Archive for abril, 2017

Coluna do Gerson Nogueira – 30.04.17

Homem-bomba

 

A coisa foi tão feia que a Conmebol, normalmente lerda nesses assuntos, já aplicou gancho provisório de três jogos em Felipe Melo pela baderna generalizada no estádio Centenário no meio da semana, por ocasião do jogo entre Peñarol e Palmeiras pela Libertadores. Fazia tempo que a competição não registrava cenas tão bizarras quanto as agressões promovidas e provocadas pelo volante palmeirense contra jogadores uruguaios.

O mais grave de tudo é que foram ações premeditadas e anunciadas através da imprensa. Felipe Melo afirmou, logo após a partida realizada em S. Paulo, que iria esmurrar um uruguaio. Falou com a empáfia própria dos boçais, como se estivesse proferindo frase de profundo alcance intelectual.

Sim, Felipe Melo se orgulha de ser brucutu. Acha que as coisas podem ser resolvidas em campo como nos idos de 1950 e 1960 quando era possível ganhar no muque. É daqueles atletas que acreditam que o futebol é um mero pretexto para distribuir socos e pontapés. O tal fair-play (jogo limpo), tão defendido pela Fifa, é brincadeira de crianças para figuras desse naipe.

Eu tive o desgosto de assistir, na Copa 2010, na África do Sul, o volante carniceiro aprontar das suas envergando a mítica camisa canarinho. Homem de confiança – sabe-se lá o que isso queira dizer – do capitão do mato Dunga, Felipe Melo bufava em campo à caça de um holandês para abater. O Brasil não jogava mal e o próprio Felipe havia dado um belíssimo passe para Robinho abrir o placar no primeiro tempo.

Mas o Rambo que habita a cabeça de Felipe Melo resolveu aflorar naquela noite em Porto Elizabeth. Depois de atrapalhar o goleiro Júlio César no gol que deu o empate à Holanda, o endiabrado volante acertou Robben com uma pernada e, não satisfeito, ainda pisoteou o craque holandês, causando brutal prejuízo ao time brasileiro.

Depois de várias cenas de pugilato no futebol turco, migrou para a Itália, onde fez jus ao autoapelido de Pitbull, que tanto aprecia. Repatriado pelo Palmeiras neste ano, chegou em grande estilo. Desandou a dar entrevistas agressivas, com olhos rútilos e expressão furibunda. Está sempre prestes a explodir em ódio e distribui ameaças a quem ouse criticá-lo.

Nem parece aquele meia franzino e habilidoso dos tempos de Flamengo, em 2001. No Cruzeiro, seu segundo clube, foi campeão também jogando bola, sem exibir talentos para a arte marcial. A mutação ocorreu no futebol europeu. Talvez preocupado em não parecer fraco, assumiu a persona de ferrabrás. Mais ou menos como Edmundo, que se apegou à alcunha de Animal e chegou a acreditar que era realmente valente.

Felipe é um bom volante, apesar de já não ter tantos recursos, mas está possuído pela ideia de que vai triunfar distribuindo cascudos em todo mundo e que pode amedrontar adversários apenas espumando de raiva. Pode se dar mal. No futebol, como no Velho Oeste, sempre aparece um pistoleiro capaz de sacar mais rápido.

 

 

Velhos titãs começam a decidir o título

 

O clássico é o mais disputado do mundo, segundo estatísticas confiáveis. A paixão do torcedor é o combustível que mantém aceso o encanto deste jogo nem sempre primoroso como espetáculo. Na atual temporada, prevalece a invencibilidade azulina, que venceu uma partida e empatou outra. Hoje, briga é mais séria, pois abre a decisão do campeonato estadual.

A boa atuação do Papão no 1º tempo na Vila Belmiro faz crer num time mais encorpado. O Remo, ainda às voltas com o imbróglio Eduardo Ramos, sofre com a sequência de lesões no elenco. Apesar disso, não se pode atribuir favoritismo a ninguém. A história ensina que Re-Pa é, acima de tudo, equilíbrio de forças, dentro e fora das quatro linhas.

 

 

Bola na Torre

 

Guilherme Guerreiro comanda a atração, a partir das 21h, na RBATV. Tommaso e este escriba de Baião integram a bancada de debates.

