Archive for janeiro, 2016

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 31.01.15

BOLA NA TORRE

Neste Domingão vai ao Logo após o Pânico na Band, na RBATV – Canal 13. Vamos ver os gols da Primeira Rodada do Parazão 2016 e suas novidades. Guerreirão no comando estarei na Bancada com os companheiros Gerson Nogueira  e  Valmir  Rodrigues. Tem Prêmios para a Galera….Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instagran )

LANÇADO “TROFÉU C 13”

Mais uma vez uma noite pra ser lembrada a de lançamento da 24ª Edição do Troféu Camisa 13, realizado no Auditório de Eventos do Metropolitan Tower. Coordenado pela ZF Comunicação é Marketing do companheiro Zaire Filho, apresentou como Case o Trabalho de Base da Desportiva, com palestra de Alacid Nahun. Diretoria do Grupo RBA, jornalistas, dirigentes dos clubes e federação. Agora é com o Torcedor que irá eleger a partir de hoje os melhores do Parazão 2016.
RUN UP…

A equipe da Latina Promo já fechou a parceria de Mídia Partner com o Grupo RBA de Comunicação para aproxima corrida Vertical Run Up Metropolitan que vai ser no dia 10 de abril no próprio edifício Matropolitan Tower. Com o apoio técnico da Federação de Atletismo, uma prova totalmente indoor este ano estão estimando 500 participantes, o percurso é de 6 andares de rampa e 21 andares de escada com 400 degraus, o record da prova do ano passado foi 3 minutos e 17 segundos, as inscrições serão abertas em fevereiro. Vai ser show…

CURSO…

O destaque paraense nas categorias de base de vôlei no Brasil abriu uma nova oportunidade ao esporte no Estado. Entre os dias 14 e 21 de fevereiro, Belém será sede do nível máximo do curso para treinadores no Brasil, pela primeira vez na história. O evento será ministrado pelos técnicos ligados à Seleção Brasileira principal Ednilton Vasconcelos, que comandou a seleção feminina nas décadas de 70 e 80, e Caetano Rocha, que integra o grupo de instrutores da CBV, com passagem pela seleção de base. O nível 3 do curso de treinadores de voleibol acontecerá de 14 a 21 de fevereiro, no IFPA, em Belém, com 40 vagas disponíveis a um investimento de R$ 400.

CERTIFICADO…

Mais uma vitória da diretoria bicolor, na sexta o Presidente Alberto Maia recebeu o Certificado da Caixa Econômica Federal da Quitação de Débitos da Instituição Paysandu Sport Club com o FGTS. Certificado pelo Art. 7, da Lei 8.036, de 11 de maio de 1990. Isso é trabalho de Gestão séria. Parabéns!!!

Anúncios

31 de janeiro de 2016 at 3:06 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 31.01.16

