Coluna do Gerson Nogueira – 21.08.14

Outra revelação descartada

A decisão pegou quase todo mundo de surpresa pela esquisitice e ausência de bons motivos. O Remo anunciou anteontem a dispensa de um de seus mais promissores zagueiros. Desde Raul, que também não teve vida tranquila no clube, as divisões de base azulinas não produziam um beque de bons recursos como Igor João. Assim de supetão, alguém da diretoria ou da comissão técnica decidiu se livrar do jogador e ele foi descartado. Sem mais, nem menos.

Como ocorre com tantas outras revelações, o torcedor teve poucas oportunidades de ver Igor João jogar pelo time principal do Remo. Depois de dedicar mais de cinco anos ao clube, ele foi escalado apenas algumas vezes, em situações de emergência e aperreio, mas raramente começou partidas como titular da zaga.

Mas, por coincidência, foi com Igor João na zaga que o Remo garantiu o título estadual da temporada. Isso ocorreu no primeiro Re-Pa da decisão do Parazão, vencido pelos azulinos por 4 a 1. Na ocasião, o técnico Roberto Fernandes viu-se forçado a lançar oito reservas para suprir a ausência de jogadores contundidos e suspensos.

Igor João ficou incumbido de comandar a defensiva. E deu conta do recado. Ao lado de Yan, também oriundo da base remista, foi fundamental para o excelente resultado obtido. Ainda haveria um segundo clássico decisivo, vencido pelo Papão por 2 a 0, mas o título foi assegurado naquele primeiro confronto.

Desde então, como se tivesse desaprendido a jogar, não teve mais oportunidades entre os titulares. Mesmo quando a zaga fraquejou em lances bobos, como na estreia diante do Moto Clube ou nos instantes finais do jogo contra o River em Teresina.

Acabou relegado à condição de terceira ou quarta opção para a defesa, atrás de jogadores mais limitados, como Rubran. Agora, em medida de contenção de despesas, a diretoria resolveu abrir mão do jovem zagueiro. Podia ter começado a adotar medidas de ajuste financeiro evitando contratações de risco, como a do zagueiro Negretti e do atacante Danilo Lins.

Abrir mão de um atleta de bom nível revelado na própria base é daquelas atitudes que caracterizam gestões pouco preocupadas com projetos de médio e longo prazo. Trabalham sempre com a corda no pescoço e só conseguem ver saída na importação de “reforços”. Igor João foi sacado porque era um dos menos salários do clube, o que, em tese, deveria servir para preservá-lo um pouco mais.

Existem dúzias de exemplos a comprovar que essa linha de conduta é danosa aos clubes, mas por aqui a regra imutável é a de persistir no erro. Fez muito bem o grande benemérito azulino Ronaldo Passarinho em questionar junto ao presidente Zeca Pirão a razão da dispensa de Igor João. Não surtiu efeito prático, mas revelou que pelo menos uma voz de respeito no clube não concorda com a aloprada medida.

Mais do mesmo na lista de Dunga

Ingênuos foram os que apostaram em convocação menos conservadora na primeira lista de nomes escolhidos por Dunga para a Seleção Brasileira. Como se os trágicos 7 a 1 não tivessem maior importância, o técnico decidiu prestigiar o grupo de Felipão convocando 10 de seus jogadores. Número muito expressivo para o paupérrimo futebol praticado pelo Brasil no Mundial.

Alguns são nomes até aceitáveis, como David Luiz, Luiz Gustavo e Oscar, mas outros se inserem na galeria dos descartáveis – Willian, Maicon, Fernandinho, Ramires, Hulk. A insistência em preservá-los denota a falta de critérios do novo comandante.

Que contribuição esses jogadores têm a dar à Seleção depois do que mostraram na Copa? Pelo visto, Hulk seguirá como a principal esperança para o ataque. Como não há milagre capaz de transformar caneleiro em craque, Hulk continuará rude e com parcos recursos. Enfim, o mesmo atacante esforçado e errático de sempre.