30 de abril de 2017 at 2:18 pm Deixe um comentário

Coluna A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 29.04.17

BOLA NA TORRE

 

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na

Torre vai ao Ar no Horário de 21:00 horas, agora antes do

Pânico na Band. Com a Cobertura total da Primeira Partida da

Decisão do Parazão entre Paysandu e Remo. Guerreirão no

Comando estarei na Bancada com Gerson Nogueira e sempre

com um Convidado Especial. Mande a sua pergunta

Antecipadamente. Neste Domingo Vamos Sortear Uma

Camisa do Remo e outra do Paysandu.  Participe pelo

@bolanatorre ( Twitter e Instaram ) e Pelo ZAP  984752441

DEBATE BOLA…

Com o Tema: “A Formação de Base no Futebol Paraense..” Como funciona? Quem forma melhor? É prioridade? Porque atletas ainda muito jovens saem daqui sem passar pelos nossos clubes?  Esses e outros questionamentos, estão na páuta do III Debate BOLA do Troféu CAMISA13, vinte e cinco anos. Ivan Corrêa, diretor de base do Paysandu; João Nasser, coordenador de base do Remo e Hélio Paes Júnior “Helinho”, pte.do Castanhal serão os debatedores com mediação do jornalista Alex Ferreira.Entrada livre e certificado de participação. Participe!

BASQUETE… Associação  de Basquete Master sob o comando de Paulo Seráfico anunciando mais uma Edição do “Torneio Cidade de Belém” programado para o período de 14 de maio a 18 de junho com jogos sendo realizados no Ginásio Moura Carvalho do Paysandu. Competição com seis equipes que vai homenagear nomes do Basquete Paraense: Beto Gaucho, Said Frahia, Carlos Abnader, Ronaldo vale, ferreira da Costa e Manoel Alves. Vai ser show!!!    NOTA “CBB” … A Confederação Brasileira de Basketball (CBB), através do seu departamento jurídico, está atenta a todas as intercorrências envolvendo o nome da entidade, especialmente, as que foram resultantes da problemática gestão anterior, encabeçada pelo então presidente Carlos Nunes. Uma dessas intempéries é a Cobrança Judicial de ex-Técnico da Seleção Rubén Magnano de 700 mil como indenização. E, o último item recai sobre Rubén Pablo Magnano, que foi citado no relatório da TCU, recriminando o salário de R$ 107.784,57 mil que era recebido pelo treinador, classificando com uma irregularidade grave. Sem contar as Multas aplicadas pelo TCU ao ex-presidente Carlos Nunes e o ex-Secretário Geral Edio Alves por irregularidades e Fraudes. Com Auditoria contratada na Gestão Guy Peixoto a Transparência é total…E qualquer tipo de comentários por parte da Presidência só após a conclusão da mesma!!!

29 de abril de 2017 at 1:48 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.04.17

PITACO – Japiim sendo honrado por Sua Majestada: Manoel Maria entregando ao Rei Pelé (foto) a camisa do Castanhal.

Lá e Cá

Pesquisadores: para Ferreira da Costa será o RE-PA 740, 257 vitórias o Leão (940 gols), 231 do Lobo (938 tentos) e 251 empates.

Para Jorginho Neves, o super clássico 742, 256 triunfos azulinos (963 gols), 233 dos bicolores (961 tentos) e 252 empates.

Ricardo Marques Ribeiro-MG, o mais antigo brasileiro da FIFA (CA da FPF conseguiu) apitará seu 4º RE-PA e até agora 1 vitória de cada e 1 empate.

Curiosamente, o paraense FIFA Dewson Freitas, sorteado, dirigirá Atlético-MG x Cruzeiro; Joelson Cardoso vai para São Raimundo x Independente.

Ex-dirigentes injustiçados no Paysandu: Artur Tourinho, Bira Lima, Luis Omar Pinheiro e Izomar Souza. Mas, a história fará com que seus feitos não sejam nunca apagados.

São Raimundo teve 3 derrotas este ano, 2 no Parazão (Remo 2×1 e Paysandu 3×1) e uma na Copa BR (Joinville 1×0). Em todas tomou gols de pênaltis (4 dos  6 levados).

Mais um tira-teima dos técnicos Josué Teixeira (Remo) e Marcelo Chamusca (Paysandu) no domingo. Até agora, Josué com uma vitória e um empate.

Torcida Fiel Avalanche Alvi-Azul fez festa no aeroporto na chegada do Lobo de SP pela boa partida realizada. Indicativo de bom público na domingueira.

Zezé do Boxe administrando Seminário de Boxe em Imperatriz-MA, dia 4.5, atendendo academias de lá e redondezas.

A vice campeã brasileira de canoagem Oceânica, a paraense Lorena Jacob Lima, nos representará na 1ª Etapa do Brasileiro de Canoagem-KOPA, amanhã e domingo, em São Sebastião-SP.