A força dos emergentes

O Parazão começa neste fim de semana, trazendo as expectativas iniciais de uma temporada que pode ser bastante lucrativa para o futebol paraense, sob todos os pontos de vista. Um campeonato que estabelece com clareza o confronto entre capital e interior. De um lado do ringue, os dois grandes de Belém. Do outro, oito representantes interioranos, dos quais pelo menos cinco com chances concretas de fazer boa figura.
Será uma batalha interessante de ver, principalmente no turno, quando as forças estão bem mais parelhas. Com reforços que ainda estarão se adaptando ao clima e aos gramados, a dupla Re-Pa deve enfrentar dificuldades na primeira metade da disputa. No returno, tudo tende a favorecer o maior entrosamento dos times de Belém, que levam a vantagem de contar com elencos mais numerosos e homogêneos.
De todo modo, o Parazão deixou de ser uma competição de final previsível, como ocorria até 2010. Ao longo de décadas, Leão e Papão se revezavam nas conquistas, dando pequenas brechas para a Tuna, que volta e meia beliscava um título.
Depois que a competição se tornou estadualizada e Independente e Cametá derrubaram o muro de Belém, a competição continuou deficitária, mas adquiriu um perfil mais atraente.
Os emergentes perderam o respeito e passaram a arrancar resultados dentro da capital enfrentando. Sem recear a força das torcidas da dupla Re-Pa, equilibraram de vez o confronto e hoje ninguém pode afirmar que exista um favorito absoluto ao título.
O Papão desponta como o time mais preparado para a refrega. Manteve o técnico Dado Cavalcanti e contratou muito (18 jogadores). Conta ainda com remanescentes da campanha na Série B do ano passado. O investimento revela o grau de importância que o clube dá ao campeonato, que não vence há duas temporadas.
Com aquisições mais modestas, o Remo vem em segundo lugar no grid. A principal novidade está no comando técnico: o mineiro Leston Junior estreia no Parazão sob o olhar ainda desconfiado do torcedor azulino e correndo os riscos que o torneio costuma oferecer a treinadores forasteiros.
Dos interioranos, cinco se destacam: Independente, Cametá, Tapajós, São Francisco e Águia. Pelas boas campanhas recentes dos quatro primeiros e o histórico do clube marabaense, o grupo tem potencial para criar muitos problemas para os dois rivais da capital.
É bom lembrar que, apesar do triunfo do Remo em 2015, Independente e Parauapebas se posicionaram logo atrás, reservando ao Papão um incômodo quarto lugar.
Apesar de alertados para a evolução dos times do interior, Leão e Papão costumam facilitar em alguns momentos da disputa, principalmente quando se envolvem com competições paralelas – Copa do Brasil e Copa Verde neste ano. E é justamente aí que mora o perigo.
Logo na estreia, hoje, diante do Águia no Mangueirão, o Remo deve sentir na pele o grau de dificuldades que encontrará na caminhada em busca do tri. Sem esquecer que no ano passado, também com um técnico importado (Zé Teodoro), o Leão foi surpreendido pelo franco-atirador Parauapebas. É bom não facilitar.

Incrível! A Primeira Liga pode dar certo

Bem ao contrário do que se imaginava, a Liga Sul-Minas-Rio pode se consolidar como um movimento de libertação dos clubes brasileiros. Ainda é algo em gestação, mas a causa tende a crescer em volume e significado. Os clubes envolvidos mostraram musculatura política ao bancar a competição mesmo depois de uma portaria extemporânea produzida pela CBF, sem a assinatura do presidente em exercício, coronel Antonio Carlos Nunes.
Depois de superar esse embate inicial, a Primeira Liga tem tudo para ganhar consistência e arrebanhar mais clubes. A ausência dos paulistas é até agora o principal ponto de vulnerabilidade, mas já há ensaio de participação de Corinthians e Palmeiras em 2017. Não por acaso, na sexta-feira, a CBF avisou que “apoia” a iniciativa, comprometendo-se a incluir o torneio no calendário nacional.

Papão obtém atestado de boa conduta

Na Assembleia Geral Ordinária do Papão, na última sexta-feira, o presidente do Conselho Deliberativo, Ricardo Gluck Paul, informou que o clube obteve o certificado de regularidade perante o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O documento é um atestado de boa conduta.
Fato inédito na história alviceleste, a certificação junto ao FGTS comprova o acerto e a seriedade do grupo Novos Rumos, que assumiu o poder há três anos com a eleição de Vandick Lima. A proposta era de colocar o Papão no trilho e as atitudes comprovam isso.
Prometeu e está cumprindo.

Luz acesa e CT na mão

No Remo, além de mandar religar a energia no ginásio Serra Freire, André Cavalcante começa a cumprir metas de campanha. O ato mais ousado até aqui é a parceria encaminhada com um empresário dono de um complexo esportivo em Águas Lindas, que dispõe de nove campos de futebol, quadras, academia, salas para o departamento médico e piscinas.
O espaço será usado como centro de treinamento do futebol profissional e das divisões de base a partir de março, quando o estádio Evandro Almeida já estará sob reforma. Como os estatutos do clube não permitem um contrato maior que o mandato do presidente, o acordo terá duração de nove meses.
A vantagem é que a área já está semi-pronta, permitindo que o elenco de futebol possa se preparar adequadamente para as quatro competições agendadas para 2016 – Parazão, Copa do Brasi, Copa Verde e Brasileiro da Série C. Pela primeira vez, em muito tempo, o Remo pode dizer que tem um CT para chamar de seu – mesmo que sob empréstimo.

