Coluna do Gerson Nogueira – 28.05.13

28 de maio de 2013 at 2:30 pm Deixe um comentário

Torcida impõe eleição direta

Não houve dor, nem enfrentamento. O Conselho Deliberativo do Remo, que já havia confirmado a aprovação da proposta de eleições diretas no clube para 2014, aprovou ontem à noite a realização de assembleia geral no próximo dia 27 de julho para aprovação do novo estatuto. Significa que, a exemplo do que ocorreu na última eleição do Paissandu, o Remo finalmente adere à democratização do processo eleitoral.

É claro que a mudança tem a ver diretamente com a pressão nascida entre os torcedores, insatisfeitos com os rumos que o clube tomou e a ausência de transparência administrativa. Isso, porém, não invalida o posicionamento maduro dos conselheiros, que antes rejeitavam por completo a ideia de eleições diretas.

Contribuiu muito para agilizaR o processo, que estava emperrado há pelo menos quatro anos, o atual estado de coisas no clube. O futebol profissional, carro-chefe da instituição, vai de mal a pior. Há cinco anos sem título estadual ou qualquer outra conquista, o Remo está de novo sem divisão, em face de campanha infeliz no recente Parazão.

Sem sucesso nos gramados, a diretoria do clube padece de intenso desgaste desde o primeiro mandato. O movimento de oposição, surgido nas arquibancadas, prosperou principalmente porque o futebol vai mal e impulsiona o desejo de mudanças por parte da massa torcedora.

Cabe, porém, não perder de vista alguns aspectos decorrentes da mudança de estatuto para a próxima eleição. É importante que os associados, que passam a ter direito a voz e voto no clube, tenham consciência de sua responsabilidade na escolha de candidatos.

Dominado por antigas correntes políticas, algumas com um pé na velha guarda, o Remo de um momento para outro terá oportunidade de romper com o arcaico e abraçar a modernidade. Seria maravilhoso se o discurso tivesse o poder mágico de transformar a realidade. Infelizmente, as coisas não funcionam assim.

O clube precisará ter – talvez seja necessário formar – um corpo de eleitores qualificados, aptos a entender os anseios de transformação visíveis na massa torcedora. Ao eleger Vandick Lima, um ídolo da torcida, o Paissandu uniu tendências e premiou um candidato com razoável experiência em gestão. Mais que isso: sua eleição permitiu que se criasse uma administração compartilhada, com diálogo entre os diretores e espaço para cobrança e participação dos torcedores.

De certa forma, a própria escolha de Vandick estimulou a reação dos azulinos insatisfeitos com a situação do clube. Caberá aos remistas encontrar um meio de encaminhar a renovação, buscando nomes de fato preocupados com o futuro da agremiação.

Os sócios que irão ampliar a representatividade eleitoral no Remo precisam, acima de tudo, compreender que a eleição direta não representa um fim, nem é uma solução mágica para resolver os complexos problemas do clube. O voto direto é um caminho, dos mais fortes, para permitir que as mudanças se consolidem. Não é tudo, mas é muito.

Papão encara desafio no Ceará

O Paissandu tem um jogo importante hoje à noite, contra o Ceará em Fortaleza. Depois do tropeço em Paragominas, empatando com o ASA logo na estreia, espera-se uma resposta fora de casa, capaz de dissipar os temores do torcedor e de dar ao time um posicionamento mais tranquilo na classificação.

Com a aposta na base que conquistou o título estadual, o técnico Lecheva viu-se confrontado com a dura realidade de uma competição equilibrada e cansativa. A partida contra os alvinegros alagoanos deixou claro que a Série B exigirá uma rápida evolução do time, para que se adapte à forma veloz e competitiva da disputa.

Por enquanto, o time campeão permanece prestigiado. A exceção é o lateral-esquerdo Janílson, que estreou mal na sexta-feira. Há, ainda, a possibilidade de utilização do centroavante Careca, recém-contratado. O resultado, porém, pode ensejar mudanças drásticas na atual escalação.

No clube, há consenso de que as primeiras rodadas servirão como laboratório para a formatação de um novo time, que deverá ganhar o reforço dos zagueiros Fábio Sanches e Jean, do volante Zé Antonio, do meia Diego Barbosa e do próprio Careca.

Uma vitória ou empate hoje dará tempo a Lecheva para burilar o esquema e montar a equipe, mas um insucesso apressará tudo, com consequências imprevisíveis. A conferir.

Maestro bicolor na mira do Leão

Pode causar espanto, pela audácia, mas soa absolutamente natural para os padrões de imprevisibilidade dos dirigentes do Remo. Eduardo Ramos, craque do campeonato estadual, maestro e ídolo do Paissandu, foi alvo de uma proposta tentadora por parte do maior rival.

Um dos principais cartolas do Remo procurou há poucos dias o jogador e formulou bases salariais extremamente vantajosas para o nível do futebol paraense. Pessoa próxima ao atleta não revelou o valor oferecido, mas garante que é salário digno de Série A.

A investida, por outro lado, dá bem a medida do grau de confiança dos azulinos na conquista da vaga à Série D. O Remo só terá calendário pelos próximos sete meses caso alguma federação nortista anuncie desistência nas próximas 48 horas.

Anúncios

Entry filed under: Uncategorized.

Bola pra frente – Claudio Guimarães – 28.05.13 Chumbo-Grosso – Paulo Fernando – 28.05.13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


%d blogueiros gostam disto: