Coluna do Gerson Nogueira – 19.06.17

Um empate amargo

 

Incapaz de superar a forte retranca do Juventude, sábado à tarde, o Papão se conformou com o empate sem gols, completando quatro jogos seguidos sem vitória na Série B. O tropeço aprofundou a crise, forçou a saída do técnico Marcelo Chamusca e fez o time – que já esteve liderança do campeonato – cair para a 10ª colocação.

Desde os primeiros minutos, o jogo adquiriu um panorama que não mudou até o final. O Papão tinha a posse de bola e atacava muito, mas não conseguia ultrapassar as duas linhas de marcação montadas por Gilmar Dal Pozzo. O Juventude se mantinha atrás, sem se expor a maiores riscos e fazendo de vez em quando uma investida em contra-ataque.

Mesmo com essa postura cautelosa, o time gaúcho teve mais chances de gol no 1º tempo. O centroavante Tiago Marques esteve perto de marcar aos 12, aos 15 e aos 40 minutos. Na melhor oportunidade, ficou cara a cara com Emerson, mas pegou mal na bola, que saiu à esquerda da trave.

De sua parte, o Papão se atrapalhava nas próprias pernas. Apesar de ter campo livre para tocar a bola até a intermediária adversária, errava muitos passes e finalizações. Diogo Oliveira, encarregado de armar as jogadas, só apareceu no jogo ao disparar de fora da área, aos 22 minutos, fazendo o goleiro Mateus espalmar para escanteio. Depois disso, sumiu de novo.

Com cinco baixas importantes (Felipe Gabriel, Leandro Carvalho, Rodrigo Andrade, Augusto Recife e Wellinton Jr.), Chamusca foi obrigado a mexer na estrutura da equipe e optou pelas mudanças erradas. No meio-campo, por exemplo, preferiu Renato Augusto, pouco dinâmico, a Jonathan, que tem boa presença ofensiva.

Manteve Marcão na frente, com Bergson mais recuado. Como esperado, o artilheiro da equipe na temporada se movimentou pouco, sem arriscar nenhuma finalização. Já o centroavante completou oito jogos sem balançar as redes e teve atuação discreta. Sua participação mais destacada foi aos 25’ da etapa final quando desviou de cabeça e a bola quase entrou. O problema é que o cabeceio foi contra a trave bicolor.

No afã de sufocar, Chamusca chegou a ter quatro atacantes em campo – Bergson, Marcão, Daniel Amorim e Lucas Taylor. O mais produtivo foi Lucas, que buscou a linha de fundo e cruzou com perigo duas vezes. A insistência era inócua porque o repertório se resumia a cruzamentos, facilmente neutralizados pela zaga e pelo goleiro do Juventude.

Como o time não elaborava jogadas, o gol quase veio em lances fortuitos. Após rebote, Perema mandou a bola no travessão. Minutos depois, a bola resvalou no zagueiro e passou rente à trave de Mateus. Talvez para dar um toque de emoção à partida, o goleiro do Juventude soltou uma bola na área, aos 45’, mas Daniel Amorim não chegou a tempo para aproveitar.

No fim das contas, um resultado que só foi festejado pelo visitante, que veio a Belém disposto a não perder e cumpriu bem o plano de jogo. O Papão confirmou as piores impressões deixadas nas rodadas anteriores: um time frágil no meio-campo e inofensivo no ataque. Chamusca, contestado pela torcida, sai sem conseguir montar um time razoavelmente confiável.

 

 

Sob nova direção, Leão quer surpreender o Belo

 

A rodada da Série C foi inteiramente favorável ao Remo. Os adversários diretos empataram seus jogos, permitindo ao time paraense seguir no G4 independentemente do resultado do confronto de hoje contra o Botafogo-PB, em João Pessoa. Caso vença, ficará na vice-liderança da chave.

Será a estreia de Oliveira Canindé como técnico do Leão. Nos treinos da semana, ele priorizou a marcação e as saídas rápidas para o ataque. Características que a equipe já mostrava sob o comando de Josué Teixeira, embora falhando na cobertura da zaga e nos avanços pelas laterais.

