Archive for junho, 2017

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 30.6.17

PITACO – Ronny Silva (foto), preparador físico do Paysandu, veio com Artur Neto (2004), depois Mazolla Jr (2014) e foi ficando com Dado, Dal Pozzo, Chamusca e Marquinhos. Competência!

Lá e Cá

Paysandu e Luverdense se enfrentaram 16 vezes, 6 vitórias do Lobo (23 gols), 4 do LEC (21 tentos) e 6 empates.

Paysandu já fez 24 contratações este ano e o Remo 32; Edgar e Vínicius únicos azulinos que atuaram todos jogos da Série C.

Wesley jogou no Paysandu 30 partidas, 13 vitórias, 9 empates, 8 derrotas, 53% de aproveitamento, 2 gols e 2 assistências.

Projeto do CT do Paysandu custará 10 milhões de reias. E sairá!

Luverdense sem quatro titulares hoje: goleiro Diogo Silva, lateral Anderlan, volante Ricardo e meia William. Entrarão Gabriel Leite, Gabriel Passos, William e Lorenzi.

Fim de semana começou ruim para o Paysandu com o chocolate e virada que levou do Remo no Sub 17 (5×2). Precisará de  recuperação hoje na Série B e da conquista da regata domingo.

Se a voz do técnico Marquinhos Santos permitir ele estará no Bola na Torre, domingo, 21h (RBA HDTV e Rádio Clube).

Desportiva e Remo na final do Sub 17 domingo. Ambos invictos, Leãozinho com 50 gols marcados e de volta à Copa SP, 4 anos depois; SDP vai fincando cadeira cativa na competição.

Sampaio e Remo vão se entestar pela 38ª oportunidade, 13 vitória do Leão (63 tentos), 11 da Bolívia (49 gols) e 13 empates.

De um diretor remista ao repórter sobre o polêmico Leandro Carvalho atravessar: “quem conviveu com Alcino e tem Edgar, aceita Leandro Carvalho e o recupera. Se vier vai dar certo”.

Agnaldo de Jesus mostra seu grande amor pelo Remo. O auxiliar técnico do profissional foi às lágrimas no triunfo do Sub 17; zagueiro Henrique saindo para futebol da Costa Rica.

Hoje, dia D no STJD para o São Raimundo na Série D, ele que foi o 1º campeão da competição (2009). Na torcida pelo Pantera!

Amanhã, no Ginásio Poliesportivo Nicias Ribeiro, de Altamira, 20:30h, Tubarão de Vitória do Xingu e Abílio Nery-AM, pela Copa Brasil Adulta de Futsal. Casa cheia!

A partir de hoje a 11ª edição dos Jogos Estudantis do SESI, em Barcarena. Imerys no tênis de mesa, natação e futebol de campo.

Neste final de semana, em Recife, o Norte-Nordeste Interfederativo de Natação e Pará com 11 atletas, do infantil ao sênior. Técnico é Abmael Sarges e chefe Yuri Jordy (FPDA).

30 de junho de 2017 at 8:16 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.6.17

PITACO – Na foto, Mauro Tavernard, autor do livro “Alcino, Negão Motora” e o decano da reportagem esportiva do Pará, Carlos Estácio, na noite de lançamento da obra.

Lá e Cá

Médias de público do Paysandu este ano em Belém: no Mangueirão (10.149) e Curuzu (4.296); do Remo (8.109).

Oliveira Canindé (Remo) é treinador adépto dos cones e não das pranchetas; barração de Flamel só em treino; se Luiz Eduardo for legalizado entrará contra o Sampaio.

Remo reconfirmou interesse em Leandro Carvalho e diretor Milton Campos já procurou bicolores; Magno, ex-Independente, contratado para lugar de LC, no Lobo.

Por sinal, grande bicolor José Prado de Souza, bacharel em psicologia, educador e antropólogo se dispõe a recuperar LC.

Presidentes Sérgio Serra (Paysandu) e Alírio Moraes de Melo (Santa Cruz), felizes com a indenização da Conmebol aos dois clubes. Ressarcimento girará em torno de 2 milhões de reais.

Volante Beto, destaque ao lado de Quarentinha no Paysandu dos anos 60-70, foi prestigiar lançamento do livro de Alcino, seu adversário em muitas jornadas.

