Arquivo do Autor

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.7.17

PITACO – Magno (foto), tipo do jogador que chegou na hora certa para o Paysandu. Tem 23 anos, é de Belém, disciplinado taticamente e se destaca no Lobo. Muto elogiado!

Lá e Cá

Sobre Magno, ano passado foi solenemente ignorado pelos técnicos de plantão do Remo. No Independente trabalhou com Léo Goiano, Dudu e Martony, agora no Leão.

Médias de público pagante de Remo e Paysandu este ano em Belém: Leão – 8.211 (aumentará segunda) e Lobo – 7.631.

Ex-presidente Sérgio Serra homenageado pelos jogadores bicolores nas duas vitórias seguidas, contra Vila Nova e Náutico.

Clube de Suiço quem mais levou cartões amarelos na Segundona, totalizando 47. Recordista é Peri com 6 (Data-Saulo Zaire).

Paysandu este ano fez 29 contratações e o Remo 38; Rodrigo entrou só no segundo tempo no jogo passado no bicola, mas está na Seleção FI da 15ª rodada da Série B.

Apesar da precocupação, Paysandu absolvido de homofobia no STJD e só multado em 7,5 mil reais em favor da APAE-PA.

Observa-se que diretores do Papão não se importam muito com a maior conquista do clube e do futebol paraense, a Copa dos Campeões. Pouco apoio à festa do dia 4.8.

Por sinal, Lecheva, uma das atrações do jogo Campeão dos Campeões x Seleção do Brasil Máster, vai a São Paulo depois desse evento visitar familiares e se reciclar tecnicamente.

Volante França, do Remo, tem 90 tatuagens no corpo. É mole!

Léo Goiano bate cabeça para escalação dos laterais contra o ASA. Meio campo deverá ter França, Dudu e Eduardo Ramos e, no ataque, Pimentinha, Luiz Eduardo e Edgar.

Com efeito, Léo Goiano ganhou respeito ao afastar Edgar do treino e substituir Eduardo Ramos em Fortaleza. Pra ele em 1º lugar o clube; Levi, meia, opção também para lateral esquerda.

Sou contra premiação no Leão por bom resultado, mesmo fora. Deveria acontecer sempre que se  mantivesse no G4.

De alta relevância o processo de capoeiraterapia por que passam 25 detentas do CRF-Coqueiro, recuparando auto-estima, trabalho da diretora Carmen Botelho e capoeirista Dikcson Costa.

Brilhante Aline Costa (única mulher técnica da competição) e suas guerreiras do Pinheirense no 2×1 na Portuguesa, no Canindé, encaminhando 8º título nacional do futebol paraense.

General está invicto há 10 jogos, tem a artilheira do feminino A2, Irley, 10 tentos, e precisa de apoio, dia 26.7, 17h, na Curuzu.

Anúncios

20 de julho de 2017 at 7:31 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 19.7.17

PITACO – Volante França (foto), que estreará contra o ASA, veio para o Remo por melhor salário. Seu vínculo com o Londrina termina em 30.11 e está emprestado ao Leão Azul até 31.10.

Lá e Cá

Paysandu bateu Náutico (1×0), Bérgson fez seu 16º gol em 27 jogos no clube (0,59 por partida), chega ao equilibrio (5 vitórias, 5 empates e 5 derrotas) e 44% de aproveitamento.

Lobo quebrou jejum de 10 anos sem vencer o Timbu, perdeu Peri e Capanema pelo 3º cartão, Marquinhos Santos com aproveitamento de 53% e presidente Tony Couceiro é pé quente.

Paysandu contratou zagueiro Diego Ivo, 28 anos, 1,88m, 84 kg, revelado no Avai e que estava no Moureirense de Portugal.

Hoje, o julgamento no STJD do Paysandu pelo caso de homofobia no jogo de 1×1 com o Luverdense, na Curuzu, na estreia do técnico Marquinhos Santos. Dr. Osvaldo Destário na defesa.

Dr. Bruno Castro, novo diretor do Departamento Jurídico do Lobo. Felicíssima escolha. Competente e DNA bicolor de família.

Depois do Paysandu, na B, agora é o São Paulo, outrora bicampeão mundial de clubes, há 9 jogos sem vencer na Série A.

Portuguesa x Pinheirense, de hoje, jogo de ida de decisão do feminino A2, no Canindé, será 18h, com TV. Árbitra com nome esquisito é SP-FIFA: Regildênia de Holanda Moura.