Bola na Torre

Sob o comando de Guilherme Guerreiro, a bancada do programa terá Valmir Rodrigues, Giuseppe Tommaso e este escriba de Baião. Em debate, a rodada inicial do Campeonato Paraense. O programa começa logo depois do Pânico, por volta de 00h10.

31 de janeiro de 2016 at 3:02 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.01.16.

POSITIVO – Verdadeiras lindezas as novas camisas do Paysandu, lançamento foi sucesso ímpar e frequentadíssimo. Tons de cores impressionaram. Continuará o sucesso de venda!

NEGATIVO – Como nem tudo é perfeito numeração da nova camisa bicolor continuará dificultando para locutores de rádio e TV; no Remo foi preparada e inaugurada nova concentração com toda pompa, mas jogadores se recolherão em hotel da cidade para domingo. Cada uma!

Lá e Cá

A partir deste domingo não circulará mais este espaço Bola Pra Frete com a tradicional entrevista no Bola. Coluna continuará noticiosa de terça a sexta.

Já garantidos na Série D de 2016: América e Central-PE, Águia de Marabá-PA, Aparecidense e Goianésia-GO, Caxias-RS, Fluminense de Feira-BA, ICASA-CE, Madureira e Portuguesa-RJ, Maringá-PR, Nacional-AM, Santos-AP, São José-RS e Tocantinópolis-TO. Fonte: Adilson Brasil.

Novas camisas do Paysandu à venda debaixo de rigorosa fiscalização contra a pirataria; Ícaro Sereni o pai da marca própria do Papão; Celsinho, Capanema e Gualberto fora da estreia bicolor no Parazão.

Voucher das novas camisas do Remo já à disposição e preço variando de 230 para não sócios e 210 sócios até lançamento do dia 3.2; cumprimentos aos departamentos de marketing de Remo e Paysandu.

Como mandante tem esse direito, reunião da diretoria do Remo com órgãos de segurança foi na sua sede; Leão Azul com 28atletas, 11 prata de casa, médias de 26,5 (idade), 1,80m (altura) e 75kg (peso). Fonte: SZ.

Com presidente remista eleito saiu cheque de adiantamento da Copa BR; um tapete o gramado do Barbalhão e obras físicas vão continuar. Quem não cabe em si de contentamento é o administrador Lúcio Santarém.

Paraense Artur, de Abel Figueredo, novo lateral esquerdo do Inter-RS, onde jogou 15 partidas ano passado, descoberto na Copa SP de 2012 no JD Lideral-MA. Desde de 2013 vem sendo trabalhado pelo Clemer.

Águia vem enfrentar o Remo domingo, receberá o Parauapebas na quarta e, já no sábado de carnaval vai a Manaus desafiar o Fast pela Copa Verde; Remo jogando no momento do lançamento do seu novo manto, dia 3.2.

Remo poderá ganhar CT de verdade ainda hoje. Promessa de campanha! Leão fará amistoso contra o Nacional, em Manaus, dia 15.2; presidente Nunes (CBF) cogita antecipar 1ª cota da Copa BR a todos daqui; Foz x Pinheirense (Brasileiro Feminino) voltou para 3.2.

 

HOMENAGEM – Lucivaldo Alves Lessa, o Lulu, ex-bicampeão de boxe meio médio pelo Paysandu (1993-94). Foi também da Seleção Paraense. É segurança hospitalar.

29 de janeiro de 2016 at 10:52 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 29.01.16

Os primos pobres

A simples possibilidade de extinção da Série D do Campeonato Brasileiro já estimulou debates acirrados na esfera regional. A informação sobre o plano da CBF veio da imprensa de São Paulo, a partir da informação do coronel que preside a Federação do Mato Grosso do Sul há 24 anos. Pelas afinidades de patente com Antonio Carlos Nunes, sua palavra deve ser considerada.

Até o momento, a entidade não se manifestou sobre as especulações, mas é provável que o fim da competição esteja realmente próximo. Como os clubes (salvo exceções, como o Remo nas últimas duas edições) têm pouca tradição e torcida, o torneio carece de baixo apelo de audiência. Por isso, não atrai o interesse da TV. Como a TV não transmite os jogos, os patrocinadores se mantêm distantes.

