Archive for novembro, 2015

Coluna do Gerson Nogueira – 30.11.15

Só para cumprir tabela

O jogo, por tão desinteressante, reuniu alguns poucos gatos pingados no estádio de Osasco. O clima geral de fim de festa contaminou os jogadores, sendo que o Papão, que não tinha mais nada a perder, se apresentou da maneira mais burocrática possível. Atacava quando dava, defendia-se como era possível e se safou da derrota muito mais pela imperícia e falta de recursos por parte do Oeste.
Para quem entrava com a obrigação de pelo menos empatar para não ser rebaixado, o Oeste foi escalado ofensivamente. No papel. Entrou no 4-3-3, com Betinho no centro do ataque, Foguinho e Vaguininho pelos lados. Não funcionou assim.
O jogador mais avançado e claramente a fim de resolver as coisas era o meia-atacante Mazinho, que deu um grande trabalho aos marcadores do Papão e esteve a pique de marcar, tanto no primeiro quanto no segundo tempo.
Caso todos se aplicassem como o camisa do Oeste, a partida teria sido boa de ver. O problema é que tanto paulistas quanto paraenses não estavam muito a fim de correr, sendo que o gramado irregular e o calor infernal não contribuíam em nada para animar os atletas.
No primeiro tempo, dois lances ensaiaram afastar a pasmaceira. Mazinho quase marcou para o Oeste, depois de um risca sensacional em Pablo, e Pikachu errou no toque final diante do goleiro rubro-negro depois de receber livre dentro da área.
A etapa final começou com um Oeste mais avançado, disparando chutes da intermediária e quase chegando ao gol em dois lances rápidos. Logo a um minuto, Tiago Martins errou a saída e a bola sobrou para Betinho. Ele disparou cruzado, mas Emerson fez grande defesa.
Dois minutos depois, Emerson furou ao tentar rebater uma bola e Mazinho apanhou livre junto à pequena área. No desespero, o goleiro conseguiu espalmar o chute que tinha endereço certo.
Após essas duas tentativas, os times levaram 35 minutos para arrancar um tico de emoção dos sonolentos torcedores presentes. Só aos 38 minutos, surgiu novo lance de área. Novamente Mazinho estava na jogada. Desviou de cabeça um cruzamento perfeito vindo da direita, mas a bola rente ao poste de Emerson.
A essa altura, o Oeste estava mais ligado nas notícias sobre Ceará e Macaé, que jogavam no mesmo horário. O goleiro Leandro caía a todo instante para retardar o jogo e refrear um tímido ensaio ofensivo do Papão, depois que Dado Cavalcanti botou o zagueiro Dão como segundo atacante, ao lado de Leandro Cearense.
O placar continuou em branco e o Oeste festejou efusivamente a permanência na Série B. Na verdade, a partida horrorosa não justificava qualquer comemoração e o escore de 0 a 0 funcionou como nota para os dois times.
Ainda sobre a aposta remista em Leston

No Bola na Torre de ontem, o tema veio à baila e fui voz discordante na discussão sobre a contratação de Leston Junior para dirigir o Remo em 2016. Não que o considere um técnico ruim, apenas porque não o conheço. Citando Roberto Avallone, Leston chega como um imenso ponto de interrogação.
Não significa que seja uma aposta equivocada. Apenas precisa ser visto como aposta, de fato. Pode dar certo, mas pode também dar em nada. Vem bem recomendado pela passagem no Tupi, onde obteve o acesso à Série B. Há, porém, o receio pelo fato de nunca haver trabalhado em clubes de massa.
Lembro que no ano passado o começo foi com um nome conhecido. Zé Teodoro assumiu, pediu contratações e tropeçou feio logo nas primeiras rodadas do campeonato. Foi substituído por Cacaio, que se encarregou de operar a surpreendente transformação de um time combalido em vencedor, garantindo o título estadual, o vice da Copa Verde e o acesso à Série C.
É possível que, desta vez, apostando num jovem ainda com pouca rodagem, o Remo acerte em cheio.
A conferir.
Insanidade à solta até em clássico amador

