BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 25.4.17

PITACO – Assim como o Remo e sua base guerreira, Val Barreto

(foto) ressurgiu das cinzas e foi herói contra o Independente,

depois de relegado inexplicavelmente. Valeu, Valotelli!

Lá e Cá

Chegada à final do Parazão dará suporte financeiro ao Remo e

fortaleceu Josué Teixeira, que só tem MR ao seu lado.

Prêmio que a base ganhou após a épica classificação azulina foi o

anúncio de 8 contratações para Série C. Continuam pensando em

quantidade e não qualidade.

Considerando as temporadas em que um também ganhou todos

os turnos, será a 58ª decisão RE-PA na história, até agora 31

títulos do Remo e 26 do Paysandu (57).

Lobo nos seus 46 títulos ganhou 26 vezes o Leão em decisão, 9 a

Tuna, 3 o União Esportiva, 1 o Luso Brasileiro, Guarany, Águia,

Ananindeua, Paragominas, Castanhal, S. Francisco e S.Raimundo.

O Leão Azul nas suas 44 conquistas, 31 foram vercendo o Papão,

9 a Tuna, 1 o Norte Clube, Sport Belém, Águia e Independente.

A Tuna tem 10 títulos, 1 em cima do Nacional, 5 sobre Paysandu,

4 frente ao Remo; União 2 títulos contra Sport Pará e Guarany;

Cametá 1 sobre o Remo e Independente 1 diante do Lobo.

Já se foram 104 campeontos e este é o 105º. Dados dos

pesquisadores Ferreira da Costa e Jorginho Neves.

Luverdense fora da final do matogrossense, foca CV e Série B.

Maratona do Paysandu incluiu jogo de ida com LEC (agora em

Cuiabá, 4.5-20:30h) entre os dois RE-PA da decisão do Parazão.

Se o Paysandu ganhar a CV (final pela 1ª vez em Belém-16.5,

20h), entrando de novo nas oitavas da Copa BR 2018, colocará

direto nesta competição Remo, São Raimundo e Independente.

Santos para amanhã contra o Papão: Vanderlei, Victor Ferraz,

Lucas Veríssimo, David Braz e Matheus Ribeiro, Tiago Maia,

Renato e Lucas Lima, Vitor Bueno, R. Oliveira e Bruno Henrique.

Jogo da Copa BR marca retorno do Peixe ao seu estádio (Vila

Belmiro) onde não atua desde 29.3 (3×1 no Novorizontino-

Paulistão). Ingressos à venda a partir de 40 reais.

Enquanto o bom volante e meia Ratinho (19 anos), do

Paragominas, ainda não teve interessado, Pimenta foi para o São

Raimundo e Fidelis reforçará o São Francisco (Série D).

Trio de arbitragem de fora para decisão do Parazão (comum

acordo) e Paysandu pedindo antidopping.

Força tarefa cuidando da limpeza e pintura do Mangueirão,

enquanto uma reunião na quinta definirá segurança do RE-PA.

25 de abril de 2017 at 12:22 pm Deixe um comentário

Papo do 40° – Ronaldo Porto – 24.04.17

O Paysandu fez sua parte nas semifinais do Parazão, eliminando o São Raimundo de Santarém, empatando lá, 0x0, e vencendo em Belém no sábado à noite por 3×1, três gols do avançado Bergson que finalmente deu o ar da sua graça. O Papão venceu e ficou esperando pelo adversário da decisão.  No jogo deste domingo no Mangueirão, foi a vez do Remo pegar o Independente na partida de volta, uma parada duríssima, já que na ida, no Navegantão, havia perdido por 2×0. E o Galo foi logo fazendo 1×0 e parecia impossível o Remo se classificar. Mas os deuses do futebol estavam acordados no lado remista no segundo tempo e o Leão empatou aos dois minutos com Igor João, fez 2×1 com Tsunami aos 40” e logo em seguida, aos 42” chegou ao terceiro gol com João Vitor. Conseguiu na base da superação a vitória por dois gols de diferença que levaram a decisão nos penais e aí todos sabem o que aconteceu, 10×09 nos penais para o Leão Azul que irá fazer as finais diante do Paysandu. Cozinharam o Galo!