Marco Antonio Magnata, diretor do Remo, informando vir sendo ameaçado por torcedores do Sampaio. Irá a São Luis?

Bragantino Clube do Pará como nova filosofia de valorizar base e jogadores da região. Diretor Rodrigo Barata trabalhando a todo vapor e assessora de imprensa é Giselly Corrêa.

Caso do São Raimundo lembra quando o Paragominas perdeu vaga na 2ª fase da Série de D de 2013 (bom trabalho de Cacaio), e Lourinho suspenso apareceu em relação. Deu no que deu!

Será importante apoio total da FPF e presença de Paulo Romano (delegado do jogo) no jugalmento de amanhã, no STJD; diretoria do Pantera contratou respeitado advogado Osvaldo Sestário.

Pinheirense no  mata-mata do Brasileiro Feminino A2 e Tuna ficou no critério de saldo de gols. General pegará o Caucaia-CE, 1º jogo, fora, dia 5.7 e volta, aqui, 12.7.

No sub 17, Desportiva bateu Tuna de 3×0 e já está na final paraense e  na Copa SP 2018. Foram 11 vitórias seguida da SDP, para alegria do amigo Elmar Saúde.

Hoje tem Re-PA no Mangueirão, 15h, valendo também vaga na final contra a Desportiva e Copa SP 2018. João Neto (Netão) comanda o Remo e Jean Carioca o Paysandu.

Agente do jogador Julio Patrício (Nosso Tom) confirma que até o fim da semana destino do atacante João Victor será decidido.

29 de junho de 2017 at 8:13 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 29.06.17

Talento desperdiçado

 

O Papão cansou de Leandro Carvalho. Foram concedidas inúmeras chances, mas não houve jeito de enquadrar o atleta no nível de profissionalismo que o clube tem buscado exercitar nos últimos anos. Esta é  a posição oficial da diretoria, exposta ontem depois de reunião para analisar a situação.

Leandro é jovem – 22 anos de idade e pouco mais de três como profissional –, tem possibilidades de seguir ganhando a vida com o futebol, talvez até engrenando em outro clube. É triste, porém, que esteja em disponibilidade no clube que o revelou e projetou.

As falhas de comportamento se acumularam desde que se profissionalizou. Atrasos e faltas aos treinos. Participação em torneios de peladeiros na periferia da cidade quando estava oficialmente entregue ao departamento médico. Descumprimento de normas internas e até “bolo” na apresentação à Tuna, clube ao qual havia sido cedido por empréstimo no ano passado.

Os seguidos imbróglios e polêmicas envolvendo o atleta vinham sendo assimilados pela diretoria, mas chegaram a um nível de esgotamento que nem o talento e a habilidade em campo conseguiram superar.

Não por acaso, todos os técnicos recentes lavaram as mãos e preferiram não contar com Leandro, que havia aparecido bem na final da Copa Verde 2015 (marcou até gol diante do Brasília) e vinha numa boa sequência desde o final de 2016. Era até o começo da Série B o principal jogador da equipe.

Atacante dotado de bons recursos – chute e dribles, principalmente –, Leandro arrancou elogios públicos de Dorival Jr., então técnico do Santos, após as partidas válidas pelas oitavas de final da Copa do Brasil deste ano.

Nem mesmo a possibilidade de obter projeção na Série B para uma transferência internacional fez o eterno rebelde se comportar. Nos últimos dias, ele tem treinado na Curuzu, mas já não faz parte dos planos para o restante da temporada.

Ao falar em Leandro, logo vem à mente o exemplo de jogadores como Jóbson e Arinelson, igualmente habilidosos, que sacrificaram carreiras promissoras, vitimados pela má formação inicial e ausência de preparo para enfrentar os desafios do futebol profissional.

Em outros tempos, carreiras eram preservadas pela lei do silêncio imposta pelo paternalismo reinante nos clubes. Foi assim que craques como Heleno de Freitas e Mané Garrincha atingiram a glória, no Botafogo e na Seleção. O auge durou pouco para ambos, cujas trajetórias se encerraram de maneira trágica.

Os tempos românticos passaram. Não resta mais lugar para os problemáticos. O rigor da moderna gestão dos clubes barra jogadores indisciplinados, de formação deficiente.

A questão é: a quem responsabilizar pelo desperdício de atletas com potencial tão evidente e expressivos, que deixaram de ser acompanhados de perto quando davam os primeiros passos? E a quem enviar a conta do prejuízo?