O Re-Pa disputado no sábado pela manhã no estádio Jornalista Edgar Proença teve vitória alviceleste por 2 a 1 e serviu para tirar o Remo da próxima Copa São Paulo de juniores. Em campo, muita luta e alguns espasmos de categoria entre os garotos da categoria sub-17.
Na parte externa, novos confrontos entre gangues uniformizadas para desespero de moradores da área e pessoas que passavam por ali. Além de muitas agressões e correria, houve troca de tiros e o pânico de sempre a manchar a imagem do futebol.
Nem quando o clássico envolve garotos, a sanha dos turbulentos arrefece.
Até quando?
E o pulso (vascaíno) ainda pulsa

O Vasco conseguiu um gol miraculoso já nos instantes finais do jogo com o Santos em São Januário. Soou como melhora da morte. A parada continua muito difícil, principalmente depois que Coritiba e Avaí também venceram na rodada.
Pior ainda é a batalha que espera pelo Almirante no Couto Pereira na rodada final. Jogo de vida ou morte para os dois e o Vasco ainda precisará torcer por uma derrota do Avaí.
Muitas contas, muita reza e apenas um fio de esperança a motivar a esquadra cruzmaltina. Mas, como se sabe, milagres acontecem.

Anúncios

30 de novembro de 2015 at 5:20 pm Deixe um comentário

Papo do 40º – Ronaldo Porto – 30.11.15

QUE FIQUEM AS LIÇÕES

O Paysandu poderia estar hoje na Série A de 2016 se tivesse vencido mais duas partidas e alcançasse os 66 pontos. É quando eu penso naquele jogo contra o Macaé lá no Rio, quando empatava em 1×1 e tinha um pênalti ao seu favor no final da partida e acabou perdendo o pênalti e o jogo porque o Macaé logo em seguida fez 2×1; penso também na derrota para o Náutico dentro do Mangueirão por 1×0, lembram? O Papão acabou em sétimo lugar, bem próximo do objetivo. Do outro lado da rua, pelo menos um objetivo foi alcançado que foi o acesso à Série C do ano que vem e consequentemente um calendário mais cheio, mas o título da Série D não foi conseguido, ficando o Leão nas semifinais diante do Botafogo-SP. Creio eu que o objetivo agora do Paysandu é fazer um bom time para buscar o acesso à Série A em 2017 e não só se manter onde está. Da mesma forma, o objetivo do Remo é chegar à Série B daqui a dois anos, de preferência com mais um título da Série C. Quanto ao Águia, as esperanças são de voltar novamente para onde estava com uma estrutura mais forte para não ficar sem série em 2017. Na verdade, seria maravilhoso se o Paysandu tivesse subido para a Série A, o Remo que subiu tivesse levantado mais um título e o Águia não tivesse caído. Tenho dito!

ALTA TEMPERATURA

E finalmente a diretoria do Remo anunciou o nome do substituto de Cacaio, que levou o Remo à Série C de 2016. Trata-se de Léston Jr, um desconhecido treinador que tem a seu favor o acesso do Tupi de Juiz de Fora para a Série B do ano que vem. Alguns nomes já foram ventilados, mas ninguém confirma nada, já que o novo técnico chegará essa semana para conhecer Belém e o que terá nas mãos para trabalhar.

BAIXA TEMPERATURA

As bases dos dois times grandes de Belém continuam necessitando de gente que entenda do riscado e leve à serio o trabalho de dar bons lucros no futuro. Pikachu acabou de sair do time e deixou no ar o nome do seu substituto, porém já existe gente dentro do Paysandu falando em um terceiro nome. Bem fez o Papãozinho sub-17, que venceu o Remo por 2×1 na sexta e, junto com a Desportiva, representarão o Pará na Copa São Paulo de 2017. E o Remo fora.