Preocupa a idade dos jogadores que o Remo está contratando, a maioria acima dos 30. Último, atacante Nino Guerreiro, 33.

Alan Dias levou 60 mil parcelados do Remo na justiça trabalhista e agora comenta-se que Eduardo Ramos pretende em 2 milhões.

Leandro Carvalho é sucesso no Paysandu e chamou atenção até do pessoal do Santos. Essa recuperação se deve a uma pessoa: presidente Sérgio Serra que confiou e bancou o atleta. Valeu!

Paysandu x Oeste, do dia 13.5, Série B, passou para Curuzu.

28 de abril de 2017 at 11:37 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 27.04.17

PITACO – Depois de Luana Faro (Pequim-2008), nova ginasta paraense, Juliana Gonçalves (foto), 15 anos, convocada para treinamentos da Seleção Brasileira visando Tóquio. Sucesso!

Lá e Cá

Alcindo Campos é o novo presidente da Federação Paraense de Judô. Tem por objetivos unificar a categoria (eleição foi 8×7), resgatar credibilidade e tirar o esporte dessa situação caótica.

Bonita a homenagem que o handebol do Paysandu, à frente a técnica Davina Gadelha, prestou ao ex-presidente Vandick Lima.

Hoje à tarde estarei na UNAMA da Alcindo Cacela, numa Oficina-Bate Papo sobre locução esportiva, estilo e locução publicitária, com os alunos do professor Rodolfo Marques.

Inédito no domingo passado quando a classificação do Remo saiu de 3 gols de cabeça de um trio de jogadores vindos da base.

Azulino Tsunami reconhece que depois do puxão de orelha do técnico Josué Teixeira, não leva cartão há 3 jogos e no último RE-PA só cometeu uma falta.

Josué Teixeirea, por sinal, volta só nesta quinta do RJ, aonde foi para uma audiência do TRT de ação contra o Duque de Caxias; TJD tirou remista Marquinhos do 1º clássico decisivo do Parazão.

Se o Paysandu ganhar a Copa Verde, maior beneficiado para vaga na Copa do Brasil será o 4º colocado do Parazão. Vice e 3º garantidos; Papão com Tiago Mandi até dezembro de 2019.

Volante Dênis Pedra de volta no São Raimundo contra o Independente, dia 1.5 (1ª luta pela 3ª colocação). Tucuruienses exagerando contra Anderson Preto e Wesley Bigu.

Associação Paraense de Basquetebol Máster, no Torneio Norte-Nordeste de São Luis-MA, ganhou vice no masculino 30-34 anos e no feminino. No masculino 35-42 (4º lugar) e 43-49 (3º lugar).

Corinthians cobrará em cada um dos 18 jogos em casa na Série A, antecipadamente, apenas 20 ou 40 reais, dependendo da localização.

Já o América-RN lançou pacote na Série D de 89 reais para seus jogos como mandante. Querem fazer caixa. E aqui!

Sem árbitro FIFA disponível, RE-PA domingo será apitado por CBF1 de fora. Cota de 3.850 reais, diária de 555 reais e auxiliares 2.300 reais mais diárias iguais. Tem ainda as passagens.

Santos 2×0 Paysandu, Copa Br. Bom primeiro tempo bicolor, mas mexidas erradas e atrapalhadas de Chamusca no segundo tempo desconstruíram o Papão. Entrada de Cearense inexplicável.

Marcão, bom centro avante na lista do Lobo. Tem concorrência.

28 de abril de 2017 at 2:44 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 27.04.17

Decisão em aberto

 

Para um time cheio de volantes o meio-campo, o Papão até que fez um excelente primeiro tempo na Vila Belmiro, criando duas boas chances de gol e jogando sem medo. Como de hábito, porém, o desembaraço ofensivo da metade inicial cedeu lugar ao excesso de cuidados na etapa final. Acuado, o time permitiu ao Santos exercitar a troca de passes e as inversões de jogadas, seus principais trunfos. A pressão aumentou sobre a zaga e levou à justa vitória dos donos da casa por 2 a 0.

De maneira geral, o jogo foi bem mais equilibrado do que expressam os dados estatísticos, segundo os quais a atuação santista pareceu mais brilhante do que realmente foi. O Peixe teve, por exemplo, massacrantes 69% de posse de bola, mas na prática ficou trocando bolas junto à linha lateral e no setor defensivo. A coisa só mudou de figura no segundo tempo com a queda de ritmo e os seguidos erros de passe cometidos pelos bicolores – foram 24 só nesta fase do jogo.