 

 

Profissionalismo marca despedida de Montillo

 

Montillo decidiu arrumar as malas e deixar o Botafogo após seis meses de contrato. Frustrado com a série de contusões sofridas, que não permitiram que se consolidasse como titular e fizesse jus ao investimento do clube, o meia-atacante argentino procurou a diretoria e pediu para ir embora.

Não há como recuperar o que o Botafogo gastou, mas fica a imagem de um profissional sério, que se recusou a assumir o papel de chinelinho, como tantos outros fazem pelo Brasil afora sem nenhum pudor.

Aqui mesmo em Belém, no ano passado, teve jogador que passou mais tempo treinando em separado do que jogando, mas sem abrir mão do cumprimento do contrato.

Antes de pedir a suspensão unilateral do contrato, Montillo chegou a propor a devolução do salário, o que a lei não permite.

29 de junho de 2017 at 7:58 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.6.17

PITACO – Técnico João Galvão (Águia) recebeu honraria de Cidadão do Pará. Na foto deputado João Chamon e o agraciado, ladeados por  Ferreirinha, Ricardo Zucatelli e José Wilton Galvão.

Lá e Cá

Lateral Léo Rosa (Remo) entrou na Seleção Futebol Interior da 7ª rodada da Terceirona; e na Seleção da 10ª rodada da Segundona, técnico Marcelo Chamusca (Ceará) e meia paraense Reis (Boa).

Sampaio não terá zagueiro Alex, expulso contra o Salgueiro, na segunda, no Castelão, diante do Remo. Bolivia, antes, terá de decidir o Campeonato Maranhense, amanhã, diante do Cordino.

Se o Leão queria clima quente anunciando escalações de Edgar e Pimentinha vai encontrar, pois sampainos estão pintados para “guerra”. Esperado maior público em São Luis nesta Série C.

Roniery, lateral direito e, Hiltinho, meia atacante, de passagem discreta na Curuzu, são titulares do Tricolor Maranhense.

Movimento de abnegados para revitalização do Baenão, lembra mutirão dos torcedores do Brasil de Pelotas, recuperando e aumentando capacidade (15 mil) do Estádio Bento Freitas.

Má campanha do Náutico na Série B  e falta de dindim faz volante Amaral (27), campeão no Novo Hamburgo-RS, conversar com o Remo. Atacante Luiz Eduardo só chegou na madrugada.

Azulinos preencherão 5 vagas faltantes com as novas contratações e prazo é até 14.7.

Leão Azul não cumpriu ajustado e técnico Josué Teixeira vai cobrar na JT 180 mil reais.

 

Amanhã eleição no Sindicato dos Árbitros, concorrendo o assistente de Heronildo Sebastião da Silva e ex-árbitro Joel Silva dos Santos.

Chegou ontem à tarde Edson Borges, o auxiliar técnico de Marquinhos Santos, do Paysandu. Treinador falou em avaliar e qualificar o plantel, prova que virão outras contrataões.

Prazo de inscrição na Série B até último dia útil antes da 20ª rodada, ou seja, 11.8.

Leandro Carvalho se movimentando com o grupo bicolor ou à parte. Caso ainda com a diretoria e será reintegrado se CT pedir. Seu agente diz haver interesse do Paços Ferreira-Portugal.

Na área social do Lobo, diretor Osmar Belarmino Marques e esposa Léia apresentando candidato do clube ao Garota Belém dia 27.8, no Bancrévea. Ela tem 17 anos e 1,77m (7 místico).

Denúncia de irregularidade de atleta do São Raimundo-PA sacudindo Série D. Bronca e rodada será cancelada. Jogador não constou da súmula e alguém pode ter usado de má-fé.

28 de junho de 2017 at 8:11 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 27.06.17

A legalização da zorra

 

Remo e Sampaio Corrêa travam a polêmica da semana, discutindo se Edgar e Pimentinha podem ou não atuar com a camisa azulina no jogo da próxima rodada contra o Bolívia maranhense. A cada nova história que surge sobre um suposto acordo de cavalheiros entre os presidentes das duas agremiações fica evidente que não há nenhum papel assinado respaldando a exigência do Sampaio.