A estrutura ofensiva se mantém, com Eduardo Ramos na armação e Edgar e Nino Guerreiro no ataque. Contra adversário que joga ofensivamente, Canindé vai apostar no contra-ataque para chegar à vitória. A conferir.

19 de junho de 2017 at 6:04 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 19.06.17

QUEDA BICOLOR IRRITA TORCIDA

O Paysandu até a 4ª rodada estava na liderança, parecendo que iria segurar a ponta por mais tempo, quando veio o tal do ABC-RN pelo caminho e foi aí que os problemas começaram, porque as vitórias não vieram mais – só derrotas – e um único empate em casa contra o Juventude-RS no final de semana que passou. De primeiro, o Papão veio para décimo lugar e por isso mesmo necessita uma vitória contra o Boa Esporte-MG para não cair ainda mais. Mesmo conseguindo vitória, o time dificilmente entrará no G4 de novo, em função dos outros resultados, porém precisa desses três pontos. Lembrando que o Papão está com 11 pontos, distante apenas dois pontos do G4 e três do Z4, ou seja, não é para desesperar, mas seria bom abrir os olhos. Ontem no final da manhã, não aguentando tanta pressão, Chamusca “teria” colocado seu cargo à disposição e a diretoria de pronto aceitou. Existe muita história no caso.

ALTA TEMPERATURA

Hoje é dia de Leão Azul diante do Botafogo-PB fora de casa pela Série C fechando a rodada e uma vitória por um gol de diferença colocará o Leão na 3ª posição. Se golear o Botinha, ficará na vice-liderança, mas se empatar também conseguirá subir uma posição. A derrota por até três gols não tira o Remo do G4. Todos os resultados da rodada ajudaram o Clube de Periçá, que agora precisa se ajudar. Esse técnico trouxe a sorte.

BAIXA TEMPERATURA

Dança de técnico sempre irá acontecer, mas do jeito que está hoje, o bom senso está passando longe. Pelo que li nas redes, e sempre na rede os boatos correm solto, Chamusca desde sexta já teria acertado com o Ceará-CE, que dispensou Givanildo Oliveira.  Mazolla Jr, que iria para o CRB-AL, entrou na lista bicolor desde quinta passada; disse não ao CRB-AL, que acertou com Dado Cavalcanti. Agora se fala que Mazolla acertou com o Ceará, ele que está fazendo curso de certificação na CBF. Só falta o velho Givanildo vir parar por essas bandas, eu não duvido nada.

NO TERMÔMETRO

Já estava na agulha a saída de Marcelo Chamusca do Paysandu caso se desse mal contra o líder Juventude-RS em casa. Sempre falei que seria um jogo complicado e para variar o Papão se complicou e complicou a vida do Chamusca. /// Hoje o Oliveira Canindé inicia sua caminhada no comando do Leão e, se vencer o Botafogo-PB lá em João Pessoa vai dar um passo importante. Vamos ver como está esse Fogão paraibano, na frente do Remo na classificação. Os resultados da semana ajudaram os dois times, mas como já disse, Canindé chegou em quarto lugar e poderá até chegar na vice-liderança. /// É sempre bom lembrar que depois do Bota, o Leão jogará em Belém diante do Moto Clube-MA, podendo começar sua caminhada para as partidas de ida e volta, tão esperado pela torcida. /// Rogerinho Gameleira, garantiram os dirigentes alvi-azuis, será o treinador do Papão no jogo de amanhã diante do Boa Esporte-MG, quando o Papão precisa vencer para diminuir os problemas. Como o Rogerinho sempre dirige bem o time, a galera espera uma grande e retumbante vitória. /// Times mocorongos não conseguiram vencer esse final de semana, mas também não perderam: São Raimundo empatou com o Fast em 1×1 dentro de casa e o Leão Santareno foi buscar empate no Acre, 0x0, diante do Rio Branco-AC, este já classificado em 1º no grupo. Como o Gurupi-TO estava vencendo o Baré-RR por 2×1 no fechamento da coluna, continuando assim o Mundicão terá o empate ao seu favor na rodada final fora de casa contra o próprio Gurupi-TO e o São Francisco precisará vencer o Genus-RO. /// Fechando a coluna e chega uma informação que Fernando Diniz está em conversação com a diretoria do Paysandu; PC Gusmão foi outro consultado, porém sem respostas alvissareiras. O certo é que o novo treinador assistirá amanhã Paysandu x Boa Esporte-MG nas cabines da Curuzú. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br esse Fogcomo estum passo importante. eo e para variar, o Pap lce que j