Acima de tudo, Dunga queimou preciosa oportunidade para impor nomes novos e experimentar jogadores deixados de lado por Felipão. Nesse sentido, soa como pura teimosia a ausência de Paulo Henrique Ganso, preterido pelo treinador, como já havia ocorrido em 2009 e 2010. Ao contrário daquela época, o camisa 10 não está na plenitude da forma, mas na crise técnica atual não é jogador para ser ignorado.

Apesar de boas novidades, como os cruzeirenses Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart, Dunga esqueceu de convocar Lucas, que Felipão orgulhosamente preferiu não chamar para a Copa, optando por Willian. Ora, tudo o que o meia do Chelsea não fez em gramados brasileiros deveria ser motivo mais do que suficiente para resgatar Lucas.

As críticas à primeira lista de Dunga não anulam o fato de que o Brasil amarga um terrível período de entressafra, agravado pelas pouquíssimas opções ofensivas. A ausência de um legítimo camisa 9 na convocação é evidência desse cenário.

Ô fase.

Águia sob nova/velha direção

João Galvão é o Águia, o Águia é João Galvão. Isto é algo que o torcedor marabaense sabe de cor e salteado há muito tempo. A pedidos, ele está de volta, chamado a socorrer o time em meio a uma situação desesperadora na Série C. Nunca o Águia esteve tão próximo do rebaixamento como atualmente. Galvão reassumiu o comando técnico depois da demissão do técnico Everton Goiano.

A mudança não elimina a estranheza com a guinada do clube em direção a um treinador importado nesta temporada. É provável que o fracasso do Águia no Parazão 2013 tenha forçado a experiência, que se mostrou ainda mais surpreendente quando o clube anunciou a contratação de Dario Pereyra.

Afastado do futebol há algum tempo, Dario chegou sob desconfianças e acabou confirmando os maus presságios. Desafiado a montar um novo time, mesmo com bons reforços, o uruguaio não conseguiu dar ao time a consistência exigida para uma competição dura e equilibrada como a Série C. Foi substituído por Everton Goiano, que seguiu na mesma toada.

Galvão entra em cena como último trunfo para impedir a queda. Não duvido que consiga seu intento, mas é inegável que a empreitada se impõe como a mais difícil que ele já enfrentou no clube. O consolo é saber que ninguém, além dele, pode salvar o Águia neste momento.

21 de agosto de 2014 at 2:28 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 21.08.14

POSITIVO – Professor Hugo Montenegro ministrando Curso de Árbitros e Treinamento em Voleibol, em Paragominas, até sábado; de 29 a 3.8 será o professor Biratan Palmeira a orientar Curso de Alto Rendimento de Volei.

NEGATIVO – Depender do poder público municipal dá nisso: Izabelense desmonando time e abandonando disputa da Segundinha por falta do apoio prometido. É duro!

Lá e Cá

CBF-FPF vetando Castanhal, Paragominas e Cametá para o Remo. Luta agora é conseguir licença especial e atuar no Baenão ou voltar ao desprezado Diogão (Bragança) para jogos frente ao Interporto e River.

Rayro, Marcelo Brás, André Luiz e Vânderson algumas novidades no Castanhal do técnico Rogério Belém na 1ª fase do Parazão; Esdras e Aleílson de volta ao Águia contra o Fortaleza e Émerson dispensado.

Djalma e Bruno Veiga em alta com técnico Mazolla Jr no Paysandu; Roberto Fernandes barrou dois ontem no treino azulino: a imprensa e lateral Alex Ruan, mas um oriundo da base a perder espaço no time.

Chapa da situação do Paysandu (Alberto Maia-Sérgio Serra) será lançada hoje, 20 h, na sede. Antes, jurídicos de Remo e Paysandu estarão 16 h, no Hotel Regente, apoiando parceria Contra Trabalho Infantil do TRT.

Todo conforto ao azulino Danilio Rios: além das contusões foi assistir sua esposa em Brasília que perdeu filhinha no parto. Retornará amanhã.

Luiz Carlos Apeú o técnico da seleção da Vigia para o Campeonato Intermunicipal.