Aliás, há alguns anos, a Fifa já se manifestou sobre a estranha pretensão de clubes que decidem proibir que ex-atletas os enfrentem. Por absurda e ilegal, afrontando contra as garantias profissionais dos atletas, essa norma não escrita foi banida pela entidade no mundo inteiro.

No Brasil, porém, onde tudo sempre encontra uma brecha, dona CBF incluiu – por sua conta e risco – um monstrengo no regulamento de transferências, sacramentando esse descalabro. Pior que isso: determinou que acordos tácitos têm amparo legal, mesmo quando não venham acompanhados de documentação por escrito.

É a legalização da zorra, pois no fim das contas fica valendo a palavra de um contra o outro, exatamente como se verifica agora na pinimba entre azulinos e bolivianos. O dirigente do Sampaio garante que cedeu Edgar e Pimentinha sem ônus, com a promessa (do técnico Josué Teixeira, que já deixou o Remo) de que não enfrentariam seu time durante a Série C.

De sua parte, o Remo garante que não há nada escrito, o que lhe daria o direito de escalar os jogadores. É uma interpretação muito singular do artigo que trata dessa questão no regulamento de transferências. A lógica do Direito dá guarida aos argumentos remistas, mas o bom senso manda que cumpram o que a CBF determina.

Como já dizia um antigo político local, lei no Brasil é potoca e os clubes paraenses têm um longo histórico de litígios desfavoráveis nos tribunais desportivos. Caso seja penalizado, o Remo pode perder 6 pontos.

É bom observar, ainda, que outros clubes brasileiros, inclusive da Série A, vêm se submetendo à estapafúrdia norma, receando punições. Palmeiras e Corinthians fizeram isso recentemente.

Ao Remo caberia buscar um acordo para a liberação pelo Sampaio de pelo menos um dos atletas para o jogo ou optar por um outro ataque, com Gabriel Lima e Luiz Eduardo (atacante contratado ontem junto à Caldense).

 

 

Velha mística alvinegra se mantém viva

 

Quando se pensa em superar a velha cábula, eis que ela renasce com toda força. Penso que é só para não deixar o botafoguense esquecer suas origens e tradições.

Um jogo que tinha tudo para botar o Glorioso em terceiro lugar na classificação da Série A se transformou num suplício.

Dois gols antes dos 17 minutos, marcados ironicamente por um atacante (Joel) que não acertava nem arremesso lateral quando andou pelo Fogão.

Depois, foi um massacre. Mais de 50 ataques desferidos contra a defesa do Avaí, mas os repetitivos cruzamentos só faziam a glória do goleiro catarinense.

É verdade que o árbitro anulou um gol legal e deixou de dar um penal escandaloso cometido pelo goleiro do Avaí a 5 minutos do final.

Nada disso, porém, tira o mérito de Claudinei e seus comandados, que resistiram heroicamente ao bombardeio botafoguense.

Por outro lado, apesar da luta e dos ataques em sequência, não se pode livrar a cara do bom Jair Ventura, que voltou a armar escalar errado o meio-campo e deixou o time desprotegido em momentos cruciais.

Para piorar, Camilo não acertou o pé e Montillo só ficou por alguns minutos em campo.

Definitivamente, há coisas que só acontecem ao Botafogo.

27 de junho de 2017 at 6:00 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 26.06.17

REMO CONSEGUE VITÓRIA NO SUFOCO

O que poderia ser uma vitória tranquila diante do Moto Clube-MA, transformou-se numa vitória sofrida por 3×2, conseguida ao apagar das luzes, gol do Gabriel Lima, que vinha desperdiçando oportunidades de ouro. Ele entrou no final e teve a tranquilidade de amortecer uma sobra de bola e escolher o canto para dar três pontos ao Leão. Foi a primeira vitória em casa, depois de dois empates anteriores (Cuiabá-MT e CSA-AL). A novidade no time do Remo foi o atacante Pimentinha, que não conseguiu levar o povão esperado à campo. Flamel, com aquele golaço, deixou o recado que tem que ser titular e a zaga, apesar da altura, precisa deixar de tomar gols bobos. Como declarou Eduardo Ramos no final: o Remo pode até não jogar bem, mas o importante é vencer! O Remo agora chegou aos 11 pontos, 4ª colocação, mas sairá para enfrentar em São Luis-MA o adversário que o persegue, o Sampaio Correa-MA. Pimentinha e Edgar deverão atuar contra o antigo time.