19 de junho de 2017 at 6:03 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 17.06.17

BOLA NA TORRE

Neste Domingão na RBATV – Canal 13 o Bola na Torre vai ao Ar no Horário de 21:00 horas, antes do Pânico na Band. Destaque para a Cobertura das participações
de Paysandu (Série B) e Remo (Série C) e ainda a Serie D com São Francisco e São Raimundo. Guerreirão no comando e na Bancada Gerson Nogueira e Valmir Rodrigues. Mande a sua pergunta Antecipadamente Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instaram ) e Pelo ZAP 984752441

 

 

TUDO COMO DANTES…

Foram alguns meses de balão de ensaio divulgação de Chapas, visitas as Ligas do Interior e muitas composições, porém nada mudará na Federação Paraense de Futebol. Com as desistências de José Ângelo Miranda e Luiz Omar Pinheiro, Adelcio Torres será aclamado dia 4 de agosto e terá como vices Mauricio Bororó e Paulo Romano. Só precisamos de uma Gestão Moderna e Criativa para o nosso futebol paraense.

 

 

 

Arraial da Machida…

Crianças e adultos vão poder cair no clima junino no Arraial da Machida. A unidade da academia localizada na Pedro Miranda recebe neste sábado (17), a partir das 17h, festa infantil com várias brincadeiras para a criançada e até touro mecânico. A partir das 20h, será a festa para os adultos. Tudo muito animado ao som da banda Balada.com e DJ Renato Sandres. É aberto ao público.

 

 

BASQUETE

Começou ontem em Belém a Copa Brasil Norte de Basquetebol, promovida pela CBB, Confederação Brasileira de Basquetebol, hoje sob a presidência do paraense Guy Peixoto. Com a participação do PSC do Pará e do Fast do Amazonas, e os jogos realizados no Ginásio Moura Carvalho, do PSC, ontem, hoje e amanhã, com o patrocínio da SEEL Secretária de Estado Esporte e Lazer, o vencedor terá o direito de participar da Super Copa de Basquete , que será realizada no segundo semestre deste ano.

 

17 de junho de 2017 at 6:00 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 17.06.17

Necessidade de superação

 

Mais do que superar o líder do campeonato, hoje à tarde, no Mangueirão, o time do Papão precisa provar que é confiável, competitivo e capaz de assegurar uma boa campanha na Série B. A vertiginosa queda de rendimento a partir da quinta rodada causou sérios estragos à imagem do time junto à torcida e diretoria.

Marcelo Chamusca não é o único alvo de críticas pela oscilação da equipe, que chegou a liderar por duas rodadas e de repente passou a perder todas. É claro que o técnico é sempre o mais visado nesses momentos, mas os jogadores também estão em xeque.

Para agravar ainda mais a situação, Chamusca não terá a força máxima no confronto diante do Juventude. Perdeu cinco titulares. Augusto Recife e Rodrigo Andrade estão lesionados. Wellinton Jr. está suspenso. Fernando Gabriel foi liberado para resolver problemas particulares. Leandro Carvalho foi afastado por indisciplina.

Nas entrevistas que concedeu desde ontem, o técnico fez uma explanação rica em projeções, mas distante da realidade atual do time. Chamusca pretende ter um meio-campo forte na marcação e que faça uma transição qualificada. Quer ainda ter pelos lados um jogo intenso e de profundidade, a fim de municiar o ataque, cuja referência é Marcão.

O jogo de terça-feira contra o Guarani demonstrou que há necessidade de boa saída pelos lados e nenhum aproveitamento de Marcão na área. Além disso, o Papão não teve um organizador eficiente, o que deixou a transição nos pés dos volantes.

Como queria tirar Marcão do isolamento, Chamusca optou por lançar outro atacante de área no segundo tempo. Daniel Amorim entrou para aumentar o potencial ofensivo. O tiro saiu pela culatra: Amorim e Marcão, pouco acionados, ficaram subaproveitados. Situação que não pode se repetir hoje.