Quando a bola rolou, a postura do time de Marcelo Chamusca chegou a surpreender pela ousadia nas arrancadas pelos lados. Os volantes se adiantavam e criavam condições para que Leandro Carvalho e Bergson recebessem bolas em condições de arremate.

A zaga santista custou a perceber os riscos que corria deixando os atacantes mais ou menos à vontade. Aos 29 minutos, um chutão de Gilvan para o ataque pegou Leandro entre os zagueiros. Ele avançou para finalizar dentro da área, mas o goleiro Vanderlei evitou o gol. Só quase ao final do 1º tempo é que Dorival Jr. reforçou a marcação sobre Leandro e passou a vigiar Wesley e Rodrigo Andrade, que jogavam livres com a bola nos pés.

Lento e pouco ligado no jogo, o Santos parecia confiar que os gols sairiam naturalmente. Vítor Ferraz, que já defendeu o Águia, resolveu mostrar que sabe passar de calcanhar e fazer outras firulas dispensáveis. Enquanto o Peixe fazia gracinhas, os bicolores iam se assanhando e ameaçando, a partir do bom posicionamento da retaguarda. Ricardo Oliveira só teve uma chance de chutar em gol, David cabeceou nas mãos de Emerson e Lucas Lima passou em branco, tendo ainda o desprazer de levar um drible desconcertante de Leandro Carvalho.

Depois do intervalo, ao ver que a coisa estava mais complicada do que o previsto, Dorival pôs o Santos no ataque, adiantando Renato e os laterais e aproximando Lucas Lima do hábil Bruno Henrique pela esquerda. Foi por ali que nasceu o primeiro gol, aos 4 minutos. Bruno Henrique preparou o tiro sob os olhares de Ayrton e Wesley, que continuaram olhando, e disparou na gaveta de Emerson, sem defesa. Golaço para levantar o astral da tropa peixeira e sacudir os bicolores.

Mas, de olho no regulamento, o Papão se encolheu ainda mais, receando sofrer um placar dilatado. O Santos foi então se impondo e o jogo virou um duelo de ataque contra defesa. Chamusca substituiu Rodrigo por Diogo Oliveira, para fazer a bola parar no meio e adicionar qualidade ao contra-ataque, mas o meia-armador entrou mal e nada acrescentou tecnicamente.

Leandro Carvalho saiu para a entrada de Jonathan, que desfrutou de boa oportunidade em cruzamento na área já nos instantes derradeiros. Do outro lado, a insistência santista acabou premiada. O colombiano Copete (que substituiu Mateus Ribeiro) marcou o segundo gol, aos 43’.

O resultado deu tranquilidade ao Peixe, mas não foi um desastre para os bicolores, que têm condições de reverter em Belém. Atuações destacadas de Emerson, Perema, Hayner e Leandro Carvalho.

 

 

O mais novo escândalo da Conmebol

 

O futebol é, de fato, mãe generosa para muita gente. A Conmebol acaba de descobrir, em investigação interna, um rombo de mais de R$ 440 milhões em suas finanças. É a herança nefasta do reinado de Nicolas Leoz, o cartola paraguaio que seguiu à risca os passos do guru João Havelange, tanto em longevidade quanto em capacidade de trapacear.

Fica a impressão clara de que, a cada nova mexida no lamaçal do futebol sul-americano, o fedor só aumenta. Para ter alcance mais amplo, as investigações deveriam se concentrar nos contratos de licenciamento de produtos, patrocínios e direitos de transmissão.

28 de abril de 2017 at 2:42 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 26.04.17

PITACO – Lateral Ayrton, do Paysandu (foto), já venceu o Santos na Vila Belmiro, pelo Figueirense, em 2016, Série A, de 1×0, gol do ex-bicolor Rafael Moura. Repeteco hoje? Seria ótimo!

Lá e Cá

Santos-SP e Paysandu já se enfrentaram 18 vezes, 14 vitórias do Peixe (48 gols), 2 do Lobo (15 tentos) e 2 empates.

Técnico bicolor Marcelo Chamusca, mesmo de olho no Santos, acompanhou atentamente a classificação do Remo no Parazão; jogo da Série B, Paraná e Paysandu, adiado para 19.5.

Fernando Miguel, Gualberto e Pery têm pré-contrato com o Lobo, mas contrato definitivo só após exames médicos; 15 Sócios bicolores hoje na Vila com as vatagens do ST.

