maroja e Jorge Faciola (anos 60).

Um sucesso a campanha Azulina do Porcelanato e tudo indica que o Clube do Remo voltará a jogar em casa até agosto deste ano.

De 21 a 24.4, em Palhoça-SC, o Brasileiro Masters de Natação e entre os nadadores (as) paraenses destaque para Fernanda Faro. Viajou hoje cedo.

Em movimentação no Shopping Grão Pará, até dia 23.4, sábado, disputas entre novos atletas do American Team Outland Soldiers, após parceria selada para divulgação desse fascinante esporte.

HOMENAGEM – Celito Míssio Vidal, o Celito, ex-campeão paranaense de Corrida de Aventura (campos) e atletismo (2000-2012) pelo Clube de Orientação de Curitiba. É Sub-Tenente da 8ª RM (Exército), em Belém, atuando no setor de pessoal do QG.

19 de abril de 2016 at 12:27 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 18.04.16

Essa tal liberdade

O futebol permite, vez por outra, algumas digressões existencialistas. Grandes escritores modernos, como Albert Camus, estiveram envolvidos com a bola durante suas vidas. De certa forma, algumas partidas também podem adquirir uma simbologia que espelha o mundo real.

Acompanhei o jogo entre Atlético de Madri e Barcelona e ficou evidente ali que o esforço coletivo ainda pode superar as valências individuais. Graças aos céus.

Com um trio ofensivo portentoso – o argentino Messi, o uruguaio Luiz Suarez e o brasileiro Neymar –, o Barça joga como se tudo fosse fácil, a ponto de enervar seus adversários com a incessante troca de passes que termina sempre com o arremate de um dos três citados.

Chega a ser irritante até para quem vê o jogo pela TV. A explosão individual, a serviço de um esquema meticulosamente montado, faz do clube catalão um dos mais admirados do planeta. A admiração das multidões também produz uma forte rejeição.

Vi gente festejando entusiasticamente a vitória do exército Brancaleone de Diego Simeone. Não celebravam a supremacia atleticana, mas o inferno astral do quase invencível Barcelona. Coisas da bola, e da vida.

Simeone como atleta foi um dos mais nefastos volantes que já vi atuar. Mirava a canela dos adversários e fazia disso sua principal missão ao longo dos 90 minutos. Pelo empenho e perícia, devia adorar a vocação carniceira.

Como técnico não é lá muito diferente. Organiza seu time para não permitir que o adversário crie ou avance. Não por acaso, o Atlético joga muito duro, gosta do confronto físico. Contra um oponente que prefere o toque de bola, as sutilezas do passe e a alegria do drible, Simeone libera seus gladiadores para tornar o jogo uma luta incessante, privilegiando o choque.

Na quinta-feira, seu estilo triunfou, como já ocorreu ao longo da temporada passada. Marcou muito bem, anulou Messi, controlou Suarez e cercou Neymar. Não é algo que vá se repetir sempre, mas funcionou. Pragmático, o Atlético aproveitou as oportunidades criadas e não deu espaços ao Barça.

É sempre gostoso ver o mais fraco ou inferior triunfar sobre o mais poderoso. Não há como negar que o Barcelona, por tudo que se sabe, é um dos times mais fortes do futebol, daí a legítima efusão dos que preferiram o triunfo do Atlético de Simeone.

Foi um show de disciplina tática sobre o esplendor do talento individual que dá brilho ao time catalão. Acontece que, apesar das marcações táticas próprias do futebol moderno, continuo fiel ao conceito libertário tão bem executado por Luis Henrique no Barcelona.

Herdeiro legítimo de Johan Cruyff e Pep Guardiola, o técnico atual concede aos seus craques o quinhão de liberdade necessário para que façam o que lhes der na telha a partir da linha de meia-cancha. Ancorado na articulação de Iniesta, o trio MSN faz misérias quando tem a posse da bola.

Exercita à exaustão o conceito libertário de jogar bola, tão caro nos campos quanto na vida. Enquanto o time catalão tiver essa voracidade, cultuando seus craques, terá minha sincera admiração. Mesmo quando não atua bem e se deixa vencer, como aconteceu duas vezes nesta semana – ontem novamente.

O consolo é que nas próximas jornadas triunfará porque o talento é sempre invencível – e a liberdade é um bem inalienável em qualquer área de atividade, e na vida.

O melhor técnico do campeonato

Pode ser que o São Francisco nem chegue à final do campeonato, mas não importa. Meu voto para técnico do campeonato é dele, desde já. Walter Lima. Pelo que fez ao longo da disputa, merece minha admiração e aplauso. Está à frente de um time que não tem opções no banco de reservas e, ainda assim, chega com justiça à semifinal do returno. E faz com que o São Francisco jogue bem, movimentando-se com agilidade e sem precisar recorrer ao tedioso recurso da retranca para garantir resultados.

Atrapalhou-se um pouco no sábado diante de um Paragominas que chegou a ameaçar a classificação à final do returno. O empate em 1 a 1 levou para a decisão em penais, vencida pelo São Francisco, que agora irá enfrentar o matreiro Cametá, que despachou o São Raimundo, ontem à noite, também na série de tiros livres da marca do pênalti.

É importante dizer que Waltinho vem se conduzindo de maneira exemplar há algum tempo. Desde os tempos em que apareceu nos campos de Santarém, primeiro como atleta, jogando como um meio-campista clássico. Camisa 10 de recursos que depois virou técnico.

Passou pelo Remo e montou o time que viria a ser campeão brasileiro da Série C em 2005, embora muitos esqueçam de reconhecer esse mérito. Em seguida, foi o mentor da estruturação que levou o São Raimundo ao título da Série D de 2009, o primeiro da competição.

Nos últimos anos, tem se dedicado a trabalhar com jovens atletas. Foi assim no Remo que alcançou as semifinais da Copa do Brasil sub-20 e, no ano passado, como orientador da Desportiva, que participou da Copa São Paulo de Juniores.

De estilo pouco convencional, Waltinho é uma espécie de missionário do futebol. Dedica-se a preparar e treinar jovens jogadores com a paciência que quase nenhum treinador costuma ter. Em geral, “professores” entendem que não precisam perder tempo ensinando fundamentos a seus atletas. Errado. Mestre Telê fazia isso sempre. Cilinho também.

Aqui, por sorte, temos Walter Lima, que insiste em nadar contra a corrente e ainda encontra tempo para pegar um atacante pelas mãos e ensiná-lo a correr com a bola dominada. Faz isso toda semana nos treinos do São Francisco. Só essa dedicação e visão tradicionalista do jogo explicam como o limitado elenco do Leão santareno se agigantou e chegou à fase decisiva do segundo turno, posicionando-se entre os três melhores na pontuação geral.

Continuo convencido de que o futebol precisa de mais Waltinhos.

Recado aos navegantes

Aos combatentes da liberdade que me acompanham por aqui e me seguem nas redes sociais quero dizer que nenhuma batalha é vã ou inútil. Certos percalços podem significar uma pausa a caminho de vitórias maiores. Resistir sempre, amofinar jamais. Vida que segue.

18 de abril de 2016 at 10:41 am Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.