Num mundo ideal, a CBF bancaria o torneio, garantindo a participação de todos os clubes mesmo sem patrocínios da iniciativa privada. Para tanto, bastaria destinar um naco do gordo manancial de receitas da entidade.

No estágio atual, fica evidente o pouco caso pelo campeonato e pelos clubes mais modestos do país. Há um equívoco sério embutido aí. Sem atividades oficiais, essas agremiações tendem a desaparecer gradativamente.

 

Vai aparecer alguém para dizer que os próprios clubes cavam sua desgraça a partir de gestões caóticas e irresponsáveis. Ocorre que, se não houver um esforço a partir da entidade-mãe, eles nunca sairão desse estágio. Como mantenedora e proprietária do futebol brasileiro, a CBF deveria zelar pelos seus filiados. Por todos.

Tome-se como exemplo os clubes paraenses que disputam o campeonato estadual. Uma de suas aspirações ao encarar o torneio local é conquistar acesso à Série D, que garante um mínimo de exposição e condições de funcionamento por mais três ou quatro meses na temporada.

O desestímulo que virá de um eventual fim da competição será danoso para os clubes e trágico para os profissionais envolvidos no processo. Como são 40 clubes participantes, significa que pelo menos 1.200 profissionais estão empregados.

Na condição de primos pobres do futebol, porém, é quase impossível que alguém venha a se preocupar de verdade com sua situação. Os salários são modestos, o glamour é quase nenhum, a visibilidade midiática é quase nenhuma e as transações entre equipes não são exatamente sedutoras para a turma do olho gordo.

A dúvida cruel sobre o pênalti

Para dirimir todas as dúvidas sobre a marcação de pênaltis em jogadas de toque de mão na bola, a CBF programou uma semana intensiva de aperfeiçoamento para todo o seu quadro de árbitros, a partir de 30 de janeiro.

A ideia é fazer com que a turma consiga finalmente atinar que, para comissão de arbitragem da Fifa, nem toda bola que resvala no braço deve ser entendida como infração.

Vai ser difícil.

Afinal, pelas regras não escritas do futebol no Brasil, mais do que a interpretação de cada jogada a maioria dos árbitros leva em conta mesmo é a cor das camisas em ação dentro da área.

Desportiva quer descobrir novos goleiros

A Desportiva promove uma peneira destinada a selecionar jovens goleiros nos dias 8 e 9 de fevereiro, a partir das 9h. Meninos e jovens de boa estatura, de 11 a 18 anos de idade, podem se inscrever gratuitamente (fone: 98371-1065). No dia 8 acontece a palestra sobre fundamentos técnicos e sobre as características exigidas de um goleiro. No dia 9, os inscritos serão submetidos aos testes práticos dentro de campo.

Foi-se o tempo da aristocracia do Morumbi

José Roberto Malia nos informa através de seu blog que a tal crise econômica chegou firme aos portões do antes poderoso São Paulo. Até o momento o clube não pagou a comissão de R$ 900 mil devida ao empresário Jolden Vergette, que foi o intermediário do empréstimo do zagueiro Dória.

O mais curioso é que Dória já foi embora do clube, enquanto Vergette corre atrás do prejuízo, tentando receber a grana. Para acalmar o empresário, o São Paulo liberou dois cheques, um de R$ 600 mil e outro de R$ 300 mil, ambos sem fundos. Sinal dos tempos. O Tricolor do Morumbi já foi mais cuidadoso com seus negócios.

Um curso top para técnicos de vôlei

O voleibol paraense ganha finalmente um curso de alto nível (grau 3) para a preparação de treinadores. Caetano Rocha, instrutor da Confederação Brasileira de Voleibol, e Ednilton Vasconcelos, que treinou a seleção feminina da modalidade, estarão em Belém de 14 e 21 de fevereiro para ministrar o curso no IFPA.

Considerado fundamental para a preparação de técnicos de ponta no país, o curso deve reunir a nata dos comandantes do vôlei no país, interessados em atualizar conhecimento. A FPV avalia que o curso deve alavancar a qualidade do esporte no Pará, abrindo possibilidade de participação competitiva até na Superliga nacional.