ALTA TEMPERATURA

O Paysandu chegou a mais uma final na Copa Verde e pode conquistar o bicampeonato, mais um título para as vitrines bicolores. Depois na fase inicial o Papão tirou Águia e Santos-AP do seu caminho e agora vai pegar o Luverdense-MT, que eliminou nas semifinais o Rondoniense-RO com duas vitórias, dentro e fora de casa. Lembrando que o título só dá direito ao Papão participar da Copa do Brasil 2018 a partir das oitavas de finais.

BAIXA TEMPERATURA

Esses acontecimentos nos bastidores do Clube do Remo, antes da decisão diante do Santos-AP pela Copa Verde e na semana da decisão contra o Independente pelo Parazão, não são histórias novas, já vêm de muito tempo. O presidente azulino prestigiou o treinador em detrimento a alguns jogadores do Leão que não estavam rezando a cartilha do Sargento Josué. Parece que deu certo e o Remo se classificou contra o Galo. A partir de hoje o presidente Manoel Ribeiro vai tomar as providências para sanar os problemas. Vamos aguardar o que vai acontecer a partir de hoje.

NO TERMÔMETRO

Antes da decisão de ontem, o técnico Léo Goiano do Galo encheu o Remo de elogios, falando principalmente dos garotos da base. Quando perguntado se os primeiros 15 minutos seriam os mais difíceis, respondeu de pronto: – não serão apenas 15, mas os 95 minutos de toda a partida! E sua preocupação estava correta, pois os gols que levaram a decisão para os penais saíram aos 40 e 42 minutos do segundo tempo. /// Na semana passada o Papão já havia se livrado do Santos-AP por outra competição, a Copa Verde, já sabendo hoje que enfrentará nas finais o Luverdense-MT, que passou no Rondoniense-RO. Se livrou de um Santos e vai pegar outro na Copa do Brasil, o Santos de São Paulo, uma parada mais indigesta. /// O Remo ganhou de cota no jogo de ontem apenas 50 mil reais, só que levou de meritocracia mais 120 mil reais de uma casa bancária. /// Dias 30 de abril e 07 de maio as datas das decisões do Parazão 2017 entre Remo e Paysandu. Pelo andar da carruagem parece que teremos arbitragem de fora, depois de termos em Belém um árbitro FIFA. Ingressos, segundo um dirigente azulino, deverão ficar na casa dos 40/50 reais. /// Marcelo volante e Danilinho meia ambos do Itumbiara, Mikael atacante do Passo Fundo, Bruno Santos meia atacante do Uberlândia e João Paulo volante, são os nomes dos reforços do Remo para a Série C, informações fornecidas pelo diretor de futebol Magnata. /// Coisas da vida: o mesmo João Victor que fez o gol dos 3×1, que levou a decisão para os pênaltis, perdeu o pênalti número um; Anderson do Galo que acertou o primeiro pênalti, foi o mesmo que perdeu o décimo segundo; Val Barreto, que fez o segundo pênalti para o Leão, voltou a fazer o décimo segundo quando o Remo venceu a decisão por 10×09. Coisas da vida! /// Os três gols do Remo vieram de jogadores da base: Igor João, Tsunami e João Vitor. Precisa dizer mais alguma coisa? /// O Pantera amansou e deu gôgo no Galo. Melhor para o Remo que garantiu uma grana extra nos dois jogos diante do Papão. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

24 de abril de 2017 at 10:21 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 24.04.17

Com alma e transpiração

 

Igor João, Tsunami e João Vítor. Não por coincidência, três jogadores formados na base azulina garantiram a virada heroica sobre o Independente, forçando a disputa em penalidades – vencida pelo Remo, por 10 a 9. O ritmo do confronto foi eletrizante. Sem ninguém executando a ligação, o time remista sofreu com a falta de conexão entre defesa e ataque. Venceu pela vibração e capacidade de superação de seus jogadores.

Magno abriu o placar logo aos 12 minutos. Após fintar três marcadores, bateu de fora da área, surpreendendo André Luís. O que já era um tremendo desafio (vencer por três gols de diferença) se tornou um drama para o Remo, que precisaria fazer quatro gols para se classificar direto ou três, para provocar a série de penalidades.