Papão treinou ontem no campo 3 do CT Rei Pelé, enquanto o time praiano se exercitiva no campo 2. Ninguém escondendo nada e Jonathan deverá estar no lugar de Diogo Oliveira.

Magno e Evandro (Independente) e Mandi (Águia) no caminho da Curuzu mesmo. Magno também sondado para voltar ao Leão.

FPF pretende ser mais exigente em 2018 no tocante a estádios, especialmente gramados. Presentemente só o Paysandu tem praça esportiva em totais condições.

Há 4 dias que Eduardo Ramos não aparece no DM do Remo e  Flamel voltará contra o Paysandu só dia 7.5; lateral Daniel Damião (ex-Macaé e Bangu) fechando com o Leão Azul.

Hoje, apresentação à imprensa no Baenão de Micael, João Paulo, Labarthe, Danilinho e Bruno Costa. Virão ainda Gérson, Reinaldo Alagoano, Lucas Sotero e, possívelmente, Marquinhos Macaé.

“Briga” pelo 3º lugar entre São Raimundo x Independente vale meritocracia de R$ 106.444,80. O 4º colocado leva a metade.

Primeiro jogo em Santarém passou para 1.5 (feriado). Volta dia 6.5 e poderá ser antecipado para 5.5, por questão de logística.

Quanto ao RE-PA, Lobo mandante no 1º e o Leão no segundo. Campeão levará da SEEL, R$ 218.896,60 e o vice R$ 159.667,20.

Despesas totais de logística  do Parazão 2017 (hospedagem, alimentação, traslado, ônibus, avião e barco) deverão chegar a 950 mil reais.

Justiça do Amazonas (19ª. Vara Cível) afastou do cargo presidente da Federação de Futebol, Valérico Dissica Tomaz, por irregularidades na prestação de contas.

Gilmar Guimarães o novo presidente Izabelense e o vice é o ex-jogador Marquinhos Santos (Marquinhos Santa Isabel).

 

26 de abril de 2017 at 1:09 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 26.04.17

O grande desafio

 

Encarar o Santos na Vila Belmiro é desde sempre parada indigesta para qualquer time. Desafiar os herdeiros do Rei Pelé dentro de seus domínios não é tarefa para qualquer um. Requer bravura, audácia e desassombro. Virtudes que, ao longo da história, o Papão sempre demonstrou ter. Ainda anteontem foi comemorado o aniversário do espetacular feito sobre o Boca Juniors dentro do caldeirão de La Bombonera, na Libertadores de 2003.

Mal comparando, a situação guarda algumas semelhanças com a façanha de 14 anos atrás. Até no formato a Vila lembra a Bombonera. A diferença de nível é óbvia – o Santos foi 3º colocado no último Brasileiro da Série A e disputa a Libertadores. Os jogadores são outros, mas o espírito que norteou aquela vitória pode servir de inspiração agora. Por óbvio, imagino que esse aspecto seja lembrado na preleção de Marcelo Chamusca.

Pelo calibre do adversário, é fundamental que o PSC tenha uma postura confiante, sem necessariamente adotar uma estratégia de risco. Precisa seguir a cartilha obrigatória do visitante em torneios de mata-mata: tentar a vitória sem se expor demais e ficar sujeito a uma goleada. Em termos práticos, um empate será excelente resultado, pois abrirá amplas possibilidades para o confronto de volta em Belém.

Com base nas últimas apresentações do Papão pelo Campeonato Paraense e Copa Verde, acumulando 14 partidas invictas, já é possível observar um padrão estabelecido. A equipe joga bem fechada, quase sempre no 4-3-1-2, resguardando-se ao máximo e marcando muito a partir da linha de meio-campo.

Por isso, sofre poucos gols e consegue sempre reagir quando sai em desvantagem. Foi o que aconteceu nos dois últimos compromissos em mata-mata, contra Santos-AP e São Raimundo. Empatou os jogos de ida, mas superou os adversários no retorno em Belém.

A vulnerabilidade está no setor de criação, pois Marcelo Chamusca não conta com um camisa 10 clássico para organizar os ataques e fazer com que o meio-campo trabalhe mais a bola. A carência técnica em setor tão crucial do time fez com que, contra Santos e São Raimundo, surgissem dificuldades em determinados momentos dessas partidas.

Reside aí o maior perigo para o Papão hoje diante do time de Dorival Junior, que, ao contrário, dispõe de meia-cancha habilidosa, que aprecia a troca de passes e o controle da bola. Times assim criam uma exigência maior de marcação, missão que os volantes bicolores ainda não haviam sido obrigados a cumprir.

Caso equilibre as ações no meio, o Papão terá condições de buscar o gol, passando a depender da velocidade de Leandro Carvalho e Bergson pelos lados. Leandro é agudo, tenta sempre o drible e não tem medo de arriscar jogadas individuais. Vive bom momento e é o jogador mais decisivo do Papão, único capaz de surpreender a marcação inimiga. Bergson fica mais nos rebotes e nos arremates de média distância.

Pela natureza do confronto, dificilmente Chamusca entrará com um jogador centralizado no ataque. É provável que sacrifique o centroavante (Alfredo) para reforçar a marcação, lançando Jonathan no lugar de Diogo Oliveira. Seria uma escolha de segurança, para ajudar a conter o trio ofensivo do Santos – Vítor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira. Um embate difícil, mas que pode revelar um Papão mais maduro e competitivo.

 

 

Leão em ritmo de importações

 

Em plena semana de decisão no Campeonato Estadual, o Remo anuncia uma batelada de contratações para a Série C. São jogadores de nível intermediário, acostumados a competições nacionais e com salários dentro dos limites financeiros do clube. A maioria está na faixa dos 30 anos. O grande perigo é que a chegada de novos atletas influa no ânimo do grupo que briga pelo título estadual.

Nos últimos tempos, a importação massiva não trouxe grandes benefícios ao Remo. Em 2016, o melhor reforço foi Edno, cercado de Potitas e Fabianos. Nesta temporada, somente André Luís e Edgar foram aprovados. Como se vê, um nível baixo de acertos para a quantidade de apostas.

26 de abril de 2017 at 1:04 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 25.4.17

PITACO – Assim como o Remo e sua base guerreira, Val Barreto

(foto) ressurgiu das cinzas e foi herói contra o Independente,

depois de relegado inexplicavelmente. Valeu, Valotelli!

Lá e Cá

Chegada à final do Parazão dará suporte financeiro ao Remo e

fortaleceu Josué Teixeira, que só tem MR ao seu lado.

Prêmio que a base ganhou após a épica classificação azulina foi o

anúncio de 8 contratações para Série C. Continuam pensando em

quantidade e não qualidade.

Considerando as temporadas em que um também ganhou todos

os turnos, será a 58ª decisão RE-PA na história, até agora 31

títulos do Remo e 26 do Paysandu (57).

Lobo nos seus 46 títulos ganhou 26 vezes o Leão em decisão, 9 a

Tuna, 3 o União Esportiva, 1 o Luso Brasileiro, Guarany, Águia,

Ananindeua, Paragominas, Castanhal, S. Francisco e S.Raimundo.

O Leão Azul nas suas 44 conquistas, 31 foram vercendo o Papão,

9 a Tuna, 1 o Norte Clube, Sport Belém, Águia e Independente.

A Tuna tem 10 títulos, 1 em cima do Nacional, 5 sobre Paysandu,

4 frente ao Remo; União 2 títulos contra Sport Pará e Guarany;

Cametá 1 sobre o Remo e Independente 1 diante do Lobo.

Já se foram 104 campeontos e este é o 105º. Dados dos

pesquisadores Ferreira da Costa e Jorginho Neves.

Luverdense fora da final do matogrossense, foca CV e Série B.

Maratona do Paysandu incluiu jogo de ida com LEC (agora em

Cuiabá, 4.5-20:30h) entre os dois RE-PA da decisão do Parazão.

Se o Paysandu ganhar a CV (final pela 1ª vez em Belém-16.5,

20h), entrando de novo nas oitavas da Copa BR 2018, colocará

direto nesta competição Remo, São Raimundo e Independente.

Santos para amanhã contra o Papão: Vanderlei, Victor Ferraz,

Lucas Veríssimo, David Braz e Matheus Ribeiro, Tiago Maia,

Renato e Lucas Lima, Vitor Bueno, R. Oliveira e Bruno Henrique.

Jogo da Copa BR marca retorno do Peixe ao seu estádio (Vila

Belmiro) onde não atua desde 29.3 (3×1 no Novorizontino-

Paulistão). Ingressos à venda a partir de 40 reais.

Enquanto o bom volante e meia Ratinho (19 anos), do

Paragominas, ainda não teve interessado, Pimenta foi para o São

Raimundo e Fidelis reforçará o São Francisco (Série D).

Trio de arbitragem de fora para decisão do Parazão (comum

acordo) e Paysandu pedindo antidopping.