A entidade disponibilizou 40 vagas, com matrículas a R$ 400,00.

Gangorra financeira expõe as diferenças

Ao negociar Renato Augusto, Jadson, Ralf e Gil com o futebol da China o Corinthians faturou perto de R$ 80 milhões.

Apenas com a venda de Ramires para o Jiangsu Suning, o Chelsea embolsa R$ 150 milhões.

29 de janeiro de 2016 at 10:21 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 28.01.16

POSITIVO – Abertura oficial do Parazão será hoje com a 24ª edição do Troféu Camisa 13, comando do Zaire Filho e case da Desportiva (Alacy Nahum) expondo ações de um clube autenticamente formador. Ótimo!

NEGATIVO – Brasileiro Feminino, no Souza, não tinha ambulância e mesmo assim a bola rolou. Até quando? Pinheirense 2×2 Caucaia. Ruim!

Lá e Cá

PM não garantiu segurança face o carnaval de Tucuruí e Independente x Paysandu voltou para quinta, dia 4.2; novo manto do Remo será lançado dia 3.2, na casa La Music; Brasileiro Feminino, Foz Cataratas x Pinheirense passou para 4.2.

Ciro vem treinando de titular no Remo no esquema de apenas um atacante. Se não for legalizado a tempo muda tudo; bicolor Celsinho sentiu no treino e está no DM. Já?

GB do Remo Ronaldo Passarinho votou em Miléo Jr, mas está satisfeito com eleição de André Cavalcante. Cobra de Zeca Pirão reconstrução do Baenão que ele destruiu e prometeu em cartório aprontar até 15.8.

Mosaico “Paysandu 1914”, da Fiel Avalanche Alvi-Azul venceu como a maior e melhor do Norte na categoria “Melhor Ação de Torcida”. Totalizou 7.264 votos-acessos e bicolores festejam.

Curiosidade: volantes Michel e Chicão (Remo) têm a mesma idade, 34 anos, apenas Michel é de 8.6 e Chicão de 11.7; Tiago Potiguar e Reis (lembram?) bombando e fazendo gols no Améria-RN.

Ex-meia bicolor Djalma está com o técnico Vica na Associação Sportiva Arapiraquense-ASA-AL e,Tiago Galhardo, de igual posição e passagem no Remo, no RB-Brasil para o Paulistão.

Pikachu se não começar jogando (Mateus Pet, da base, tem começado treinos), certamente entrará de meia no curso do jogo do Vasco contra o Madureira na estréia do Cariocão, domingo. TV aberta na partida.

Dez maiores públicos do Norte em todos os tempos: Remo 1×0 Paysandu, Parazão-1999 (65.000); Paysandu 1×1 Remo, Parazão-1979 (64.010); Paysandu 2×0 Fluminense, Série B-1998 (60.000); Paysandu 2x 4 Boca Juniors, Libertadores-2003 (57.330).

Fast-AM 0x0 Cosmos-EUA-amistoso-1980 (56.950); S. Raimundo-AM 0x1 Fluminense, Série C-1999 (55.185); Paysandu 1×2 Cruzeiro, Copa dos Campeões-2002 (53.615); Remo 1×0 Paysandu, Parazão-1979 (52.973); Remo 2×1 Paysandu, Parazão-1979 (51.304); Remo 2×0 Operário-MS, Série A-1978 (50.000). Fonte: http://www.rsssfbrasil.com

HOMENAGEM – Wilmar Wanderley Coelho, o Wilmar, ex- frente do futsal do Remo, Trem-AP, Independente de Afuá e Seleção Afuaense Salonista nos anos 60-70. É tabelião em Afuá.