Servidores das Albrás ganharam em 3 categorias 1ª etapa de tênis dos Jogos do SESI. Brilharam Edrisan Cruz e Takashi Nakamura. Próxima etapa de 27 a 28.9.

6ª Edição do Torneio de Voleibol de Funcionários do BB-Etapa Pará, sábado, a partir de 7:30 h, na AABB, com 12 equipes. A campeã estará na Etapa Nacional em Saquarema-RJ. Contatos 91-92196948 e 83706264.

Médicos Flávio Freire, Amintas Melo e Hélton Nóvoa até sábado em BH no XVI Congresso Brasileiro de Medicina do Exercício do Esporte. Freire e alunos da LAMEESP apresentado trabalho científico sobre DM do Paysandu, inclusive na linha da pesquisa com PRP.

3ª Etapa do Ranking de Corridas da AP terá Miniaratona (10 km) dia 21.9 e inscrições http://www.aponline.com.br ou 91-31819919.

HOMENAGEM – Laurimar Santos da Costa, o Laurimar, ex-bicampeão de regata pelo Remo no double e four skiff (1989-90). Remou ainda pela Seleção Paraense. Cursa Educação Física e é árbitro da CBR e CSR.

21 de agosto de 2014 at 2:26 pm Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 20.08.14

POSITIVO – No limite, por não aceitar mais desculpas e não ser omisso, presidente azulino Zeca Pirão cuida de laudos e mandou equipes técnicas a Paragominas e Cametá. Onde estiver melhor clube jogará. Certíissimo!

NEGATIVO – Torcida proscrita do Paysandu foi a Castanhal, espantou crianças de um parque, bagunçou no jogo e fez quebra-quebra contra carros depois da partida. E a polícia só olhando. Medo?  

Lá e Cá

Paysandu tem 92 gols na temporada (maior artilharia do Brasil) em 49 jogos. Mazolla Jr completou 21 vitórias à frente do time em 41 partidas e seu aproveitamento é de 63% (tem 14 empates).

Técnico Éverton Goiano não resistiu e entregou cargo no Águia onde só tinha 24% de aproveitamento. E lá vem o João Galvão salvar da queda!

Águia ainda tem 4 jogos em casa e 3 fora. Já o Paysandu atuará apenas 3 vezes como mandante e 4 como visitante até o fim da Série C. Bicolor quebrou tabu de 13 anos contra CRB e Pikachu fez seu 40º gol no clube.

Aliás, biclores Pikachu e Mazolla Jr entraram na Seleção da 11ª rodada da Série C. Atitude de Paulo Rafael aceitando jogar (Douglas contundido) sabendo do estado de saude se sua mãe Carla (morreu) altamente digna.

Liberação de Robinho até era esparada no Remo, mas a de Igor João certamente é para dar espaço a Negretti. Atacante Danilo Lins não jogava no Mogi Mirim desde 24.4. Leão Azul seu 13º clube.

Por sinal, no Remo melhor goleiro é Jader, mas nem cheira o time principal e dupla de ataque ideal Rony-Val Barreto não é escalada. É duro!

Árbitro paraense Dewson Freitas apitará hoje sua 8ª partida na Série A deste ano (Coritiba x Vitória); Dr. Gilberto Araújo novo presidente do TJD.

Sábado o tradicional 2º RE x PA do ano da ASBEP (funcionários do banco estadual) começando 9:30 h. São três ao todo.

Crianças de 5 a 12 anos já podem se inscrever para 11ª edição da Copa Miúdos e Miudinhos do Grêmio a ser jogada na Arena do Futuro a partir de 5.9. Procurar sede ou acessar http://www.gremioportugues.com.br.

Foi inaugurado o Centro de Formação de Atletas de Futebol da Leal Sports, o primeiro do Norte em parceria com o Sport do Recife.

HOMENAGEM – Marinez Cruz Arraes, a Marinez, ex-cestinha campeã de basquetebol feminino no Pará pela Tuna, Remo e Paysandu (70-80). Jogou ainda na Seleção Paraense. É Juiza de Barcarena e está na Corregedoria do Interior em nossa Capital (TCE).    
 