NO TERMÔMETRO

Dado Cavalcanti pelo que fez no Paysandu, mereceu o apoio da diretoria e vai começar a comandar o Papão em 2016. Cacaio, entretanto, mesmo sendo bi paraense, vice da Copa Verde e tendo conseguido o acesso do Remo foi mandado embora. /// No mês de Janeiro vamos partir para mais um Parazão, com o Papão querendo o título e o Remo buscando o tri. Os outros clubes, todos emergentes, lutarão pelo título e por uma vaga na Série D. /// Coríntians-SP, Botafogo-RJ, Vila Nova-GO e Botafogo-SP foram os vencedores das série A, B, C e D do Brasileiro. Alguns festejam o título ou acesso, outros a queda e alguns ainda lutam. /// Coritiba-PR, Avaí-SC, Figueirense-SC, Vasco da Gama-RJ e Goiás-GO são os clubes que ainda lutam para escapar da queda da A para a B. A rodada final será emocionante, até porque o velho Eurico Miranda declarou que o Vasco não cai. A vitória contra o time santista ontem melhorou as esperanças, mas o Almirante não depende só de si. Precisa vencer lá no Paraná e torcer pelo Coríntians, Fluminense e São Paulo, contra Avaí, Figueirense e Goiás e só o Coringão jogará em casa. /// E a diretoria do Paysandu andou falando de contratações em São Paulo depois do empate final contra o Oeste-SP. Prefiro esperar o preto no branco para falar a respeito. /// Uma boa semana a todos e viva Jesus!

E-mails: rporto@supridados.com.br

30 de novembro de 2015 at 5:10 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 29.11.15

Entrevista com Renato Pena novo presidente do Pinheirense mantendo a saga da família no General da Vila.

Que achou do pleito com 4 chapas?
Ótimo. Nunca houve isso na história do clube e associado teve mais opção. Já convido para posse em 8.12 (dia dos 90 anos da agremiação).

Como surgiu a tua candidatura?
Havia um desejo de mudança no clube que partiu dos meus irmãos e amigos como Pito, Celinho, Clayton, Bruno, Orlando Cunha, entre outros. Topei a parada.

Teu irmão Ronaldo Pena foi vitorioso Diretor de Futebol e Presidente do General da Vila. Pinheirense está no sangue familiar?
Sim. Meu pai foi sócio e 6 dos meus 9 irmãos o são. O General está mesmo no sangue da familia.

Primeiras providências?
Prestação de contas (transparência), recuperação, recadastramento (hoje 700) e adesão de nóvios sócios, reavalição patrimonial e realização de eventos. Depois de muitos anos já teremos Reveillon dia 31.12.

Quem compõe tua Diretoria?
Vices Bruno Campos e Clayton Assis. Demais integrantes serão escolhidos e nomedos por nós, observando critérios de responsablidade e vontade de trabalhar.

Chegar à eite do futebol está nos teus planos?
Sim. Mas temos de trabalhar muito mais a base. Vamos também ativar esortes amadores como judô, futsal, basquetebol e handebol.

Algum projeto para o Estádio Abelardo Conduru?
Recuperação da iluminação, reforma estrutural e impantação de uma academia.

Como será o relacionamento com a Comunidade Icoaraciense?
A melhor possível. Queremos parcerias com Ag. Distrital, Lions, Rotary, Igrejas Católica, Evangêlicas e outros segmentos comunitáros.

Quanto tempo disporás para o clube?
Quero diretoria atuante e vou delegar obrigações a todos. Espero dispor de pelo menos duas horas diárias sempre no início da noite.

Clube continuará no Concurso Rainha do Carnaval?
Se tivermos parceria sim. E já temos candidata para ganhar.

Um sonho?
Dotar de novo o clube de uma sede campestre (a anterior foi invadida) à altura do nosso associado. Que ele confie no nosso trabalho.

29 de novembro de 2015 at 3:25 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 29.11.15