Foram necessários quase 40 minutos para que o Remo se refizesse do baque sofrido com o gol. Jaquinha se lesionou e foi substituído por Lucas Vítor. Depois, o técnico Josué Teixeira substituiu Léo Rosa por João Vítor.

Depois do intervalo, o Remo voltou de ânimo renovado e simplificando as coisas. Sem criação no meio-campo, apelou para os cruzamentos na área. A estratégia funcionou. Logo aos 3 minutos, Marquinhos cruzou e João Vítor escorou de cabeça para Igor João desviar para as redes.

O empate entusiasmou os azulinos, mas não fez o Independente alterar seu ritmo. Fechado, liberava Wellington para organizar a saída e lançar Monga e Magno na frente. Apesar de muito presente no ataque, o Remo tinha dificuldades nas finalizações. O segundo gol só veio aos 40 minutos.

Edgar cobrou escanteio e Tsunami cabeceou de cima para baixo, virando o placar. O Leão foi todo ao ataque em busca do gol que faltava. E ele veio dois minutos depois: Gabriel cruzou para cabeceio perfeito de João Vítor. Aos 47’, Gabriel aplicou lençol dentro da área e quase ampliou.

Nos penais, o Remo saiu vitorioso, habilitando-se a disputar a final do campeonato. Do jeito como tudo se desenrolou ficou comprovado mais uma vez que alma e superação ainda podem operar pequenos milagres. Josué Teixeira, com imensos problemas para montar o time e crises bobas no front interno, sai como grande vitorioso desta semifinal.

 

 

Objetivo e seguro, Papão supera o Pantera

 

O confronto foi equilibrado. Em vários momentos, o S. Raimundo foi superior e criou oportunidades. Pecou nos detalhes e caiu pelos erros infantis de seus zagueiros, que determinaram a vitória do Papão. É justo dizer que, depois de um 1º tempo de fraco desempenho ofensivo, o time bicolor voltou mais organizado e rápido nas ações ofensivas.

Logo a 1 minuto de partida, Alexandre disparou um chute forte no travessão de Emerson. Instantes depois, o próprio Alexandre foi derrubado na área por Augusto Recife, mas o árbitro mandou seguir. O São Raimundo continuou fustigando, enquanto o Papão explorava os contra-ataques. Assim nasceu o gol de Bergson, aos 14 minutos.

Para o 2º tempo, o Papão voltou mais compactado, embora permitindo certa liberdade ao meio-campo do Pantera. Num descuido, aos 6 minutos, a bola foi lançada a Alexandre, que chutou rasteiro para empatar. O escore fazia justiça à produção dos times, mas o Papão decidiu forçar mais as jogadas com Leandro Carvalho em busca do desempate.

O segundo gol nasceu de uma jogada de Ayrton, que cruzou para Bergson na área. O atacante controlou a bola e foi empurrado por Wanderlan. Na cobrança do penal, o próprio Bergson anotou 2 a 1 para o Papão.

Confuso e fisicamente desgastado, o São Raimundo ainda cometeria outra falta bisonha dentro da área, dando o segundo pênalti ao Papão. Leandrinho derrubou Hayner junto à linha de fundo. O goleiro espalmou a cobrança, mas Bergson finalizou para as redes, sem marcação.

Sem fazer uma atuação esplendorosa, o Papão foi prático e objetivo para superar um adversário sempre difícil.

 

24 de abril de 2017 at 10:19 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 23.04.17

Caldeirão de emoções

 

Quando tudo parece caminhar bem, eis que o Remo entra em convulsão interna e alguma confusão acontece. Não é de hoje que essas arengas acontecem, tanto que o torcedor até já se acostumou. A polêmica da hora envolve o meia Eduardo Ramos, vetado do jogo contra o Independente por lesão, e a comissão técnica.

Ramos, que desfalcou o time nas duas últimas partidas, informou pelas redes sociais que jogaria até com uma perna só. Sua declaração soa como licença poética, pois em Macapá ele teve que ser substituído justamente porque não conseguiu jogar tendo a perna lesionada.