Zagueiro azulino Bruno Costa na Seleção Futebol Interior da 10ª. Rodada da Série B.

Outro jogo do Remo passou para uma segunda-feira, a pedido da TV: Cuiabá x Remo, agora dia 31.7, na Arena Pantanal, 21h.

Matheus Lima, ex-atleta do clube e ex-presidente da FPB, coordenando as divisões de basquetebol do Remo. Sucesso!

Inscrições abertas até dia 21.7 para 7º Torneio Norte-Nordeste de Natação Máster, no Parque Aquático do Remo, dias 5 e 6.8.

Paysandu e Remo vem mantendo há algum tempo patamar de 30 e 50 reais nos ingressos de seus jogos aqui. De bom tamanho!

Assessorias de Comunicação de Remo e Paysandu fazem belo trabalho. No Leão, Rafael Grahim, Fábio Will e Tati Dias.

No Lobo, Pedro Loureiro (diretor), Jorge Luiz Totti (executivo), Jorge Luiz Lopes (futebol profissional), Ronaldo Santos e Vitor Castelo (outros esportes) e Fernando Torres (fotógrafo).

Meia paraense Marquinhos, destaque na Copa SP, guindado ao grupo principal do Corinthians, onde já está outro daqui, o volante Warian Santos (Ameixa).

 

19 de julho de 2017 at 7:30 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 18.07.17

A hora da arrancada

 

Sem Rodrigo Andrade e Augusto Recife, suspensos, o Papão recebe hoje à noite o lanterna do campeonato com boas possibilidades de consolidar sua recuperação. O recente giro fora de casa rendeu quatro pontos importantes. Um triunfo em casa deixará a equipe definitivamente dentro do blocão intermediário da competição.

Marquinhos Santos tem sido até aqui uma grata surpresa. Chegou sob desconfianças generalizadas, mas, aos poucos, vem impondo seu trabalho e exibindo um jeito interessante de armar o time, buscando soluções inteligentes onde antes só havia preocupação em não perder.

Acima de tudo, o novo treinador tem ido além do que se esperava no processo de fazer com que o grupo readquira a confiança em suas próprias forças e passe a pensar positivamente quanto à evolução no Brasileiro.

A Série B é, por natureza e tradição, um campeonato marcado pelo equilíbrio. Em comparação com as demais divisões, é seguramente a mais parelha, com muito mais times do mesmo nível.

O Papão está entre as equipes de porte médio quanto a investimentos, abaixo de Internacional, Goiás e Santa Cruz. No aspecto técnico, tem um elenco que se equipara a quase todos os demais competidores, daí a importância de encaixar uma sequência vitoriosa para voltar a ficar entre os times que brigam por uma vaga no G4.

Com mais seis pontos ganhos, o Papão pode encostar definitivamente na parte superior da classificação, o que significa resgatar o amor próprio e passar a ser respeitado pelos demais adversários.

Por tudo isso, o confronto contra o Náutico tem máxima importância, pois representará a coroação de um processo de ascensão técnica que se iniciou fora de Belém nas partidas contra Criciúma e Vila Nova-GO e que precisa ser continuado a partir de agora.

Até então, o Papão acumulava nove resultados negativos e crescentes evidências de desânimo em campo. A virada do disco pode estar começando, propiciando uma daquelas arrancadas empolgantes que a Série B já assistiu em outras edições.

Sem a presença de seu melhor jogador, Rodrigo Andrade, o Papão terá necessariamente que praticar um jogo ofensivo, de sufoco, a fim de intimidar o visitante desde os primeiros movimentos.

O provável ataque com Bergson e Marcão, tendo Magno na aproximação, é uma boa aposta. Ficaria mais ágil e qualificado na chegada se lhe fosse adicionado um meia-armador – Fábio Matos ou Diogo Oliveira –, a fim de garantir que as jogadas possam fluir em torno da área pernambucana.

 

 

Mecenas a serviço da Estrela Solitária

 

Os irmãos Waltinho e João Moreira Salles sempre foram empedernidos botafoguenses. Inúmeras vezes já abriram os cofres do grupo empresarial da família para socorrer a Estrela Solitária. De maneira quase anônima, diga-se. Sem sair trombeteando por aí, como é praxe nesses dias de pouca humildade e muito espalhafato midiático.