ALTA TEMPERATURA

O nosso grande Guy Peixoto, atual presidente da Confederação Brasileira de Basquetebol, marcou um golaço na sua administração ao recolocar o Brasil nas competições internacionais, depois da suspensão pela FIBA por irregularidades cometidas nas gestões anteriores. De qualquer maneira, a FIBA deu um prazo à CBB, como se fosse um voto de confiança. Transparência acima de tudo, como quer o paraense.

BAIXA TEMPERATURA

O glorioso Paysandu está despencando pelas tabelas na Série B e algo deve ser feito o mais urgente possível. Depois de alcançar, com méritos, a liderança por duas rodadas seguidas, o Papão caiu para 3º, 7º, 11º e agora 14º lugar e, se não tomar sérias providências, vai acabar na zona de rebaixamento. Nos últimos seis jogos, marcou apenas dois pontos e agora tem obrigação de vencer Luverdense-MT dia 30 e Londrina-PR dia 04 de julho, ambos em casa. Qualquer vacilo poderá ser fatal.

NO TERMÔMETRO

Pimentinha virou novela, conseguiu estrear no Leão Azul com vitória e agora poderá virar novela de novo. É que o presidente Frota do Sampaio Correa-MA não quer o mesmo jogando contra seu time segunda que vem em São Luiz, ele e Edgar, antigo ataque do tricolor de São Pantaleão. /// Bela festa no Salão Panoramique da AP pelos 20 anos da Associação Paraense de Basquetebol Master, a APBM, comandada pelo batalhador Paulo Seráfico. Vi por lá muitos atletas do passado que enchiam as quadras naqueles clássicos RexPa. /// Outra novela que abasteceu os noticiários esportivos foi a contratação de Marquinhos Santos para o lugar de Chamusca no Paysandu. Rogerinho comandou duas partidas, não conseguiu vencer, somou apenas um ponto e Marquinhos, dizem, estava em Belém esse tempo todo, o que desmentido pelo diretor Abelardo Abelha. Segundo informações, Marcos Vinícius dos Santos foi oficializado no sábado e será apresentado hoje pela diretoria, se nada mudar até às 15:30 horas. /// Lembram daquela campanha para arrecadar dividendos entre torcedores do Remo em um site das redes sociais para reconstruir o Baenão? Pois é, a data final para juntar a grana expirou dia 22 e só foram depositados 226 reais, dos quais 100 pelo idealizador, Odilardo Silva. E o Pirão não deu um centavo sequer. /// Em compensação o livro sobre a vida de Alcino, o “Negão Motora”, um dos maiores ídolos do Remo será lançado amanhã na sede do Leão às 19 horas. Mauro Tavernard caprichou e vale a pena buscar seu exemplar. /// E os dois santarenos estão classificados para a próxima fase da Série D, mesmo com a derrota do São Raimundo fora de casa por 3×1 para o Gurupi-TO, que ficou em primeiro no grupo; o São Francisco fez 3×2 de virada sobre o Genus-RO e também entrou na briga. O Mundicão pegará o Atlético-AC e o Leão Santareno disputará a vaga com o Santos-AP. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

26 de junho de 2017 at 8:04 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 26.06.17