Nivelamento por baixo

A Série B 2015 terminou neste sábado, com saldo técnico abaixo das expectativas. Em comparação com outras edições do campeonato, esta foi uma das mais pobres. Poucos times conseguiram se destacar, vacilando quanto à regularidade e à qualidade de jogo. Até o campeão Botafogo, dono de incontestável campanha, não teve o brilho esperado, oscilando muito ao longo da competição. Sua conquista só foi tranquila porque a concorrência conseguiu ser ainda menos eficiente.
América-MG, Vitória e Santa Cruz, também classificados, padeceram do mesmo pecado. O América até arrancou bem, mas caiu de rendimento e só levantou na reta final. O Vitória cumpriu campanha do tipo gangorra, ganhando aqui e perdendo acolá. O Santa Cruz só conseguiu engatar a ascensão nas últimas rodadas. Nenhum dos que subiram pode ser apontado como grande time. No máximo, foram equipes que erraram menos.
Quase no mesmo nível dos que subiram, Bahia, Sampaio Corrêa, Náutico, Bragantino e Papão passaram bem perto da vaga e poderiam ter tido melhor sorte. A queda de rendimento nas nove rodadas finais – por deficiência de elenco e falhas de estratégia –, explica o fracasso dos integrantes desse pelotão.
Já no aspecto individual é possível apontar jogadores que sobressaíram em meio à multidão. O time de melhores do campeonato escalado pela coluna é até bem interessante, capaz de fazer boa figura numa hipotética Primeira Divisão: Jefferson (Botafogo); Pikachu (PSC), Alemão (Santa Cruz), Ronaldo Alves (Náutico) e Diego Renan (Vitória); Willian Arão (Botafogo), Nadson (Sampaio) e Jocinei (Bragantino); Marcelo Toscano (América-MG), Zé Carlos (CRB) e Neílton (Botafogo).
O técnico é Marcelo Martelotte, que tirou leite de pedra e conduziu o Santa Cruz a um acesso que vale tanto quanto um título de campeonato. Mas a escolha poderia recair, sem configurar injustiça, no veterano Givanildo Oliveira ou em Vagner Mancini.
A revelação é Fernando Neto, do Macaé, que esbanjou vitalidade na meia-cancha de um dos times mais atrapalhados da disputa.
Já o melhor jogador da competição, pela alto nível mantido nos dois turnos e a indiscutível categoria, é o meia-atacante Nadson, do Sampaio.
Dos titulares do escrete da Segundona, Jefferson foi determinante para a confiança que o Botafogo demonstrou desde o começo do torneio. Como líder e pela condição de melhor goleiro do país, deu ao grupo a convicção de que era possível voltar à elite – e assim foi. Na suplência, Emerson, pela impecável performance no Papão, e o paraguaio Roberto Gatito Fernandez (Vitória).
Na lateral direita, Pikachu foi o jogador mais destacado, brilhando principalmente na excelente fase inicial do Papão. Depois, caiu junto com o time e pareceu afetado pelas especulações que o colocavam em vários times da Série A – e até mesmo na lista de Dunga. Seu reserva imediato é o combativo Ricardinho, do Paraná.
A zaga titular é formada por Alemão (Santa) e Ronaldo Alves (Náutico), dois beques bons no jogo aéreo e fortes na antecipação. Os suplentes são Fabiano Eller (Náutico) e Ligger (Oeste), que também tiveram bom desempenho nos dois turnos.
O lado esquerdo da defesa teve poucos destaques, mas Diego Renan foi o mais regular, com excelente papel na arrancada do Vitória. Pery (CRB) e João Lucas (PSC) são os reservas.
Willian Arão, do Botafogo, foi disparadamente o melhor volante, tendo a vantagem de saber articular as ações ofensivas. Além disso, ainda aparecia para finalizar. Tony (América) e Ricardo Capanema (PSC) são os suplentes, sendo que o volante do Papão foi prejudicado pela lesão que o afastou de boa parte do returno.
Na criação, Nadson (Sampaio) e Jocinei (Braga) brilharam intensamente. Além de executarem a transição, comandaram seus times em campo, marcando muitos gols. Daniel Carvalho, responsável pela cadência e organização da meiúca do Botafogo, e Fernando Neto (Macaé), a andorinha solitária do Macaé, são os reservas.
O ataque reúne três das principais figuras do campeonato. Marcelo Toscano (América), Zé Carlos (CRB) e Neílton (Bota) foram fundamentais em seus times para a conquista do acesso. De características diferentes, todos se destacam pela boa colocação na área e grande capacidade de finalização. Seus reservas são Navarro (Bota), Kieza (Bahia) e Richarlyson (América), que ficaram apenas alguns degraus abaixo do rendimento dos titulares.
Um time de bom nível para uma Série Bem nem tanto.

Direto do blog

“Acredito que 2016 será um ano de bons embates, pois, com os dois grandes tendo calendários garantidos para a temporada que se aproxima, os demais concorrentes terão um fôlego a mais com a perspectiva de vaga em competição nacional. Tirando a rivalidade de lado, a vinda do Remo para uma divisão nacional abre para o Estado uma chance de subir no ranking nacional das federações. Agora é esperar que os emergentes montem equipes qualificadas e que não compareçam com os sucatões de outrora!”.