Pois agora, empolgados com a heroica trajetória botafoguense na Taça Libertadores, derrubando até aqui cinco ex-campeões continentais com um time obreiro e sem astros, Waltinho e João decidiram presentear o clube de coração com um empréstimo de pai para filho que permitirá a construção de moderno Centro de Treinamento em Jacarepaguá (RJ).

Os manos repassaram R$ 20 milhões ao Botafogo, que já providencia a compra de vasta propriedade (200 mil metros quadrados) para abrigar o CT. Vale dizer que tanto o fotógrafo João quanto o premiado cineasta Waltinho já puseram algo em torno de R$ 40 milhões no Glorioso.

Desta feita, para não parecer doação a fundo perdido, o empréstimo será quitado com a participação de 20% em todas as transações envolvendo atletas do Botafogo, o que é mais do que justo.

 

Tempo fechado no Tricolor do Pici

 

O descontentamento da torcida por mais um tropeço do Fortaleza dentro de casa – o empate por 1 a 1 com o Remo, domingo – deflagrou uma verdadeira caça aos jogadores tricolores, logo depois do jogo realizado no estádio Presidente Vargas.

Edimar foi um dos agredidos a socos e pontapés, Leandro Cearense teria sido atingido também e outros atletas conseguiram escapar simplesmente abrindo carreira em direção aos carros. O pandemônio expõe a situação delicada do técnico Paulo Bonamigo, ameaçadíssimo de demissão no clube.

E olha que o Fortaleza está no G4 da Série C.

18 de julho de 2017 at 7:29 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 18.7.17

BOLA PRA FRENTE – Sem badalação, técnicos Marquinhos Santos e Léo Goiano , pelo jeito, chegaram para mudar os rumos de Paysandu e Remo. É acreditar e torcer!

Lá e Cá

São 27 jogos na história de Paysandu e Náutico, 8 triunfos do Lobo (37 gols), 9 do Timbu (48 tentos) e 10 empates. Nas duas últimas vezes aqui deu Náutico, 1×0 (2015) e 3×1 (ano passado).

Com o grupo Novos Rumos no Paysandu, desde 2013 até agora foram contratados 151 jogadores, 12 técnicos e 5 executivos. Como o objetivo maior é a Série A muito dinheiro desperdiçado.

Nando Carandina (volante) apresentado no bicola e falando em acesso; Bérgson de volta hoje; PF Rony Silva fora por expulsão.

Lamentável os desligamentos dos irmãos Ulisses e Ícaro Sereni de tudo no Paysandu; Alexandre Pires novo vice de Operações.

Rodrigo Andrade na Seleção Futebol Interior da 14ª. Rodada. Aliás, com Rodrigo Andrade em campo o Paysandu apresenta 58,3% de aproveitamento e sem ele 16,6% (PaysanduStats).

Sandro Goiano, Gino, Luis Fernando, Marcão, entre outros de fora, além dos que moram aqui, na grande festa dos 15 anos da conquista da Copa dos Campeões, dia 4.8, 19, Mangueirão.

Jogo do Paysandu da época será contra Brasil Máster, que tem a coordenação do Paulo Bolou, em Belém tratando do evento.

Léo Rosa, Ilailson e Jaquinha precisam reaprender a jogar ou perdem vagas no Remo; camisas não pesaram em Dudu (Leão) e Magno (Lobo).

Igor João voltará ao Leão, dia 24.7, no lugar de Leandro Silva (3º cartão); volante França cotado para estrear; uma vitória frente ao ASA colocará os azulinos no G4.

Ex-presidente Raphael Levy (campeão Série C de 2005) esteve em Fortaleza prestigiando o Remo, no PV.

Impressionante com técnico Walter Lima não emplaca: agora eliminado da Série D com o São Francisco (passará 1,5 ano parado). Enquanto isso Santos-AP e Gurupi-TO vão seguindo.

Jovem e brilhante goleira do Pinheirense, Rosany, tem como preparador específico seu proprio pai Rosivaldo. Em família!

Chapa da situação inscrita para eleição do dia 4.8 da FPF (Adélcio Torres, Maurício Bororó e Paulo Romano). Candidatura única.

VIII Corrida e Caminhada do Engenheiro, dia 6.8, no Parque do Utinga. Inscrições www.clubedeengenhariapara.com.br. Contatos 32302096 e 32251977.

Soure venceu a 2ª Regional dos Jogos Abertos do Pará-2017, com 73 pontos. Participaram 528 atletas de 10 municípios.