Na bacia das almas

O técnico bem que tentou, mas a escalação ofensiva do Remo contra o Moto Clube, no sábado à noite, revelou-se pouco funcional e deixou o time muito vulnerável. Resulta disso tudo uma atuação instável, com muitos momentos de apagão, dois gols bobos sofridos em menos de 15 minutos e uma vitória arrancada a fórceps nos instantes finais.
Apesar do excelente resultado, a atuação de sábado trouxe preocupações quanto ao futuro próximo. Brigar pelo acesso, com o rendimento atual, é quase um sonho de uma noite de verão. Acima de tudo, o Remo deve se concentrar em atingir os 22 pontos necessários para escapar do rebaixamento.
Em situação normal, a tarefa não seria tão difícil de cumprir. Acontece que o Remo está longe de ter um time que reaja com normalidade às agruras da competição. Contra o modesto Moto, que vem mal das pernas, a equipe penou para vencer.
Os inúmeros perrengues vistos no jogo deixam claro que qualquer adversário criará problemas para os azulinos, dentro ou fora de Belém. Oliveira Canindé acatou sugestões e mandou a campo uma formação essencialmente ofensiva, com quatro jogadores que não marcam – Eduardo Ramos, Flamel, Pimentinha e Edgar.
A ideia era boa, mas se revelou complicada porque não havia suporte de marcação. Com tantas peças que não bloqueiam os avanços adversários, o time perde a capacidade de se defender, situação muitíssimo agravada pela inoperância dos laterais e dos volantes (João Paulo), além da lentidão dos zagueiros de área.
O Remo começou em ritmo empolgante. Fez o gol, aos 7 minutos, com Edgar, após grande jogada de Pimentinha. O Moto não incomodava, mas um descuido pôs tudo a perder. Mal posicionado, Bruno Costa errou ao cortar cruzamento de Rafamar e mandou a bola contra as próprias redes, aos 28′.
O empate desarvorou o time remista. As jogadas já não fluíam como antes e o Moto, mais organizado, foi ficando perigoso. Apenas 13 minutos depois, em rápida incursão pelo meio da zaga, Valber cruzou rasteiro e achou Vitinho livre para desempatar.
No último lance do 1º tempo, Flamel descolou um golaço. Ele pegou um rebote na entrada da área e acertou no ângulo esquerdo da trave do moto.
Depois do intervalo, o Moto seguiu melhor distribuído em campo e criando dificuldades. Depois de muito esforço, a vitória veio pelos pés de Gabriel Lima, já nos acréscimos.
A comemoração raivosa deixou claro o quanto ele deve se irritar por ser reserva de tantos bondes importados.

Papão, de técnico novo, busca sair do buraco

Marquinhos dos Santos foi confirmado, na manhã de sábado, como novo treinador do Papão. Fim de uma novela que incluiu visita rápida a Belém e um pedido de tempo para analisar a proposta feita pelo clube.
O fato é que Marquinhos, nome pouco badalado por aqui, foi lembrado por força da amizade com o executivo André Mazzuco, seu colega de tempos de Coritiba. E é esse vínculo que pode vir a atrapalhar a caminhada do novo técnico.
Explico: qualquer insucesso será imediatamente debitado na conta de Mazzuco, o que é péssimo para o executivo e ruim também para a diretoria, que avalizou o negócio.
Marquinhos já entra pressionado a acertar a mão logo de cara, contra o Luverdense, que tirou do Papão o bi da Copa Verde. O certo é que o time precisa reencontrar urgentemente o molde utilizado nas quatro primeiras rodadas, quando chegou a liderar a competição.

26 de junho de 2017 at 8:03 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 25.06.17

A reabilitação adiada
A esperada reação do Papão na Série B não veio na sexta-feira, apesar de um bom começo em Maceió. A derrota de virada empurrou o time para sua pior colocação no campeonato, bem próximo da classificação final na campanha de 2016 (15º lugar), e aviva as perspectivas de uma indesejável crise interna.
A sequência negativa de seis partidas é incômoda em qualquer situação ou torneio, mas é particularmente difícil de assimilar no âmbito de um clube de massa. Sem técnico desde que Marcelo Chamusca foi embora, o Papão carece agora de um fato novo, um choque capaz de alavancar a reação.

O jogo contra o CRB começou com tintas favoráveis. Aos poucos, porém, reapareceram os mesmos vícios coletivos e individuais das últimas rodadas. Depois do gol, marcado aos 3 minutos, sobreveio um breve período de empolgação.

E cabe dizer que o gol de Marcão era motivo mais do que suficiente para entusiasmar. O lance foi primoroso. Jonathan tocou de calcanhar para Ayrton, que avançou até às proximidades da área e cruzou na direção de Marcão. Mesmo pressionado por um zagueiro, ele tocou na bola e mandou no canto, sem defesa para Edson.
A rigor, foi o único acerto do Papão em todo o jogo. A partir dele, a estratégia consistiu em segurar o jogo e tentar controlar as investidas do adversário.

Quando a bola rolou no 2º tempo, o anfitrião exibiu outra postura. Confiante, passou a atacar com até cinco jogadores. Logo aos 4 minutos, em manobra pela direita, o ex-bicolor Edson Ratinho cruzou para o outro lado. Danilo Pires recebeu e mandou no travessão. No rebote, o mesmo Ratinho aparou de primeira. A bola foi no canto, passando sob os braços do goleiro.