De sua parte, a comissão técnica informa que o atleta segue com uma lesão não cicatrizada na parte posterior da coxa. Como o jogador disse que foi vetado por opção da comissão, o técnico Josué Teixeira viu-se obrigado a informar que mostraria os laudos confirmando o problema médico.

Afirmou que só utiliza jogadores que estejam “trabalhando no campo, não fora dele” e acrescentou que “quem joga com uma perna só é saci pererê”. Desnecessário dizer o quanto a pinimba tumultua o ambiente e afeta a imagem pública do clube.

Tudo vai mal quando o principal jogador e ídolo da torcida entra em conflito aberto com o técnico, sem que surja alguém para contornar a crise. Como aconteceu no caso Edgar, o Remo sente falta de profissionais que saibam administrar problemas, evitando desgastes para a instituição. Grandes clubes não podem se sujeitar a situações dessa natureza.

Ao mesmo tempo, o Remo precisa estar forte e unido para tentar evitar a terceira eliminação em menos de quatro meses. Depois de sair da Copa do Brasil (perdeu para o Brusque) e da Copa Verde (derrotado pelo Santos-AP), terá pela frente o Independente na tarde deste domingo.

Para continuar sonhando com o título estadual, o Remo terá que vencer por três gols de diferença. Desafio e tanto para um time que não vence há três jogos, pegando um adversário empolgado e bem ajustado.

Mais do que gastar o latim em bate-boca na internet, a comissão técnica precisa de tranquilidade para achar a melhor formação possível em meio a tantas baixas. No treino de sexta-feira, Jaquinha foi encarregado da organização no meio, com Jayme, Edgar e Gabriel no ataque.

São peças que podem dar ao Remo a agressividade necessária para tentar reeditar o pequeno milagre de 2014, quando reverteu um placar adverso em cima do próprio Independente. Naquele ano, porém, o Leão tinha um time mais forte e contava com reforço extra: o caldeirão do Baenão.

 

 

Galo Elétrico tem boa vantagem na decisão

 

O Independente reúne credenciais interessantes. Foi o único a derrotar a dupla Re-Pa neste campeonato e cumpre campanha regular, sob o comando de Léo Goiano, que se preocupou em montar uma equipe rápida nos contra-ataques e sólida na marcação. A defesa é segura, liderada por Ezequias. Chicão e Wegno são os homens que comandam o meio-campo, ajudados por Mocajuba na ala esquerda. Magno e Monga são os atacantes, ambos situados entre os principais artilheiros da competição.

Com a boa vantagem de 2 a 0 estabelecida na partida de ida, o Galo Elétrico vem ao Mangueirão para segurar a pressão remista, apostando em encaixar uma bola para liquidar a fatura. Caso faça um gol, obrigará o Remo a fazer quatro. O Independente irá jogar em cima do desespero e da pressa dos remistas.

 

 

Bola na Torre

 

Guilherme Guerreiro comanda a atração, a partir das 20h45, na RBATV. Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião compõem a bancada.

23 de abril de 2017 at 8:02 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 22.04.17

BOLA NA TORRE

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na

Torre vai ao Ar no Horário de 21:00 horas, agora antes do

Pânico na Band. Com a Cobertura total da rodada e os Gols

do Parazão. Guerreirão no Comando Estarei na Bancada com

Gerson Nogueira. Nosso Convidado será o Atacante Leandro

Carvalho do Paysandu. Mande a sua pergunta.

Antecipadamente. Participe pelo @bolanatorre

( Twitter e Instaram ) e Pelo ZAP 984752441

BASQUETE ESTUDANTIL

A Equipe de Basquete do Colégio Santa Rosa. Classificou o

Pará para a Série Ouro do Campeonato Brasileiro organizado

pela CBDE Confederação Brasileira de Desporto Escolar.