20 de agosto de 2014 at 11:45 am Deixe um comentário

COLUNA DO GERSON NOGUEIRA – 19.08.14

Reencontro com a vitória

 

Já se esboçava um novo tabu no horizonte bicolor. O Papão não vencia na Série C há seis partidas e vinha de um período desanimador sob a direção técnica de Vica. A reação começou antes mesmo de Mazola Jr. reassumir. Contra o Coritiba, pela Copa do Brasil, a simples notícia da recontratação do treinador já funcionou como estímulo e o time arrancou uma vitória alentadora.

Ontem, em Castanhal, o bom momento se confirmou. O Papão recebeu o perigoso CRB, dono de maior pontuação e brigando para entrar no G4. Com tranquilidade, sem afobação, controlou as ações e construiu no segundo tempo uma vitória convincente. Aliás, foi uma das vitórias mais merecidas da equipe nesta temporada.

Independentemente da simpatia ou antipatia que seu estilo desperte, o fato é que Mazola confirma nessa reentrada a boa impressão deixada no primeiro semestre. Foi o responsável pela montagem de um time aguerrido, marcador e aplicado, que superava as limitações com uma saída para o ataque e muitas jogadas pelos lados da área.

Desta vez, mesmo sem o artilheiro Lima, Mazola encontrou um grupo ligeiramente mais qualificado, com a vantagem de não ter mais a responsabilidade de prestigiar jogadores que indicou, como Bruninho e Lacerda.

Adepto de formar duplas na estruturação do time, Mazola reeditou diante do CRB a dupla mais afinada que o elenco tem. Parelha que havia sido desfeita na gestão Vica. Pois Djalma e Pikachu voltaram a jogar juntos e, como por encanto, o Papão contabilizou de imediato os lucros dessa iniciativa.

Comentei na Rádio Clube ontem à tarde que o técnico já iria acertar em cheio se resgatasse Pikachu, que nas últimas partidas parecia longe e desligado de tudo. Contra o CRB, Pikachu foi um dos mais ativos jogadores, colaborando no meio e se apresentando para finalizações. Consequência direta disso foi o gol que marcou depois de meses sem balançar as redes.

Para que isso se concretizasse, Mazola teve a sensibilidade de colocar Djalma como escolta de Pikachu. Como jogam juntos há muito tempo, os dois se entendem por música. No primeiro tempo, já mostraram desenvoltura e participaram diretamente das principais manobras ofensivas. O gol não saiu por puro capricho, pois até bola na trave o Papão botou.

No segundo tempo, a partir do gol de Héverton aos 17 minutos, o time acertou de vez a marcação e resistiu bem ao ensaio de pressão que Ademir Fonseca tentou fazer. Bem montado, o time alagoano saía em bloco para buscar o empate. Charles e Lombardi guarneciam a zaga e não deram chances. Acontece que, com os avanços, o CRB escancarou os espaços pelos quais Mazola estava esperando.

O segundo gol nasceu quando o Papão ainda enfrentava alguns perigos. A bela finalização de Djalma aos 37 premiou um jogador que esteve praticamente expurgado durante a passagem de Vica e sacramentou a vitória. O escore final de 3 a 0 foi definido por Pikachu nos acréscimos, coroando sua grande atuação e o acerto da estratégia de Mazola.

Apesar da velocidade do CRB e da aplicação de seus jogadores nos contra-ataques, o Papão teve uma atuação sólida, mandou em campo na maior parte do jogo e mereceu até um placar mais dilatado. Mas, para recomeço de trabalho, está de bom tamanho.

Os melhores do jogo (e do Papão): Djalma, Pikachu, Charles e Héverton. Todos jogadores que se destacaram muito pelas mãos de Mazola. Não há mistério em futebol.