Ao contrário do que havia feito o Papão no início da partida, o CRB de Dado Cavalcanti não se deu por satisfeito. Seguiu agredindo e chegou ao desempate 12 minutos depois. Um gol de zagueiro (Flávio Boaventura). Ele escorou um cruzamento do incansável Ratinho, principal nome do time alagoano. O cabeceio entrou no canto esquerdo.
Com a saída de Diogo Oliveira, o PSC perdeu o que restava de qualidade no meio-campo. Passou a apelar para chutões e ligações diretas. Rodrigo Andrade permaneceu no banco, enquanto Mandí, Lucas Taylor e Daniel Amorim entravam para fazer figuração.
É este time desconjuntado emocional e taticamente, despencando na classificação, que o futuro técnico vai encontrar. Ao contrário de outras passagens, Rogerinho não conseguiu operar nenhum milagre. E a vida nunca se mostrou tão dura para o Papão na competitiva Série B.
Bola na Torre
Giuseppe Tommaso apresenta o programa, a partir das 21h, na RBATV.
Participações de Valmir Rodrigues e deste escriba de Baião.
Globo, FBI, MPF e o futebol enlameado
Artigo de Luis Nassif no Jornal GGN, publicado na quinta-feira, confirma as desconfianças sobre o papel engavetador do MPF nas investigações da conexão brasileira do esquema de corrupção na Fifa. Por aqui, a ação do FBI só não avança porque chegaria inevitavelmente nos arraiais da Globo, que domina há décadas o negócio futebol no Brasil.
Parceira de Ricardo Teixeira, a emissora sempre se locupletou dos esquemas pouco ortodoxos do ex-chefão da CBF. Para travar a investigação, fez valer seu poder político junto ao Ministério Público Federal, que até aqui não repassou ao bureau americano as informações que desvendariam as tramoias no país da bola.
A boa notícia é que a situação pode mudar nos próximos meses, desde que o novo procurador-geral não se curve aos tentáculos da super poderosa rede de TV.

25 de junho de 2017 at 8:01 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 24.06.17

BOLA NA TORRE

 

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na Torre vai ao Ar no Horário de 21:00 horas, antes do Pânico na Band. Destaque para a Cobertura das participações de Paysandu (Série B) e Remo (Série C) e ainda a Serie D com São Francisco e São Raimundo. Estarei no comando e na Bancada estarão Gerson Nogueira. Mande a sua pergunta Antecipadamente  Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instaram ) e Pelo ZAP 984752441

ENDURANCE… É grande a expectativa em torno do “Amazônia Endurance”, evento de triatlo que vai reunir mais de Duzentos Atletas Profissionais e Amadores de 19 Estados de todo o Brasil em Barcarena, neste domingo, dia 25 de junho, inclusive os Atletas Olímpicos do Brasileiros de Triatlon. Os jornalistas Erik Coser da revista AllTriNews e Rafael Farnezi, da MundoTri – as duas maiores do segmento do país – estarão em Barcarena  para fazer a cobertura do evento. Outro fato interessante será os mais de 40 mil em premiação. A equipe Sprint do Rubinho Campos estará lá…    CARTA DA CBB… Enfim, o dia 21 junho de 2017 chegou e todos nós, amantes do basquete brasileiro, tivemos a notícia mais aguardada e a primeira grande meta alcançada pelo time Transparência, ou seja, a Federação Internacional de Basketball (FIBA) anunciou o fim da suspensão aplicada, devido a falhas administrativas gestão anterior, a Confederação Brasileira de Basketball (CBB). Trata-se de um dia a ser comemorado, pois recoloca o Brasil em evidencia positiva e nos dá a chance de fazer ainda mais ações em prol do crescimento e desenvolvimento do esporte que tanto amamos. Gestão de Guy Peixoto a cada dia vai recuperando a credibilidade do nosso Basquete. Parabéns!!!   LIVRO DO “NEGÃO” Recebendo Convite para o grande Lançamento do Livro do Alcino ( Negão Motoroa ), do Jornalista Mauro Tavernad e que vai acontecer no próximo dia 27, terça-feira na Sede Social do Clube do Remo as 19 horas. Só lembrando que a  Apresentação (4° capa) é feita pelo Marcos Eduardo Neves, autor do livro do Heleno de Freits, que virou filme estrelado por Rodrigo Santoro. A orelha é do Carlos Castilho e prefácio de Ferreira da Costa. Ficou Show!!!  TEMPERO… Apesar da derrota para o Botafogo da Paraíba na última rodada o Remo hoje entre em campo contra o Moto Clube com várias mudanças e um novo tempero no ataque. Torcida azulina quer ver Pimentinha na sua estréia com a camisa azulina e formar a velha dupla do Sampaio com Edgar. Cobertura total da Rádio Clube e 99 FM.