18 de julho de 2017 at 7:28 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 17.07.17

O fim do pesadelo

 

Vencer é importante em qualquer competição. Fora de casa, mais ainda. Quando significa a redenção dentro de uma campanha, aí a coisa ganha contornos mais significativos. Foi exatamente o que se passou no sábado à tarde, em Itumbiara-GO, quando o Papão quebrou a longa série de resultados ruins com um triunfo de virada sobre o Vila Nova.

E não foi por acaso.

O Papão saiu derrotado do 1º tempo, mas foi amplamente superior no segundo período. Construiu a virada com gols elaborados, nascidos de jogadas organizadas e inteligentes.

Aos 7 minutos, Marcão escorou para as redes depois de um cruzamento certeiro de Rodrigo Andrade. Por volta dos 30’, veio o desempate: Rodrigo encobriu o goleiro depois de receber passe perfeito de Fábio Matos.

Um panorama inteiramente diverso do que se viu no começo. O Vila Nova começou melhor, aproveitando-se da rapidez de Moisés e boas jogadas com Alex Mineiro para confundir a marcação. Botou uma bola na trave e criou várias situações perigosas. Após os 20’, arrefeceu a pressão e o Papão respirou um pouco e chegou a ameaçar em dois momentos.

Mas, no finalzinho, um cruzamento da direita explodiu no braço do zagueiro Lombardi, que se postou erradamente para cortar a bola. Nascia ali o gol de abertura, em pênalti convertido por Alex Mineiro.

O 2º tempo teve um Papão bem articulado, saindo sempre em velocidade e conseguindo armar situações perigosas com as subidas de Rodrigo Andrade, sempre surpreendente nas chegadas à área adversária e decisivo para o resultado final – cruzou a bola no primeiro gol e finalizou com extrema perícia no segundo.

A vitória traz tranquilidade ao trabalho de Marquinhos Santos e reflete o êxito do plano tático empregado, com três volantes e um atacante (Magno) que volta para compor o bloqueio e dois homens na frente. Nessa configuração, Rodrigo é peça de fundamental importância. Expulso, junto com Augusto Recife, é desfalque sério para amanhã contra o Náutico.

 

 

Apesar dos pesares, Leão arranca bom empate

 

O Remo teve uma atuação razoável em Fortaleza, ontem, e conquistou um bom resultado contra adversário direto pela classificação. Saiu na frente, teve chances de ampliar, mas cedeu o empate ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, apesar da pressão do Tricolor cearense, o placar se manteve inalterado. O time mostrou mais organização e evoluiu na marcação em comparação com partidas anteriores.

Aos 10 minutos, encaixou uma jogada de qualidade e marcou um belíssimo gol. Eduardo Ramos e Luiz Eduardo entraram tabelando na área adversária, com o centroavante disparando rasteiro no canto direito do gol tricolor. O Fortaleza sentiu o baque, mas foi à frente e acabou empatando através do estreante Paulo Sérgio.

Com Edgar e Flamel no time, substituindo a Luiz Eduardo e Ramos, o Remo mudou de comportamento, passando a esticar bolas para as pontas, explorando a velocidade de Edgar e Pimentinha, que teve excelente atuação nos dois tempos.

Apesar das limitações nas laterais, com Léo Rosa e Jaquinha em noite tenebrosa, o Remo teve mais chances que o Fortaleza para chegar à vitória. Pimentinha escapou pelo meio e ficou de cara com o goleiro Marcelo Boeck, que rebateu. Depois, Edgar perdeu duas chances claras.

Na primeira jogada, acionado por Flamel, invadiu a área e perdeu o tempo do chute, cruzando rasteiro para Jaquinha, que chegou prensado com os zagueiros. Depois, em cruzamento alto de Léo Rosa, preferiu também tocar para o interior da área ao invés de cabecear direto. Aparentou certa indolência nos lances. O incidente com o técnico Léo Goiano no treino de sexta-feira pode ter influenciado em sua atuação.

No geral, faltou mais consistência nas saídas para o ataque, mas o setor defensivo resistiu bem à pressão final do Fortaleza, principalmente no miolo da área, com Leandro e Bruno Costa. As laterais não funcionaram e precisam de urgentes mudanças. No meio, apenas Dudu se sobressaiu. Ilaílson voltou a errar muitos passes, exagerando nas faltas.