Miguel Ângelo Carvalho, projetando um campeonato estadual atraente.

Bola na Torre

Giuseppe Tommaso comanda a atração neste domingo na RBATV, tendo na bancada a participação de Valmir Rodrigues, Carlos Castilho e deste escriba de Baião. Começa logo depois do Pânico, por volta de 00h20.

Acordos parecidos, repercussões opostas

Cacaio não permaneceu no Remo porque não aceitou um contrato de seis meses. Considerou a oferta desonrosa. A negociação foi criticada e a saída do técnico até hoje gera críticas sobre uma suposta ingratidão do clube.
Dado Cavalcanti topou ficar no Papão firmando contrato até maio de 2016. Se for bem sucedido no Parazão, renova para a Série B. Se fracassar, dificilmente continua. Ninguém (até agora) questionou o acordo.
Coisas do nosso futebol.

29 de novembro de 2015 at 3:20 pm Deixe um comentário

A Bola no Bola – Giuseppe Tommaso – 29.11.15

BOLA NA TORRE

Neste Domingão logo após o “Pânico na Band”, na RBATV –

Canal 13. Vamos falar da Participação do Paysandu na Série

B e os Projetos para 2016, o Remo e os Bastidores das

Eleições para Presidente. Estarei no comando e comigo os

companheiros, Gerson Nogueira, Valmir Rodrigues e Carlos

Castilho. Participe pelo @bolanatorre ( Twitter e Instagran )

JOGO DAS ESTRELAS

Esta sendo organizado pelo Formiga e vai acontecer no Estádio Maximino Porpino em Castanhal, no dia 19 de Dezembro e a entrada será 1 Kg de alimento. E todo o alimento arrecadado será doado para a Clínica de Reabilitação para Jovens envolvidos com Drogas e também para suas Famílias. Nomes confirmados nesta festa do futebol: Goleiros Paulo Rafael, Breno e Gilberto. Zagueiros Charles Guerreiro, Yan, Formiga, Raul e os lutadores do UFC Iuri e Ildemar Marajó. Laterais Cicinho, Alex, Tiago Cametá, Marlon, Edinaldo e Wellinton Saci. Meio Campo Lecheva, Ernandes, Ilailson, Vanderson, Ricardo Capanema, Adrianinho, Giovani Augusto, Flamel e Yago Pikachu e os Atacantes Tiago Alves, Leandro Cearense e Carvalho, Rafael Oliveira, Moyses e Helinho. Vai ser um Show!!!.

CIA ATHLÉTICA

Muita festa e só jogão nas Finais dos Campeonato de Futebol Society da Cia Athlética no Masculino e no Feminino. No feminino final entre Barcelona e Milan, o Milan ficou com o Título e venceu por 3 x 1. No masculino jog de muitos gols Palmeiras venceu o Corinthians por 5 x 4 foi o Grande Campeão, ainda levou o Melhor Goleiro e o artilheiro da competição Eduardo Zotelli.

LIVRO “CHARGE”

Imperdível! O Livro do companheiro “ATorres” que reúne as melhores charges publicadas no jornal Diário do Pará. Leão e Papão são os personagens principais dos mais de 100 trabalhos reunidos em uma edição impecável que acaba por contar um pouco da história do futebol paraense. Lançamento dia 09 de dezembro na sede da Tuna Luso às 19h. Estaremos lá…

APOSTA…

Da nova geração e muito bem recomendado pela Imprensa Mineira, o Remo terá como técnico para a próxima temporada Leston Jr que acaba de levar o Tupy-MG para a Série B. Pelo que tomei conhecimento, não gosta de estrelas e aposta muito em revelações da Base, muito bom para Fabio Cebolão e Paulinho Araujo que já guindaram ao Futebol Profissional quatro revelações Lailson, Paulinho, Miranda e Wendel. É aposta, mas vamos torcer, pois tem tudo para dar certo!!!