 

 

O retorno triunfal do craque Neymar

 

Os golaços que Neymar marcou ontem contra o León, pelo torneio Joan Gamper, confirmam que ele está em plena forma depois daquele joelhaço aplicado pelo colombiano Zuniga durante a Copa. Episódio que, por sinal, a Fifa tratou com extrema condescendência, tendo o endosso de muita gente séria da crônica esportiva brasileira. O jornalismo ensina que não se deve brigar com os fatos e as imagens são claríssimas quanto à agressão.

Pois Neymar, recuperado completamente da séria lesão que o afastou da Copa, mostrou a alegria que sempre teve ao jogar futebol. Rápido, insinuante e driblador, apresentou-se na área para receber e finalizar os dois passes de Iniesta e ainda colaborou com o primeiro gol, marcado por Messi.

Tudo bem que o León é mais um desses times mexicanos especialistas em correria, mas o que importa mesmo é ver Neymar recuperando o prazer pelo jogo, sem medo de encarar beques de cara feia.

E Dunga, que tenta relativizar o valor do craque com aquela velha zanga contra jogadores habilidosos, terá forçosamente que engolir esse Neymar revigorado.

 

 

Direto do blog

“Mazola fez o time voltar a jogar bola. Passou sufoco? Passou. Isso é Série C, amigos. Nada é fácil. Papão foi melhor no jogo como um todo, em que pese os momentos de equilíbrio. É preciso destacar que Mazola conseguiu fazer com que jogadores que não estavam rendendo voltassem a jogar bem. Yago e Charles são bons exemplos disso. Vamos Papão! O sonho continua. A Mazola o que é de Mazola!”.

De Celira, torcedor do Papão, exultante com a primeira vitória na Série C depois da Copa.

 

 

No Leão, um freio nas desculpas

 

Dadá, com a simplicidade dos bons, decretou um fim para o festival de desculpas esfarrapadas depois da derrota para o Guarani de Sobral, em Bragança. Perder em casa não tem justificativa, disse o volante.

Alguém precisava parar com a escalada de lorotas para o tropeço azulino. Afinal, perder faz parte do negócio. E o melhor caminho para reencontrar a vitória é aprender com os próprios erros.

19 de agosto de 2014 at 11:33 am Deixe um comentário

BOLA PRA FRENTE – Cláudio Guimarães – 19.08.14

POSITIVO – Árbitro paraense Dewson Freitas continua com tudo: apitará amanhã Coritiba x Vitória (Série A), sexta América-MG x Ponte Preta (Série B) e, sábado, adicional de Atlético-MG x Inter (Série A). FIFA bem perto!    

NEGATIVO – Quanta ingenuidade no Departamento de Futebol Azulino: tem é de cobrar do plantel mais caro de Série D e do técnico mais bem pago resultados ou tomar medidas drásticas. Chega de desculpas tolas!  

Lá e Cá

Jurídico do Remo tentando sensibiizar CBF a fim de adiar os dois jogos de punição que faltam para 2015, enfrentando Interporto (7.9) e River (14.9) no Baenão e com ingresso pago. Toda tentativa é válida!

Takashima Nakamura, diretor vice presidente da Albrás ganhou de Paulo Cecim, da Hydro Alunorte, no tênis de quadra, nas novas instalações do SESI que promoveu a disputa. E foi de capote!

Santa Rita-AL, sucesso na Copa do Brasil (vai pegar agora o Cruzeiro) é o antigo Corinthians Alagoano, de empresários e o único nas oitavas que não disputa nenhuma série do Brasileiro.

Após cirurgia e chegada do técnico Mazolla Jr, atacante bicolor Leandro Carvalho se anima para voltar; no Remo, hoje Danilo Rios de retorno ao trabalho com bola liberado de novo pelo DM.

Salgueiro (no G4 da Série C) recebe ajuda mensal de 150 mil do Governo de Pernambuco da parceria da Nota Fiscal Cidadã. E por aqui nada!

Alerta aos bicolores: Brasília é de um grupo de empresários ligado politicamente ao Governador do DF, Agnelo Queiroz.