Competição disputada de 01 à 10 de Abril em Recife. Ficando

entre os 8 Melhores do Brasil. Essa mesma equipe classificou

o Pará para a Primeira Divisão dos jogos Escolares da

Juventude. Sendo Campeão da Segunda Divisão em

novembro do Ano passado. Parabens ao Professor e

comandante do projeto Aguinaldo Costa (Guinah)

HISTÓRICO…

Do Santos adversário do Paysandu na Copa do Brasil com o

futebol paraense sempre foi em jogos marcantes. Contra o

próprio Paysandu marcou a despedida de Robinho no

Campeonato Brasileiro de 2005 quando foi vendido ao Real

Madrid e tinha o paraense Giovanni na sua última temporada,

o Santos venceu por 3 a 2. E contra o Remo em 2010 tinha

Neymar considerado o melhor do Brasil ao lado de Paulo

Henrique Ganso e a vitória do Peixe foi de 4 a 0. Primeira na

Vila Belmiro e a Decisão da Vaga no Mangueirão é jogão e de

casa cheia…

PUNIÇÃO…

Presidente da CBB – Confederação Brasileira de Basquete

Guy Peixoto joga todas as fichas junto a FIBA mostrando os

Planos da Nova Gestão na Recuperação do Basquete

Brasileiro e conseguir a Suspensão imposta desde de

novembro de 2016 a Seleções e Clubes de competições

Internacionais. As providencias foram tomadas e Auditoria

iniciada. Até o dia 4 de maio a Suspensão poderá ser

anunciada pela FIBA o que seria a primeira grande vitória da

Gestão Transparência. E vamos conseguir…

22 de abril de 2017 at 2:20 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 21.04.17

De peixe em peixe…

 

O Papão parece estar mesmo predestinado a enfrentar peixes neste começo de temporada. Na Copa Verde, acaba de superar o Peixe da Amazônia, valoroso representante amapaense. Passou, mas não sem sacrifício. Teve dificuldades no primeiro jogo, em S. Luís, e chegou a estar perdendo no confronto realizado em Belém. Com muito esforço e bom rendimento de algumas peças, acabou conquistando a vitória e a classificação para a final do torneio.

Nem bem superou o obstáculo regional, o Papão recebe a notícia de que terá outro peixe como oponente nas oitavas de final da Copa do Brasil. Desta vez, não será mais o genérico, mas o Santos original, dono de rica história e berço do Rei Pelé. O sorteio que definiu os cruzamentos foi realizado ontem, na CBF.

Para quem teve surrupiado o direito de disputar a Sul-Americana, pela conquista do título da Copa Verde em 2016, encarar a etapa mais qualificada da Copa do Brasil é um prêmio de consolação que dependendo das circunstâncias periga virar castigo. Venho afirmando isso desde que a CBF malandramente tomou do Papão o acesso à Sul-Americana, previsto no regulamento da CV até a edição passada.

A disputa com o Santos não será tranquila. Em situação normal, com o time que vem sendo utilizado na temporada, o Papão terá sérios problemas para superar o Peixe. A diferença técnica é óbvia. O clube paulista disputa a Libertadores e conta com um elenco qualificado, alinhando atletas do nível de Lucas Lima e Ricardo Oliveira.

Não é uma esquadra invencível, mas certamente entrará neste duelo como favorito. E é justamente o favoritismo santista que pode vir a aumentar as chances do Papão, que se apresenta como um franco-atirador, sem ter nada a perder. A obrigação de se classificar é toda do Santos.

Por outro lado, jogar a primeira partida na Vila Belmiro não favorece o Papão. O sorteio dos mandos realizado também ontem cria uma situação mais adversa para o representante paraense, principalmente do ponto de vista financeiro. Em caso de resultado vantajoso para o Santos, a expectativa pelo confronto em Belém diminuirá sensivelmente.

De toda maneira, a sorte está lançada e caberá ao Papão de Chamusca fazer a melhor participação possível, até mesmo para valorizar o prêmio de consolação criado pela CBF para compensar a exclusão da Sul-Americana.

 

 

Recado de um conselheiro azulino para Josué Teixeira

 

A coluna abre espaço para uma mensagem enviada pelo amigo Ronaldo Passarinho, um dos mais atuantes baluartes deste espaço e grande benemérito do Clube do Remo.

“Como um dos sócios mais antigos do Remo, tendo participado intensamente da vida de meu amado clube, agradeço ao espaço a mim dado pelo jornalista Gerson Nogueira para dizer-lhe do meu sentimento em relação ao que se passa no clube, agora. Considero que a sua presença como treinador do Remo é extremamente benéfica para os verdadeiros remistas. O que é mais importante na nossa gloriosa História é a salvação de seu patrimônio, criminosamente dilapidado por recentes ‘administrações irresponsáveis’ que estão a nos levar a terríveis dificuldades financeiras. Basta dizer que todos os nossos patrocínios estão bloqueados.