24 de junho de 2017 at 12:36 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.06.17

Uma aposta na ousadia

 

A notícia surpreende positivamente: setoristas do Remo informam que Oliveira Canindé vem escalando Eduardo Ramos e Flamel no time titular. Todos lembram que, na semana passada, o treinador disse que ambos não poderiam atuar juntos, por terem supostamente características parecidas. É uma mudança de conceito que pode vir a beneficiar o Remo com a formação de meia-cancha mais qualificada.

Flamel ainda se recupera da longa inatividade, mas, em forma, será peça de grande valia para aumentar o poder de fogo do ataque. Canindé não disse, mas deve ter observado que Ramos e Flamel não se anulam jogando juntos. Pelo contrário, ambos se complementam.

Ramos fica na organização, enquanto Flamel se encarrega da aproximação com o ataque, preferencialmente pela direita em triangulações com o lateral (Léo Rosa) e o homem de frente (Pimentinha). Dependendo do jogo, podem trocar de função, sem prejuízo para a evolução do time.

Quanto à outra preocupação de Canindé – o enfraquecimento da marcação –, cabe observar que a qualificação do meio-de-campo leva ao aumento da posse de bola. E, com mais tempo de domínio, o time naturalmente diminui a pressão adversária.

De mais a mais, há que observar a questão do custo-benefício. O Remo já vinha atuando com uma peça a menos no setor de armação. Além de não marcar e de apoiar pouco, Mikael não tem os recursos de Flamel para jogadas de bola parada ou arremates de média distância.

Caso a intenção se confirme, o Remo sai ganhando, a começar pelo perfil do treinador, que revela um aspecto raro na atividade: a capacidade de se corrigir e mudar de ponto de vista.

 

 

Quem tem amigos (de verdade) nunca está sozinho

 

Depoimentos comoventes continuam a chegar à Rádio Clube, saudando a volta da emissora líder, após breve interrupção de sua programação. As manifestações partem de todos os cantos do Estado, comprovando a tradição regionalista e unificadora da emissora fundada por Edgar Proença há 89 anos, sob o slogan matador “a rádio que fala e canta para a Planície”.

Ninguém cala uma instituição, ainda mais quando esta tem fé pública – como poucas coisas neste Pará tão avacalhado – e incontáveis serviços prestados ao povo. Para milhares de paraenses, é impossível imaginar a vida sem Rádio Clube, vigoroso exemplo de resistência àquilo que dizem ser o crepúsculo do rádio AM.

Seus poderosos transmissores fazem com que as ondas da eterna PRC-5 invadam os lares há tantas décadas, tratando com intimidade os donos da casa e passando de geração a geração sem perder a magia.

Nós, operários do ofício radiofônico, devemos exprimir gratidão pelos que nos ouvem todos os dias, sem nunca deixar de confiar na sinceridade de nossos propósitos. É um privilégio sem igual falar para a grande confraria radioclubina – sim, a Clube não tem audiência, tem amigos.

O episódio da suspensão serviu para confirmar essa verdade. Afinal, é nos momentos de dificuldades que os verdadeiros amigos se manifestam.

 

 

Contra velho conhecido, Papão tenta reabilitação

 

Melhor adversário não poderia haver para o Papão do que este CRB que vai muito mal na Série B, desde já sob risco de rebaixamento (é o 17º colocado). Contratou Dado Cavalcanti para tentar mudar o ritmo da prosa, principalmente dentro de seus domínios. O Papão também vive fase difícil, com resultados negativos nas últimas cinco rodadas – três derrotas e dois empates em casa –, mas pode explorar o desespero do anfitrião.

Rogerinho, mantido no comando enquanto a diretoria procura técnico, tem nova oportunidade de mostrar seu valor. Uma vitória fora de casa pode alavancar a reação e – de quebra – respaldar o interino.

23 de junho de 2017 at 12:33 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.