Pikachu, que só ficará no Paysandu até final deste ano, deixou a lateral direita há alg tempo e com isso perdeu espaço na mídia nacional para outro paraense, o Tiago Cametá, do Fortaleza. Agora só se fala nele!

No seu segundo jogo no Brasil, Seleção da Etiópia empatou com o Gama-DF em 1×1. Time candango esteve reforçado dos veteranos Flávio Conceição e Viola (fez o gol). Agora, Brasiliense amanhã.

Jogo Remo 0x1 Guarany de Sobral, em Bragança, teve 1.230 pagantes a menos que na partida Remo 0x0 Moto lá mesmo. Por sinal, Guarany é o único time cearense com título nacional, a Série D de 2010.

Caio Max Augusto Vieira-RN, árbitro de Guarany-CE x Remo, domingo em Sobral, tem 32 anos, é professor de Educação Física e já apitou este ano 1 jogo da Série A, 3 da Série B, 1 da C e 1 da D.      

HOMENAGEM – Walter Ferreira Maués Filho, o Waltinho, ex-lateral esquerdo do futebol de campo do Paysandu desde a base nos anos 90, ex- atleta de futsal do Remo (94) e Paysandu (96-97). É técnico de enfermagem do Ophir Loyola.

19 de agosto de 2014 at 11:30 am Deixe um comentário

Coluna do Gerson Nogueira – 18.08.14

Tropeço nos próprios erros

O pior dos pesadelos para os azulinos ganhou vida ontem à tarde, em Bragança, contra o Guarani de Sobral. Depois de exagerar na insistência com bolas aéreas, o Remo abriu espaço na defesa e permitiu que o visitante aproveitasse a única chance real que teve no primeiro tempo.

Como havia acontecido na estreia diante do Moto Clube, o Remo começou a partida com confiança e empolgação. Fustigou a zaga inimiga várias vezes, mas sempre alçando bolas na área. A exceção foi um disparo forte do volante Dadá, que levou muito perigo. Nos outros lances, o goleiro do Guarani aparecia sempre bem posicionado.

Curiosamente, o Remo não fazia valer a presença de tantos jogadores ofensivos no time. O setor de armação pouco aparecia e o ataque se embolava nas tentativas pelo meio. Criatividade zero.

Quando um time mandante abre mão de se impor com qualidade, abre caminho para surpresas desagradáveis. A estratégia do técnico Roberto Fernandes de usar cinco homens no meio se mostrou equivocada. Reis, Marcinho e Tiago Potiguar tinham a missão de fazer a armação e a aproximação com o isolado Leandro Cearense no ataque. Nada funcionou.

E a semelhança com a partida contra o Moto se confirmou quando o limitado Guarani, mesmo timidamente, foi ao ataque e marcou seu gol, aos 38 minutos. Um chute de longe que pegou Maikcy Douglas desprevenido. Azar do Leão, pois as coincidências com o jogo de estreia ficaram por aí, pois o gol de empate não aconteceu.

O técnico Roberto Fernandes tentou mudar o cenário, fazendo três substituições para a etapa final. Errou novamente. Entraram Rafael Paty, Ratinho e Roni, mas foi como se nada tivesse acontecido, pois o ataque continuou impotente diante da defesa cearense, incapaz de arriscar uma jogada mais ousada ou envolvente.

Estranho é que o Remo passou 15 dias de folga no torneio e poderia ter trabalhado mais o passe, inversões de posicionamento e jogadas ensaiadas. Mais estranho ainda é que Fernandes tenha passado a enxergar em Reis, dispersivo na maior parte do tempo, uma opção para a titularidade.

O jogo evidenciou que o time carece de vida inteligente no meio-campo. Falta um organizador, tarefa que Eduardo Ramos cumpriu até o final do campeonato estadual. E Ratinho – ao contrário do que pensa e diz o técnico – não é o vilão por ali. Sabe jogar, mas é um atacante de lado de campo, jamais um organizador. Se espera isso do

A situação agora ficou delicada. O time complicou uma caminhada que era relativamente tranquila. Perdeu quatro dos seis pontos disputados em casa e terá apenas mais seis a cumprir em Bragança. A liderança agora passou para as mãos do Guarani, com quem o Leão voltará a jogar no próximo fim de semana, em Sobral.