28 de janeiro de 2016 at 1:42 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 28.01.16

Legião de importados

A voracidade com que a dupla Re-Pa se lança nas contratações sempre foi conhecida de todos. Sai ano, entra ano e não há jeito de mudar o rumo da prosa. Mais três jogadores chegaram nos últimos dias. Na Curuzu, Lucas é o 17º contratado. No Baenão, Ítalo e Murilo completam 11 nomes na lista de aquisições. No total, 28 atletas de uma só tacada. Os custos variam, mas a média salarial não é inferior a R$ 15 mil.
Como se sabe, a caixa-preta que envolve a questão de salários no futebol não permite que se tenha acesso aos valores, mas pela procedência dos jogadores é possível estabelecer uma estimativa.
Cabe dizer que o problema maior não está nos recursos que os clubes irão mobilizar para pagar essa legião de importados. O que importa, de fato, é o custo-benefício do negócio. Um zagueiro ou atacante caro pode se tornar barato financeiramente caso mostre em campo qualidades que ajudem o time a vencer e a atrair mais torcedores aos estádios.
A imensa dúvida que paira é justamente quanto aos atributos técnicos desse contingente exagerado de boleiros. A prática mostra que a cada leva de contratações vingam no máximo duas ou três.
É muito raro que a quantidade se traduza em qualidade. O que pode atenuar os prejuízos é o cuidado que os dois grandes da capital demonstram na busca por esses atletas. Ainda assim, o futebol não costuma ser cartesiano e lógico, levando muitas vezes a situações inesperadas por quase todos.
Desta feita, há pelo menos o consolo de que a dupla de rivais não cometeu nenhuma barbeiragem grossa sob o pretexto de contratar nomes conhecidos. Flávio Caça-Rato (Remo) e Souza (PSC) são exemplos de gastanças desnecessárias e com desfechos previsíveis. Que os dois fiascos tenham servido de lição definitiva.

Nada como uma boa assessoria
As gafes recentes do Antonio Carlos Nunes como presidente interino da CBF têm feito a delícia da mídia esportiva do Sul e Sudeste. Não há nenhuma dúvida quanto ao viés preconceituoso nas abordagens sobre comentários e entrevistas do coronel. É tão evidente quanto previsível.
E, por ser previsível, caberia ao dirigente se cercar de algumas cautelas básicas. A primeira delas: não permitir que documentos importantes sejam publicados sem a sua devida anuência. A portaria em que a CBF praticamente rompeu com a Primeira Liga é o exemplo mais gritante dessa necessidade.
Enquanto a portaria circulava pelo país e ganhava destaque na internet, Nunes ainda falava como se o assunto estivesse em análise. Pegou mal, passando a ideia de que não comanda de fato a entidade. Há fundadas desconfianças quanto a isso, mas não deve ser o próprio coronel a confirmá-las.
O outro escorregão verbal foi quanto ao novo presidente da Conmebol. Aí é uma questão primária de assessoramento. O chefe do futebol no país não pode estar desinformado sobre o novo mandatário da Confederação Sul-Americana.
Há quem não dê a devida importância ao assessor de imprensa. Mas os episódios recentes indicam justamente o contrário. A cada dia, fica claro que falta a Nunes um assessor competente, de sua confiança. Imaginava-se que ele iria nomear alguém, mas ao que tudo indica está de mãos atadas quanto a isso.
Pior para ele. Sem assessoria, corre o sério risco de marcar sua passagem pela CBF mais pelas topadas e contradições do que por atos administrativos de envergadura.
Um passo ousado e libertário

Houve quem duvidasse do acerto da decisão anunciada pelos dirigentes no final da temporada. O Papão passaria a ter marca própria de uniforme, abandonando o antigo procedimento de se vincular a um grande fabricante internacional. A medida, arrojada e inédita entre clubes brasileiros de porte médio, motivou debates e muita inquietude entre os bicolores.
Com o lançamento festivo da marca própria Lobo, ontem à noite, ficou claro que a diretoria do clube deu o passo certo e necessário para obter faturamento decente com a comercialização de camisas e dezenas de outros itens.
Mais que um coquetel corriqueiro de lançamento, foi um acontecimento a ser saudado como marco zero da libertação financeira do Papão. Apoiado por sua apaixonada torcida, o clube tem tudo para ampliar a venda de camisas e multiplicar os lucros que obtinha até o ano passado.
E faz pensar em conquistas bem maiores. Como bem acentuou o publicitário alviceleste Glauco Lima, nas redes sociais, “num cálculo modesto, o Paysandu tem algo em torno de 2 milhões de fãs apaixonados. Se cada um desses, ao final das contas, dividindo 12 meses do ano, deixar R$ 2,00 por mês nos cofres do clube, através das mais diversas fontes próprias, teremos receitas para financiar nosso futebol, da base ao profissional, sem ficar nas mãos da indústria do conteúdo para TV”.