17 de julho de 2017 at 4:57 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 17.07.17

O PAPÃO ENGOLIU O ELEFANTE

Como sempre digo, nossos clubes às vezes engolem elefantes, outras se engasgam com mosquitos. Isso tem acontecido muito por aqui. No sábado, depois de nove jogos sem saber de vitória, o Paysandu desbancou o Vila Nova-GO dentro de seus domínios, se levarmos em consideração que Itumbiara é lá dentro. O Papão dominou seu adversário com inteligência, marcando bem e saindo para os contra-ataques com eficiência. Lombardi cometeu o erro fatal no final do 1º tempo ao abrir o braço direito dentro da área na direção da bola e foi marcado o pênalti acertadamente. Pensei até que o Papão iria jogar um 2º tempo acuado, mas não, partiu para cima, conseguiu o empate e virou o jogo, marcando três pontos, saindo do Z4. Um integrante do Z4 desbancando outro do G4, ou seja, um mosquito engolindo um elefante. Difícil, não impossível!

ALTA TEMPERATURA

Belo feito até agora das meninas do Pinheirense que conseguiram subir para a elite do futebol feminino, desbancando as moças do Caucaia-CE com dois belos resultados. Agora as meninas do General da Vila enfrentarão a Portuguesa-SP, quarta agora no Canindé às 16:30, decidindo em Belém, dia 26, no estádio da Curuzú. O título só viria a coroar essa bela campanha do Pinheirense feminino.

BAIXA TEMPERATURA

E a série D acabou para nós do Pará, primeiro com a saída precoce do São Raimundo, por irregularidades, depois de uma bela campanha na 1ª fase. No final de semana, o único que sobrou, o São Francisco, perdeu em Rio Branco para o Atlético Acreano-AC por 3×0. O Leão Santareno havia empatado em casa, 3×3, no jogo de ida e também deixou a competição. Que fiquem as lições para 2018.

NO TERMÔMETRO

Marcão, o grande destaque do Paysandu no sábado em Itumbiara, marcou o gol de empate e cortou várias bolas na defesa. Marquinhos vai ter que arrumar lugar para o atacante amanhã, 19:15, contra o Náutico-PE. /// Se o Papão vencer amanhã o Náutico-PE, lanterna da série B, e os outros resultados ajudarem, o time poderá ficar entre os dez primeiros; o empate complica e a derrota, que ninguém pensa, complica ainda mais. /// E o vôlei feminino do Brasil ficou numa situação complicada no Grand Prix. Perdeu para a Tailândia por 3×0 e na madrugada de ontem dançou também para o Japão por 3×2. Perdia por 2×0, empatou, e no set decisivo chegou a estar vencendo por 14×13 quando erramos o saque e agora teremos que vencer todas em Cuiabá. /// E o Remo entrou em campo ontem pela série C, diante do Fortaleza-CE no PV. Uma bela tabelinha entre Eduardo Ramos e Luis Eduardo colocou o nove azulino de frente com o goleiro que fez 1×0; antes do final do 1º tempo o Fortaleza-CE empatou numa falha de marcação azulina. O Leão voltou com vontade de vencer e quase conseguiu aos 30 minutos, com Edgar, que havia entrado em campo, numa escapulida pela esquerda. Se o placar não foi excelente para o Remo, o resultado pode significar muito a partir da próxima rodada, até porque o Cuiabá-MT, que estava na rabeira, acabou vencendo em casa o Botafogo-PB no final da rodada por 1×0 e colou no Leão Azul. /// Mais uma vez o Remo vai pegar um lanterna em casa, no caso o ASA-AL, dia 24 de julho, tendo a obrigação de vencer para voltar ao G4, torcendo também por resultados ruins dos adversários. /// Labarthe botou a boca no trombone e declarou que irá à Justiça Trabalhista pelos seus direitos, depois de discordar pelo modo que foi dispensado. Não sei como anda a situação dos seus companheiros que também receberam o “bilhete azul”. /// Na verdade, o Remo de ontem foi infinitamente superior ao Remo dos últimos jogos, mesmo com algumas falhas. O jogo de ontem mostrou que Léo Goiano poderá acertar esse time daqui pra frente. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

 

17 de julho de 2017 at 4:56 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira- 16.07.17

Trivial básico variado

 

Em papo futebolístico com o amigo Edyr Augusto Proença, a respeito da última rodada do Brasileiro, concordamos integralmente quanto à superioridade de Corinthians e Grêmio na Série A atual. É uma avaliação de momento, sujeita obviamente a chuvas e trovoadas, intempéries normais do Campeonato Brasileiro. Não que estejam jogando o fino da bossa, mas fazem o suficiente para sobrar na competição até agora.