Sem peças importantes como Rodrigo Andrade e Leandro Carvalho, as responsabilidades recairão hoje sobre Bergson, artilheiro do time na temporada, mas só poderá atuar por um tempo, pois não está plenamente recuperado. Como Wellinton e Leandro Carvalho estão fora, Chamusca precisa encontrar maneira de colocar Marcão no jogo, do contrário será forçado a sair da área, como contra o América-MG.

Gilmar Dal Pozzo arma o Juventude com duas linhas de marcação, o que obrigará Diogo Oliveira a agilizar a saída do Papão para o ataque. Para isso, as faixas laterais terão que funcionar bem mais do que nas últimas partidas. A alternativa será a entrada de Jonathan mais avançado pela esquerda e Hayner (ou Ayrton ou Tiago Mandí) pela direita.

O fato é que o Papão não vai poder esperar pela movimentação do adversário. Atacar com qualidade é a única forma de romper as barreiras defensivas de um time que faz da marcação seu principal trunfo.

Um tremendo desafio para Chamusca e seus comandados.

 

 

Torneio de preparação já viveu dias melhores

 

A Copa das Confederações começa hoje na Rússia esvaziada pelo risco de extinção e com pouquíssimas atrações. Alemanha, Portugal, Chile e México são as seleções que irão brigar pelo título e Cristiano Ronaldo é a estrela solitária do torneio. A ausência do Brasil, depois de 20 anos, tem sido mais destacada do que a presença de outras seleções.

A Copa que serve de laboratório para o Mundial sempre foi enjeitada por ser a prima pobre da festa maior. Com o passar do tempo, foi ficando também estigmatizada pelo azar que costuma impingir aos campeões, que dificilmente conseguem se sair bem um ano depois.

Nas nove edições, o Brasil foi assíduo participante e acumulou dissabores sempre que triunfou na competição. Dois exemplos: em 2005, o superataque com Adriano, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo e Kaká não engrenou na Copa da Alemanha; em 2013, no Brasil, um repeteco da situação com a vitória enganosa da Seleção de Felipão.

A não ser por CR7, que vive fase iluminada, os demais participantes não despertam grande curiosidade. A própria Alemanha, campeã mundial, está representada por um time experimental, sem as estrelas do título de 2014.

17 de junho de 2017 at 5:45 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 16.6.17

PITACO – Carlos Reis e Julio Lobato, da chapa “MUDA AP” (foto), intensificando reta final de campanha para eleição da Assembleia Paraense, dia 22.6. Pleito promete, com 3 chapas!

Lá e Cá

Paysandu e Juventude têm retrospecto de 10 jogos, 4 vitórias de cada, 2 empates, 11 gols dos bicolores e 10 dos gaúchos.

Lobo perdeu Fernando Gabriel que foi tratar de transferência para o exterior e antecipação do treino a fim de evitar protesto não teve Leandro Carvalho (alegou não saber da alteração).

Diretoria vai tomar providência por ser a 4ª  transgressão do jogador, mas correto seria colocá-lo pra jogar e cobrar depois.

Opção de time: Emerson, Hayner, Perema, Gilvan e Peri, Wesley, Capanema, Jonathan e Diogo Oliveira, Bérgson e Marcão.

Por sinal, Marcão atuou 6 jogos e sem marcar, lembrando Souza (20 jogos e 1 gol na 5ª partida) e Alexandro (13 partidas, anotando 1 gol no 2º jogo).

Juventude desde ontem em Belém e veio sem lateral esquerdo Bruno Collaço e meia Fahel. Treinará hoje à tarde no Baenão.

Botafogo-PB e Remo vão para 7ª partida na história, até agora 2 vitórias do Belo (5 gols), 1 do Leão (6 tentos) e 3 empates.

Provável equipe azul: Vinicius, Léo Rosas, Igor João, Leandro Silva e Gérson, João Paulo, Tsunami, Eduardo Ramos e Jayme, Edgar e Nino Guerreiro; treinos do Leão Azul de portões fechados.