29 de novembro de 2015 at 3:01 pm Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 25.11.15

Entre a crise e a esperança

Enquanto tenta contratar um novo técnico e formar elenco para a próxima temporada, a diretoria do Remo convive com outros problemas, igualmente sérios e urgentes. Alguns relacionados à própria dinâmica política de um clube de massa. É o chamado fogo amigo, que pouco contribui e muito convulsiona, como a recente entrevista do ex-diretor Sérgio Dias, tornando públicas diversas situações de ordem interna.
Segundo Dias, apesar de ter quatro competições a disputar em 2016, a realidade azulina é menos risonha do que parece. Além da falta de técnico e time, o Leão pode ficar sem estádio (o Baenão deve entrar em obras) e é provável que fique também sem presidente, diante das dúvidas quanto ao novo pleito, ainda não marcado.
Dias, colaborador da gestão atual atuando no departamento de futebol, expôs problemas crônicos existentes no clube. Afiançou que existem hoje cinco grupos disputando espaço político. O que poderia ser um sinal de vitalidade democrática é também um tremendo empecilho para o diálogo e o esforço conjunto.
Até prova em contrário, as afirmações de Dias são verdadeiras. A dúvida é quanto ao objetivo e à oportunidade de exibir tanta roupa suja. Quando um dirigente há anos ligado às engrenagens internas do Remo revela tantas mazelas é porque o clube continua dividido, à mercê de interesses individuais e pouco comprometidos com a instituição.
O fato é que, a dois meses do início das competições oficiais – o Campeonato Paraense começa no dia 31 de janeiro -, o Remo está longe do que seria a preparação ideal para começar bem a temporada. Ao mesmo tempo, não pode se entregar ao açodamento de empresários e seus intermediários, ávidos em vender gato por lebre, encarecendo mais as negociações.
Ao contrário dos últimos anos, o Campeonato Paraense não é determinante para o calendário do clube em 2016. Isso permitirá que a primeira fase do torneio seja aproveitada como laboratório para a montagem do time para a disputa da Série C. Até lá, o departamento de Futebol terá que se empenhar em fazer contratações pontuais.
Como pondera um experiente benemérito azulino, a farra de contratações deve ser definitivamente banida da agenda do clube. Deve-se a ela o grande débito trabalhista que o Remo contraiu nos últimos sete anos.
Quanto ao estádio Evandro Almeida, dirigentes, conselheiros e torcedores devem descartar sua utilização. A maioria dos camarotes e parte das cadeiras foi vendida durante a gestão de Zeca Pirão e não haverá dinheiro suficiente para ressarcir seus compradores.
Em 2016, o Baenão deve funcionar como CT improvisado e o clube terá que apostar tudo na fidelidade de sua torcida, única capaz de tirá-lo da precária situação financeira atual. Para isso, obviamente, o time de futebol não pode decepcionar em campo.
É em busca deste delicado equilíbrio, entre eficiência técnica e bilheteria lucrativa, que os gestores do Remo devem empregar toda a sua capacidade criativa.

Apagão elétrico e de ideias

Enquanto avançavam as negociações com o técnico Marcelo Chamusca (ex-Fortaleza), o corte de energia elétrica no Baenão, ontem à tarde, por falta de pagamento, é desses episódios que desnudam as fragilidades administrativas do Remo.
Depois de quitada a fatura, a energia voltou à noite, mas não em intensidade suficiente para apagar os estragos causados à imagem pública do clube, com repercussão negativa perante patrocinadores, credores e possíveis reforços.
Vale dizer que o ginásio Serra Freire continua com a energia suspensa há mais de três semanas.

Pikachu a caminho de São Januário?

O futebol ainda tem lá suas surpresas, principalmente quando envolve acertos financeiros entre clubes e jogadores. Veja-se o caso de Yago Pikachu. Enquanto muita gente ainda crê que o melhor lateral direito da Série B vá para o Flamengo, eis que o Vasco surge como possível destino do atleta.
O alerta foi ligado quando, na quinta-feira passada, o pai do jogador foi visto em São Januário ao lado de Eurico Miranda, por ocasião do jogo Vasco x Corinthians. O próprio Pikachu, mantendo o tom discreto de sempre, evitou comentar o fato, mas o canal Esporte Interativo informou ontem que o clube cruzmaltino está perto de anunciar a contratação.
Como tudo a essa altura ainda é especulação, deve-se esperar mais um pouco. Mas, caso a opção de Pikachu pelo Almirante se confirme, Eurico terá motivos para se vangloriar de mais um traço aplicado na diretoria rubro-negra.