Força tarefa cuidando da limpeza e pintura do Mangueirão,

enquanto uma reunião na quinta definirá segurança do RE-PA.

25 de abril de 2017 at 12:22 pm Deixe um comentário

Papo do 40° – Ronaldo Porto – 24.04.17

O Paysandu fez sua parte nas semifinais do Parazão, eliminando o São Raimundo de Santarém, empatando lá, 0x0, e vencendo em Belém no sábado à noite por 3×1, três gols do avançado Bergson que finalmente deu o ar da sua graça. O Papão venceu e ficou esperando pelo adversário da decisão.  No jogo deste domingo no Mangueirão, foi a vez do Remo pegar o Independente na partida de volta, uma parada duríssima, já que na ida, no Navegantão, havia perdido por 2×0. E o Galo foi logo fazendo 1×0 e parecia impossível o Remo se classificar. Mas os deuses do futebol estavam acordados no lado remista no segundo tempo e o Leão empatou aos dois minutos com Igor João, fez 2×1 com Tsunami aos 40” e logo em seguida, aos 42” chegou ao terceiro gol com João Vitor. Conseguiu na base da superação a vitória por dois gols de diferença que levaram a decisão nos penais e aí todos sabem o que aconteceu, 10×09 nos penais para o Leão Azul que irá fazer as finais diante do Paysandu. Cozinharam o Galo!

ALTA TEMPERATURA

O Paysandu chegou a mais uma final na Copa Verde e pode conquistar o bicampeonato, mais um título para as vitrines bicolores. Depois na fase inicial o Papão tirou Águia e Santos-AP do seu caminho e agora vai pegar o Luverdense-MT, que eliminou nas semifinais o Rondoniense-RO com duas vitórias, dentro e fora de casa. Lembrando que o título só dá direito ao Papão participar da Copa do Brasil 2018 a partir das oitavas de finais.

BAIXA TEMPERATURA

Esses acontecimentos nos bastidores do Clube do Remo, antes da decisão diante do Santos-AP pela Copa Verde e na semana da decisão contra o Independente pelo Parazão, não são histórias novas, já vêm de muito tempo. O presidente azulino prestigiou o treinador em detrimento a alguns jogadores do Leão que não estavam rezando a cartilha do Sargento Josué. Parece que deu certo e o Remo se classificou contra o Galo. A partir de hoje o presidente Manoel Ribeiro vai tomar as providências para sanar os problemas. Vamos aguardar o que vai acontecer a partir de hoje.

NO TERMÔMETRO

Antes da decisão de ontem, o técnico Léo Goiano do Galo encheu o Remo de elogios, falando principalmente dos garotos da base. Quando perguntado se os primeiros 15 minutos seriam os mais difíceis, respondeu de pronto: – não serão apenas 15, mas os 95 minutos de toda a partida! E sua preocupação estava correta, pois os gols que levaram a decisão para os penais saíram aos 40 e 42 minutos do segundo tempo. /// Na semana passada o Papão já havia se livrado do Santos-AP por outra competição, a Copa Verde, já sabendo hoje que enfrentará nas finais o Luverdense-MT, que passou no Rondoniense-RO. Se livrou de um Santos e vai pegar outro na Copa do Brasil, o Santos de São Paulo, uma parada mais indigesta. /// O Remo ganhou de cota no jogo de ontem apenas 50 mil reais, só que levou de meritocracia mais 120 mil reais de uma casa bancária. /// Dias 30 de abril e 07 de maio as datas das decisões do Parazão 2017 entre Remo e Paysandu. Pelo andar da carruagem parece que teremos arbitragem de fora, depois de termos em Belém um árbitro FIFA. Ingressos, segundo um dirigente azulino, deverão ficar na casa dos 40/50 reais. /// Marcelo volante e Danilinho meia ambos do Itumbiara, Mikael atacante do Passo Fundo, Bruno Santos meia atacante do Uberlândia e João Paulo volante, são os nomes dos reforços do Remo para a Série C, informações fornecidas pelo diretor de futebol Magnata. /// Coisas da vida: o mesmo João Victor que fez o gol dos 3×1, que levou a decisão para os pênaltis, perdeu o pênalti número um; Anderson do Galo que acertou o primeiro pênalti, foi o mesmo que perdeu o décimo segundo; Val Barreto, que fez o segundo pênalti para o Leão, voltou a fazer o décimo segundo quando o Remo venceu a decisão por 10×09. Coisas da vida! /// Os três gols do Remo vieram de jogadores da base: Igor João, Tsunami e João Vitor. Precisa dizer mais alguma coisa? /// O Pantera amansou e deu gôgo no Galo. Melhor para o Remo que garantiu uma grana extra nos dois jogos diante do Papão. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