Sérgio Frota, presidente do Sampaio, tem demonstrado desinteresse em liberar Pimentinha, até 3.7, mas mesmo assim diretor Magnata e o jogador vão prá lá hoje resolver a situação.

Pimentinha já recebeu 30 mil quando chegou, mesmo com a dificuldade financeira do clube e não pode atuar. Cada uma!

Remo teve 23 técnicos (isso porque repetiu Sinomar Naves) de 2008 pra cá (começou com Artur Oliveira e está em Oliveira Canindé), na busca incessante de chegar à Série B.

Amanhã, 2ª Regata Guajará-Altair Bezerra, na Marina Pública (antigo Iate Clube), com provas de remo olímpico, caiaque, canoagem havaiana e stand up. Tudo começa 8h.

São Raimundo promovendo ações para recuperação de gramado, iluminação e ampliação do seu estádio Everaldo Martins (Panterão). Quer jogar Parazão com medianos lá.

João Victor tratando de documentação e espera confirmação de data para seguir ao futebol português; Alfredo, ex-Lobo, a caminho do Portimonense lusitano.

16 de junho de 2017 at 5:57 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 15.6.17

PITACO – Sérgio Napoleão e Carlos Kizan (foto) encabeçam a chapa AP do Sócio, uma das concorrentes na eleição de 22.6

Lá e Cá

Base do Juventude-RS: Mateus, Vinícius, Domingues, Ruan e Bruno Collaço, Fahel, Lucas, Wallacer e Juninho, Tiago Marques e Ramon. Domingues, Fahel e Dal Pozzo, ex-bicolores.

Do time que eliminou o Papão na Copa BR de 2016 restam Ruan, Lucas e Wallacer. À epoca técnico do Lobo era Dal Pozzo.

Botafogo-PB, adversário do Remo na Série C tem a melhor defesa dos 128 times de todas as séries do Brasileiro. Goleiro Michel Alves só tomou um gol.

Base do Belo: Michel Alves, Gustavo, Plínio, Bruno Maia e Alyson, Djavan, Magno, Sapê e Clayton, Dico e Warley (39 anos, ex-Seleção Brasileira). Técnico Itamar Schulle.

Enquanto nas Séries C e D a programação inclui 1 jogo por semana e viagem a cada 15 dias, na Série B é um verdadeiro corre-corre. A Séria A é um misto das duas situações.

Marcelo Chamusca, de orelha ardendo, espera contar com Bérgson e R. Andrade, sábado; marrento Wellington Jr supenso.

Papão a 2 pontos do 4º colocado, mas perigosamente 3 acima do 17º; torcedores protestarão hoje na Curuzu contra o técnico, que está mais firme que uma rocha, segundo a diretoria.

Preparadores físicos regionais totalmente desprestigiados, pois qualquer técnico de fora traz o seu. Que a categoria tem a dizer?

Jogadoras de Pinheirense e Tuna se queixaram não poder usar vestiários do Mangueirão, ontem. Deu 1×1 no Brasileiro A2 e General continua líder.

Reflexo: como o Paysandu é transparente, observa-se no seu site  queda de 8 mil para 4.450 sócios adimplentes com as 3 derrotas.

São Raimundo de Santarém confirmando domingo o 1º lugar do grupo contra o Fast, decidirá 1º mata-mata em casa. Ótimo!

Oliveira é mesmo pré-nome do técnico do Remo: chama-se Oliveira dos Santos Lopes, nordestino autêntico de Canindé-CE.

Enfatizou, Canindé: “vou aproveitar o que estava certo  e corrigir o errado. Não há projeto aqui. Certo é ganhar próximo jogo”.

Pimentinha só deverá ser liberado após Sampaio x Remo, do dia  3.7; dispensados reintegrados para reavaliação de Canindé.

Torneio Aberto de Xadrex no Shopping Castanheira, 17 e 18.6 (91-32486213); judocas paraenses Thego Marques e Larissa Silva convocados para Seleção Brasileira do Parapan-Americano.

15 de junho de 2017 at 5:13 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 15.06.17

A pissica da camisa 9

 

O Brasileiro da Série B vem se constituindo num desafio e tanto para os centroavantes do Papão. Nos últimos anos, ninguém chegou nem perto da marca de Robgol, vice-artilheiro nacional em 2005 com 21 gols na Série A, sustentando uma disputa particular com ninguém menos que Romário, que só o ultrapassou na rodada final graças a dois penais esquisitos.