Com a destruição do Baenão somos obrigados a jogar no Mangueirão pagando taxas altíssimas. E a situação só não está pior pois graças ao Ricardo Ribeiro, temos um departamento médico moderno a gerar grande economia para nosso clube. Louvo, Josué, o seu esforço de formar um time modesto, sem estrelas e no geral, jovem, Muitos vieram de nossa base e não tiverem nenhuma oportunidade com ‘técnicos’ muitas vezes empresários, formando plantéis caríssimos sem qualquer retorno para nós. Quanto a contratações equivocadas que foram feitas, aprendi uma lição com o grande treinador Joubert Meira: ‘só não erra em futebol quem não contrata’. Por fim, parabéns pela coragem de trabalhar com jovens.

As estrelas que vieram para o Remo só nos levaram a Justiça do Trabalho a aumentar a nossa colossal dívida. Peço-lhe apenas que os reforços para a disputa da Série C sejam pontuais. Aumente a sua fonte de consulta com quem quer servir ao Remo, e não dele se servir. a) Ronaldo Passarinho, sócio do Clube do Remo, desde 1952.”

21 de abril de 2017 at 9:28 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 21.4.17

PITACO – O jovem árbitro Djonaltan Araújo (4 jogos no Parazão)

e o experiente FIFA Dewson Freitas (5 jogos), responsáveis por

arbitrar os importantes, Papão x Pantera e Leão x Galo. Sucesso!

Lá e Cá

Amanhã os 89 anos da querida PRC-5 Rádio Clube do Pará.

Quando cheguei à emissora ela tinha 35 anos. Muita história!

Paysandu e São Raimundo já jogaram 53 vezes, 35 vitórias

bicolores (124 gols), 7 panterinas (52 tentos) e 11 empates.

Remo e Independente têm história de 20 confrontos, 11 triunfos

do Leão (33 gols), 5 do Galo (23 tentos) e 4 empates.

Henrique, zagueiro do Remo, veio para o futebol paraense

através do técnico Léo Goiano (hoje no Independente), para o

Parauapebas em 2015.

Se não segurassem o Tsunami tinha jogador do Remo que não

atuaria domingo mesmo que ficasse bom da contusão. Égua!

Remo não perde no Mangueirão há 17 jogos e Paysandu, lá, este

ano, tem 3 vitórias, 1 empate e 1 derrota, exatamente pro Leão.

Mirita, zagueiro que já esteve aqui pelo Botafogo-SP e se

encontrava na Aparecidense-GO, reforço do Leão Azul.

Do técnico azulino Josué Teixeira: “não barro e nem libero

ninguém. O jogador é que perde espaço”

No Parazão 2017, dos 52 jogos já realizados, 22 vitórias foram

dos mandantes, 15 dos visitantes e ocorreram 15 empates.

Santos e Paysandu, adversários nas oitavas da Copa BR (1º na

Vila Belmiro) se enfrentaram 18 vezes, 14 vitórias do Peixe (48

gols), 2 do Lobo (15 tentos) e 2 empates.

Paysandu e Luverdense, que decidrão 4ª Copa Verde, pelejaram

em 14 oportunidades, 6 vitórias do Papão (21 gols), 3 do LEC (17

tentos) e 5 empates.

Jogadores do Paysandu contratados para Série B, se aparecerem

no BID até segunda (24.4) poderão jogar na Copa BR.

Do presidente do Santos, Modesto Roma Filho: “nosso

adversário na Copa BR, o Paysandu, não chegou aqui à toa.

Merece respeito, já esteve em Libertadores e tem torcida”

Os quatro semifinallistas do Parazão têm como característica

atuar no 4-3- 3. Alguém muda no final de semana!

Parodiando o argentino Dybala, da Juventus da Itália, Bilau do

São Raimundo que ser chamado agora de Dybilau. Danou-se!

21 de abril de 2017 at 9:24 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.