Direto do Facebook

“Gerson, aqui em Porto Alegre um conterrâneo vem se destacando nos treinos do Sport Club Internacional como lateral-esquerdo. Chama-se Arthur e está enchendo os olhos de dirigentes e do treinador Argel. É um jovem de 21 anos nascido em Abel Figueiredo, no Pará, de onde veio para a base do Inter treinado pelo ex-goleiro Clemer. Hoje (ontem) deveria estrear no Beira-Rio contra o Coritiba pela Copa Sul-Minas-Rio. Portanto, é mais um dos nossos que nunca jogou nos chamados grandes galgando seu espaço do outro lado do Brasil. O jornal Diário Gaúcho de ontem enfatizou a garra do garoto. Dá orgulho ver um conterrâneo iniciando voos maiores”.

Jailson Barroso, torcedor remista residente em Porto Alegre.

28 de janeiro de 2016 at 1:39 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 27.01.16

POSITIVO – Força das marcas: esgotada pré-venda de novas 800 camisas do Paysandu e apurados R$ 184.000,00; lançado ontem o Cap Leão Campeão (Título de Capitalização do Remo). Parceria com a Caixa Seguros.

NEGATIVO – Só na segunda o bom volante Mael se apresentou de novo no Águia. Que mania esquisita tem esse atleta de só aparecer depois da data marcada nos clubes que o contratam. Égua!

Lá e Cá

Remo e Águia, domingo, no 38º jogo, 24 vitórias azulinas (67 gols), 4 triunfos do Azulão (38 tentos) e 9 empates; Paysandu e Paragominas, segunda, na 10ª partida, 6 vitórias bicolores (21 gols) e 3 empates. Jacaré fez 9 gols e nunca venceu o Papão (Fonte: Jorginho Neves).

Criada na nova adminstração do Remo a Diretoria de Negócios que cuidará da parte comercial; ouvidoria sendo restabelecida; Rodrigo Monteiro voltando à assessoria de imprensa do clube.

Quanto ao Baenão, presidente André Cavalcante vai apressar parcerias (através Diretoria de Negócios) objetivando reconstrução do estádio e levantamento de sua capacidade para funcionamento ainda em 2016.

A melhor assessoria de comunicação dos clubes do Parazão é do Tapajós através do Gustavo Campos. Aliás, criado o site do Boto (www.tapajosfc.com.br) para acesso ao dia-a-dia do clube. Valeu!

No lançamento dos novos mantos do Paysandu, hoje, na Vila Aurora, surpresas do futebol poderão ser anunciadas; Biclores e Azulinos não poderão treinar no Mangueirão que vem de recuperação de gramado.

Pinheirense x Caucaia, no Souza, hoje à tarde, Brasileiro Feminino, marcando estreia do presidente Renato Pena em competições oficiais; Remo x Águia jogo 11 da loteca 686; CT e diretoria do Paysandu assustadas pediram anti-doping no jogo contra o Paragominas.

Paysandu com dificuldade para formar zaga na segunda, devendo se defender com Gilvan e Pablo, enquanto garoto Marquinhos foi liberado; CT do Remo anunciando só um atacante diante do Águia e diretoria a contrataçao do veterano lateral direito Murilo.

Mocajuba contratado para lateral esquerda do São Francisco que levou também lateral direito Juninho. Ele esteve na Copa SP com a Desportiva. Preparador físico do Leão Mocorongo é o experiente Nicolau Barros.

Adelson Torres e comitiva da FPF na abertura do Parazão, sábado, em Santarém (Tapajós x São Raimundo). Coronel Nunes (CBF) aguardado; Remo x Águia sob apito do árbitro FIFA Dewson Freitas.

HOMENAGEM – Américo Lins Leal, o Garça, ex-remador do four skiff, campeoníssimo pela Tuna de 1965 a 1975. É respeitado advogado criminalista em Belém, no Pará e no Brasil.

27 de janeiro de 2016 at 12:07 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.