A razão do sucesso dos times de Fábio Carille e Renato Gaúcho é que ambos sabem manejar seus recursos com extrema funcionalidade, errando bem menos que seus concorrentes mais diretos. Não por coincidência, a última rodada mostrou vitórias de Corinthians e Grêmio como visitantes, desafiando equipes fortes e infladas pelo calor de suas torcidas.

Imperturbável, contra um estádio lotado, o Corinthians soube controlar o ímpeto do Palmeiras e levou a melhor num clássico que é sempre de dificílimo desfecho. Na comparação entre a produção de ataques, o Palmeiras foi amplamente superior.

Ocorre que a presença palmeirense no ataque não resultou em lances agudos; no máximo, gerava mediana sensação de perigo. Já o Corinthians quando chegava à frente era sempre agressivo. O Palmeiras fez o que devia fazer como mandante; o Corinthians buscou os atalhos com competência.

Acima de tudo, a equipe de Carille se mostrou melhor adaptada às circunstâncias e definiu os lances capitais com objetividade. Como gostam de dizer os boleiros, soube matar o jogo na hora certa.

O Grêmio não foi menos eficiente. Em visita ao Flamengo, foi fustigado ferocidade ainda maior do que a dos palmeirenses contra o Corinthians. Com a torcida inflamada, incendiando as arquibancadas, o Fla esteve em cima o tempo todo, cercando e buscando o gol.

Mandou bola na trave, forçou o goleiro Léo a inúmeras defesas arrojadas, mas não teve competência para transformar a pressão em gol. Do lado gremista, a defesa se defendia com dificuldade contra um adversário vibrante e rápido, mas o time armava contragolpes certeiros.

Quase ao final, Luan apanhou uma bola na intermediária, driblou dois marcadores, enganou um terceiro e – mesmo pressionado – disparou um chute certeiro, para abrir o marcador e decretar a vitória.

Iguais na aplicação tática e na força coletiva, Corinthians e Grêmio se diferenciam nas peças individuais. O time gaúcho tem jogadores mais decisivos com as bolas nos pés: Barrios, Pedro Rocha e o próprio Luan, talvez o melhor atacante brasileiro em atividade. O Timão tem Jadson, bom organizador, mas não tão agudo ofensivamente.

Acima de tudo, são equipes que praticam um futebol pragmático, de forte marcação e com aproximação entre os setores. Times operários, rápidos e determinados e que erram pouco.

 

 

Bola na Torre

 

Guerreiro comanda o programa, a partir das 21h, na RBATV. Tudo sobre a participação dos clubes paraenses nas competições nacionais.

Sorteio de prêmios e interatividade, via @bolanatorre (Instagram e Twitter). Na bancada, Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião.

 

 

Leão vai em busca da batida perfeita

 

O Remo estreia novo técnico, hoje, contra o Fortaleza e mostra um time bastante modificado em comparação com o das últimas rodadas. Além de a escalação priorizar jogadores regionais, há uma preocupação em tornar o time mais compactado.

Léo Goiano chegou na terça-feira e teve pouco tempo para treinar a equipe, mas definiu uma formação diferente, curiosamente mais próxima daquela que o torcedor vinha cobrando.

Do grupo de jogadores trazidos por Josué Teixeira para a Série C, só a dupla de zagueiros (Leandro Silva e Bruno Costa) permaneceu. Nas laterais, Léo Rosa e Jaquinha. O meio-de-campo terá na marcação Ilaílson, Tsunami e o estreante Dudu. Na criação, Eduardo Ramos, bem próximo dos atacantes Luiz Eduardo e Pimentinha.

Apesar de possuir um elenco no mesmo nível das principais equipes do grupo, faltou ao Remo nas nove primeiras rodadas a regularidade necessária para conseguir impor-se no campeonato.

Sem capacidade de envolver os adversários, sofreu em todas as rodadas, jogando dentro ou fora de casa. Mesmo quando venceu, não teve paz. Correu sempre riscos bobos na defesa e falhando nas decisões de ataque.

A mudança de postura pode (e precisa) começar hoje.

16 de julho de 2017 at 4:54 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.