Por sorte, as diferenças de pontuação ainda são muito estreitas, o que ainda permite uma recuperação. Mas será preciso jogar muito mais do que tem jogado até aqui.

Jogo de seis pontos em Castanhal

O Papão enfrenta hoje o CRB em Castanhal e tem, pelo menos a vantagem de contar com a torcida ao seu lado, depois de seguidos jogos de portões fechados como mandante. Tem, ainda, a reestreia de Mazola Jr. no comando. Com ele, antes da paralisação para a Copa do Mundo, o time não era brilhante, mas tinha um jeito de jogar bem definido. E fazia muitos gols também.

No recomeço da Série C, com Vica à frente, a equipe perdeu identidade e passou a acumular insucessos. A confiança foi embora e o elenco acabou se dividindo com as queixas públicas do treinador a respeito dos “chinelinhos”.

Com Mazola, a tendência é que o Papão volte a mostrar entusiasmo e compense suas limitações com correria e transpiração. O CRB, que se beneficiou dos resultados de ontem no grupo, busca crescer na classificação e voltar ao G4. Tem sido bem sucedido como visitante. Contra o Águia, venceu dentro de Marabá.

É um time perigoso, treinado por Ademir Fonseca, mas o Papão tem condições de manter o pique da apresentação contra o Coritiba. Na ocasião, mesmo com um time bastante improvisado, exibiu boa recuperação no segundo tempo. Dênis marcou o gol da rodada e deve ter garantido a titularidade para o confronto desta noite. As outras posições do meio para a frente, porém, seguem em aberto.

Caso decida reproduzir o antigo esquema de três volantes, Mazola deve escalar Augusto Recife, Zé Antonio e Capanema (ou Djalma). Mas o setor de criação é um mistério. Raul, Marcos Paraná, Héverton e Rafael Tavares são as alternativas, com mais chance para o primeiro.

Pikachu provavelmente vai continuar como meia-atacante, mas se tiver a companhia de Djalma tende a crescer. Essa recuperação viria em bom momento, pois o Papão anda sentindo falta daquele jogador decisivo de antes.

Azulão cada vez mais atrapalhado

O Águia voltou a cair fora de casa, permanecendo lá na parte de baixo da tabela, candidatando-se seriamente ao rebaixamento. O jogo em Salgueiro foi equilibrado, mas uma falha da zaga marabaense permitiu ao veterano Élvis (ex-Remo) marcar o único gol da tarde.

Sem conseguir empreender uma boa sequencia na competição, o Águia terá pela frente na próxima rodada ninguém menos que o Fortaleza, líder disparado no Grupo A.

Vitória reabre esperanças botafoguenses

Depois de vários insucessos na competição, o Botafogo escolheu o clássico contra o Fluminense em Brasília para se reequilibrar no Brasileiro. Não foi vitória de encher os olhos tecnicamente, mas valeu pela determinação do time e pelo resultado importante na briga para se afastar da zona.

Já o Fluminense, de elenco caro e pretensões de levantar o título, provou que a chinelada sofrida diante do América-RN ainda está martelando na cabeça de seus jogadores. Para piorar, Fred continua com a urucubaca da Copa do Mundo.

18 de agosto de 2014 at 6:03 pm Deixe um comentário

PAPO DO 40º – Ronaldo Porto – 18.08.14

POR ONDE ANDA O FUTEBOL PARAENSE?