24 de abril de 2017 at 10:21 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 24.04.17

Com alma e transpiração

 

Igor João, Tsunami e João Vítor. Não por coincidência, três jogadores formados na base azulina garantiram a virada heroica sobre o Independente, forçando a disputa em penalidades – vencida pelo Remo, por 10 a 9. O ritmo do confronto foi eletrizante. Sem ninguém executando a ligação, o time remista sofreu com a falta de conexão entre defesa e ataque. Venceu pela vibração e capacidade de superação de seus jogadores.

Magno abriu o placar logo aos 12 minutos. Após fintar três marcadores, bateu de fora da área, surpreendendo André Luís. O que já era um tremendo desafio (vencer por três gols de diferença) se tornou um drama para o Remo, que precisaria fazer quatro gols para se classificar direto ou três, para provocar a série de penalidades.

Foram necessários quase 40 minutos para que o Remo se refizesse do baque sofrido com o gol. Jaquinha se lesionou e foi substituído por Lucas Vítor. Depois, o técnico Josué Teixeira substituiu Léo Rosa por João Vítor.

Depois do intervalo, o Remo voltou de ânimo renovado e simplificando as coisas. Sem criação no meio-campo, apelou para os cruzamentos na área. A estratégia funcionou. Logo aos 3 minutos, Marquinhos cruzou e João Vítor escorou de cabeça para Igor João desviar para as redes.

O empate entusiasmou os azulinos, mas não fez o Independente alterar seu ritmo. Fechado, liberava Wellington para organizar a saída e lançar Monga e Magno na frente. Apesar de muito presente no ataque, o Remo tinha dificuldades nas finalizações. O segundo gol só veio aos 40 minutos.

Edgar cobrou escanteio e Tsunami cabeceou de cima para baixo, virando o placar. O Leão foi todo ao ataque em busca do gol que faltava. E ele veio dois minutos depois: Gabriel cruzou para cabeceio perfeito de João Vítor. Aos 47’, Gabriel aplicou lençol dentro da área e quase ampliou.

Nos penais, o Remo saiu vitorioso, habilitando-se a disputar a final do campeonato. Do jeito como tudo se desenrolou ficou comprovado mais uma vez que alma e superação ainda podem operar pequenos milagres. Josué Teixeira, com imensos problemas para montar o time e crises bobas no front interno, sai como grande vitorioso desta semifinal.

 

 

Objetivo e seguro, Papão supera o Pantera

 

O confronto foi equilibrado. Em vários momentos, o S. Raimundo foi superior e criou oportunidades. Pecou nos detalhes e caiu pelos erros infantis de seus zagueiros, que determinaram a vitória do Papão. É justo dizer que, depois de um 1º tempo de fraco desempenho ofensivo, o time bicolor voltou mais organizado e rápido nas ações ofensivas.

Logo a 1 minuto de partida, Alexandre disparou um chute forte no travessão de Emerson. Instantes depois, o próprio Alexandre foi derrubado na área por Augusto Recife, mas o árbitro mandou seguir. O São Raimundo continuou fustigando, enquanto o Papão explorava os contra-ataques. Assim nasceu o gol de Bergson, aos 14 minutos.

Para o 2º tempo, o Papão voltou mais compactado, embora permitindo certa liberdade ao meio-campo do Pantera. Num descuido, aos 6 minutos, a bola foi lançada a Alexandre, que chutou rasteiro para empatar. O escore fazia justiça à produção dos times, mas o Papão decidiu forçar mais as jogadas com Leandro Carvalho em busca do desempate.

O segundo gol nasceu de uma jogada de Ayrton, que cruzou para Bergson na área. O atacante controlou a bola e foi empurrado por Wanderlan. Na cobrança do penal, o próprio Bergson anotou 2 a 1 para o Papão.

Confuso e fisicamente desgastado, o São Raimundo ainda cometeria outra falta bisonha dentro da área, dando o segundo pênalti ao Papão. Leandrinho derrubou Hayner junto à linha de fundo. O goleiro espalmou a cobrança, mas Bergson finalizou para as redes, sem marcação.

Sem fazer uma atuação esplendorosa, o Papão foi prático e objetivo para superar um adversário sempre difícil.

 

24 de abril de 2017 at 10:19 am Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.