Depois de Robgol já passaram pelo Papão muitos centroavantes com passagem por grandes clubes e currículo de goleadores, como Alexandro, Betinho e Souza. Todos fracassaram inapelavelmente, sem conseguir se estabelecer com a 9 alviceleste (ou outro número qualquer usado pelo comandante de ataque) e deixando a torcida carente de um artilheiro de verdade.

Nesta temporada, o Papão já teve vários candidatos a homem-gol. Leandro Cearense, Alfredo, Marcão, Daniel Amorim. Todos foram superados por Bergson, principal artilheiro do clube,  mesmo quase sempre jogando fora da área. Por rendimento insatisfatório, Cearense e Alfredo já foram liberados.

Marcão, o titular do momento, vai pintando como a mais nova vítima da persistente pissica que atormenta os ocupantes da posição. Não conseguiu marcar nenhum gol, apesar de ser o titular absoluto desde a abertura da Série B.

Tem até se esforçado, recuando para buscar jogo, apesar de suas características de atuar como homem de referência na área. Nos outros clubes que defendeu, Marcão teve bom rendimento, principalmente explorando o jogo aéreo. No Papão de Marcelo Chamusca, ninguém até agora se lembrou de cruzar bolas na direção do centroavante.

Quero dizer que não há nenhuma jogada específica para que o atacante possa mostrar seu principal recurso, que é o cabeceio. Cansado de esperar Godot, Marcão andou ensaiando jogar em posição mais recuada e até investindo pelos lados. Fez isso – e muito bem – contra o América-MG, em Belo Horizonte, dando assistência preciosa para Leandro Carvalho marcar o 2º gol da vitória do Papão naquele jogo.

Muito elogiado por sua atuação em BH, atuou bem contra o Internacional, no Mangueirão, ficando bem perto de balançar as redes em duas ocasiões. Contribuiu bastante, mesmo como coadjuvante, para a boa campanha inicial no Brasileiro. O problema é que centroavante existe para mandar a bola para as redes.

Com a súbita queda da equipe, sofrendo três derrotas seguidas e despencando na tabela, as críticas se direcionam também ao homem encarregado dos gols. Como é comum no futebol, observa-se apenas a consequência, desprezando-se a análise da causa do problema.

O fato é que, levando em conta o sistema de jogo do Papão, é bom que a torcida se acostume com o fato de que dificilmente Marcão, Daniel Amorim ou qualquer outro poderá atender à função básica do centroavante.

 

 

O Remo e suas particularidades

 

Comentário de um grande azulino, que já trabalhou em várias gestões do Remo, depois das mais recentes notícias vindas do Evandro Almeida:

“O Remo está salvo, pois dois grandes reforços foram anunciados, Danilo Caçador e Roni. Rodrigo, formado na base e autor do gol na final do campeonato, vai ser dispensado. Boa política de ‘renovação e saneamento’ do plantel. Parabéns, Diretoria! Ah, parece que o Potita vai voltar também. Aliás, por que não reintegrar também o Josué¿”.

À noite, na festa de lançamento da nova linha de uniformes, um dirigente acabou levando sonora vaia ao declarar que era melhor esquecer o passado e pensar em coisas boas, dando como exemplo a campanha no campeonato estadual: “Nós fomos vice-campeões do Parazão, o que é muito difícil…”.

Depois da topada verbal do dirigente, a festa viveu seu grande momento com a entrada em cena do Rei Artur, último grande ídolo da torcida, aplaudido de pé ao desfilar com a nova camisa oficial. Junto com ele na passarela, uma surpresa: o argentino Nano Krieger,  centroavante que foi promovido de dispensável (via WhatsApp) a modelo no evento de lançamento do uniforme para a temporada.

Definitivamente, o Remo é um caso a ser estudado. Seus dirigentes parecem sofrer de uma crônica dificuldade em entender a lógica das coisas.

15 de junho de 2017 at 5:12 pm Deixe um comentário

Posts antigos Posts mais recentes


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.