Os anos se passaram e o nosso futebol que dava orgulho aos nossos torcedores foi afundando e a situação vai ficando cada vez pior. Ontem o Remo fez mais um papelão, jogando dentro do Diogão em Bragança, saindo de lá com uma derrota para o humilde Guarany de Sobral e caindo para a quarta colocação do seu grupo. Quem sonhava em ganhar e virar líder, agora vai ter que se virar lá fora, em Sobral, e devolver a derrota para o inimigo dentro dos seus domínios. Pobre futebol do Pará, que dificilmente ganha de clubes de menores expressões, com todo respeito, e com uma folha de pagamento dentro da realidade, diferente dos nossos clubes que extrapolam os limites. O Clube do Remo, de grandes tradições, bem como o Paysandu, de feitos e títulos memoráveis, não podem mais ficam nessa situação e urge uma tomada de posição por todos, a começar pela nossa Federação, que tem a obrigação de vestir muito mais a camisa do Pará. Essa derrota de ontem deverá deixar os bastidores azulinos fervendo e, tal e qual aconteceu no adversário semana passada, o caldo poderá entornar no outro lado.

ALTA TEMPERATURA

Estamos num período difícil no nosso futebol, onde perdeu o Remo, perdeu o Águia, candidato a deixar a série C em 2015, e só o Paysandu poderá nos salvar hoje contra o CRB, jogo que será realizado à noite em Castanhal, ainda de portões fechados. Aliás, o Paysandu mais do que nunca precisa de uma vitória para melhorar sua posição na classificação, senão o torcedor bicolor vai começar também a se preocupar com uma possível queda. Vou arriscar um placar de 2×0 para o bicola no jogo de hoje, já com Mazola voltando ao comando técnico na série C.

BAIXA TEMPERATURA

O Remo precisa urgente de uma sacudidela, caso contrário todo o esforço feito vai para o brejo. O técnico Roberto Fernandes perguntou ontem o que o Guarany fez para ganhar do Remo? A resposta é simples, fez um gol e levou três pontos de Bragança. O que adianta jogar 90 minutos em cima do adversário e sair derrotado? O que adianta ter jogadores de 30 minutos e de contra ataques, casos de Ratinho e Roni, se na hora que o time mais precisa ambos não funcionam? Ainda dá tempo para escapar do abismo e a hora é agora, presidente Pirão!

NO TERMÔMETRO

A briosa Tuna que não está disputando nada, conseguiu uma vitória em amistoso realizado em Garrafão do Norte por 2×1. Pelo menos não fez feio como Remo e Águia. /// Ontem alguns jogadores do Remo reclamaram do gramado do Diogão novamente, o que já sabemos que é verdade; o gramado de lá é irregular demais, pesado demais, porém é irregular e pesado para os dois lados. Desculpa de perdedor. /// Segundo o comentarista João Cunha, o Remo teve oportunidades no primeiro tempo e se perdeu no segundo; mais uma vez vêm à tona as “oportunidades perdidas”, pela falta de pontaria. Ou será falta de treino de finalização? Os atacantes treinam isso durante a semana? /// O repórter Paulo Caxiado não conseguia entender porque o Remo jogava tão mal e declarou em certo momento que com as entradas de Roni e Ratinho o Remo empataria, pelo menos. Entraram os dois e o Remo perdeu mesmo. /// Logo mais o Paysandu terá o CRB pela frente e terá que vencer até por meio à zero, se não quiser ver a coisa ficar complicada; Mazola Jr vai mostrar que veio para vencer, pelo menos é o que a galera espera. Empate em Castanhal hoje é sinônimo de derrota. /// Interessante, o técnico Vica não ganhou de ninguém aqui, deixou o clube bicolor e já contratado pelo Asa de Alagoas já enfiou 3×0 no seu adversário no mesmo grupo do Paysandu. Pergunta-se: o defeito é do treinador ou do plantel? /// E finalmente o Flamengo saiu da zona com a vitória sobre o Coritiba lá dentro. Luxemburgo ressurgindo das cinzas. /// Devido ao jogo do Paysandu contra o CRB hoje, a nossa Turma do Bate Papo do Timão Campeão passará para terça-feira, ao comando de Carlos Gaia. /// Até o fechamento da coluna, o técnico Roberto Fernandes continuava prestigiado pela diretoria do Clube do Remo. /// Uma semana abençoada a todos e viva Jesus?
E-mails: rporto@supridados.com.br

18 de agosto de 2014 at 5:54 pm Deixe um comentário

Posts mais antigos


Clube no Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.