Acordo pode revitalizar a Águia Guerreira

Um projeto que será celebrado hoje, às 16h, no QG do Comando Militar do Norte (CMN) pode representar o começo da ressurreição da Tuna como formadora de atletas. O clube firmará acordo de cooperação com o Exército, através do CMN, para implantação do Colégio Militar de Belém (CMBel), a ser inaugurado no dia 12 de janeiro de 2016, data do 400º aniversário da capital paraense.
A parceria deve beneficiar inicialmente alunos do 6º ano do Ensino Fundamental, mas, quando o CMBel estiver funcionando plenamente, cerca de 1000 jovens serão atendidos com a utilização das piscinas, quadras, ginásio e campos de futebol da Tuna.
O Colégio Militar de Belém será o 13º estabelecimento de ensino do Sistema Colégio Militar do Brasil, que atende 15 mil jovens em todo o país. Com suas tradições esportivas, a Tuna une-se, portanto, a uma instituição de ensino respeitada e com histórico altamente positivo de formação de atletas nas mais diversas modalidades.

25 de novembro de 2015 at 11:25 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 25.11.15

POSITIVO – VI Jogos da Integração (idosos de vida ativa apoiados pela SEEL) foram abertos ontem no Mangueirão e disputas se desenrolando até sexta-feira. Sucesso!

NEGATIVO – Donos brincam mesmo com o Remo: técnico e time de basquete contratados treinam à tarde por falta de energia no Ginásio Serra Freire (luz cortada há um mês). No Baenão já houve religação . Dois jogadores do futebol ameaçam acampar com suas famílias na sede.

Lá e Cá

Pelo menos um comprimento efusivo do Pará o novo presidente da Argentina Maurício Macri recebeu: do ex-presidente do Paysandu Artur Tourinho. Tornaram-se amigos na época da Libertadores de 2003.

Depois do preparador de goleiros Jorgeira, mais um limado da CT do Paysandu para 2016: Sérgio Papelim. Caminho aberto para indicação de Dado Cavalcanti (hoje completando 9 meses no Bicolor).

Paysandu bateu todos os times do G4 da Série B, sendo o Santa Cruz duas vezes. Ex-técnicos bicolores também perderam aqui: Givanildo Oliveira, Hélio dos Anjos, Mazolla Jr e Roberto Cavalo duas vezes.

Bicolor Pikachu (jogou Copa SP de 2009 pelo Castanhal) de novo na Seleção da 37ª rodada da Segundona. Aylon deverá ter companhia de Edinho no ataque, sábado, em Osaco-SP, contra o Oeste.

Eleição na Tuna dia 9.12 e não 19 como saiu ontem. Chapa da situação com João Rodrigues presidente Charles Tuma vice (inversão do que é agora) a favorita. Na oposição Mário Manga e Marcos Moraes.

André Cavalcanti confirmou que após a marcação da eleição no Remo vai conversar com seu grupo para uma definição se a chapa vai concorrer. Já Hélder Cabral terá apoio de Maurício Bororó (FPF) por ligações familiares.

Como antecipei ontem técnico do Remo será Marcelo Chamusca (acerto com Fred Gomes devidamente autorizado). Ganhará 50 mil e trará auxiliar técnico (tudo indica que Caé Cunha).

Jogo Solidário Amigos do Marlon x Amigos do Jr Amorim, dia19.12, no estádio do Pinheirense-Icoaraci, 9h da manhã. Ingresso 1 kg de alimento não perecível.

Heber Roberto Lopes-FIFA completará sábado 40 jogos no ano dirigindo Paysandu x Oeste. Só na Serie A tem 20, ultrapassando Dewson Freitas (19); presidente do Papão em SP conversando com agente de João Lucas.

Aniversário da desportista Adriane Bentes, filha do baluarte Aracy Bentes será comemorado neste sábado com um RE x PA de veteranos em Almeirim. Atrações Luzinho Pacheco e Tuna que brilham lá anos atrás.

HOMENAGEM – José Maria Souza Nascimento, o Tuna, ex-zagueiro da base tunante, depois Tiradentes, Palmeiras e Seleção de Almeirim nos anos 60-70. É aposentado do INSS.

25 de novembro de 2015 at 11:24 am Deixe um comentário

Posts antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.